23 de jun de 2016

Like a Couple? - Chapter Thirteen


6/6

Mais um dia se inicia e Lua desperta feliz, tudo havia se resolvido entre ela e Arthur. Mesmo que a conversa não tenha evoluído tanto e que o Arthur estivesse certo em dizer que sentia que ela não confiava nele. A verdade era essa, para se sentir segura ela tinha que se manter confiando e duvidando da resistência do amor deles. Apesar de saber que ele não aguentaria as dúvidas dela e que estava se entregando por inteiro, portanto, esperava o mesmo dela. Os pensamentos eram tão negativos que a deixavam deprimida, terminou de escovar os dentes e suspirou encarando seu reflexo no espelho, sentiu que deveria aproveitar a calmaria que estava sua vida. Sorriu determinada, vestiu seu uniforme de trabalho e penteou seu cabelo que mais parecia um ninho de pássaros.

_Bom dia, coisa linda-Diz fitando Arthur que fazia o café já vestido, mas com uma cara de preguiça.

_Bom dia-Respondeu com sua voz rouca matinal, ela o abraçou e lhe deu beijinhos por toda a extensão de suas costas.

_Hm... A que se deve essa namorada toda atenciosa que tenho essa manhã?

_Eu acho que depois de tanta briga, merecemos um pouco de carinhos e tempo juntos-Ela ri da força que ele fazia para se manter acordado.

_Mais tarde podemos até ter esse tempo, mas agora vou me entupir de café porque tô um caco-Ele ri junto com ela e diz.

_Posso adivinhar...? Deixou algo da faculdade para última hora e madrugou para poder fazer, acertei?

_Mais que acertou, só faltou a parte que eu passei no seu quarto para roubar um beijinho de boa noite que não recebi ontem...-Ele faz manha.

_Que manhoso e preguiçoso esse meu namorado, termina logo esse café que estou morrendo de fome-Ela zomba, lhe dá um tapa na bunda e se afasta para por a mesa.

_Que abusada, a gente nem vai ser ver hoje direito-Ele comenta triste.

_Que bom, a gente precisa ficar um pouco longe pra ver se quebra um pouco essa atmosfera fofolete que estamos tendo ultimamente.

_Eu nem me surpreendo mais com o quanto você é romântica, Maria-Ele ironiza e implica usando o sobrenome dela.

_Não provoca-Ela faz cara proibitiva e o encara.

_Eu não comprei os pães hoje, vamos ter que nos virar com os dormidos mesmo!

_Tudo bem, já sei mais do que me virar com eles. Só preciso de uma frigideira e um pouco de manteiga-Diz ela assim que termina de por a mesa e ele sorri pra simplicidade que ela dá para as coisas da vida.

...

O dia deles no café foi bastante atarefado, a clientela parecia surgir dos buracos a cada minuto, tiveram que resolver isso tendo menos que duas horas de almoço para poderem fechar o lugar antes que desse o horário de irem embora e não ficarem de hora extra. Arthur ia para o estacionamento da faculdade conversando com Thaís, que só o acompanhava para que ele lhe devolvesse alguns livros que ela havia emprestado.

_E o lance com sua companheira de apê? Pelo visto tá rolando!-Ela fala sorrindo e ele concorda com a cabeça.

_Eu sempre amei a Lua, só era cabeça dura e não corria atrás dela. Nosso relacionamento apesar de difícil é maravilhoso e sei que ela me ama também.

_É agora que eu digo que, aí tem amor e muito-Tay ri e ele a acompanha se lembrando do bordão dela.

_E seu lance com a Aghata? Ela finalmente parou de ser cabeça-dura?-Ele copia a pergunta que ela havia lhe feito, o sorriso dela some.

_Sabe quando você sente que tá tudo calmo demais? Não que eu esteja reclamando, é que sempre depois de calmaria vem algo para enfrentarmos novamente. Nós estamos num relacionamento, finalmente só falta conhecermos os sogros.

_Entendo-Ele a mira inconformado com a forma que ela exprimiu o que ele temia em seu relacionamento com Lua, estavam na calmaria e já sabia que viria algo para tentar a durabilidade do relacionamento deles.

_Tenho medo, os pais dela são extremamente conservadores e creio que não irão nos aceitar.

_Pelo que me parece, a fase de enfrentamento de vocês está chegando-Ele sorri, mas não lhe chega aos olhos porque uma preocupação repentina o atormenta. Os livros são devolvidos e ele faz o caminho de volta pra casa.

...

Lua andava despreocupadamente pelos corredores de sua faculdade, só guardaria os livros em seu armário e iria pra casa para passar um tempo com Arthur porque sentiu a tristeza dele de manhã ao falar do tempo que passariam separados e que realmente passaram. Guardou os livros e assim que fechou seu armário, seu celular tocou.

_Alô?-Chamou perguntando por quem estava do outro lado da linha.

_ Menina Lua, aqui é Madalena. Estou te ligando para falar que sua mãe não tem estado muito bem esses dias e no momento está em repouso máximo em casa-A mulher informou e ela já se sentia mal por não ter falado com sua mãe nesses últimos dias.

Ela pensou nas últimas semanas mais que atarefadas que teve e se entristeceu por não ter recebido nenhuma notícia dela e por não a ter chamado nesses dias, se lembra de imediato da teimosia de dona Maria Claudia. Resolve pegar um voo para estar pelo menos algum tempo perto dela e cuidar para que esse repouso seja seguido à risca. Tinha que ver com seus próprios olhos o estado em que sua teimosa favorita se encontrava.

***

Se há alguém que ainda não desistiu de mim e lê esta fanfic, me sinto mais que feliz por você e devo dizer que vou triplicar meus esforços para terminar esse projeto maravilhoso e iniciar outro. Sei que devem querer me matar e podem se quiserem, beijos suas lindas!

Um comentário:

  1. É, muitas vezes tenho q volta o capítulo para lembra a história. Mas fico feliz que esteja de volta.

    ResponderExcluir

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo