14 de jul de 2015

Caminhos traçados


Evitando fazer besteiras
Lua, Melanie, Sophia e Juliana levantaram em um pulo quando começou a tocar Give me love.As quatro amavam aquela  musica, tentaram puxar os meninos para dançar com elas mais foi inútil.
Mesmo assim as quatro seguiram para pista de dança. Lua sentiu alguém puxando seu braço e quando virou para ver quem era, deu de cara com Caique.
– Caique. – Sorriu surpresa.
Dança comigo essa musica? – Perguntou galanteador e a mesma aceitou.

Arthur que via a cena, não conseguia tirar os olhos dos dois, tinha varias garotas ao seu redor, mas a única que importava estava neste momento dançando com outro.

Give me love like her
'Cause lately I've been waking up alone
Pain splattered teardrops on my shirt
Told you I'd let them go

Por que disso agora Aguiar? Ele se preguntava. Era somente uma dança. Lua e ele não eram nada além de amigos ou melhor irmãos. Não tinha o porque de estar incomodado com a proximidade dos dois.
You know I'll fight my corner
And that tonight I'll call ya
After my blood, is drowning in alcohol
No I just wanna hold ya
Sentiu seu sangue ferver quando Caique sussurrou algo no ouvido de Lua que a fez corar.
– Cara para de fazer esse olhar de serial killer. – Brincou Guilherme, distraindo o amigo.
– Oi?
– Você só falta assassinar o garoto com o olhar. – Explicou ele, fazendo Arthur e os amigos rirem.
– Idiota. – Deu um soco de leve no braço do amigo.
– Diego o que você acha da gente da uma circulada pela boate? Já que você é o único solteiro.
– Também tem o Rodrigo. – Lembrou Diego olhando o amigo.
– Aquele ali ta mais preocupado em vigiar uma certa loira que ta na pista de dança agora. – Riram vendo o jeito que Rodrigo a olhava. – Antes dela ir embora ,eles ainda ficam juntos, escreve o que eu estou dizendo. – Brincou sorrindo travesso. – Bora Diego. – Arthur chamou se levantando e os dois saíram.

– Rode! – Micael o chamou.
– Que foi?
– Você e a Juh conversaram? – Rodrigo nega.
– Ela fugiu do assunto. – Suspirou.
– Cara você ficar assim não vai adiantar nada. – Assegurou Chay.
– Ai cara é que eu to me segurando pra não ir lá agora e dar um beijo nela. – Confessou fazendo os amigos rirem.
– E por que não vai? – Perguntou Guilherme.
– Porque eu não quero piorar as coisas.
– Para de ser gay Rodrigo. – Chay brincou dando um tapa na cabeça do amigo.

   Quando Rodrigo ia retrucar as meninas voltaram.

– E ai vocês vieram pra cá pra ficar sentados? – Alice perguntou sentando no colo do namorado.
– A gente só tava conversando amor.
– Cadê o Diego e o Arthur? – Ray indagou procurando os dois
– Foram dar uma volta. ­– Rodrigo respondeu.
– Gente eu vou pegar uma bebida pra mim e já volto. – Avisou Juh indo em direção ao bar.
– Eu acho que ela vai se arrepender amanhã. – Comentou Lua.
– Ela é teimosa gente, deixa. – A morena sentada no colo de Chay disse.

Uma hora depois

– Já chega! – Rodrigo exclamou farto, ao ver o estado que a loira se encontrava. – Arthur?Lua? – Os chamou.
– Que brother? – Arthur perguntou prestando atenção assim como Lua.
– Vocês se importam de ir com o resto do pessoal, acho que já passou da hora de levar a Juh pra casa. – Murmurou um pouco irritado. Juliana estava quase dormindo no colo de Diego.
– Claro que não Rodrigo. – Lua respondeu. –Também acho que já estava na hora de alguém levar a criança ali pra casa. 
– Concordo com a Lua brother. – o garoto disse.
– Valeu viu. – Rodrigo  agradeceu se levantando. – Mel eu vou levar a Juliana lá pra casa, antes que ela faça uma idiotice. – Comunicou a prima da garota que apenas assentiu.
Rodrigo se aproximou da jovem que estava quase dormindo encostada no amigo, e a trouxe para seus braços, e com a ajuda de  Diego a ergueu em seus braços.
– Qualquer coisa me liga Rodrigo. – Mel pediu e o mesmo assentiu e depois saiu.
– Será que dessa vez eles se acertam? – Indagou Alice rindo.
– Duvido do jeito que esses dois são. – Rayanna resmungou.
– Eu acho que eles dariam um casal fofo sabia? – Comentou Sophia e todos a encaram. – Eles podem ser bem briguentos, mas eles se completam. Ele com o jeito protetor e ela toda moleca. Que gosta de provocar pra ver até onde ele vai. – A jovem falava deixando os amigos de boca aberta. – Ela cuida dele, do jeito dela mas cuida. – Suspirou fazendo cafuné no namorado. – Que foi gente? – Perguntou ao perceber que todos a observavam.
– Você falou algo coerente loira. – Ray implicou e Sophia respondeu-lhe com uma careta.
– Ai credo Ray. – Lua e as meninas disseram rindo.
– Que tal a gente parar de falar e cair na pista? – Sugeriu Diego. – Afinal a gente veio aqui pra dançar e não jogar conversa fora.
– O Diego tem razão. Bora? – Chay perguntou.
– Bora. – Todos gritaram juntos.

...
– Pra onde você está me levando? – Juliana perguntou despertando. Olhou para Rodrigo que prestava atenção no transito. E do nada começou a rir.
– Estou te levando para casa. – O garoto desviou o olhar da estrada para olha-la.
– Vou ficar sozinha em casa. – Afirmou fazendo biquinho.
– Você não entendeu. – Riu deixando a jovem confusa. – Estou te levando para minha casa. – Finalizou entrando no estacionamento de seu prédio.
– Eu não vou ficar sozinha com você! – Gargalhou. – Prefiro voltar pra boate. – Disse emburrada. – Você não tinha nada que ter me tirado de lá.
– Ah claro! Eu ia te deixar encher a cara e fazer alguma besteira. – O moreno murmurou irônico.
– Não sei por que você finge tanto que se importa. – Resmungou colocando os pés no banco e abraçando os joelhos.
– Pelo simples fato de que eu realmente me importo Juh. – Declarou acariciando os cabelos da menina. – Por favor vamos terminar essa conversa lá em cima okay? – Pediu calmo e a mesma assentiu.


...
Pov Lua

    A noite estava muito agradável. Como dizem nada como uma noite com os amigos para diminuir o estresse. Neste momento a boate acabara de tocar “ Problem – Ariana Grande” e para a minha “sorte” começou a tocar “Nocaute – Jorge e Matheus”. A pista de dança foi tomada por casais, e eu ali solitária.

     E nessas horas que eu acho que preciso de alguém.

     Estou prestes a sair da pista, quando sinto alguém me puxar pelo braço novamente .E dessa vez não era o Caique, e sim Arthur. Ele estava ali, palavras não foram ditas, ele apenas passou o outro braço pela minha cintura e me trouxe para mais perto de si.


       Deitei minha cabeça em seu peito e ficamos assim o restante da musica, abraçados, curtindo o momento. Meu irmão, meu melhor amigo, confidente era isso que ele era, isso talvez nunca fosse mudar, talvez eu tenha que me acostumar com isso.

Um comentário:

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo