16 de jul de 2015

23 - Por favor, me ajude! - Anti-penúltimo Capítulo - Maratona 2/3

Boa leitura! :)
Estão gostando?
2/3





 

Quase um mês havia se passado depois do trágico fato de Lua ter perdido o bebê e ter 'esquecido' da existência de Arthur, ela não estava nem um pouco bem, parecia estar em depressão, mas só parecia, algo no fundo estava começando a clarear a sua mente, talvez não fosse pra ser, aquele bebê nem um pai tinha, ou seja, aquela criança iria sofrer com aquilo, por isso, fora bom ter acontecido o que aconteceu - assim pensava a moça.
...
– Vamos meu filho, você precisa sair dessa cama, precisa reagir, Arthur! – Kátia pediu paciente ao filho que durante toda a semana se culpava por ter feito o que fez. – Você fez o certo em me contar, você estava confuso, é normal meu amor... – Ela disse enquanto passava a mão pelo bochecha de Arthur.
– Me deixa... – E como ele fizera durante toda a semana, a ignorou.
– Eu vou visitar a Lua... – E em um piscar de olhos Arthur se levantou da cama um pouco mais animado.
– Veja se ela esta bem, tente dizer a ela que eu... – Kátia levantou uma de suas mãos como se pedisse para Arthur se calar.
– Querido, não vou me meter entre vocês dois... – Ele murchou novamente, porque ela não iria ajudar ele? – Só vou dar um empurrãozinho... Quero que vocês dois se entendam logo, eu sei que vocês dois se gostam! – Arthur ergueu o olhar novamente.
– É muito mais que isso! – Ele disse em relação ao ' gostar'. Depois desse tempo sem ela, ele vira o que perdeu, ele sentiu na pele o que ela sentiu, só que a dor que ele sentiu, não era nem comparada com a dela, que ainda era recente, mas ela sentia como se nunca fosse curar, e de um certo modo, não curaria mesmo, ela perdeu um filho... E isso é inesquecível!
Kátia não disse nada, apenas beijou a bochecha do filho... Algum tempo depois ela foi até a casa de Lua, ela precisava ver como ela estava, mesmo que antes de tudo ela não fosse com a cara de Lua,toda essa história havia servido de alguma coisa, agora Lua era como uma filha para Kátia.
...
– Eu estou ficando cada vez mais preocupada! – Cláudia disse enquanto se sentava ao lado de Kátia no sofá. – A Lua anda muito triste, parece que a vida dela não faz mais sentido... Eu sei que ainda está doendo, mas ela precisa reagir... – Ela suspirou.
– É o que eu digo para o Arthur, ele só vive deitado na cama, mal sai de casa... Nem para o trabalho ele está indo, vai acabar sendo demitido, ele está se prejudicando demais por conta disso tudo... – Cláudia ergueu o olhar para a amiga e franziu o cenho.
– Por que ele não vem aqui?
– Algo ficou mal resolvido entre eles dois, a Lua culpa o Arthur por ela ter perdido o bebê e ele se culpa também... Está péssimo! – Kátia passou as mãos suadas e nervosas pelo cabelo.
– Eu sei que a Lua sabe que não foi culpa dele... Ontem ela me perguntou por ele, disse que não era pra eu dizer a ninguém, mas digo a você, ela está tão culpada quanto ele. – Cláudia declarou sussurrando. – Eu conheço a minha filha, ela está louca pra ter ele por perto, pra poder apoia-la... Só que ela é orgulhosa demais pra admitir isso, ela quer que ele dê o primeiro passo!
– Se depender de mim, ele vai dar esse passo sim! – Kátia sorriu.
– Que bom! – Cláudia suspirou.
...
    Depois de ter uma breve conversa com Cláudia, Kátia subiu até o quarto de Lua, viu que a situação dela era bem parecida com a de Arthur.
– Posso entrar? –
    Perguntou ela enquanto já entrava, Lua deu um sorriso forçado e se sentou na cama.

– Querida...  – Kátia se aproximou dela e sentou-se na cama, onde se inclinou e deu um abraço bem forte e cheio de esperança em Lua.

–  Tia Kátia... – Kátia sorriu.

–  Meu amor, por favor, não chore! – Kátia afagou os cabelos de Lua que engoliu em seco, ela já estava pronta para chorar. – Só tente, não estou te forçando, tente não chorar... Tá bom? – Lua assentiu e encerrou o abraço.

– Está tudo bem? – Lua perguntou, mas na verdade ela queria saber o que estava acontecendo com o Arthur.

–  Sim, comigo e com o meu marido, sim! – Lua arregalou os olhos, mas tentou disfarçar. Kátia reparou e então decidiu falar sobre Arthur. – Arthur anda muito triste, tenho medo de que ele entre em depressão, não sai mas de casa, nem trabalhar ele está indo... – Lua suspirou triste.

–  Foi tudo culpa minha! – Lua sentiu seu rosto corar, e então Kátia tratou de tirar aquilo da cabeça dela.

–  É isso o que ele sempre diz, que a culpa foi dele... – Kátia suspirou e Lua olhou pro nada e pensou por alguns segundos. – Você acha que ele teve alguma culpa?

– Não.... – Ela desviou seu olhar de Kátia e olhou novamente para o nada.– Eu disse isso pra ele, disse que ele era o culpado de eu ter perdido o bebê, mas hoje eu sei que foi uma fatalidade, ele não queria que eu tivesse perdido o bebê e a prova disso é ele estar sofrendo assim como eu... – Lua tomou fôlego e voltou a falar. – Ele foi meu amigo, ele me ajudou muito, mas na hora da raiva eu... Extrapolei, disse coisas muito feias, coisas que não eram verdades... E ele não merecia... – Uma lágrima solitária desceu pelos olhos de Lua.

–  Querida, diga isso a ele! – Kátia pediu calmamente enquanto secava a lágrima de Lua.

–  Ele não é o culpado, mas isso não significa que eu queira ele na minha vida! – Kátia engoliu em seco. – Ele brincou com os meus sentimentos, e eu ainda não superei, penso nele o tempo todo, tudo o que eu faço de errado, eu ficou imaginando ele reclamar, porque era isso o que ele fazia, sinto falta da risada dele, até do modo pelo qual ele gritava quando estava nervoso. – Deixou mais uma lágrima cair. – É uma pena que não tenha dado certo, eu levaria ele como um amigo para sempre, mas conforme as circunstâncias de eu amar ele, não posso! 

       Kátia tentou dizer algo, mas não conseguiu, Arthur tinha que tomar uma atitude imediatamente, ele também a amava, ele tinha dito a ela, durante esses últimos dias, e até antes do acontecimento, antes de ele contar toda a verdade...
**

Kátia adentrou o quarto e se aproximou do filho que tinha as mãos ao rosto. 
– Eu amo ela... – Fora a primeira coisa que Arthur disse.
– Querido, isso qualquer um que convive com vocês sabe! – Kátia deu uma leve risada.
– Isso foi tudo uma mentira, mãe, não percebe? – Arthur estava com raiva de si mesmo por ter deixado que a paixão lhe pegasse, ele sempre sonhou em ser uma cara livre de compromissos e agora? Estava apaixonado e por uma mulher que estava grávida de um filho que não era dele... Fora a gota d'água.
– Como assim? – O coração de Kátia acelerou.
– Eu não sou o pai da criança ela não sabe quem é o pai, isso tudo foi uma farsa... E eu não aguento mais! – E não aguentava mesmo, ele queria ter uma vida sem mentiras, ele queria começar de novo, de um jeito menos errado.
***
– Se ele quisesse falar com você, você o receberia? – Fora o máximo que Kátia conseguiu perguntar, Lua pensou um pouco e assentiu um pouco receosa. – Então tá, espere por ele, não hoje, talvez amanhã! – Ela sorriu e se levantou, deu um beijo desajeitado na bochecha de Lua e saiu andando rápido em direção a saída... Ela precisava dizer tudo aquilo ao Arthur, ele morreria de felicidade! 

Um comentário:

  1. Aí meu Deus , já quero os dois se acertando . Os dois estão sofrendo muito xx adaline

    ResponderExcluir

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo