16 de jul de 2015

22- Por favor, me ajude! - Últimos capítulos - Maratona 1/3

Boa leitura! :*
E como prometido, maratonaaa... :D 
1/3
   Quando ele adentrou a sala onde Lua estava, soube que ele não era à pessoa certa pra contar isso a ela, talvez por ele ter sido um idiota por todo o tempo que pode estar com ela.
     Viu ela deitada e totalmente cansada em  cima de uma cama hospitalar,com os olhos tristes e cobertos por olheira, tão pálida e sem vida ela estava.
– Você não deveria estar aqui!  – Ela disse enquanto suspirava e virava o seu rosto para a televisão.
       Ele não soube o que dizer, ele sabia que ela estava certa, sabia!
– Mas já que você veio, da pra me dizer se o meu filho tá bem? – Ela perguntou mansa, no fundo ela sabia que algo muito ruim tinha acontecido, seu coração lhe dizia, mas ela não queria jamais acreditar,
Queria ter certeza do que pensava, mesmo que fosse a pior coisa que lhe acontecesse.

– Eu não sei como te contar isso! –  Declarou Arthur com a voz embargada, o coração de Lua diminuiu, foi como se um martelo desse várias marteladas em seu peito, sem dó e nem piedade.
– Só fale... – Ela pediu, calma. Mas sua mente estava um enorme bagunça.
–  Eu não sou a pessoa certa pra te falar isso, eu sei, mas... Eu estou aqui, e... Eu não quero te ver chorar...
– Fala logo, Arthur! – Ela falou com tanta firmeza que assustou Arthur.
       Ele fechou os olhos e deixou que as palavras viessem a sua boca, sem ele ao menos pensar.
– Você  perdeu o bebê!  – Ela se encolheu
Um pouco na cama, sentiu como se a coisa mais preciosa de sua vida tivesse sido tirada dela, o que era por sinal o que tinha acontecido. Deixou  que as lágrimas caíssem pelos seus olhos, seu rosto estava queimando, ela podia ouvir os saltos acelerados de seu próprio coração.
    Arthur que  estava parado perto da porta e ainda com os olhos fechados o abriu, e nessa hora o coração dele se despedaçou, ela estava chorando, e é ele odiava aquilo.
       Ele se aproximou lentamente e então,  tocou o ombro dela.
        Foi nessa hora que ela se tocou, aquilo tudo era culpa dele, porque ele estava ali? Ele tinha matado o filho dela, o filho que ela jamais vai conhecer !

– Tira suas mão de mim!   Pediu ela com ódio tomado em sua voz, ela olhou-o nos olhos e ele recuou.   Você é o culpado de isso ter acontecido, você é o cara mais... Ela buscou por palavras.   repugnante da face da terra, você foi um erro, você nunca foi o meu amigo...  Ela dizia tudo isso com o rosto queimando de raiva.

–  Eu só quero te ajudar...  Ela não deixou que ele terminasse de falar.

–  CALA A BOCA!  Ela nem se importou em estar em um hospital, ela gritou o mais alto que pode.  Você não tem que argumentar... Você acabou com tudo, eu te pedi um favor, até certo ponto você, cumpriu, mas... Quando estava tudo as claras você me traiu, você contou um segredo meu, e agora? O que os meus pais estão pensando de mim ?   Ela passou as mãos quentes pelo rosto.   Porque você me ajudou se no final, você iria acabar com uma vida?   Arthur sentiu-se culpado, mas de nada aquilo adiantaria agora.  Você acabou com o amor da minha vida...   Ela deixou que a tristeza tomasse conta de seu corpo, e ela disse a ele tudo o que estava entalado em sua garganta! .   Você é um assassino!   Ela sussurrou enquanto secava uma de suas lágrimas. VOCÊ É UM ASSASSINO, EU QUERO VOCÊ FORA DAQUI. IMUNDO!  Ela tentou levantar, mas uma dor bem no pé da barriga a fez ficar do mesmo jeito.   FORA!  Gritou chorando, Arthur olhou-a nos olhos pela última vez e então deixou com que suas lágrimas também caíssem, ele amava aquela criança tanto quanto ela, mas tinha ficado confuso com tudo que havia acontecido, isso era errado? Ele realmente fora o culpado de tal acidente? 

         Se fosse, ele estava arrependido, arrependido por ter feito tudo errado, mais uma vez!

Um comentário:

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo