23 de abr de 2015

ELEVATOR - [CONTOS HOT]


Boa leitura ! ;)





Elevator.

 Eu. Quero. Você. Aqui. E. Agora! – Ela disse pausadamente e entre o beijo, ela não estava conseguindo raciocinar direito, Arthur, o homem pelo qual ela sempre fora apaixonada estava se atracando com ela dentro de um elevador, totalmente escuro e sem movimento algum... Como? Bom, é uma ótima pergunta, o elevador, simplesmente... Parou!

               Com um meio sorriso de lado, Arthur jogou-a contra a parede. Ele roçou seus lábios nos dela, fazendo-a suspirar, e então a presenteou com breves beijos pelo pescoço, os lábios úmidos de Arthur contra a pele de Lua, um desejo escondido durante anos estava prestes a ser realizado, ali... Naquele elevador!

               Lua não queria enrolamentos, ela já havia esperado muito por aquele momento, com as mãos trêmulas e um pouco suada, ela tomou coragem passou a mão pelo “tanquinho “ de Arthur por cima do maldito pano da camiseta que ele usava. Tomada por um desejo incontrolável, ela buscou os lábios de Arthur dando-o um beijo intenso, profundo, onde suas línguas travavam uma batalha. As sensações causadas por aquele beijo, nunca foram causadas por qualquer outro, era como se eles formassem um encaixe perfeito, como se fossem metade um do outro, mas ambas as partes sabiam que isso era impossível, já que eles eram tão diferentes.

               Aos poucos a moça era tomada por uma coragem inefável, as mãos dela passeavam pelo corpo ainda coberto do rapaz. O beijo se tornava mais intenso e saboroso a cada segundo, aquele local tão pequeno e abafado só complicava mais as coisas.

               Ambos precisaram parar o beijo já que o ar lhes faltava. Eles estavam com calor, pressa, não dava para entender o porquê de ainda estarem com tantas roupas. E como se estivesse me ouvindo, Arthur tirou primeiro sua camiseta, Lua soltou um suspiro pesado pra então depois tomar o mesmo rumo do rapaz, ficando apenas com o sutiã amostra, uma única luz de segurança acendeu naquele pequeno elevador. Lua corou um pouco, mas antes que ela pudesse dizer algo, Arthur juntou seus lábios novamente e então procurou pelo fecho do sutiã da mulher que deu um leve sorriso entre o beijo ao ver que ele também a queria.

               Com os seios já a amostra, o rosto de Lua corou levemente. Arthur mas do que depressa abocanhou um dos seios da mulher que soltou um gemido baixo e tímido e com uma de suas mãos ele acariciou o outro seio.

               Lua não estava conseguindo se mover, estava apenas aproveitando o que a vida estava lhe proporcionando.

               Agora Arthur depositava beijos por todo corpo de Lua, a moça então o puxou para  cima  e beijou-o com deleite, separando-o depois de alguns segundos com uma forte e longa mordida no lábio inferior, Arthur deu uma risada safada e então apertou um dos seios de Lua, fazendo-a gemer alto e soltar seu lábio, Arthur a empurrava conta a parede cada vez mais, ela suspirava com isso sentindo o frio encostar em suas costas quentes por conta daquilo tudo, e aquilo lhe causava um leve arrepio.

- Você é tão gostosa! – Arthur sussurrou perto do ouvido de Lua e após dizer isso deu uma leve mordiscada do lóbulo da orelha da mesma. Lua fechou os olhos e deixou o prazer tomar conta de todo o seu corpo – bem mais – .

                   Já tomados pela excitação e o desejo, haviam aguardado demais por tudo aquilo, ela não sabia, mais ele assim como ela, sempre sonhara com aquele maravilhoso momento,ela era a única mulher daquela maldita cidade que nunca se ofereceu pra ele, e aquilo o irritava profundamente.

                   Lua resolveu ousar um pouco, agora ela jogara Arthur contra a parede, quem mandaria ali agora era ela. Mordeu o lábio inferior de Arthur, olhando-o nos olhos e então começou a depositar lentos beijos pelo seu pescoço, peito, abdômen... Com uma coragem vinda de outro mundo ela passou a mão pelo volume que estava por baixo daquela calça. 

                   Aos poucos ela abaixou a calça de Arthur, tudo na menor velocidade que se pode imaginar suspirou nervosamente e então aos poucos foi dizendo adeus a aquela calça e pode ver a cueca box preta totalmente volumosa, ela estava adorando provocar ele, ela estava adorando cada segundo que estava ali, ele a fazia tão bem, mas ao mesmo tempo, tão mal, talvez pela fama que ele tem... Arthur Aguiar, o homem mais cobiçado de Vancouver (Washington). Ou talvez por ele ser tudo o que ela não é, divertido, relaxado, sabe curtir a vida... Enfim, talvez ela só tivesse medo de estar com ele e perder o seu verdadeiro " EU ".

                  Sem mas enrolações, Lua tirou a cueca alguns segundos depois e então resolveu que naquele momento nada mas importaria, ela viveria aquele momento só uma vez na vida, então, aproveitaria ao máximo. Arthur suspirou ao
sentir o toque de Lua, a moça encarou-o nos olhos e mordeu o lábio lentamente, Droga, será que ela não sabe o quão sexy isso é?! – Pensava o rapaz enquanto a encarava também, seus olhos pediam por mais, mas ao mesmo tempo, pediam que aquelas preliminares acabassem logo, ele queria ter ela por completo, queria sentir ela, queria olhar nos seus olhos quando ela chegasse ao seu máximo, queria vê-la mais satisfeita do que nunca, queria ser o melhor homem que ela já tivera.
                    Ela fazia um ‘vai e vem’ lento com as mãos, Arthur gemeu rouco ao sentir a língua de Lua tocar a sua glande, sem deixar de encara-lo, ela apertou levemente o membro dele e voltou a masturba-lo, pra depois massagear as bolas de Arthur e então colocou o máximo que pode dentro de sua boca e começou a fazer movimentos lentos, sem paciência, Arthur agarrou a mão no cabelo dela e então fez com que ela aprofundasse mais as chupadas.
         
                    Quando Arthur estava prestes a chegar ao seu máximo, Lua parou imediatamente o que fazia e então deu um sorriso safado no canto dos lábios. Ele não estava aguentando mais...

- Caralho! – Disse ele enquanto mordia os lábios e olhava para os seios descobertos da mulher.
         
                    Com uma mão ele massageou um dos seios dela, e com a outra ele tirou a saia e a calcinha dela, e sem dar nenhum aviso, ele enfiou dois de seus dedos dentro dela, que gemeu.

- Deixa disso, Arthur... Eu sei que você também está com pressa! – Disse ela, entre suspiros e gemidos. Arthur deu um sorriso sacana e então se levantou, dando um beijo.
                   
                    E mais uma vez ele a surpreendeu, encaixou seu membro dentro da intimidade dela, sem dó, Lua deu um gemido alto, e agarrou os ombros de Arthur, apertando-os com força.
         
                    Lua ergueu sua perna e Arthur segurou enquanto aumentava a velocidade e a intensidade das estocadas. Cada vez mais forte, cada vez mais rápido, cada vez mais fundo... E então aquela deliciosa sensação aconteceu, Lua chegou ao seu máximo primeiro, e depois de algumas estocadas foi a vez de Arthur. Ah, aquilo era tão gostoso, a sensação de estar perto dele, de poder senti-lo, era tão bom poder toca-lo.

                    As luzes do elevador se acenderam, Lua se separou de Arthur e passou as mãos pelo cabelo totalmente bagunçado.

- Que droga! – Ela reclamou.
- Relaxa, ainda temos 10 minutos! – Ele a puxou pela cintura e juntou os seus lábios.

          Lua se separou dele novamente, mas agora ela tinha um olhar desconfiado.

- Como você sabe disso? – Ela franziu o cenho, Arthur deu um meio sorriso e então respondeu;

- Eu armei tudo isso, deu um enorme trabalho, então não fica brava! – Ela entreabriu a boca e então depois sorriu, ela não estragaria aquele momento, não mesmo.

- Você é um cachorro, sabia? – Ele deu uma risada e a puxou novamente pela cintura.

- Um cachorro muito gostoso! – Acrescentou ele.

- E convencido! – Disse ela por fim.



          Eles não iriam se tornar um casal de namorados ou algo do tipo, eles eram diferentes, nenhum dos dois fariam bem um para o outro, as vezes as diferenças são complementos para ambos, mas para eles, não... Eles tinham química, era impossível de se negar, mas para um relacionamento acontecer, preciso muito mais que isso... É preciso: Carinho, atenção, fidelidade... Isso nenhum dos dois teriam condições de dar, Lua por pensar mais no próprio trabalho do que na vida pessoal... E o Arthur... Aah, Arthur, esse ai JAMAIS pararia com uma única mulher, muito menos com Lua Blanco, a mulher mais teimosa e chata que ele conhecera, bom, até aquele dia!

...


Espero que tenham gostado... J
Beijinhos amores, aaah, e antes que vocês me perguntem, não, não vai ter uma continuação... u.u










Um comentário:

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo