17 de fev de 2015

RebeldeS - Uma banda diferente

File:Tumblr lrr2pfkfE91qd7b2oo1 500.gif

Capítulo 6 - Cara ou coroa? 

- Bom dia Elite Way! - Micael levantou a cabeça para olhar a cara sorridente do diretor na tela em cima da lousa - Chegou aquela época do ano de novo e vocês terão que se envolver, por que, adivinhem? Eu fui nomeado para administrador escolar do ano.

Micael riu baixinho. Voltou sua atenção para a tela de novo, porém, antes que pudesse escutar alguma coisa, seu celular vibrou no bolso de trás de sua calça. Ele franziu o cenho, mas pegou o celular. Desbloqueou, tendo cuidado para não chamar atenção e viu a mensagem que aparecia na tela.

"Acaso ou destino? Precisamos conversar. - Melanie."

- Melanie... - Ele murmurou para si mesmo.

Sophia terminava de se trocar o banheiro, quando seu celular apitou encima da pia. Ela arqueou a sobrancelha, se perguntando quem lhe mandaria mensagem às 8h da manhã. 

Apanhou as roupas e juntou-as em uma trouxa malfeita. Saiu do banheiro e pôs a trouxa em cima da bolsa, logo depois enfiando a mão na mesma em busca de seu celular. Assim que o encontrou, abriu a tela e leu a mensagem que piscava na tela.


"Acaso ou destino? Precisamos conversar. - Melanie."

- O que?! - a loira franziu o cenho, deu de ombros e foi em direção a sala de aula. Teria um dia cheio pela frente. 

Lua abriu o armário amarelo e pegou seus livros, colocando-os dentro da bolsa. Fechou o armário e o garoto do armário ao lado fez a mesma coisa, mas deixou o armário aberto. Lua estava prestes a ir para a sala de aula, mas ouviu seu celular vibrar, apanhou-o dentro da bolsa. Clicou na tela do meio, fazendo a tela acender e leu a mensagem que estava na tela:
"Acaso ou destino? Precisamos conversar. - Melanie"

Assim que a loira terminou de ler a pequena mensagem, um celular apareceu ao lado do dela, com a mesma mensagem e ela sentiu a respiração de alguém em seu pescoço.

- Você acha que é sobre a banda? - uma voz rouca bastante conhecida sussurrou em seu ouvido, fazendo o coração de Lua disparar.

Ela se virou imediatamente e ao dar de cara com Arthur, começou a andar para trás, gaguejando e tropeçando em seus próprios pés. Ela bateu de cara com o armário ao lado do seu, fechando-o e fazendo barulho, logo depois saiu de lá correndo, suas bochechas estavam tão vermelhas quando sua touca.

Arthur bufou, constrangido. Olhou de novo para a tela do celular e logo começou a pensar sobre o que Melanie falaria com eles.

Chay chegou na aula de matemática atrasado, como sempre. Digamos que não era uma de suas matérias favoritas. A verdade é que ele se atrasava de proposito porque o professor gastava grande parte da aula brigando com ele, o que fazia com que a aula durasse pouco tempo.

Como de costume, o professor falava sobre o quando odiava atrasos e blá blá bla, até ele sentir o celular vibrar no bolso de sua calça. Ele estranhou, mas mesmo assim pegou o celular para ler a mensagem que piscava na tela:


"Acaso ou destino? Precisamos conversar. - Melanie"

Ele sorriu. Alguma coisa lhe dizia que era sobre a banda, e, por algum motivo, ele ficou contente com a possibilidade. 
[...]

O sinal indicando o intervalo soava nos auto-falantes. Em segundos, os corredores foram preenchido pelos alunos que se direcionavam para a cantina. Lua estava sentado em uma mesa, um pouco afastada das outras pessoas. 

Estava distraída. Arthur avistou de longe a garota e foi sentar-se com ela. Quando Lua percebeu a presença de alguém, e, que esse "alguém" fosse Arthur, seu coração palpitou mais uma vez. 

- O-Oi - ela disse nervosa.
- Ta tudo bem? - ele arqueou a sobrancelha.
- Tudo, é só que... Desculpa por hoje mais cedo, eu... - ela suspirou. O problema é que a loira era tímida e se tivesse mais de três palavras em um frase, ela se enrolava toda - Desculpa. 
- Tudo bem - ele sorriu. O sorriso mais perfeito em sua opinião - Então, você não respondeu minha pergunta. 
- Ah, estou bem. Obrigada - sorriu de lado, ainda nervosa - e você?
- To ótimo! - Lua assentiu sorrindo. Não sabia o que dizer, era muito raro ela ficar mais de um minuto conversando com alguém. A não ser com sua avó, mas não sei se conta. Conta?
- O que você ta lendo? - ele apontou para o livro que Lua tinha nas mãos. A loira olhou para o livro e automaticamente sorriu. 
- Chuva de novembro, conhece? 
- Não. Mas deixa eu adivinhar, é romance? - o moreno fez uma careta. 
- Sim e não.

Lua riu. Arthur franziu o cenho confuso. 

- Se eu te explicar vou acabar contando a história - dito isso, ela fechou o livro e deu para Arthur - faz assim: você lê e depois tira suas conclusões. Pode ser?
- Pode. Mas se for romance "água com açúcar".... - Lua o interrompeu.
- Não é, fique tranquilo!

Eles continuaram conversando até serem interrompidos pelo sinal, indicando que teriam aula novamente. Se despediram e cada um foi para sua respectiva sala de aula.

[...]

Um reggae qualquer tocava nas caixas de som da pizzaria "Dante's". O lugar estava cheio, como sempre, e em uma das mesas redondas, seis jovens estavam sentados juntos. O garçom se aproximou da mesa e pôs a pizza grande no meio da mesa.

- Nós já conversamos sobre isso, não vai rolar - Sophia disse.

Os seis levaram as mãos até ao prato de alumínio e pegaram uma fatia.

- Claro que vai - Melanie falou depois de morder a ponta da fatia - inscrevi a gente no Rising Star hoje de manhã.

Todos pararam de comer e olharam para a morena com os olhos arregalados.

- Nós nem temos experiência - Micael foi o primeiro a se pronunciar.
- Por isso - ela continuou sorrindo - que eu também inscrevi a gente no Baile de Halloween.

Sophia se engasgou com o refrigerante que estava tomando e Lua começou a bater em suas costas.

- Como você conseguiu? - Chay disse rindo - Digo, e o Jonas?
- O diretor concorda com coisas incríveis se acha que a "nova aluna problemática" vai canalizar energia para alguma coisa que preste. 
- Melanie, brincar na detenção não nos torna uma banda - Arthur argumentou.
- Então a gente pratica -ela respondeu - Você tem uma bateria, não tem? - ela se dirigiu para Micael.
- Tenho... - o moreno murmurou.
- Viu? Eu nem sabia disso -ela sussurrou para Sophia, que riu enquanto balançava a cabeça.
- Tá, mas o que vamos tocar? - Lua se pronunciou.
- Você poderia escrever as músicas - Chay disse. A loira arregalou os olhos.
- Eu?
- É. Aquela que você fez no outro dia... foi maravilhosa - Arthur disse sorrindo para ela.

Ela olhou para a fatia de pizza em sua mão e piscou os olhos, seu rosto ficando pálido.

- Não foi nada, eu... eu acho que vou vomitar - Sophia pôs uma mão em seu ombro para tranquiliza-la.
- Não podemos tocar no Baile - Sophia voltou a falar - Mudslide Crush vai tocar.
- E nós vamos ser a banda de abertura - Mel falou como se estivesse completando a frase da garota e logo depois estendeu a mão para Chay, que retribuiu com um "hi-5" - Eu não sei quanto a vocês, mas eu não quero ser um rosto mais uma no livro do ano. Ou a aquela que as pessoas lembram vagamente pelos corredores. Eu quero me expressar.

Enquanto os outros pensavam nisso, Sophia viu duas garotas entrarem no Dante's, duas garotas que sempre andavam com a banda do namorado. Ela sorriu e acenou para elas. Mas as duas apenas riram da cara dela e se viraram.

- O Chay e eu topamos, quem está com a gente? - Mel perguntou.

Sophia fechou os olhos e respirou fundo antes de dizer.

- Eu topo! - todos olharam para ela, Chay e Melanie sorriram.
- Sério? - a morena perguntou.
- Sim, mas só se todo mundo concordar. E é um ensaio. Se der certo, ótimo, se não, estou fora.
- Beleza! - Chay exclamou empolgado, e começou a encarar Arthur.
- Ta, eu posso tentar - ele coçou a nuca.
- Maravilha! - Mel disse e passou a encarar Lua, que estava encolhida na cadeira e tomava as últimas gotas de refrigerante que ainda restavam no seu copo, fazendo um barulho estranho.
- Vamos lá - Chay disse, olhando para ela - diz que você vai tentar?
- Vai ser legal! - Mel completou.
- Vai ser divertido, você vai gostar! Por favor, por favor - Chay e Mel juntavam as mãos.
- Ai, ta legal! - Lua fechou os olhos e sorriu - eu topo!

Mel gritou um "YEAH" levantando seus braços e arrancando risos dos outros cinco. Assim que ela voltou ao normal, todos encararam Micael. O garoto passou uma das mãos pelos cabelos negros e depois pôs a mão no bolso.

Pegou de lá uma moeda prateada e mostrou para os cinco.

- Já sei. Cara a gente faz, coroa a gente não faz. 

Os seis se entreolharam e então Micael jogou a moeda para cima. Ela caiu no meio do prato de alumínio da pizza, provocando um tilintar irritante. Todos se levantaram de suas cadeiras e se inclinaram sobre a mesa para ver a moeda.

- Cara!

To be continue...
Parece que vocês não estão gostando né? (muito obrigada a linda da Stephanny que lê e comenta a fic), enfim, sabe o livro que eu citei ali encima? Então, super recomendo para vocês!. Beijinhos, bye!

Um comentário:

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo