7 de fev de 2015

A OUTRA - MEU VIZINHO É UM GOSTOSO - CONTOS HOT


Boa Leitura! ;)
OBS: Nem tão HOT assim...

" Era de se imaginar que um de nós dois acabaria se apaixonando, só não contava que isso aconteceria comigo, só não imaginava que seria tão bom, mas ao mesmo tempo, tão ruim! "


A Outra / Meu vizinho é um gostoso.
1 ano se passou depois de eu ter me mudado, tudo continuava a mesma coisa... Arthur casado, me visitando de vez em quando, mensagens, sexo, beijos e tudo mais...Era bom, mas isso só é bom quando nenhum de nós nutre um sentimento, ele continuava sendo perfeito, mas casado... Não foi nada como eu imaginei, não foi do jeito que eu esperei, foi tudo ao contrário... Quando a gente imagina alguma coisa, só imaginamos o lado bom, mas o ruim?! Ninguém quer saber!
Como eu já disse, NADA MUDOU... Todos daquele condomínio me odeiam, claro que ninguém sabe o que eu faço com o Arthur, mas mesmo assim eles me odeiam...Ou melhor: ELAS. Nora conseguiu virar todas as moradoras daquele condomínio contra mim... Eu sei, é incrível como alguém pode ser tão baixa e mesquinha, mas nem me preocupo mas, antes sozinha do que com gente falsa ao lado!
Na noite passada, eu e o Arthur tivemos uma conversa e sem querer eu deixei escapar que o amava... Eu estraguei tudo, porque ele saiu completamente louco, não me ligou, não atende as minhas ligações, não sei mas o que fazer... Estou morta por dentro, porque em um ano ele se tornou muito mais que um amante qualquer... Ele se tornou meu amigo, eu não queria estragar tudo, mas sem querer eu fiz... E me odeio por isso!
                Meu celular tocou e em um piscar de olhos eu já tinha o atendido.
– Arthur... – Sorri esperançosa.
– Oi... – Óh, não... Aquele era o pior tom de voz que uma mulher poderia ouvir... Ele estava seco, parecia não se importar com nada.
– Desculpa por aquilo... Eu tava brincando! – Dei uma risada forçada, nada convincente, do outro lado da linha ele suspirou.
– Olha Lua... – Não... – Eu acho melhor, a gente parar por aqui! – Eu sorri.
– Tá... Tudo bem! – Continuei com um sorriso falso no rosto, talvez se eu fingisse que não me importava ele voltaria atrás.
– Tchau! – Ele nem deixou eu responder... Apenas desligou.
                Meu coração se apertou, parecia que o meu mundo tinha acabado de ser destruído, por aquele mesmo que o construiu, tudo por culpa minha... Eu e essa minha boca grande, eu vou dar um jeito, ele vai ver que eu vou ficar bem e vai voltar pra mim, eu sei...
                Droga, a quem eu estou enganando? Ele não vai mais ficar comigo. Eu sou uma idiota, uma burra, ele não vai sentir falta de mim, ele tem a própria mulher... Porque iria trocar ela por uma vadia? É, eu sou uma vadia... Até a minha mãe me disse isso... Uma vadia que nem ao menos sabe segurar o seu próprio amante... Sou uma amadora em tudo o que faço... Nada nunca dá certo pra mim, nada mesmo!
                O que eu vou fazer agora... é manter a calma... Vai dar tudo certo e ele vai voltar atrás... É isso, eu vou acreditar no impossível, assim pelo menos eu não vou me derramar em lágrimas.
...
                No outro dia pela manhã me arrumei para ir trabalhar, só que sem muita vontade de fazer nada... Mal penteei o cabelo, nem escolhi uma roupa legal, sai sem café e pra piorar o meu dia, hoje teria a festa de "rua" no meu condomínio... Como eu sabia? Bom, tal vez porque todos os moradores estavam enfeitando a frente de sua casa, menos eu... TODOS, inclusive o Arthur.  Tudo o que eu queria fazer naquele momento, era enfiar a minha cabeça em um buraco de baixo da terra e ficar por lá, eternamente.
                Nora viu que eu e ele nos encarávamos e o agarrou, ele não fechou os olhos para beija-la, continuou me encarando... Eu dei um meio sorriso forçado e fui buscar o meu carro, aquele lugar não era pra mim!
...
                Quando voltei do trabalho, o condomínio estava lotado, comidas espalhadas pelo chão, música alta e mesas espalhadas por todo canto. Tive que descer do meu carro e ir andando até a minha casa... Ou seja, correr o risco de ver o Arthur mais uma vez.
                Conforme eu ia passando as pessoas cochichavam, meses atrás eu não ligava, mas agora parece que tudo veio a tona, eu só queria chorar... Porque isso iria me acalmar por algum tempo.
                E o que eu temia, aconteceu. Nora e Arthur o casal sensação do condomínio... – Era só o que faltava, eu merecia aquilo, eu realmente merecia aquilo... Por ter sido uma vadia tão burra!
                Respirei fundo e estufei o peito, não daria a ele o gostinho de me ver triste, fiz questão de passar ao lado dele e como eu imaginei a mulher dele começou a cacarejar.
–        Luinha, Luinha... Ninguém te avisou sobre a festa ? Será que eu esqueci de pedir pra alguém fazer isso ? – Fingiu pensar, todos sabiam que ela me odiava, ela é uma cínica, isso sim!
–        Nora, me deixa, okay?! Hoje eu não tenho nenhuma paciência pra você! – Dei um sorriso falso e virei as costas.
–        Poxa Luinha, só estou tentando ser gentil, você não intende? – Voltei a encara-la. – É por essas suas grosserias que ninguém gosta de você! – Ela olhou ao redor. – Pense um pouco antes de fazer e falar as coisas.
Aquilo já tinha passado dos limites, quando eu vi já tinha dado um tapa bem no meio da cara dela.
–        Eu não penso, eu ajo! – O tapa foi tão forte que ela cambaleou, só não caiu porque o maridinho safado dela a segurou. A festa parou para acompanhar de perto a confusão...
–        E se eu não falo com ninguém é por culpa sua, é porque você é uma vadia manipuladora... Só por isso, então eu acho que o conselho que você me deu serve pra você também! – Ela se mantinha com a mão no rosto, mas eu podia ver a vermelhidão na sua cara. Me senti mal por aquilo, mas se eu estivesse no lugar dela, ela teria feito muito pior!
O que mas me surpreendeu foi fato de ela não ter revidado, ou ter dito algo, ela ficou totalmente parada, eu queria que ela tivesse revidado, eu queria poder tirar sangue dela porque ela sabia o que tinha feito ao longo desse ano comigo, tantas provocações sem respostas... Tantas implicâncias, fofocas com o meu nome... A hora de eu me vingar tinha chegado!
Depois de tudo eu apenas virei as minhas costas e fui pra minha casa, onde chorei por ter uma vida tão miserável.
Tomei um banho e pensei em tudo o que estava pensando em fazer, eu quero recomeçar... Quero me mudar, quero sair daqui o mais rápido possível.
Fui até o meu quarto e peguei o meu celular que estava em cima do meu criado mudo e disquei o número da única amiga de verdade que eu fiz em 1 ano.
–        Fala gostosaaa! – Era assim que ela me chamava, ela foi a única pessoa que não ficou contra mim quando descobriu que eu era a “Outra” de alguém!
Ao ouvir a sua voz tão alegre e pra cima meu coração se apertou, formou-se um nó na minha garganta e o meu rosto começou a pegar fogo.
–        Lua?  – Ela percebeu que eu estava chorando, seu tom de voz mudou completamente, tinha um ar preocupado, agoniado...
–        Amiga... – Foi a única palavra que eu consegui dizer antes de o choro e a tristeza tomar controle total sobre o meu corpo e a minha mente.
–        Eu estou a caminho, Lua... Não chora amiga! – Ela pediu, pude ouvir o som dos seus passos, apressados e fortes.
–        Não precisa, Di... Eu só, eu só quero dizer que eu vou voltar pra São Paulo, eu quero sair daqui o mais rápido possível, por isso eu vou precisar da tua ajuda... – Eu me adiantei.
–        Vai se mudar ? – O som dos passos já não existiam mas.
–        Sim...
–        Nem pense nisso, mocinha! –  Ela voltou a andar. – Estou indo ai... – Eu suspirei e me virei para olhar a rua pela janela, seria difícil convencer ela de que eu voltar pra minha cidade era o melhor a se fazer.
Me virei novamente e só ai que eu me dei conta de que tinha companhia. Meu coração acelerou, minha boca ficou seca, o nervosismo começou a aparecer... Eu não estava pronta para ter uma conversa com o Arthur... Não mesmo!
–        Diana, já tenho visita, tenho que desligar, te amo! – Eu dizia isso enquanto o encarava. O que ele queria, afinal?
–        O Arthur está ai? – Ela perguntou.
–        Sim... Beijos!
–        Boa sorte! –Desejou e então eu desliguei.
Ele tinha um semblante confuso, eu nunca sabia o que se passava pela cabeça do Arthur, eu nunca tinha nem ideia!
–        Você vai embora? –Depois de um longo tempo de silêncio ele finalmente disse alguma coisa.
–        Sim! – Tentei soar o mais seca possível.
–        Porque ? – Ele deu alguns passos e se aproximou de mim. Eu dei de ombros. Ele passou a mão pelo meu cabelo e perguntou novamente. – Porque? – Sua voz rouca e suave perguntava.
–        Porque eu fiquei com um cara casado...–Ele deu um meio sorriso.
–        Porque? – Se ele queria um motivo mais forte, ele teria.
–        Porque eu estou completamente apaixonada por esse safado! – Ele fechou os olhos por alguns segundos e então se afastou um pouco.
–        Você não precisa ir embora! – Ele disse enquanto me dava as costas.
–        Pra que eu vou ficar aqui? A única coisa que me prendia era você! – Falei e ele se virou pra mim e eu caminhei até a cama e me sentei na mesma. – O que você quer, afinal? – Voltei a minha secura inicial.
Ele bufou e passou a mão pelos cabelos.
–        Para com isso, Lua! – Ele aumentou o tom de voz. – Para de fingir... – Ele se sentou ao meu lado. – Eu sei que você não quer ir, apesar de tudo você ainda tem um amigo! – Eu forcei um riso.
– Eu não quero ser só uma amiga! – Suspirei. –É difícil entender ? – Ele me olhou nos olhos e então negou com a cabeça. – Já estou decidida, Arthur... Eu vou embora! – Me levantei. – Sua esposa deve estar te procurando! – Cruzei os braços e parei na frente dele, ele me olhava nos olhos, sério, eu suspirei e ergui uma sobrancelha, ele sorriu e abaixou a cabeça suspirando.
– Você tem certeza do que está fazendo? – Ele perguntou, sem me olhar, ainda com a cabeça abaixada, ainda sério.
– Sim! – NÃO!
– Você tá mentindo! – Ele levantou a cabeça e me encarou, irritado.
– É, Arthur, eu tô mentindo, eu quero ficar, mas eu não vou ficar, sabe porque?  – Ele franziu o cenho – Porque eu não quero ver você com a Nora, eu não aguentaria... E outra, esse condomínio... Eu não aguento mais! Essas pessoas... Tudo! – Lá estava eu,  fraca e chorando... Na frente dele, com ódio de mim mesma, por ter sido tão boba, eu deveria saber que quem iria acabar se magoando seria eu, afinal, eu sou o lado mas fraco, eu sou a outra... Onde eu estava com a cabeça quando me submeti a isso? 
– Desculpa por te fazer passar por isso! – Ele se levantou e tocou o meu rosto, seus olhos se fecharam por alguns segundos e depois ele voltou a abri-los, nossos olhos se encontraram e aquela vontade que eu senti por durante todo esse ano, voltou... 
        Selei os nossos lábios, o beijei com tanta vontade, era difícil acreditar que seria a última vez, eu não queria acreditar que seria a última vez! 
        Quando  o beijo terminou o olhei bem nos olhos e não o soltei, precisava fazer a ele um último pedido.
– Fica comigo, só mas uma vez! – Sussurrei ao lado de seu ouvido, pude ouvi-lo suspirar... Mas ele me atendeu, ele também queria!
        Ele deu leves beijos no meu pescoço, antes de me deitar na cama, ele nunca tinha me colocado naquela cama com tanta delicadeza, e eu queria que o tempo ficasse ao meu favor, que ele demorasse muito pra passar, eu precisava guardar o máximo de lembranças possíveis, quando eu estava com o Arthur, nada mas importava, com ele eu me sentia protegida... Eu me sentia importante.
Dessa vez os seus beijos eram mais calmos, seus toques eram mais suaves, não foi como costumava ser... Foi calmo, talvez fosse coisa da minha cabeça, mas ele queria fazer com que aquilo fosse especial pra mim... Era quase uma certeza!
        Entrelacei meus dedos em seus cabelos sedosos e arranhei sua nuca com minhas unhas pintadas de um azul quase preto. Arthur separou os nossos lábios e descendo os beijos do meu pescoço ao colo. Em poucos minutos já estávamos nus, era tão gostoso sentir ele dentro de mim, ele era tão gostoso. 
... 
– Dorme! – Ele sussurrou colocando uma mecha de meu cabelo atrás da orelha.
– Não... – Eu falei o encarando, ele suspirou e eu fechei os olhos por alguns segundos. – Pode ir... – Senti um nó se formar na minha garganta, meu rosto ficar quente por conta da raiva, eu só queria chorar!
        Ele torceu os lábios, mas permaneceu ao meu lado, eu não queria dormir, eu sempre dormia, eu queria ficar com ele por o máximo de tempo que eu conseguisse, e seu dormisse só perderia o meu precioso tempo. 
        Ficamos deitadinhos por algum tempo, não sei quanto, até eu pegar no sono...
...
        No outro dia pela manhã eu fui até o meu trabalho resolver as coisas, decidi que sairia daquele condomínio nesse mesmo dia, iria passar alguns dias com a Diana, ela me ajudou muito, não seria justo deixar ela sem nem ao menos nos divertimos antes disso. Assim que voltei pra casa, comecei a arrumar as minhas roupas, não arrumei todas, Diana disse que daria um jeito em tudo, ela mesma se encarregou da minha bagagem... Amiga como essa eu nunca mais vou encontrar... Quando eu terminei de fazer a minha mala, tomei um banho rápido e vesti um vestido preto, tomara que caia, todo trabalhado na renda, não era curto, mas também não era grande, duas mãos acima do joelho. Fiz um coque mal feito nos meus cabelos e coloquei um óculos já que fazia bastante calor, peguei a minha mala e fui até a garagem colocá-la no carro. Abri o portão da garagem e adentrei a mesma com um pouco de dificuldade pra levar a mala até o carro, abri a porta e joguei a mala de qualquer jeito no banco de trás, bati a porta do carro e quando eu ia entrar no mesmo para sair daquele lugar vi o Arthur parado, bem na entrada da garagem...Isso é sério? 

– Parece que tá virando rotina... Você aparecer do nada! – Dei um meio sorriso, ele fez o mesmo e se aproximou. Não dissemos mas nada, eu queria dizer um milhão de coisas, mas não conseguia.
– Ainda com a essa má ideia de ir embora ? – Eu dei um sorriso e assenti, era melhor eu manter o meu bom humor, se eu começasse a falar ele acabaria vencendo.
– Você sabe que não é uma má ideia! – Caminhei até ele. – Veio me dizer adeus? – Tirei o óculos para olhá-lo melhor... Essa sim seria a minha última lembrança dele.
– Não – Ele suspirou. – Vim tentar te convencer a ficar comigo! – Eu ergui uma sobrancelha e torci os lábios.
– Como? – Foi a única coisa que eu disse antes de me puxar pela cintura e tocou os nossos lábios, senti o desejo crescer em mim, uma vontade de esquecer tudo e ficar com ele, era incontrolável. Rapidamente agarrei os cabelos de sua nuca, ele me levou até o capô do meu carro e me sentou no mesmo. Suas mãos passeavam por todo o meu corpo que se arrepiava a cada toque, soltei o ar pesadamente em aprovação, nossas mãos se agarravam em alguma parte de nossos corpos, nossos lábios ansiavam um pelo outro, nossos beijos eram cada vez mais intensos... Até que a minha mente voltou a funcionar... Nós estamos na minha garagem, com a porta aberta, correndo o risco de alguém descobrir... O que diabos eu estou fazendo?. Instantaneamente empurrei o Arthur, ele me encarou confuso, eu estava tão ofegante que nem consegui dizer nada. Desci do carro e me acalmei um pouco antes e falar com ele.
– Eu não quero ser a sua segunda opção, Arthur... – Ele mordeu o lábio inferior e olhou para o lado por um segundo, depois voltou a me encarar... OMG, isso foi tão sexy! 
– Quem disse que você seria? – Ele perguntou num tom baixo, eu limpei a garganta, não tinha nem o que responder, ele me cortou bonito. Então apenas desviei o olhar. – Sabe... Eu nunca te disse mas, na primeira vez que eu te vi, senti uma coisa diferente, não sabia o que era, mas senti! – Eu assenti. – Quando a gente começou a conversar, a ficar junto isso foi aumentando... Eu sabia que era amor, mas eu não queria acreditar que eu tinha me apaixonado por uma mulher que não era a minha esposa e que a minha esposa não tinha conseguido me conquistar de tal forma... – Escondi o rosto e sorri. Ele me amava ? É isso mesmo? . Quando tirei as mãos do meu rosto ele estava próximo a mim novamente. – Da forma que você me conquistou! – Eu continuei a sorrir, mas e a Nora? Eu continuaria sendo a vadia?
– E a Nora? – Perguntei em um tom baixo, doido para ser alto, mesmo que ele estivesse com ela eu não queria nem saber... ELE ESTAVA APAIXONADO POR MIM, PORRA!
– Acabou! – Ele afirmou, eu abri um sorriso enorme novamente e então o abracei fortemente. Eu não estava acreditando! 
– Ela aceitou numa boa? – Perguntei me referindo a Nora.
– Não falei que era você! – Ele mordeu o lábio inferior e eu sorri revirando os olhos.
...
        Eu e o Arthur começamos a morar juntos... Óbvio que saímos daquele condomínio idiota, agora sou vizinha da Di... Arthur se divorciou e Nora ficou com a casa... Que engula, depois que ela descobriu que eu era a amada do Arthur, ela foi parar até no hospital, fiquei sabendo que ela quebrou todas as janelas da minha antiga casa e até pichou as paredes de lá... Mas depois de um tempo ela encontrou um cara tão louco quanto ela... 
        Eu e o Arthur estamos bem, mas felizes do que nunca, estamos pensando em nos casar... É... Quem diria que a 'vadia' que roubou o marido de outra mulher poderia se casar? ... Não Lua, você não é uma vadia, você só encontrou a sua metade em um cara apressado que resolveu se casar antes de achar você. – Pensei comigo mesma... 
...
– Eu te amo! – sussurrou ele antes de eu fechar os meus olhos e cair no sono.

 FIM... 

 ***
É meninas, eu sou do tipo que não consegue escrever uma história e deixar o casal principal separado... Acho que se na vida real  a gente nem sempre tem os finais felizes, nas histórias os personagens merecem ter né?! Haha' O primeiro conto foi mais hot, esse foi mais romântico então, sorry... Mesmo assim espero que vocês tenham gostado! ;)






4 comentários:

  1. " Não Lua, você não é uma vadia, você só encontrou a sua metade em um cara apressado que resolveu se casar antes de achar você. " Morri! Kkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Amei essa continuação! Eles realmente tinham que ficarem juntos. Arthur não merecia uma mulher como aquela! Hahaha ^-^ ❤

    ResponderExcluir
  2. Adorei esse conto eu acho que ele pode ser hot mais o romance na história eh tudo ... Eh fico lindo essa história adoreiii msm ..... ❤❤❤

    ResponderExcluir

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo