25 de jan de 2015

Dangerous Woman - Capítulo 21



                                                        Deixem as pedradas pra depois, tá? 




Arthur P.O.V 

Os seguranças levaram Anne para um hospital e a deixaram lá para que cuidassem dos seus ferimentos. Lua a tinha machucado feio e se eu não tivesse chego a tempo, talvez Anne nem estivesse mais viva. Nós comemos em silêncio no quarto, enquanto Karma rolava pelo tapete, já que eu não havia deixado ele subir na cama.

- Por que não me disse o que estava planejando fazer? - perguntei quando ela amaçou a embalagem do lanche e colocou na mesinha ao lado da cama.

- Porque eu sabia que você não concordaria - ela disse sem me encarar.

- Você sabe que não precisava ter feito isso, não sabe?

- Eu precisava sim - ela me olhou com uma certa raiva - Aquela vagabunda tirou um pedaço de mim e ainda riu disso. A única coisa que eu concordo que era sem necessidade foi eu pensar em matar ela. De resto eu não me arrependo, por mais que eu desejasse ver ela agonizando no chão por um bom tempo.

Ela estava segurando o lençol com força e eu achei melhor parar com aquele assunto. Lua tinha fechado os olhos com força para impedir a si mesma de chorar. Deslizei minha mão até a sua e a segurei, fazendo ela relaxar e abrir os olhos. Com a outra mão, fiz carinho em sua bochecha e ela deu um meio sorriso. Me aproximei dela e a puxei, caindo com as costas no colchão, com ela deitada em cima de mim. Nossos olhos se prenderam um no outro e ela passava os dedos pelo meu rosto de forma carinhosa. Tirei o cabelo que caia sobre o seu rosto e encaixei minha mão na curva da sua orelha. Puxei seu rosto para mim e encostei nossos lábios, dando início a um beijo. Lua colocou as duas pernas na lateral do meu corpo e rebolou sobre o meu membro para me provocar, o que me fez cortar o beijo com um resmungo satisfatório. Ela riu e puxou meu lábio inferior com os dentes com tanta força que eu senti gosto de sangue, mas isso nem me incomodou. Lua enfiou as mãos por baixo da minha camiseta e a puxou a arrancando. Ela colou seu lábios nos meus novamente, descendo o beijo no meu queixo, depois no pescoço e foi descendo pelo meu tronco até chegar na barra da minha calça. Ela sorriu para mim, mas eu não dei tempo de ela fazer alguma coisa, a empurrei fazendo Lua bater com as costas no colchão e subi em cima dela. Controlei o peso em cima dela a olhando e mordendo os lábios. Ela ficou corada e me puxou para outro beijo. Tirei sua camisa puxando os botões e a arrancando do seu corpo. Comecei a beijar o seu pescoço e ela afundou as unhas na minha nunca, gemendo baixo e apertando suas pernas ao meu redor. Tirei minha calça junto com a minha cueca sem parar o que estava fazendo e puxei o shorts de Lua o tirando. Desabotoei seu sutiã e quando minha língua tocou em seu seio ela contraiu o corpo. Suguei um de seus seios enquanto apertava o outro com uma mão e ela agarrou minha nuca, segurando o pouco cabelo que havia ali, gemendo baixo. Intercalei para o outro e ela continua segurando minha nuca com força. Eu não aguentava mais. Abri suas pernas e posicionei meu membro em sua entrada. Coloquei só a cabecinha e tirei, a fazendo perder o fôlego por alguns segundos. Fiz a mesma coisa outra vez e ela resmungou algo que eu não consegui entender.

- É isso o que você quer, Lua? - perguntei e repeti a mesma coisa.

- Pa-Para com... isso Ar-Arthur - ela falou com a voz arrastada.

- Parar com o que, amor? - perguntei me divertindo - Eu não estou - coloquei a glande mais uma vez - Fazendo nada - dessa vez eu enfiei tudo de uma vez e com força e ela jogou a cabeça para trás agarrando os lençóis.

Segurei em sua cintura com uma mão e com a outra puxei seu rosto para mim colando nossos lábios, para tentar controlar seus gemidos, se é que isso fosse possível.

                                                                            (...)

Eu estava ofegante, assim como Lua, que estava deitada em cima de mim com a cabeça sobre a minha clavícula. Adormeci de cansaço após algum tempo.

Jake P.O.V 

Estava arrumando alguns malotes que estavam no meu escritório, quando bateram na porta.

- Entra - gritei sem olhar para trás.

- Sr. Jake, uma moça está no portão atrás de você - era a minha empregada.

- Fala que eu não quero conversar com ninguém.

- Já disse isso à ela, mas não teve efeito. Ela disse que é do seu interesse e citou a srta. Lua.

Parei o que estava fazendo e franzi o cenho. Fui até meu notebook e abri na câmera da entrada. Uma ruiva, toda roxa estava parada com os braços cruzados em frente ao portão. Pensei um pouco analisando a situação.

- Manda deixarem entrar e fala para ela vir no meu escritório - disse sentando atrás da minha mesa.

Chequei as mensagens de novo, esperando que algum dos meus homens me dessem qualquer novidade sobre qualquer coisa. A porta do escritório se abriu e a ruiva entrou a fechando. Fiquei em silêncio a encarando, esperando ela dizer alguma coisa.

- Meu nome é Anne - ela começou - Você é Jake, certo?

- Certo. Agora me diz, o que você veio fazer exatamente aqui na minha casa, Anne?

Ela estava com ódio nos olhos, acho que a garota seria capaz até de soltar fumaça pela cabeça se isso fosse possível. Estava toda cheia de hematomas e com sangue pisado no canto da boca e do nariz.

- Você é o ex namorado daquela vagabunda da Blanco.

- Olha lá como você fala, garota - falei sendo ríspido.

- Enfim. Aquela desgraçada roubou o homem que era para ser meu, fez essa presepada comigo me deixando nesse estado e eu ainda não posso nem denuncia-la. Dai eu pensei que talvez nós pudéssemos fazer uma parceria. Eu te ajudo a conseguir de volta aquela vagabunda e eu fico com o Arthur - ela falou sorrindo doentia - Eu faço qualquer coisa, é só você dizer.

Estreitei os olhos a encarando e ela não vacilava sequer um segundo. Ela poderia me ser bastante útil e ter Lua de volta me parecia uma boa ideia, por mais que ela estivesse me esculachando, mas isso também só poderia ser culpa daquele segurança mequetrefe que ela havia arranjado pra tentar me esquecer.

- Por mim está fechado, gatinha - falei me levantando e estendo a mão para ela.

- Fechado - ela a apertou sorrindo.

Lua P.O.V 


Eu já havia acordado e tomado café com Arthur e estávamos no meu escritório. Estava sentada no colo dele e ele na minha cadeira enquanto eu mexia no computador terminando de organizar o balanço do mês.

- As vendas aumentaram nesse ultimo mês - falei eufórica, mas Arthur pareceu meio distraído, então só voltei a mexer nas contas.

Eu estava tão focada nos números da tela que tomei um susto quando Arthur começou a passar a mão na minha virilha devagar. Ignorei ele e continuei o que estava fazendo. Ele continuou me apertando.

- Agora você presta atenção, né espertinho? - falei rindo.

- Eu to no tédio - ele riu me abraçando e beijando meu ombro.

- Você quem quis ficar aqui comigo, eu preciso trabalhar.

- Eu também estou trabalhando, ué. Sou seu segurança.

- Palhaço - ri.

Bateram na porta e eu gritei que podiam entrar. Mel apareceu e eu sorri. Fiquei surpresa quando vi Chay entrando logo atrás. Levantei do colo de Arthur e pulei no pescoço da minha irmã a abraçando, enquanto Arthur e Chay se cumprimentavam.

- Meu herói - falei rindo e beijando a bochecha do Chay.

- Tonta - Mel falou rindo sendo acompanhada por Chay

- Vou roubar minha irmã e deixar vocês dois conversando - falei jogando um beijo pra

Pulei na cama me sentando e puxei Mel comigo.

- Vai, quero saber de tudo. Exatamente T-U-D-O, dona Melzita.

- Ai mana. - ela falou risonha - Aquele doido me sequestrou. Quando eu entrei no carro para ir pra igreja, eu nem olhei pro motorista, eu estava arrumando meu vestido para não amassar. No meio do caminho eu olhei pela janela e vi que nós estávamos nos afastando de Toronto e perguntei para o motorista aonde ele estava indo. Como ele não me respondeu eu me estiquei para olhar e foi quando eu dei de cara com o Chay. Aquele palhaço me levou até a casa de campo dos pais dele, sumiu com o meu celular e nós só fomos voltar de lá a meia hora atrás, depois de ele finalmente me fazer dizer que eu iria sair da casa do Thomas e iria me mudar para o apartamento dele.

- NÃO CREIO. MINHAS PRECES FORAM OUVIDAS - falei rindo e a abraçando.

- Para com isso, Lua. - ela deu risada - Eu ainda não sei com que cara vou olhar para o Thomas quando o encontrar - ela disse meio cabisbaixa.

- Você vai olhar pra ele com a mesma cara que você fazia enquanto fodia com o Chay durante esse tempo que ficou com ele na casa de campo - falei fingindo um gemido.

- Lua! - ela falou me dando um tapa e eu cai na gargalhada vendo ela ficar roxa de vergonha.

- Relaxa, menina. Se você quiser eu mando alguns dos meus homens buscarem suas coisas ou você pode ir lá com o Chay.

- Pode ser - ela falou pensativa.

- E sabe, você não foi a única sequestrada, não. Aquele estrupício chamado Arthur Aguiar me arrastou igreja a fora depois que o Chay ligou avisando para ele falando o que tinha feito com você. E, como você pode ver, nós nos acertamos.

- Esses dois tem algum problema sério, isso não é normal - ela falou rindo e eu a acompanhei.

- Que tal se vocês dois almoçarem aqui com a gente? Fica vai amiga, falo pra Luz fazer aquela comidinha no capricho pra gente, como ela fazia quando a gente voltava das baladas.

- Por mim tudo bem. O Chay acho que também vai concordar, aquela lá não recusa uma boca livre - ela disse rindo.

- Então ta tudo certo. Vem, vamos lá com os garotos.

Chegamos na sala e os dois estavam vidrados no videogame, tanto que nem perceberam a nossa presença. Dei a volta e me sentei no colo do Arthur, que não desviava o olhar da televisão por nem um segundo sequer.

- Vocês vão almoçar aqui em casa hoje - falei me dirigindo a Chay e ele apenas fez que sim com a cabeça ainda mantendo o olhar fixo no jogo.

Olhei para Mel e fiz um sinal pra ela, que entendeu o recado. Levantei a mão e contei até três com os dedos, e então as duas entraram na frente dos dois os beijando. Arthur tentou se soltar, mas não deram nem dois segundos e ele soltou o controle me envolvendo em seus braços.

- Chega de videogame - falei separando nossos lábios.

- Qual é, Mel!? Eu estava quase ganhando do Aguiar. - Chay falou resmungão.

- Sonha - Arthur riu - Eu só não ganhei de você porque uma coisa mais interessante apareceu na minha frente - ele falou e me deu um selinho.

- Deixa de ser chato -Mel deu risada.

- Venham almoçar que a comida já está na mesa - Luz apareceu na sala nos chamando.

Nos levantamos e quando chegamos na cozinha Joe e Kenny estavam entrando.

Cumprimentamos eles e sentamos para comer. Os meninos ficaram conversando sobre carros o almoço todo e eu e Mel ficamos jogando conversa fora sobre os últimos dias. Ficou resolvido que eu iria com Mel casa de Thomas para buscar as coisas e os meninos nos esperariam do lado de fora. Depois do almoço eu fui no meu quarto trocar de roupa e emprestei um vestido meu para Mel usar provisoriamente. Ela não gostou muito da ideia, pela fato de ser curto, mas acabou concordando que usá-lo era melhor do que ficar pelada, já que suas roupas estavam sujas já. Descemos as escadas e os meninos estavam a nossa espera.

- Vestido legal, Mel - Arthur falou rindo - Eu achei que tivesse rasgado esse - ele cochichou no meu ouvindo me fazendo rir também.

- Concordo - Chay disse malicioso olhando para as pernas de Mel, que a aquele ponto já estava toda vermelha de vergonha.

- Vamos então? - ela perguntou tentando mudar o foco da conversa.

- Bora lá - Arthur disse.

Kenny e Joe disseram que tinham que ajudar os rapazes de um balcão, mas que qualquer imprevisto era para ligarmos para eles, então fomos só nós quatro. Chay foi com Mel no seu Volvo e Arthur e eu pegamos minha Range branca. Os dois apostavam corrida no caminho me fazendo rir só de imaginar a cara de pavor de Mel, ela tem horror a velocidade. Chegamos na casa de Thomas e descemos dos carros parando na calçada do outro lado da rua.

- Esperem aqui fora - falei para os garotos.

- Eu não vou deixar ela entrar lá sozinha - Chay falou entrando na frente.

- Ela não vai estar sozinha, ela vai estar comigo Roobertchay - falei dura, fazendo ele ficar quieto por saber seu nome e Arthur rir da cara dele - Nós voltamos rápido, não vamos demorar.

Peguei Mel pela mão e nós entramos na casa. Entramos pela cozinha e demos oi para Rose.

- Dona Mel, até que enfim a senhorita apareceu. O sr. Thomas estava soltando faíscas nesses dias enquanto a senhorita estava sumida - Rose disse limpando as mãos no guardanapo.

- Qualquer dia eu te explico o que aconteceu. Agora eu preciso arrumar minhas coisas, minha mala está no meu guarda roupas? - Mel perguntou.

- Está sim. Vai viajar? Precisa de ajuda?

- Não, está tudo bem, Rose. Continue o que está fazendo. O Thomas está em casa?

- O sr. Thomas saiu já faz tempo e duvido que volte logo. Quer que eu avise para ele que você está aqui?

- Não! Eu aviso depois, obrigada.

Mel subiu as escadas e eu a segui. Começamos a pegar tudo que era dela e enfiar nas malas e nas bolsas. Não demorou muito tempo, Mel não gostava de comprar muitas coisas e isso ajudou. Ajudei ela com as coisas e quando estávamos no final da escada, Thomas apareceu nos surpreendendo.

- Mel! Aonde você estava - ele veio em nossa direção e a abraçou - Espera aí, por que essas malas? Aonde você está indo, Mel? - ele perguntou confuso.

- Thomas, eu...

- Ela está indo embora dessa casa - a interrompi fazendo o queixo dele cair.

- Como assim indo embora? Você está louca? Você não vai colocar os pés para fora dessa casa - ele disse enfurecido segurando Mel pelo braço.

- Thomas, me solta. Está me machucando.

Fui tentar entrar no meio quando surgiu um brutamontes e me segurou, impedindo que eu me movesse.

- Me largue, seu inútil! - gritei tentando me soltar.

- Thomas nos deixe ir! - Mel gritou tentando se soltar dele.

- Ela pode ir, você não - ele disse num tom sombrio.

O segurança começou a me arrastar para fora da casa quando Arthur e Chay apareceram batendo as portas. Arthur me viu e veio em minha direção, enfurecido por ver aquele babaca me segurando. Ele me puxou dos braços do homem e logo em seguida transferiu um soco no rosto do cara e quando estava no chão, deu um chute em sua barriga o fazendo perder o ar.

- Você está bem? - ele perguntou tirando meu cabelo do rosto.

- Estou ótima.- Sorri.

Me virei e vi Mel parada com os olhos arregalados e gritando pedindo para Chay parar, mas ele estava socando Thomas seguidas vezes. Arthur correu puxando o amigo, que ainda tentava se soltar para voltar a bater no mauricinho.

- Isso é para você pensar bem antes de tentar fazer gracinha com a garota dos outros - Chay gritava enfurecido.

- Garota dos outros? Ela é minha noiva, seu moleque! - Thomas gritou ainda deitado e limpando o sangue que escorria do seu nariz.

- Engraçado, porque eu posso te garantir que essas malas não são para ficar aqui na sua casa - Chay disse sarcástico.

- Ela não vai sair daqui. Mel, você não vai fazer isso comigo. Você não pode. E todo o tempo que planejamos o casamento, tudo isso para você jogar tudo fora por esse moleque? - Thomas dizia indignado.

- Esse moleque - Mel disse chegando perto de Chay e o abraçando - conseguiu mais feliz em menos de um mês do que você em todo esse tempo de relacionamento. Acabou, Thomas. Desculpe por ser assim tão de repente, mas aqui eu não fico mais.

- Vem, vamos sair daqui - Arthur disse e me puxou pela mão.

O segurança que Arthur havia socado ainda estava apagado no chão e Thomas nem se deu ao trabalho de tentar vir atrás de nós. Mel se despediu de Rose, que choramingou um pouco, mas ela prometeu ligar e ver se dava certo de ela ir trabalhar no apartamento do Chay. Eu e Arthur fomos junto com os dois até o apartamento, mas não subimos, apenas os deixamos lá e resolvemos ir ver Katia e as crianças.

- Luh! - Maicon apareceu correndo e pulou no meu colo assim que aparecemos na cozinha, fazendo Katia rir.

- Oi, meu lindo - dei vários beijos na bochecha dele e o espertinho me roubou um selinho.

- Eu não vou nem comentar, porque depois eu quem sou o chato - Arthur resmungou.

- Ele não nega irmão de quem é, amor - falei rindo e o coloquei no chão indo dar um beijo em Katia e na Mitch, as duas estavam fazendo um bolo pelo jeito. Dei um beijo na Alex e ela me mostrou seu colar novo.

Ouvi Justin bufar e depois Maicon gritar, quando vi ele estava colocando o garoto de ponta cabeça pelas pernas, o que já não me surpreendia mais.

- Você está melhor, meu anjo? - Katia perguntou meio sem jeito.

Eu sabia que também era difícil para ela. Passei a mão rapidamente pela barriga e forcei um sorriso.

- Estou ótima, obrigada.

- Que bom, querida. Vamos colocar esse bolo no forno? - ela perguntou se virando para Mitch, que fez sinal positivo com a cabeça.

Arthur P.O.V 

Acabamos ficando bastante tempo em casa. Lua ficou brincando de boneca com a minha irmã, enquanto eu jogava videogame com Maicon.

- Para de roubar, Arthur! - ele gritava me fazendo rir.

- Eu nem to roubando, Maicon. Você que é muito ruim.

Ele me mostrou a língua, largou o controle e saiu atrás da minha mãe pela casa. Dei pausa no jogo e me espreguicei no sofá. As meninas estavam tão quietas. Bom, melhor assim. Eu me encostei no sofá e estava numa posição tão confortável que acabei cochilando. Comecei a ouvir risadas baixinhas e fui abrindo os olhos aos poucos. Minha visão foi clareando e eu vi Lua e Jazzy sentadas ao meu lado, assistindo TV, minha irmã estava no colo de Lua.

- E aí - falei bocejando e elas riram olhando para a minha cara - O que foi? - perguntei confuso.

- Nada, meu amor. A sua irmã só estava me contando uma piada, certo princesa?

Mitch fez que sim com a cabeça e cobriu a boca com as mãozinhas. Cada doida que me aparece.

- Arthur eu... O QUE ACONTECEU COM O SEU ROSTO? - minha mãe perguntou caindo na gargalhada assim que entrou na sala.

- Meu rosto? - franzi o cenho e Lua e minha irmã começaram a rir também.

Levantei e fui até o banheiro e quando eu me olhei no espelho, eu estava todo maquiado, até batom vermelho tinha na minha boca. Coloquei a mão na cabeça e quando olhei o reflexo eu estava com esmalte rosa nas unhas. Foi então que a minha ficha caiu, aquelas duas tinham armado pra cima de mim. Sai do banheiro feito uma bala.

- LUA! MITCH!

Cheguei na sala e as duas deram um pulo, correndo para trás da minha mãe.

- O QUE VOCÊS APRONTARAM COMIGO? - perguntei puto da vida.

- Não e nossa culpa se seu sono é pesado, amor - Lua falou rindo.

- Eu vou pegar você e aí você vai ver só o sono pesado - falei andando em direção a elas.

- Katia não deixa ele chegar perto de mim - Lua falou vendo minha cara maldosa.

- Arthur Aguiar não ouse fazer nada - ela disse autoritária.

- Relaxa, mãe.

Lua e Mitch estavam atrás da minha mãe. Peguei Mitch primeiro e a coloquei em cima do meu ombro. Ela começou a gritar como se eu estivesse espancando ela, fiz uma cosquinha nela e a coloquei de volta no chão. Titubeei um "agora é a sua vez" para Lua e ela tentou sair correndo, mas eu a segurei pela cintura e ela soltou um berro tentando se soltar. Joguei ela no sofá e comecei a fazer cócegas na barriga dela.

- ARTHUR PARA VOCÊ SABE QUE EU ODEIO QUANDO VOCÊ FAZ ISSO.

- Então vem aqui, meu amor, dá um beijo no seu namorado - falei fazendo bico com aquele batom que elas tinham passado em mim.

- Nãooooo. Arthur, me solta, caramba. Você não vai me beijar desse jeito.

Forcei um beijo enquanto ela resmungava tentando se soltar. Sai de cima dela e deitei ao seu lado no sofá

- Eu vou colocar as crianças para dormir, filho - minha mãe disse com Mitch no colo deitada em seu ombro.
- Tudo bem.

- Boa noite, Katia - Lua disse e minha mãe mandou um beijo para nós dois e saiu.

- Agora a senhora vai me ajudar a limpar essa palhaçada que vocês aprontaram comigo - falei apertando Lua.

- Se vira aí - ela disse rindo.

- Vem logo, Lua.

(...)

- Dorme aqui? - perguntei mexendo no cabelo dela - Luh?

Ela havia dormido novamente, ela sempre fazia isso. Ri comigo mesmo e encostei meu queixo em cima da cabeça dela, pegando no sono.


                                 Sei que todas querem um ótimo motivo pela a minha ausencia. 
                     Eu procurava inspiração gente... comecei até fazer uma fanfic no Social Spirit
   Ai lembrei do blog e pensei  " Será que ainda posto nele" Ai vim aqui e resolvi postar, minha inspiração veio como bomba na minha mente
   Lembrando estava com uma nova fanfic na mente pra vocês mas tneho muita web então irei terminar essas e depois posto a nova. 
                                               Me desculpem mesmo gente 

2 comentários:

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo