24 de jan de 2015

48 - Unidos por uma criança // BOA VINGANÇA

Boa leitura! ;)




        Eu ainda não posso acreditar... Depois de tantos anos eu ainda caio nas tramoias do Arthur como se fosse a primeira vez, a isso está se tornando cada vez mais monótono. Eu vejo ele, ele fala comigo, eu fico toda derretida e essa história sempre acaba na cama... Apesar de ser um final maravilhoso eu não quero mas passar por isso... Toda vez que isso acontece eu é quem saio machucada, não ele!
        ...
        Algumas horas depois meu celular começa a tocar descontroladamente, pois é... Ele espalhou a notícia antes que eu.
– Oi amiga! – Ouvi o suspiro cansado de Melanie no outro lada da linha.
– Oi amiga? Isso é sério? Porque você não acabou de vez com essa história, Lua? – Eu mordi o lábio inferior e olhei pro nada...
– Eu acabei... – Disse como quase um sussurro.
– Não desse jeito, porque você não deu uma chance pra ele? – Ela estava brava, eu percebia isso pelo tom de sua voz... Era muito raro alguém conseguir irritar a Melanie, mas pelo visto eu consegui!
– Porque homem safado não muda... Você já esqueceu de tudo o que ele fez comigo? Já esqueceu que ele me traiu? – Aumentei o meu tom de voz, tudo o que eu menos precisava agora era alguém querendo me dar uma lição de moral.
– Pelo amor de Deus, Lua... Inventa outra desculpa, porque essa não faz o menor sentido! – Vociferou. – Todo mundo sabe que a Camila é maluca... Todo mundo sabe, inclusive você que aquilo não passou de uma armação mal feita, assume que você tem medo de ficar com o Arthur, assume que você tem medo que a história se repita novamente... – Eu não queria mais ouvir a voz de ninguém... Desliguei o telefone bem na cara dela, eu precisava de uma amiga e não de uma conselheira amorosa!
         Já estava de saco cheio de tudo aquilo, parece que o Arthur só entrou na minha vida para me fazer sofrer... é difícil de acreditar que sempre caio no mesmo erro!
[...]

        Batidas e gritos vinham da porta... Arthur?! Sim, parece que ele não cansa de me ver mal.
– Abre a porta, eu não vou sair daqui! – Avisou ele, eu dei de ombros ergui a cabeça e estufei o peito, foi tempos em que eu me humilhei por ele, agora eu só quero fazer ele sofrer tudo o que eu sofri.
 [...]
                Batidas fortes na porta me mostravam que alguém, muito raivoso estava querendo entrar.
– Abre a porta, Lua... Não vou sair daqui até que você abra ! – Arthur, não queria ver ele, mas já o conheço o bastante para saber que ele não sairia dali mesmo.
                Com uma má vontade, me levantei do sofá e abri a porta, nem olhei pra ele, apenas me joguei de novo no sofá, como se a presença dele não me afetasse nada... E olha, eu acho que estava aprendendo... Ele realmente não estava me afetando naquele momento, tudo o que eu sentia por ele era ódio e uma vontade enorme de jogar na cara dele que ele nunca, NUNCA me ajudou em nada com a Elena... Por algum motivo eu queria ver ele triste, queria ver como ele se sentiu ao me ver sofrer... Será que é tão bom assim? Afinal... Ele me fez sofrer tantas vezes!
–   Porque você foi tão infantil com a Melanie, Lua? –  Ele chegou gritando, eu desliguei a televisão e o lancei um olhar, seco.
–   Primeiramente, fale baixo porque a minha cabeça está doendo... –   Era verdade. –   Segundo, não se meta nos meus assuntos... Isso é comigo e com ela! – Declarei. –  Acabou? –    Não deixei ele responder. –  Então tchau! –  Acenei forçadamente, ele negou com a cabeça e se sentou em um outro sofá.
–   Uma coisa é você brigar comigo... Outra coisa é você mexer com a Melanie, sua amiga e agora minha também, você desligou... – O Interrompi.
–   Olha, Arthur... Você é a última pessoa no mundo que pode me dar alguma lição de moral... E outra, eu tô cansada de Melanie, Sophia... Quererem ficar se metendo na MINHA vida... – Tentei parecer serena... Mas isso não aconteceu, ele me olhou pasmo, como se estivesse se perguntando “ Quem é essa? “ .
–  Para com isso Lua, deixa de ser tão orgulhosa... – Ele passou as mãos pelos cabelos e suspirou, seu olhar era sombrio, mas algo me dizia que aquilo era só uma fachada. –   Eu fui orgulhoso e olha só o que aconteceu? Você quer repetir a mesma história? Dá uma chance pra nos dois, tenta! –  Eu gargalhei, mas senti o meu coração se apertar.
–  Eu te dei um milhão de chances Arthur, agora eu só quero me ver livre de você... Só isso! –  Ele engoliu em seco e desviou seu olhar do meu.
                É isso que ele sentia? É muito bom, tenho que admitir... É como se você estivesse por cima o tempo todo, é como se você pudesse mandar o tempo todo... É como se você pudesse fazer ele de escravo o tempo todo sem ele ao menos notar... Era ótimo ver a pessoa que te fez chorar, sofrer!
–   Quem não erra, Lua? –   Ele perguntou calmamente, mas ainda sem me olhar .
–  Todo mundo erra... Eu inclusive, mas um NUNCA errei com você ! –   Contei.
                Ele erguei o olhar.
–   Você ficou com o meu amigo! – Ele realmente ficou com ciúme? Se não fosse cômico seria engraçado!
                Gargalhei.
–  Isso não foi um erro! – Declarei. –   Cansei dessa conversa, Arthur, vai embora! –   Apontei para porta. Ele se levantou, estava com raiva, mas ele não tinha motivo para estar bravo... Foi ele mesmo quem causou tudo isso!
[...]
1 mês depois...

– Você está tão linda! – Disse para Elena que estava vestida de bailarina, sim...  Depois de ela tanto me pedir eu a coloquei em uma escolinha. Sua apresentação seria hoje, eu estava mais nervosa do que a própria dançarina.
– Tudo bem, manhe... Vai chentar pouquê eu daqui a pouco vou danchar! – Ela avisou, passando a mão pelo meu rosto, eu sorri carinhosa e a dei um beijo na testa.
– Boa sorte, princesa! – Ela sussurrou um obrigado e depois saiu correndo... Nesse último mês a Elena tem sido a minha única companhia, além da Emilly e o Bernardo que agora “ voltou “ a frequentar a minha casa. Você deve estar se perguntando se eles estão namorando... Não, agora eu não deixo mais... São só amiguinhos até onde eu sei... Resolvi esperar um pouco até deixar ela namorar de novo, eu vi como ela sofreu... E eu não quero ver de novo... Nunca mais!
                Fui me sentar na primeira fileira, óbvio... O lugar já tinha bastante gente, não muita, mas acho que era só aquilo mesmo.
[...]
                Minutos depois a apresentação começou, eu segurei a câmera e comecei a gravar, Elena ainda não apareceu, mas eu queria gravar tudo bem do comecinho... A música que tocava era alta, mas não o bastante para abaixar as vozes que entravam naquele local... Vozes conhecidas... Eu sabia exatamente a quem pertencia cada uma delas!


 ***
É, eu sei, demorei... Mas tá ai, espero que gostem... ;) Beeeeeeeeijos! 

3 comentários:

  1. posta mais...............

    ResponderExcluir
  2. Viiihhhh *----* saudades...
    Hmm Lua mostrou que quem manda ainda é ela.
    Sei ñ esse remember sera que rende em algo??
    posta uma maratona, Vih pra compensar pfv *---*

    ResponderExcluir
  3. Posta maiiis, ta muito booom!!!
    Quero saber o q vai acontecee!!
    Quando vc vai postar " por favor, me ajude!"??

    ResponderExcluir

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo