27 de dez de 2014

RebeldeS - Uma banda diferente


Capítulo 4 - Um momento... 


Coloquem a música para carregar e só dêem PLAY quando eu falar: LINK
A porta do elevador se abriu e Melanie se assustou. Vários alunos estavam ali, fazendo as mais variadas tarefas. Saiu do elevador lentamente, olhando ao redor. De repente, um garoto alto com cabelos bagunçados veio em sua direção. Ele tinha um violão nas mãos e não hesitou em falar:

- Aquilo no ginásio foi incrível! - ele sorriu - sério, eu adorei a cara patética do Dr. Jonas olhando pra o dono da Turbo Blast. 

Mel assentiu ainda olhando em volta.

- Enfim, meu nome é Chay - viu que a morena não prestava muita atenção - Ta perdida?
- Hein?! - ela finalmente o olhou. O garoto riu e pegou o papel da mão dela 
- Detenção? - Mel suspirou e assentiu com a cabeça - Vem comigo, estou indo pra lá.
- E o que você aprontou? - eles começaram a andar.
- Nada. Eu vou pra lá porque ainda é temos uma sala de música.
- Como assim "ainda"? - a morena perguntou curiosa.
- É que depois que o Dr. Jonas fechou patrocínio com esse cara da Turbo Blast, a escola ficou sem dinheiro para manter o programa de música então viemos pra cá.
- Para o porão? - ela fez careta. Chay assentiu e riu com o espanto da garota - Por que que tem tanta gente?
- Aqui é o Submundo - ele sorriu - Todos os clubes que não dão imagem à escola, ou seja, todos que não são relacionados ao esporte, são mandados pra cá. Olha só - ele ia falando e mostrando as salas - Balé. Fotografia. Matemática - eles chegaram a uma escada e na curva dela se encontrava um garoto olhando para um tabuleiro de Xadrez - Clube de Xadrez - Chay franziu a testa - ele procura um parceiro há meses. 

Eles desceram as escadas e passaram por mais algumas salas. Mel adorava o que via, não podia acreditar que todos aqueles grêmios tinham sido "banidas" do orçamento da escola.

- Tem até o jornal da escola - Chay sorriu para a loira que trabalhava em alguma manchete.
- Você ta me dizendo que o Jonas joga todos os grêmios no porão? - ela perguntou indignada. 
- Quase todos. Se você não estiver com uma mini saia ou um casaco do time, então você é praticamente...
- ... Invisível! - a morena completou.
- Viu! Já esta entendendo o esquema - riu - Chegamos. A detenção é no fim do corredor. 
- Você não vem? - ela ergueu a sobrancelha.
- Sim, mas eu preciso fazer uma coisa antes. A gente se vê.

Melanie riu e foi andando pelo corredor. Viu uma porta amarela a sua direita, com algumas notas musicais na frente, e logo deduziu que era a sala de música. Entrou, as três pessoas que estavam lá dentro olharam para a novata, mas ela ignorou os olhares curiosos. Sentou-se na primeira carteira da terceira fileira e pegou o celular.

Lua tinha sido a última pessoa a entrar na sala, e logo que ela se sentou, a professora de música, Leila Penedo, entrou gritando:

- ISSO É UM ABSURDO! O JONAS NÃO PODE SIMPLESMENTE JOGAR MINHA SALA NO PORÃO! - ela começou as reclamações e pelo visto tinha muito mais por vir, até um barulho de descarga, vindo de cima dela, a interromper. Arthur e Micael riram baixinho. A goteira começou e a mulher que já estava irritada, ficou ainda mais. Puxou um balde, colocou embaixo da goteira e bufou - Quer saber? Eu vou falar com ele agora mesmo!

Ela saiu irritada, mas logo voltou. 

- EU NÃO VOU DEIXAR VOCÊS AQUI SEM FAZER NADA POR UMA HORA! - eles afastaram o corpo para trás, assustados com o grito - Desempacotem e arrumem tudo isso, afinal, fomos banidos para o porão! - ela disse com tristeza na voz - Transformem isso em... Em uma sala de música!

Dizendo isso, a mulher saiu. Chay começou a rir com o rostos assustados dos cinco. 

- Ela é muito mais legal quando não esta irritada, vão por mim - o garoto disse sentando na carteira. 
- Tudo bem, mas ela não pode obrigar a gente a arrumar. Isso é cruel! - Mel protestou. 
- Bem-vinda ao Elite Way! - Arthur disse. 

Sophia se dirigiu aos instrumentos, pegou um pano e começou a limpar. 

- Será que dá para vocês ficarem quietos e fazer o que a Leila pediu? - ela disse - Eu não vou ficar detida de novo por causa de vocês!

Tem um momento, quando as estrelas se alinham e os destinos colidem, criando aquela perfeita união. Aquele era um desses momentos.

! DÊEM PLAY NA MÚSICA !


Com isso, La, Arthur, Chay e Mel se levantaram para arrumar, junto com Sophia. O silêncio era total. A goteira no balde era a única coisa que se escutava. Micael começou a tamborilar os dedos na mesa, acompanhando o “ritmo”.

Arthur olhou para o moreno e sorriu de lado. Micael sorriu também e começou a estalar os dedos. Tudo num certo ritmo. Arthur pegou um molho de chaves que estava em uma estante e começou a jogá-lo de uma mão para outra. Sophia pegou o borrifador de água e começou a apertá-lo.

Todos se entreolhavam enquanto continuavam com os movimentos. Mel começou a bater palmas. Lua sorria enquanto arrumava partituras, lendo as letras que ali estavam.

Micael pegou suas baquetas, batendo uma contra a outra enquanto se dirigia para a bateria antiga que se encontrava no canto da sala. Sophia levantou o violoncelo do chão e começou a tocar. Arthur tocou algumas notas no xilofone antes de ir para o teclado. Chay pegou seu violão que estava no chão.

Logo uma bela melodia se escutava e Lua começou a cantar timidamente.

- Na na na na na... na na na... Take a look around, who would have thought we'd all be here? - os outros cinco sorriram, escutando a bela voz da loira. Ela pegou um pano e começou a tirar o pó das coisas nas velhas estantes - So let's mess around, cause the future is unclear! We got nothing better to do we're just trying to get through… - sem querer, bateu em várias caixas de violão, derrubando todas no chão e fazendo todos rirem - Can you hear me? Can you hear me? Yeah! Let the music groove you, let the melody move you, feel the beat and just let go, get the rhythm into your soul! - ela foi até o quadro negro, pôs uns óculos sem lentes que estavam na mesa e escreveu "DETENÇÃO!" no quadro. Melanie jogou uma bola de papel nela e as duas riram - Let the music take you, anywhere it wants to, when we're stuck and can't get free, no matter what, we'll still be singing! Come on, come on, turn up the music, it's all we got, we’re gonna use it! Come on, come on, turn up the music…

Os Seis sorriam, e mesmo sem se conhecerem, tocavam juntos como se fossem melhores amigos.

- All we have is now, let's make the most of this - Lua apanhou um cachecol de penas roxas e o enrolou no pescoço de Sophia - Come on break it out, so everyone can hear it! - em cima de uma grande múmia, estava um chapéu de Viking, que a loira pegou e colocou na cabeça de Micael - They don't have to understand, but we'll make them if we can - ela apontou para um chapéu de cowboy que estava do lado de Arthur. O moreno pegou-o e o colocou em sua própria cabeça. Lua riu e pegou um óculos de lentes vermelhas, escondeu-os atrás de si mesma e foi andando distraidamente até Mel - Do you hear me? Are you with me? - pôs os óculos no rosto da morena, que riu e continuou tocando. A loira pegou uma coroa-de-flores que estava encima de uma caixa e colocou na cabeça de Chay, todos riram - Yeah!

O refrão começou e todos cantavam juntos. Mel pensava na sorte que tinha de conhecer gente com talento no seu primeiro dia na escola, Micael e Chay apenas sorriam, enquanto Sophia e Arthur tinham vontade de rir pensando na maluquice que era tudo aquilo.

- Let the music groove you, let the melody move you! Feel the beat and just let go, get the rhythm into your soul! Let the music take you, anywhere it wants to, when we're stuck and can't get free, no matter what, we'll still be singing! - Lua começou a dançar com um esqueleto de plástico que havia lá, mas acabou derrubando-o, arrancando risadas de todos - Come on, come on, turn up the music! It's all we got, we're gonna use it! Come on, come on, turn up the music… yeah…

Os instrumentos foram parando pouco a pouco, e assim que o silêncio se estabeleceu, os seis começaram a rir.

- Isso foi incrível! - Chay exclamou empolgado.

Os outros sorriram e quando se preparam para dizer alguma coisa, notaram a presença de Leila na sala. Todos arregalaram os olhos e começaram a pedir desculpas. Sophia voltou correndo para o seu lugar.

- Desculpa, é que a gente começou... - Micael começou a dizer.
- SHIU!
- Nós apenas...
-SHIU! Eu preciso pensar - Leila andava de um lado para o outro. De repente, parou na frente de Lua - VOCÊ! - apontou para Lua, a garota se assustou e sentou-se no seu lugar - Lua... Você... TEM UMA LINDA VOZ!! 

Ela gritou e começou a rir freneticamente. Chay, Mel, Arthur e Micael voltaram para seus lugares.

- ISSO... ISSO É UM DOM! ESSA BANDA... - Mel riu e interrompeu Leila.
- Não somos uma banda - a morena disse rindo. 
- É. A gente nem se conhece - Arthur completou. 
- Mas nasceram para tocar juntos! - Leila continuava sorrindo - É o destino! Qual é, não se vive um momento desses e ignora. As pessoas... Elas precisam ouvir vocês! - ela começou a rir novamente - Engole essa, Jonas! - seus olhos começaram a brilhar - O JONAS VAI TER QUE ENGOLIR! - ela gritou e os seis curvaram-se para trás, assustados - É isso, o concurso de novos talentos. Rising Star!
- Rising o que? - Mel perguntou, levantando as sobrancelhas.
- Estrelas em ascensão - Lua falou.
- É um programa de talentos - Sophia disse - o vencedor grava um CD.
- E ganha tempo na televisão - Micael completou. 
- Pensem bem pessoal, vamos mostrar para todo mundo que não é só o esperte que importa! 

Ela começou a pular, e parou na frente da mesa de Melanie. Deu algumas batidinhas na mesa dela e perguntou, sorrindo de orelha a orelha:

- E aí, o que me diz? - Leila perguntou sorrindo.
- Eu to fora - Mel fez careta e o sorriso de Leila murchou - Isso é ridículo!
- Ok. E você, Sophia, o que diz? 
- Não posso. Eu tenho aula de reforço e tenho que praticar violino... Não posso.

Leila assentiu e foi para o fundo da sala. Olhou Arthur e o moreno negou. Ela andou até a mesa de Micael e ele começou a coçar a cabeça. 

- Não da. Eu tenho... Eu tenho... Uns lances. É... - sorriu amarelo. 
- Uns lances? - ela riu irônica e voltou para o centro da sala - Lua - a loira levantou o olhar tímida - e você querida? 
- Eu não canto - ela sorriu de lado. 
- Nós acabamos de ouvir você!
- Tudo bem, mas no palco é diferente - a mulher sorriu confortando-a - Eu não consigo. Não ia ter graça. A última vez que eu subi no palco para cantar, eu mal tinha começado quando vomitei no menino da frente. 

Arthur começou a rir. 

- Eu me lembro desse dia. Foi hilário! - a loira o fuzilou com o olhar. 
- Não, foi humilhante. Desculpa, eu não consigo - ela abaixou o olhar para seus livros. Leila suspirou e Chay começou a falar.
- Bom, então eu estou automaticamente fora. Não da pra ganhar um competição com uma pessoa só na banda. A não ser que esteja pensando em uma carreira solo - ele olhou para o além considerando a ideia - o que eu ia aceitar numa boa. 
- Mas não adiantaria de nada - Micael começou a dizer - a Mudslide Crush vai tocar, não teríamos a menor chance. 
- Ele está certo! - Sophia exclamou - Ele não muito bons.
- Nem são tão bons assim - Chay resmungou. 
- Se não temos nenhuma chance contra essa "Mudslide" - Mel começou a dizer - Por que insistir?
- Porque, Sra. Fronckowiak, - Leila falou, sem gritos desta vez - como você mesma falou, vocês merecem ser ouvidos. 

Os seis se entreolharam. Depois desse estranho momento, Leila os dispensou.

Eles trocaram telefone. Nada além disso. Assim que o elevador se abriu no andar de cima, cada um tomou um caminho diferente, pensando que nunca mais se veriam.

Capítulo grande pra compensar o tempão que eu fiquei sem postar. Comentem o que acharam... =))

3 comentários:

  1. Web cada vez mas chata.....
    So que não eu amo essa Web *-*.Posta mais

    ResponderExcluir
  2. Carolina Do Sul27/12/2014 19:52

    Nunca assisti o filme mas eu to amando a fic!

    ResponderExcluir

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo