25 de dez de 2014

RebeldeS - Uma banda diferente

After you…

Capítulo 3 - DETENÇÃO

- Por favor, não ligue para o meu pai - Sophia suplicava na sala do diretor - Meu pai não me deixa nem ficar sozinha com um garoto, se ele descobre que eu estava fugindo com um eu nunca mais vou sair de casa! 

O diretor olhava pra ela e para o telefone. Sophia respirou fundo quando ele tirou o telefone do gancho e suspirou aliviada quando ele colocou de volta.

- É sua primeira infração? - ela assentiu desesperada - Eu não vou ligar para o seu pai...
- Obrigada! - ela sorriu aliviada.
- ... Desta vez - ele terminou de falar - Mas se eu te pegar matando aula novamente.. 
- Eu não vou, eu juro! 

O diretor assentiu e lhe entregou um papel. Sophia abaixou os olhos e suspirou:


"Sophia Abrahão - DETENÇÃO! Uma hora após a aula."

Na sala de aula, Arthur estava distraído com sua leitura até ouvir o professor lhe chamando pela terceira vez. Ele teria de apresentar um trabalho super importante de história. Arthur se levantou e abriu sua mochila, procurando uma pasta vermelha, onde havia guardado seu trabalho. Foi andando até o centro da classe, mas parou no meio do caminho ao abrir a pasta.

- Ai meu Deus!

Seu trabalho não estava lá. Só haviam fotos e mais fotos. Coloridas, B&W, em horizontal, em vertical. Tudo. Menos seu trabalho. "SIDNEY" era a única explicação, os dois haviam trocado as pastas. 

- Aguiar - o professor o chamou - Está tudo bem?

Ele levantou a cabeça e sorriu amarelo.

- Claro, professor, só um minuto - ele coçou a nuca nervoso. E agora?

Assim que disso isso, o rangido da porta se abrindo foi ouvido. Uma mulher morena estava na porta, com o rosto assustado e uma pasta vermelha na mão. 

- Com licença... Arthur... - ela balançava a pasta de leve - trocamos as pastas.
- Ui, a mãe do Arthur é gostosa - um engraçadinho do fundo falou e assobiou. 
- Você deve ser a mãe de Arthur...

Sidney estava pronta para responder, mas Arthur a interrompeu bufando: 

- Que mãe o que - ele falou e revirou os olhos - Olha pra ela! Isso é burrice ou é cegueira?

Só depois que havia falado, Arthur percebeu a burrice que havia feito. O professor, bufando, se dirigiu à sua mesa e arrancou um papelzinho. Arthur nem precisava ler para saber o que estava escrito. 


"Arthur Aguiar - DETENÇÃO! Sala de música, uma hora após a aula."

Do lado de fora da sala do diretor, Matt esperava Sophia. Quando viu a loira se aproximando ele se levantou e foi até ela.

- Como foi lá?
- Detenção - ela bufou - Mas pelo menos vamos ficar juntos - sorriu aproximando-se do namorado. 
- Na verdade ele acabou me dando só uma advertência.
- O quê?
- É que eu tenho treino de futebol, temos um jogo chegando e eu não posso perder nenhum treino - ele sorriu de canto - Olha, linda. Eu tenho aula de Química agora, a gente se vê depois?
- Claro - ela disse amassando o papel - A gente se vê depois.

Matt se despediu de Sophia com um selinho rápido e saiu correndo em direção à sua sala, Sophia bufou. 

- Inacreditável! - foi para sala.

-

O sinal tocou indicando aos alunos que era a hora do intervalo. Lua pegou suas coisas e sorrateiramente entrou na despensa do zelador. A loira começou a ler seu poema enquanto comia uma maçã esperando a hora passar e qualquer barulho que indica-se o final do intervalo era relevante... Bom, qualquer barulho menos o ruído do andadorzinho elétrico do diretor. 

Ela levantou a cabeça involuntariamente e seu braço foi um pouquinho para o lado, mas esse "pouquinho" foi o suficiente para derrubar os materiais de limpeza. Lua até tentou segura-los, mas foi em vão. 

O diretor, do lado de fora, ouviu o barulho e já sabia que Lua estava ali, e suspirou lembrando-se de todas as vezes que havia dito "É PROIBIDO COMER NA DESPENSA, VÁ SE SOCIALIZAR".

Ele abriu a porta e deu de cara com Lua que sorria torto. Pegou seu bloquinho, arrancou um papel e entregou para Lua fechando a porta em seguida. Ela abaixou os olhos para ver o que estava escrito e não pode deixar de suspirar ao ler: 

"Lua Blanco - DETENÇÃO! Uma hora após a aula."

No campo. Micael esperava impaciente sentado no banco de reservas, seu teste para o time começava em menos de 5 minutos e ele não parava de bufar. Odiava futebol, o que ele queria era sua bateria mas parecia que sua mãe não entendia isso. 

O treinador o chamou e ele levantou sem ao menos sorrir. Ele pediu para que todos fizessem uma fila, um do lado do outro, e Micael teve o azar de ficar ao lado de Pedro que o cutucava com o cotovelo o tempo inteiro. 

A primeira tarefa era bem simples: chutar a bola e faze-la entrar no gol. O problema era que os pés de Micael só serviam para um pedal de bateria, não para chutar uma bola. Ele olhou para o lado por alguns segundos e viu Sophia conversando com o namorado, não pode deixar de admirar a loira por milésimos segundos.. Até ouvir um grito:

- OLHA SÓ COMO SE CHUTA, BORGES - Pedro, o popular que adorava implicar com Micael chutou a bola em suas costas, fazendo Micael cair no chão.

Já estava cansado disso tudo. Ele bufou, agarrou a bola imunda e começou a gritar:

- QUER SABER? EU NÃO QUERO FAZER ESSE TESTE, NÃO QUERO JOGAR NESSE TIME E NÃO QUERO ESSA BOLA IMUNDA DO MEU IRMÃO! - Com força, Micael jogou a bola mirando em Pedro. Mas o garoto desviou e a bola agarrou no treinador que estava atrás dele. 
- Eu acho que foi de propósito... - Pedro sussurrou para o treinador. 

Micael arregalou os olhos quando viu o treinador chamando-o com o dedo. O treinador lhe entregou um papel, mesmo já sabendo o que continha nele, resolveu ler: 

"Micael Borges - DETENÇÃO! Sala de música, uma hora após a aula."

Ele voltou para o vestiário, tirou o uniforme do time e colocou suas roupas. Em alguns minutos teriam uma palestra sobre o novo patrocínio do colégio no novo ginásio poliesportivo da escola.

-

"TURBO BLAST"
Era a tudo que se escutava naquele momento e lá estava o diretor, todo caras e bocas com o dono da TURBO BLAST - um energético que a escola patrocinava, ou vice-versa. 

- Antes de tudo - Jonas começou o discurso - Eu queria agradecer a presença de todos...
- Como se a gente tivesse escolha - Melanie sussurrou para si mesma. 
- ... E bem-vindos à primeira palestra do ginásio novo patrocinado pela Turbo Blast, A BEBIDA DOS CAMPEÕES! - o diretor praticamente berrou as ultimas palavras no microfone, o que Melanie achou totalmente desnecessário.

A morena até estava prestando atenção no que o diretor falava, até uma loira vestida de líder de torcida vim em sua direção acompanhada por uma morena.

- O que você acha de procurar outro lugar? - a garota disse e sorriu falsa, Mel sorriu sínica.
- O que você acha de vim aqui me tirar? 

A loira que mantinha um sorriso falso no rosto, logo desfez e a olhou de cima baixo. Alguns garotos que estava perto começaram a zoar as duas e Pedro, o popular, deu espaço para que as duas sentassem. Mel voltou a prestar atenção no que o diretor falava. 

- ... O que nós queremos, são alunos corajosos, decididos, determinados. Que corram riscos.

Ela riu baixinho. 

- Você quer alunos decididos e corajosos? - ela sussurrou para si mesma antes de se levantar, tirar o blazer da sua mãe e interromper o discurso do diretor gritando e chamando a atenção de todos para si. - MINHA CAMISA, MINHA DECISÃO! - todas as cabeças se viraram para ela - QUAL É? NÃO DEIXEM A ESCOLA TOMAR SEUS DIREITOS. VAMOS LÁ! - alguns a aplaudiram. Ela notou duas loiras, um loiro e um moreno assobiando e aplaudindo-a fortemente. Os jogadores de futebol vaiavam-na baixinho - SEJAM OUVIDOS! USEM A VOZ! ELES NÃO PODEM DIZER O QUE VOCÊ VAI VESTIR OU O QUE VOCÊ VAI FAZER. VOCÊ PODE USAR TUDO O QUE VOCÊ QUISER, HOJE, AMANHÃ... - o professor de música começou a aplaudir e a sorrir, gostando da atitude da aluna nova. O diretor foi se retirando junto com o dono da Turbo Blast, e os aplausos aumentaram.

Melanie sorriu e saiu daquele lugar, estufando o peito, orgulhosa do que tinha acabado de fazer.

Bem, alguns minutos depois ela não estava tão feliz por ter feito aquilo, mas ainda estava orgulhosa. O diretor tinha chamado-a na sua sala, fazendo um enorme discurso - a morena não prestou atenção em nenhuma parte dele - e logo depois entregando-a um papelzinho amassado, talvez pela sua raiva.

Melanie se dirigiu ao elevador que levava ao porão da escola e leu o papelzinho.

"Melanie Fronckowiak - DETENÇÃO! Sala de música, uma hora após a aula."


Me desculpem a demora! Meu computador como sempre dando problemas... =//

Um comentário:

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo