13 de dez de 2014

A Luz das Estrelas


Capítulo 29

"O que diabos é Dona Cabra?"



O sol entra forte pela janela quando Lua abre os olhos e se espreguiça lentamente enquanto se senta na cama.
–Você dorme muito hein, baixinha - Lua escuta uma voz e se vira bruscamente para o lado e se depara com Arthur sentado na poltrona próxima a porta da sacada, com um sorrisinho de canto.

–Estava me olhando dormir?! - Ela arregala os olhos para ele enquanto puxa mais o lençol contra o corpo.
–E você não baba -Ele fala e se levanta da poltrona indo em direção a cama.
–E VOCÊ estava me olhando dormir?! - Lua o encara e o sorriso se alarga.
–Isso mesmo - Ele fala - Agora levanta que temos um passeio para fazer –Passeio?! - Ela arqueia uma sobrancelha para ele ainda sentada na cama
–Isso ai! - Ele dá uma piscadela para ela que bufa e levantando da cama em seguida indo em direção ao banheiro.
–Você por acaso entrou pela janela?! - Lua pergunta saindo do banheiro após alguns minutos com o cabelos agora soltos do coque que dormira.
–Não?-Arthur fala apoiado na batente da porta da sacada que agora está aberta fazendo que o ar abafado do quarto se dissipe.
–Então como você entrou? -Ela cruza os braços diante do corpo.
–Sua mãe abriu a porta para mim? Tipo, me deixando entrar? - Ele questiona com sarcasmo e ela da de ombros.
–Isso é ótimo - Ela fala com um sorrisinho de canto.
-Pelo menos eu acho.
–O que? Eu não ter invadido sua casa? -Ele levanta uma sobracelha com deboche.
– Não. Ela deixar você me ver dormindo. Eu acordo o tribufu! - Lua diz fazendo Arthur  rir.
Ela foi até o pequeno guarda-roupas puxando uma calça jeans preta do cabide -Tá rindo do que, palhaço?
– Da sua pequena mentira, baixinha. Se veste logo. Vou te esperar na cozinha e bater um papo com sua mãe - ele atravessa o quarto até a porta dando um último sorriso - Só para constar... Você tem pernas lindas - ele fecha a porta atrás de si deixando Lua completamente corada e desnorteada ela olha para o próprio corpo,para seu pijama,que se resume a uma camiseta masculina larga da banda The Smiths.
A menina enfiou a calça rapidamente assim como a camiseta e o casaco fino de algodão. Se olhou no espelho uma última vez ajeitando os cabelos.
– Quem diabos ele acha que é para falar aquilo? - perguntou para o reflexo que obviamente não a respondeu.
Lua foi até a cozinha ainda ajeitando o casaco quando viu a mãe e Arthur sorrindo para ela. – Que foi?! - perguntou.
– Nada - ele disse e puxou pela mão - Agora vamos. Você atrasou todos os planos com seu sonos excessivo.
A menina foi aos tropeços atrás dele capitando um último sorriso da mãe unido com um "tomem cuidado".
Arthur a levou até a caminhonete. Lua olhava desconfiada para o garoto.
– Onde vamos? - perguntou o encarando enquanto ele ligava o carro.
– SURPRESA! - Arthur diz animado dando ré com o carro. – Você sabe dirigir, né?! -Lua pergunta segurando-se ao banco.
– Sei. Eu acho que eu sei - o garoto acelerou e Lua soltou um pequeno grito engasgado que o fez rir - É óbvio que eu sei dirigir, baixinha. Arthur seguiu a pequena estrada até dar na cidade dirigindo até uma loja de roupas de festa e fantasias. Lua sorriu compreendendo os planos do garoto.

 – SURPRESA! - ele repetiu animado a fazendo rir.
–Você ainda não me falou da sua ideia para a fantasia -Lua fala quando entram na loja de fantasias e Arthur concorda com um aceno de cabeça.
–Você quer mesmo ir combinando as fantasias? -Ele pergunta e a encara com uma sobrancelha arqueada.
–Sinceramente? -Ela responde com outra pergunta e ele ri.
–Que tal no mesmo sentido? -Ele pergunta e começa a olhar pelas araras onde as fantasias estão expostas.
–Tipo? -Ela pergunta colocando uma fantasia de policial de volta na arara.
–Realeza, por exemplo... Que tal essa? -Ele pergunta colocando uma em frente ao corpo.
–Bobo da corte?! Sua cara -Ela fala e Arthur da um sorriso de escárnio e Lua ri.
–Que tal, vilões então?! -Ele pergunta apontando uma fantasia de rainha de copas que estava em um manequim à frente. Lua sorri com interesse.
–Tenho ótimas ideias eu sei - Arthur fala e Lua revira os olhos indo em direção a outra arara, mas ainda com um sorriso no rosto.
Após alguns minutos com os dois procurando fantasias em silêncio, Lua se voltou para Arthur com uma sobrancelha arqueada e falou:
–Queria saber por que você fez aquilo ontem no lago.
–Aquilo o que? - Arthur perguntou com um tom de desentendimento e Lua abre um sorriso sarcástico para Arthur.
–Ah - Arthur murmura olhando para Lua que ainda sorri sínica.
–Cara ou coroa? -Ele pergunta tirando uma moeda do bolso.
–O que?! -Lua pergunta
– Só diga, cara ou coroa? -Ele pergunta posicionando a moeda e olha para ela.
–Coroa - Ela fala e Arthur lança a moeda para cima, quando cai novamente ele a pega e deposita no peito da mão.
–Pronta? -Ele pergunta e tira a outra mão de cima da moeda revelando o lado cara a moeda - Deu cara, sinto muito sem respostas.
Lua revirou os olhos decepcionada por não saber os motivos do rapaz. Pegou uma das roupas da arara e entrou no provador sem mais palavras.
– Hey! O que você pegou ai? – Ele perguntou antes de ela fechar a porta.
– Vilã. Procure algo. Quando sair, quero você pronto também – e assim ela fechou a porta quase prensando os dedos do rapaz que os puxou rapidamente no meio de um arquejo pressentindo a dor que sentiria.
Arthur decidiu pegar uma fantasia e entrar logo no provador. Não queria provar da ira da loira, ainda mais antes da festa que ela obviamente o acompanharia. Não queria dançar sozinho.
Alguns minutos se passaram. Arthur já estava pronto e encostado na porta do provador de Lua esperando a boa vontade da garota de sair de lá.
– Lua, você está viva ou a Dona Cabra te engoliu ai dentro? – ele perguntou batendo na porta.
– Quem diabos é Dona Cabra!? – ela perguntou e ele pode ouvir ela bater algo na parede do provador . Talvez o cotovelo ou o joelho – Já estou saindo!
Ele riu com o desastre da garota quando ouviu guinchar e reclamar que os saltos não entravam em seus pés.
– Qual é? Vai me dizer que seus pais nunca te chantagearam com a Dona Cabra? – ele perguntou sentando ali no canto.
– Ahn... Não? – ela abriu a porta e ele se levantou para olhá-la. Ela vestia um vestido preto justo até a altura da cintura que se abria em um tutu não muito armado. Os saltos pareciam sapatilhas de balé e também eram pretos. Arthur nunca havia percebido o quão bonitas eram as pernas da garota – Fantasma da ópera. Gostei – ela sorriu pondo a mão na cintura enquanto Arthur sacudia a cabeça saindo de seu topor.
– Você não vai vestir isso! É muito curto! – ele a encarou de olhos arregalados e ela riu.
– Eu amei essa – ela chamou a vendedora.
– Cisne negro. Ficou lindo. Vai ser esse? – ela perguntou a ela.
– Não! – Arthur protestou.
– Sim – ela disse se enfiando no provador novamente – Arthur você ficou ótimo nessa. Leve – disse de lá de dentro jogando a fantasia sobre a porta.
– Mas... – ele voltou ao provador sem mais protestos imaginando quantas pessoas veriam Lua daquele modo –Tão... Curto... – sussurrou para si mesmo tirando a fantasia e voltando a colocar suas roupas normais.


Esse saiu maaaiooor!Admitam!
Julia:O Patrick tem 12 anos (E já é tão apaixonante!)
Adaline: Gostou deles comprando as fantasias??!
Gente roubar WI-FI é o que tá dando agora. (Meu pai só enrola para instá-lar a NET) *Estou sendo marginal*.
Sempre que conseguir dou um hey aqui.
Comentem por favor!
Kisses -M

OBS:A Dona Cabra realmente existe ela atormentou a minha infância ;(

5 comentários:

  1. Não conheço essa Dona Cabra !. Kkkk
    Posta +++++++
    Ameeii *-*

    ResponderExcluir
  2. Dona cabra Kkkkk
    Tá perfeito, eles são perfeitos, ainda mais comprando as fantasias
    Posta mais, tá perfeita <3
    Xx MilaMozart

    ResponderExcluir
  3. Amei, acho q tem Aguiar com ciúmes hahaha.Posta mais please.

    ResponderExcluir

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo