16 de nov de 2014

Minha irmã adotiva


 
Capítulo 300 


Carla: Thur...Thur...Thur... Sempre atrasado(negou com a cabeça insatisfeita, enquanto observava o mesmo se aproximar da recepção)

Arthur: E você sempre sarcástica.(sorriu irônico)

Carla: Não era isso que você estava dizendo quando estava fazendo um filho em mim.(persistiu)

Arthur podia jurar que estava prestes a dar um soco no rosto “daquelazinha” quando observou uma silhueta máscula, se aproximar por trás de Carla,provavelmente séria o louco de seu namorado.Afinal ninguém certo ao bastante sairia com Carla, ou sairia...Se auto acusou.

Arthur: Preciso assinar algum documento?(indagou, ignorando o comentário maldoso da mesma)

Carla: Ain amor, conhece o pai do meu filho?(indagou com uma irritante voz de “bebê” para um grandalhão)

Até que o rapaz era charmoso! Admitiu Arthur. Um loiro de olhos azuis, alto com braços musculosos e um sorriso que provavelmente “pegaria” muita mulher.

Arthur: Carla, não temos certeza de nada ainda, ok?!(afirmou com a cabeça, desejando não ter que passar por esse episódio em sua vida)

Carla: Eu tenho.(afirmou com a cabeça)

Arthur: Podemos fazer a droga desse exame logo?!(disse por fim)

---: Qual é cara. Não fala assim com a minha namorada.

Arthur teria de admitir que o “grandalhão” também tinha uma voz rouca, capaz de arrancar vários suspiros.

Arthur: (fechou o olhos, molhou seus lábios com a língua e se pronunciou pausadamente) Será que por gentileza podemos fazer a porcaria desse exame?(não conteve o sorriso cínico, que logo brotou em seus lábios)

Bruno: Não sei como Carlinha teve coragem de manter um relacionamento sério com vc, sinceramente.(negou a cabeça com repugnância)

Arthur: Vc acredita que eu também não sei.(cruzou os braços, ainda sustentando um sorriso cínico nos lábios)

Carla: (bocejou com desgosto) Não vim aqui pra ficar vendo vcs dois discutirem como garotos de 13 anos.(revirou os olhos)

Arthur: Então vamos logo colher o sangue.(disse meio que obvio)

Carla: Arthur, meu filho. O médico ainda não chegou, como quer que colham o material?(levou as duas mãos a cintura)

---: Querida! Viemos o mais rápido que podemos.(disse, enquanto entrava aos pulos na recepção da clinica)

Carla: Mamãe, disse que não precisava ter vindo.(revirou os olhos, se sentando em uma,das inúmeras poltronas)

Zuleica: Vc não acha mesmo que deixaria vc sozinha nas mãos desse crápula .(apontou Arthur)

Arthur: Também estava com muitas saudades dona Zuleica.(usufruiu de seu lado irônico)

Zuleica: Vc está em mãos lençóis rapaz!(negou com a cabeça)

Arthur: Ah! Não me venha com essa.(revirou os olhos)

Leandro: Já digo que vc vai ter que arcar com as conseqüências.(disse serio)

Carla: Pai, o que vc está fazendo aqui?(indagou surpresa)

Leandro: Vim dizer a esse irresponsável que vamos exigir uma pensão bem poupuda dele pra sustentar esse filho.(apontou o dedo para o loiro)

Arthur: Então, vcs queriam me dar o golpe?(arqueou uma das sobrancelhas)

Carla: De jeito maneira(fez careta) Vc não acha que eu iria embuchar, permitir que meu corpinho ficasse cheio de estrias, pra de pegar seu dinheiro , néh?! Além do mais procuraria alguém mais rico, e menos apaixonado por pela irmã do que vc, meu caro.(começou a balançar seus pés)

Arthur: Se bem que vc p..(foi interrompido)

Leandro: Olha aqui garoto, vc não acha mesmo que vou deixar que minha filha saia com uma mão na frente e outra nas costas enquanto vc está aproveitando a vida como um garotinha de papai como vc sempre foi.(se aproximou agressivo do mesmo, o pressionando contra a parede)

Ambos, olharam assustados quando sentiram um flash invadir o ambiente.

Um comentário:

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo