11 de nov de 2014

In the future...? - Prólogo




No ano anterior...

O namoro de Lua e Guilherme ia de vento em polpa, ela era feliz e apenas ele era o motivo de sua felicidade. Porque isso? Resumidamente, a vida de Lua em casa com seu pai era o inferno, ela era obrigada a sustentá-lo desde que ele passou de boa pessoa a um desempregado e vagabundo que descontava suas frustrações nas bebidas alcoólicas e em Lua. Apesar de tudo Lua não podia o denunciar, o temor e os problemas que ele causaria se ela o fizesse só iriam piorar as coisas! Assim como ela, todos sabem que a justiça do mundo de hoje não é tão justa para todos... Ela era humilhada por ele, apanhava e o sustentava, porque perante a lei ele era o responsável capacitado a criá-la após a morte de sua mãe.
Ela balança a cabeça para afastar esses pensamentos de sua mente, os únicos momentos de felicidade que ela possuía era com seu namorado, ela sempre perguntava a ele porque ele não podia defendê-la. Sua resposta era sempre a mesma... Ele não queria se meter nestes assuntos familiares.

***

Semanas anteriores...

"-Isso são coisas suas e de seu pai, creio que não devo me intrometer nisso.
-Ele me bate e humilha, você poderia denunciá-lo. Você é como uma testemunha nessa história toda...-Ela fitava-o desesperada, precisava da ajuda dele. Mas como podia denunciar uma pessoa se ninguém queria fazer parte desta história?

-Já disse que não vou me meter nisso, você sabe, ninguém se mete porque não que problemas!-Ele estava nervoso e exaltado, quase vociferava com ela.

-Eu acho melhor eu ir, não quero brigar!-Ela sela os lábios nos dele e vai de volta para sua casa"

Agora ela podia ver, o quão idiota foi por namorar com este covarde. Quando ela finalmente lembra-se dos momentos que eles tinham juntos, até o dia em que ela teve sua primeira vez... Foi com ele, ela o amava porque ele soube esperar, ela achou que ele também a amava até a última conversa que tiveram não saia de sua mente.

"-Eu te chamei aqui para dizer que... Eu estou grávida...-Ela sorria, tinha certeza que ele ia assumir isso e continuar com ela. Seu sonho era que ele a salvasse de seu pai e formassem juntos uma família, mas quem disse que foi assim?

-O QUÊ? Você só pode estar louca... Eu não posso ser pai, não agora. Não vou ser! Tenho uma carreira a seguir, não posso me compromissar com isso.-Ele estava exaltado, saiu de perto dela e começou a perambular o local em círculos.

-Eu não vou tirar esse bebê. Jamais o faria, nem se eu fosse louca!-Ela vociferou e ele riu uma risada rouca, sem graça.

-Não te pedi isso, estou terminando com você.-Ele subiu em sua moto e deixou-a ali."

Podia se lembrar de suas reações, de tudo. Jamais choraria de novo por ele! Isso era uma promessa que ela estava a cumprir, sabia perfeitamente que foi uma idiota em acreditar que o amor cura tudo! 

"-Você é uma puta mesmo! Onde já se viu engravidar com essa idade? Já sei como resolver isso...-Ele disse e sorriu-lhe perspicaz.

-Como, me diz seu velho nojento? Me diz?-Ela gritava chorando, sabia que ele estava pronto para arruinar a vida dela de vez.

-Você vai ser vendida, vou vender você! Pretendia que fosse por um preço melhor, mas você grávida, só me prejudica. Vai ser difícil alguém te querer...-Ele só sabia humilhá-la, essa era a melhor maneira de se livrar dela e conseguir uma enorme quantia de dinheiro mensalmente.

-Você não vai fazer isso...-Ela murmurou com uma rouquidão vocal, as lágrimas desciam como se cortassem-lhe o rosto.

-Ah é? Quero ver quem vai defender a mocinha indefesa. Pobrezinha, quem vai ajudá-la? Vou te vender sim, nem tente fugir, te seguirei até o inferno se for necessário!-Ele era irônico, dizia com falsa pena e esbravejava."

Ainda lhe doía, cada palavra desse cafajeste idiota. Não tanto como na época, agora ela era livre e isso com a ajuda de Mileny... Mileny era uma amiga de Lua, que se inteirou da história e prometeu ajudá-la, tirou-a daquela casa e prometeu que iria mantê-la protegida. Ela ajudou Lua com um novo disfarce(Apenas deixando-a morena e tornando frequente o uso de lentes da cor mel), deixou-a com o mesmo nome e não mudou-o provisoriamente porque com o disfarce já era suficiente para dificultar as possibilidades dele poder encontrá-la.

***

No atual momento Lua estava recostada na poltrona do avião, rumo a Nova York, ela queria viver e se sentir melhor. Esse novo rumo em sua vida prometia novos ares, mas será que é possível parar o sofrimento afastando-se da fonte dele? A resposta para isso estava em sua mente, ela tinha certeza de que ia se livrar dessa mancha de sua vida vivendo longe das causas de seu sofrimento... Agora ela não tinha apenas a si mesma, dentro de seu vente que ainda era um ser inocente, suas pretensões atuais eram ter essa criança e criá-la. Apesar de no momento ter que viver em uma república em Nova York de jovens estudantes e terminar a faculdade.
***

Oi, oi pessoas! Hoje é um dia feliz, não só para mim aposto que é para toda a equipe, como para cada um de vocês. Como prometido, eu venho cumprir, vamos começar com a breve estréia dessa web aqui... Ah, lembrando que esse Guilherme é o Guilherme Leicam, beijos.

2 comentários:

  1. Adoreeeeiii
    Quero capar esse Guilherme :@ covarde :X
    Quero maiss, Polly *-*

    ResponderExcluir
  2. mirella vasconcelos12/11/2014 23:12

    Esse guilherme é um idiota quando a lua mais precisa dele ele termina com ela.tadinha da lu tamare que a lu encontre o thur e eles ficam juntos

    ResponderExcluir

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo