13 de out de 2014

72°The Hunger Games - Time Of Terror


FINAL
-É uma criança?! - Lua pergunta em sussurro  olhando para o corpo encolhido e deu um passo para frente adentrando o quarto.

-Lua! - Arthur chama em um sussurro alerta fazendo Lua parar e voltar a encará-lo.

-É só uma...-Lua começa em sussurros e o choro da criança continua sendo o ruido mais alto a ser ouvido,Arthur a interrompe antes que conclua a frase 
-Nada aqui é só alguma coisa! - Ele fala no mesmo tom de antes.

Lua vai retrucar mas para,quando a ouve falando:

-Lu?É você? - A doce voz infantil da irmã mais nova de Lua,fez ela se voltar para o corpinho encolhido.

-Anne? - Lua pergunta e se dirige para mais próximo da cama.
-Lua..Lua!-Arthur chama em tom maior ainda de alerta mas ela o despreza.
-Anne...porque você está chorando? -Lua pergunta e seus calcanhares encostam nos pés da cama em destroços.

-Você foi embora - A voz infantil fala e os soluços se calam junto a menina.
-Não...eu estou aqui Anne - Lua fala e se inclina para tocar-lhe o ombro.


-Não...-Arthur murmura mais para si mas não consegue impedir o movimento de Lua.


O grito esganiçado de Lua que reverbera pelo local é agonizante ela dá um salto para trás quando a critura,a bestante,que outrora fora sua irmã se transforma em uma criatura horrenda,seus cabelos eram repicados e completamente encebados,possuia cicatrizes por todo o rosto,algumas em carne viva,vestia uma camisola branca gasta e suja,sangue lhe escorria pelas mãos.


Enquanto Arthur fizera essa analise em segundos não reparara que a criatura murmurava coisas enquanto ia em direção a Lua.


"você..." "abandonou" "monstro!" "sua culpa".


Lua estava caída no chão e se arrastava para trás assustada demais para correr.
Quando a criatura insinuou se lançar sobre Lua,Arthur foi mais rápido e atirou uma flecha em direção a criatura,a mira não foi tão precisa já que atingiu o braço ao inves da cabeça,mas fez que a atenção se voltasse para ele, a criatura mostrou dentes para ele,pontiagudos e podres e se lançou contra ele,que rapidamente a chutou no ar,a criatura com o impacto voou para trás batendo contra a parede.

Arthur logo depois atingiu a cabeça com duas flechas,a criatura agonizou por mais algum tempo antes de desaparecer.

Arthur respirou fundo ao ver a criatura se dissipar,quando olhou para o chão,viu Lua encolhida contra a parede,estava com sangue escorrendo do canto da testa,ela tremia,e o choro estava baixo mas incontrolável,Arthur se agachou junto a ela,Lua o abraçou com força contra o corpo,soluçando profundamente,Arthur a abraçou de volta,tentando confortá-la de alguma forma.


-Lua - Arthur sussurrou para ela após algum tempo,quando ela começou a se acalmar

 -Temos que sair daqui...é mais seguro ficarmos lá fora - Ele fala enquanto ajuda ela a se levantar.
-Tem razão - Ela já de pé e leva a mão a testa sangrando -Droga! -Ela murmura com raiva.
-A gente cuida disso daqui a pouco -Ele fala tocando o local com cuidado,Lua levanta o olhar para ele e sorri fraco e ele retribui.

                ...
-Obrigada -Lua fala para Arthur quando ele ajuda ela a se sentar.

Após saírem da casa,andaram em direção contrária da que vieram,encontrar após algum tempo,um beco parecido com o que tinham dormido na noite anterior.


-Por nada - Ele fala e se senta ao lado dela e respira fundo.


-Fala sério você quase me arrastou até aqui -Lua fala em tom de deboche e faz uma careta.
-Não é para menos você estar com dor,não sei como não quebrou a coluna quando caiu no chão -Ele fala e Lua sorri e que logo se transforma em outra careta só que de dor -Você tem que parar com isso -Ela fala e Arthur a encara com o cenho franzido -De salvar a minha vida...estamos em um jogo mortal!Se joga ou me joga... -Ela fala rindo e Arthur abre um sorriso.


-Ainda bem que você não perde o bom humor - Ele fala e Lua assente e depois fala:
-Nem a fome -Ela fala e pisca para ele que revira os olhos e diz :
-Concordo também estou faminto.


Os dois retiram suas mochilas de suas costas,eles separam e começam a comer a comida que tem,mais ou menos na metade da refeição se inicia o anúncio de mortes do dia.


-Parece que além de nós ninguém mais queria morte hoje - Arthur fala debochado quando param os anúncios  e Lua ri. -O que faremos amanhã? -

-Faltam quantos 5? -Lua pergunta 
-6 conosco -Ele fala e Lua assente
-Vamos nos separar 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo