26 de set de 2014

Dangerous Woman - Capítulo 18

                    



Tomei um banho rápido, procurei uma roupa legal, passei bastante perfume
e arrumei meu cabelo no meu convencional topete. Enquanto eu procurava
calçava meu tênis ouvi a buzina do carro de Mika em frente de casa.
Terminei de fechar meu tênis, peguei meu celular e meu relógio que
estavam em cima do armário e sai do meu quarto fechando a porta.

- Mãe eu to saindo com os meninos, não me espere acordada - falei e sei
um beijo na testa dela.

- Filho, não é melhor você ficar em casa? Fica aqui, assiste um filme e
dorme um pouco pra descansar.

- Eu sei o que eu to fazendo mãe, fica tranquila - dei um beijo em minhas irmãs e não esperei resposta

Sai de casa apressado por Mika que não parava de buzinar.

- Seu idiota, olha a hora, não dá pra você ficar buzinado desse jeito -
falei assim que entrei no carro e cumprimentei os meninos com nosso
toque de sempre.

- Desculpa aí, mas a madame estava demorando demais - ele falou dando
partida - É pra passar pegar a Luh ou a gente vai encontrar ela lá?

- Nem uma coisa, nem outra - falei mexendo no celular.

- O que aconteceu? - Chay perguntou franzindo o cenho.

- Eu fiz merda, ela "se vingou" - fiz aspas com os dedos - e agora ta
tudo acabado.

- Mal aí cara - Bernardo disse me dando um tapinha no ombro.

- De boa. Hoje nós vamos sair e vamos fazer como antigamente - falei
sorrindo largamente.

- Competição de quem pega mais? - Mika perguntou animado.

- Exato.

- Ah moleque - ele disse animado - Nós vamos pra boate da Luh?

- Vamos, sempre tem meninas lindas por lá meus parceiros.

Mika acelerou e depois de alguns minutos já estávamos na entrada.
Deixamos as chaves do carro com o segurança da entrada, que era meu
amigo, e nós entramos. Assim que coloquei o pé ali dentro já avistei
várias garotas que eu poderia pegar durante a noite. Uma loira com um
shorts, que mais se parecia com um cinto, e um tomara que caia passou na
minha frente me encarando e rebolando. Eu nem pensei duas vezes e a
puxei para mim dando um beijo que fez com que até eu perdesse até o
fôlego. Separei nossos lábios, ela sorriu safada e se virou saindo, mas
antes eu lhe dei um tapa na bunda e pisquei para ela, que se virou e me
olhou maliciosamente.

- 1 a 0 - falei me virando para os meninos e eles riram, menos Chay, que
estava mexendo no celular.

Ele não havia largado daquele celular desde que eu tinha entrado no
carro em frente de casa.

- Deu para ser anti-social agora? - perguntei rindo estralando o dedo na
frente dos olhos dele.

- Oi? - perguntou confuso - Ah, não. Eu só to falando com a Mel - ele
disse meio sem jeito.

- Esse aí ta todo boiolinha desde que conheceu a irma da Luh . Os dois
trocam mensagens o dia inteiro - Mika disse rindo.

- E que irmã - Bernardo falou safado e quando Chay ameaçou dar um soco
nele eu o segurei.

- Ei, ei, relaxa aí Chay - falei rindo - Faz o seguinte, larga o celular
e vamos pegar a mulherada.

- Arthur eu to de boa. Eu vou sentar ali no bar e beber, na hora que
vocês quiserem ir embora me avisem - ele disse e se virou para ir ao bar.

- Espera aí! Sério isso?

- Sério.

- Então cuida do meu celular vai seu bixa - entreguei meu celular pra elw.

Chay enfiou o meu celular no bolso e foi para o bar. Revirei os olhos e
fiz sinal para que os meninos me seguissem e fomos para a pista de
dança. Eu comecei a dançar e beijar algumas garotas, uma atrás da outra.
Fiquei ali naquele meio de gente por uma meia hora, até que me deu sede
e eu fui até o bar pegar uma bebida.

- Ei gata, pega um drink que seja bom pra mim - falei cantando a
garçonete, que sorriu e foi buscar o que eu havia pedido - E aí cara,
chegou alguma coisa pra mim? - perguntei animado para Chay que ainda
estava falando com Mel.

Na verdade a única coisa que eu queria saber era se Lua havia
tentando falar comigo de alguma forma, fosse por mensagem ou ligação.

- Não cara, seu celular nem apitou pelo que eu vi - ele disse me
entregando o telefone e eu constatei que não havia nada mesmo.

Confesso que fiquei decepcionado, mas não demonstrei. Minha bebida
chegou, eu a virei de uma vez e devolvi o celular para ele, que nem me
deu muito atenção. Voltei para o centro da pista de dança e fui para
longe de uma garota que eu havia beijado anteriormente, não queria ela
atrás de mim a noite inteira. Comecei a dançar atrás de uma garota
morena, quando senti alguém bater no meu ombro. Me virei Anne estava
ali, toda sorridente.

- Vejo que não está acompanhado hoje - ela disse em tom sarcástico.

- Sai de perto de mim garota. Eu quero distância de você - falei com nojo.

- Epa, eu não te obriguei a fazer nada, meu querido - ela disse tentando
se defender.

- Não se faça de santa, porque isso é a única coisa que você não é. Me
erra.

Virei e puxei a garota que estava na minha frente e a beijei, o que no
mínimo deixou Anne com cara de tacho, porque eu a ouvi saindo dali
pisando forte e empurrando as pessoas.

Lua P.O.V.


Na noite anterior Jake havia tentado me levar pra cama outra vez, mas eu
não estava nem um pouco afim e eu o empurrava toda vez que ele tentava
algo mais. No fim ele acabou pegando no sono, mas nem conseguiu me
abraçar pra dormir, porque Karma não deixou e deitou entre nós dois
graças aos céus. No outro dia eu acordei e Jake ainda estava ali. Fui ao
banheiro, fiz minha higiene matinal, troquei de roupa e arrumei meu
cabelo. Voltei para o quarto e Jake ainda dormia feito pedra. Parei ao
lado da cama e comecei a chacoalhar ele com o pé.

- Anda, levanta da minha cama que não era nem pra você ter dormido aqui.

- Realmente, nós deveríamos ter feito outras coisas mais interessantes -
ele respondeu se espreguiçando e se levantando.

Revirei os olhos.

- Vamos, você tem que vazar daqui de casa - falei e sai do quarto sem
nem esperar resposta.

Enquanto eu descia as escadas ouvi a porta do quarto bater e soube que
ele estava vindo. Assim que coloquei o pé no último degrau da escada dei
de cara com Arthur. Nenhum dos dois sabia o que dizer, mas ele ainda
tinha a expressão brava no rosto e eu ainda estava irritado com aquele
babaca, só que ambos pareceram ficar meio moles perto do outro. Nossos
rostos estavam tão próximos.

- Morena eu já estou indo. Me liga - Jake me deu um selinho, deu um
sorriso satisfeito para Justin e saiu.

Ele tinha feito aquilo só pra provocar e Arthur realmente ficou bravo,
tanto que saiu da minha frente furioso em direção a cozinha. Bufei e
resolvi ir para o meu escritório, não estava afim de ter que ficar
olhando para a cara do nervosinho.

Mel P.O.V.


Eu estava em casa terminando um projeto da faculdade quando meu celular
apitou mais uma vez. Era Chay. Involuntariamente eu sorri e o respondi.
Desde aquele dia que eu havia saído com Lua e tinha o conhecido ele
não parava de me ligar ou me de me mandar mensagens. E as mensagens não
eram só uma ou outra por dia, nós ficávamos horas conversando sem nos
cansarmos um do outro.

Digitei mais algumas coisas e logo meu celular vibrou novamente.

"Vamos nos ver? Por favor, eu quero muito te ver"


Fiquei um pouco pensativa em relação a aquele pedido. Ele queria me ver
já faziam alguns dias, mas eu sempre arrumava uma desculpa para não ir.
Mordi meus lábios pensativa.

"Tudo bem vai. Aonde nós vamos?" Respondi.


"Me encontra no café do centro as 15:00. Te vejo lá gatinha"


"Ok. Até lá"

Guardei o celular e me afundei na cadeira, rindo sozinha. Naquele
momento Thomas entrou.

- Feliz? - ele perguntou sem nem me olhar direito enquanto procurava
alguns papéis e livros em uma gaveta.

- Ah, não. Eu estou normal - falei me fazendo de desentendida e voltei
para o meu computador.

- Eu vou ficar em reunião o dia todo. Te vejo mais tarde - ele me deu um
selinho seco e saiu.

Larguei do computador e peguei meu celular novamente, relendo minhas
mensagens. Salvei o que já estava feito do meu trabalho e guardei meu
computador. Eu precisava me arrumar.

Olhei no relógio e já eram 14:30. Corri para o meu quarto e fui direto
para o banheiro. Tomei banho e sai de toalha tropeçando nas minhas
roupas. Revirei meu guarda-roupas até que consegui achar um vestidinho
rosa que eu gostava. Eu quase nem o usava mais, porque Thomas achava que
era muito simples. O vesti e calcei uma sapatilha preta. Prendi minha
franja para trás, só pra não deixar o cabelo cair no rosto e passei só
rímel e batom, não estava com animo para carregar na maquiagem e ainda
era dia. Peguei uma bolsa pequena e coloquei meu celular ali dentro.
Desci as escadas e quando passei pela cozinha vi Rose, a empregada.

- Rose - chamei e ela se virou para mim - se o Thomas perguntar de mim,
diga que eu fui para a casa da Lua e que volto mais tarde.

- Tudo bem dona Mel - ela disse sorrindo para mim.

Acenei para ela e sai de casa. Cheguei na garagem e vi meu carro ali,
mas eu não estava com nenhum pingo de vontade de dirigir. Resolvi então
pegar um táxi. Perto de casa tinha um ponto de táxi e eu resolvi ir
caminhando até ali. Depois de alguns minutos esperando, um cara apareceu
e eu agradeci aos céus, porque já eram quase 15:00. A cada quarteirão
que o carro avançava meu coração acelerava cada vez mais e parecia que
iria pular pela minha boca. Assim que o taxista parou o carro, eu paguei
a corrida e desci do carro. Fiquei parada, travada em frente ao café sem
conseguir dar um passo em frente, até que eu vi Chay sentado em uma mesa
dentro do café e assim que ele me viu, abriu um sorriso lindo e veio em
minha direção.

- Você apareceu - ele me abraçou.
Eu retribui o abraço, tinha sentido falta dele. Assim que ele me soltou
eu sorri.

- Como prometido.

Fomos até uma mesa e nos sentamos um de frente para o outro, ficando bem
próximos. Fizemos nossos pedidos e Chay ficava me fazendo rir com suas
palhaçadas e logo nossos pedidos chegaram.

- Como você consegue tomar isso? - ele perguntou fazendo uma careta
engraçada quando dei um gole no meu café puro, eu nunca gostei de açúcar.

- É bom ué - respondi rindo - Ficar estudando até tarde me rendeu esse
vício em cafeína.

- Você é doida - ele bebeu seu suco depois de colocar umas cinco
colheres de açúcar no copo.

- E você é uma formiga - falei rindo.

- Doce é bem melhor do que amargo.

- Eu não acho - falei fazendo cara desafiadora e cruzei meus braços.

- Bom, isso é o que eu acho. Mas e aí, como anda o seu... noivo? - ele
perguntou com certa aversão na voz.

Eu havia explicado para Chay que eu iria me casar, mas ele continuou
insistindo em conversar comigo normalmente, e Thomas era raramente
citado em nossas conversas.

- Está bem. O casamento vai ser em alguns dias - falei desviando o meu
olhar do dele e olhando para o café minhas mãos.

- Entendo - ele falou em um tom sério - Posso te fazer uma proposta?

- Eu tenho até medo, mas pode - falei brincando ao perceber que ele
tinha voltado ao normal.

- Você me acompanha? Eu quero te levar em um lugar.

- Você quer me levar pra onde? - franzi o cenho.

- Isso eu já não posso te contar.

Pensei um pouquinho e ele ficava fazendo carinha de cachorrinho pidão.

- Tudo bem, eu vou com você - respondi vencida.

- Aee - ele levantou os braços comemorando no meio do café, o que me fez
rir mais ainda e fez com que todos do café nos olhassem.

Eu gostava de estar na companhia de Chay, era agradável e fazia eu me
esquecer um pouco dos meus problemas. Terminamos nossas bebidas, ele
pagou a conta (porque quando eu fui tentar fazer isso eu quase fui
linchada) e nós saímos dali. Caminhamos por um tempo enquanto
conversávamos, era incrível como nunca faltava entre assunto, até que
chegamos em uma praça muito bonita, que eu nunca tinha visto, mesmo
morando em Toronto havia muito tempo. Era lindo o lugar, com laranjeiras
espalhadas por tudo, um parquinho para crianças, um lago e vários bancos
brancos.

- É aqui? - perguntei e ele fez que sim com a cabeça - É lindo! - falei
encantada olhando ao redor.

- Eu vinha aqui com a minha mãe para brincar no parquinho e depois de
alguns anos eu vinha com os meninos pra andar de skate. Eu gosto muito
daqui - ele disse vindo do meu lado - Vem, vamos andar um pouquinho.

Ele me ofereceu a mão e eu a segurei forte. Ele me mostrou o parque todo
e conforme andávamos ele me contava tudo que já havia aprontado por ali.
Nos sentamos em um banco que ficava em baixo de uma árvore e de frente
para o lago. Ficamos um tempo em silêncio apenas observando os patos no
lago e as crianças brincando ao longe.

- Mel - ele disse me chamando a atenção e eu me virei para ele - eu
precisava te falar uma coisa. Não é fácil, mas eu preciso te falar, tudo
bem?

- Claro, pode falar.

- Eu sei que a gente se conhece há bem pouco tempo e tudo mais, mas
desde que eu te vi naquela festa, eu não sei, mas eu me senti diferente.
Você me encantou de primeira e eu... eu gosto de você. Isso é novo pra
mim, mas eu gosto de você, eu gosto da sua companhia, de ter você perto,
de tudo. É isso.

Ele me olhou e eu estava em choque. Meu rosto estava tão próximo do
dele. Chay foi se aproximando lentamente, até que nossas respirações
estavam se misturando. Ele encostou os lábios nos meus com delicadeza,
parecia que sentia medo de eu fugir, mas eu não fiz isso. Ele segurou em
minha nuca e aprofundou o beijo. A sensação era maravilhosa, meu
estômago parecia ter borboletas voando por ele, mas eu afastei nossos
lábios um pouco, não nos distanciando totalmente.

- Eu também gosto de você - ele sorriu - e esse é o problema. Eu não
posso fazer isso Chay. Me perdoa.

Levantei e sai correndo, pude ouvir Chay vindo atrás e eu acelerei o
passo. Corri até um táxi que estava parado logo em frente.

- Acelera moço, por favor!

O cara fez o que eu pedi e saiu cantando pneu. Pude ver Chay correndo
até aonde o táxi estava e ele colocando a mão na cabeça. Meu celular
tocava incessantemente e eu resolvi desligado, porque se não eu acabaria
atendendo. Passei o endereço para o taxista e ele assentiu.

Eu gostava de Chay, essa era a verdade, mas eu não podia jogar tudo para
o alto, não podia jogar meu casamento e todos os planos que eu passei
anos fazendo para o alto como se não fossem nada. Eu deveria deixá-lo
ir, era o melhor que eu poderia fazer.

Natalie's P.O.V.


A semana passou rastejando e quando eu vi, já estava quase no dia do
casamento de Mel, no qual, só para lembrar, eu seria madrinha junto com
Arthur. Eu e ele mal nos falávamos durante os dias que passaram, juro
que não fiquei muito surpresa, porque ambos éramos orgulhosos.

Eu estava no escritório quando o interfone tocou na minha sala.

- Oi? - perguntei enquanto terminava de separar algumas notas para pagar
propina aos policiais.

" - Chefe, aquela sua amiga está aqui" - o porteiro disse.


- Você não precisava nem interfonar para isso, deixa ela entrar Johnson.
" - Ok, estou abrindo."

Guardei o dinheiro em um envelope e o coloquei na ultima gaveta da minha
mesa, a trancando por segurança. Sai do escritório e fui para a sala
encontrar Mel. Chega do lá eu vi minha irmã sentada com os olhos
inchados e vermelhos de chorar e corri até ela.

- O que aconteceu? Mel você ta bem? Me fiz alguma coisa! - falei
preocupada me sentando ao lado dela no sofá.

Ela não me respondeu nada e apenas me abraçou, se afundando em meus
braços e chorou mais do que antes. Eu a apertei fazendo carinho em seu
cabelo e aos poucos ela foi cessando o choro.

- Agora você pode me explicar o motivo de você estar nesse estado? -
perguntei.

Ela levantou os olhos para mim e se ajeitou.

- O Chay...

- O que ele fez? Ele aprontou com você? Eu vou matar aquele...

- Não Luh! Mana, eu sou a errada dessa vez - ela abaixou a cabeça -
Ele... ele gosta de mim.

- Isso eu percebi desde o começo, mas qual é o problema nisso?

- É que eu também gosto dele - ela falou tão baixo que eu tive que ler
os lábios dela.

- Continuo não vendo problema nenhum, na verdade, eu até gostei disso,
ou melhor, eu adorei - falei sorrindo.

- Você não vê Lua? Eu não posso jogar fora tudo o que eu tenho
planejado há anos por causa de um cara. Seria vacilo demais.

- Seria vacilo você abandonar tudo isso pela sua felicidade? Mel, eu
quero te ver bem e se o Chay te faz bem, qual o problema de largar tudo
por ele? Você sabe que eu vou sempre estar ao seu lado, pra tudo.

- Eu sei mana, mas eu já me decidi, eu não vou largar tudo. Eu não
posso - ela limpou as lágrimas e se ajeitou no sofá - A costureira me
ligou e disse que o seu vestido já está pronto, é só você ir buscar.
Você vai ser a dama de honra mais linda que já existiu - ela sorriu sem
mostrar os dentes.

- Você que vai estar maravilhosa mana, pena que eu não posso dizer o
mesmo sobre o noivo - falei torcendo o nariz.

Ela me empurrou de leve para o lado e nós rimos juntas.

- Obrigada por me socorrer Luh, eu não consegui pensar em outra pessoa
a quem recorrer que não fosse você.

- Ainda bem que você não se esquece de mim - falei sorrindo.

- Jamais - ela de levantou e colocou a bolsa no ombro e eu fiquei de pé
em frente dela - Obrigada por tudo mana - ela me abraçou e eu apertei.

- Eu não fiz nada além do meu papel de mana. Se cuida.

Eu a acompanhei até a saída, enquanto fazia propostas tentando a
convencer de ficar um pouco mais, mas ela negou todas e eu acabei
desistindo e a deixando ir. Voltei para dentro de casa e dei de cara com
Arthur.

- Suas encomendas já chegaram e estão lá no balcão - ele falou sério,
sem um pingo de emoção na voz.

- Obrigada - ele ia saindo dali quando eu entrei na frente - Não se
esqueça de que sábado é o casamento da Mel e você é o meu acompanhante.
19:00. Esteja pronto as 18:30 que nós vamos juntos daqui de casa até a
igreja. Sem atrasos.

- Sim senhora - ele continuou sério - Posso me retirar agora?

- Pode sim. Vá lá fora com os rapazes os ajudar.

Ele assentiu e saiu sem nem luar para trás.

(...)

O sábado chegou e já começou agitado. Como eu não estava com a menor
vontade de sair de casa, liguei para o meu cabeleireiro e ele trouxe
praticamente todo o salão para a minha casa. Eu havia mandado um dos
meus seguranças buscarem o meu vestido na costureira e agora ele já
estava sobre a minha cama. Eu passei a tarde inteira fazendo, unha,
depilação, fiz a sobrancelha, cabelo e tudo o que fosse possível,
enquanto Karma rolava com os seus brinquedinhos pelo quarto.

Quando vi, já eram mais de cinco e meia e eu precisava começar a me
trocar. Coloquei meus acessórios, um colar que havia sido da minha mãe e
coloquei o vestido. Ele era realmente maravilhoso: lilás, longo, com uma
fenda até a metade da coxa e tinha um ombro só. Olhei no relógio e já
eram 6:35, Arthur já devia estar me xingando lá em baixo. Dei uma última
checada no espelho, peguei minha bolsa e segui em direção a sala.

Arthur P.O.V.

Lua tinha enchido tanto o meu saco para que eu não me atrasasse, mas
ela mesma estava atrasada. Eu já estava impaciente andando de um lado
para o outro, enquanto Joe e Kenny me observavam em silêncio.

Ouvi passos na escada e Lua finalmente apareceu. Ela estava linda
como de costume, mas eu continuava puto com ela, por isso eu preferia
nem olhar direito.

- Vamos meninos. Eu vou com Arthur em um carro e vocês ficam vigiando do
lado de fora como fizeram no jantar de noivado - Lua disse parando
ao meu lado enquanto digitava algo no celular.

- Belez... - fui interrompido pela porta da sala se abrindo.

Jake entrou por ela vestido todo engravatado e com o sorriso sarcástico
que me irritava de sempre.

- O que faz aqui? - Lua perguntou tão confusa quanto todos da sala.

- Eu vim te acompanhar no casamento, que pergunta besta morena - ele
respondeu como se fosse óbvio.

- Eu não sei se você sabe, mas eu sou o acompanhante dela, Jake - falei
me intrometendo.

- Você é o acompanhante dela no altar e só, Aguiar. Vamos morena.

- Que seja - Lua falou bufando - Você vai no seu carro e eu vou com
o Arthur.

- Não senhora. Ele vai dirigir e eu vou junto com você no banco de trás.
Ele vai de chofer - Jake falou guiando Lua para fora da casa.

Como habitual, eu estava com vontade de estourar a cara daquele
desgraçado, mas eu teria que manter a compostura e Lua também havia
concordado com aquilo. Peguei as chaves do carro e sai, encontrando Jake
e Lua me esperando, enquanto Kenny e Joe já estavam na Range.
Respirei, contei até dez e repeti mil vezes pra mim mesmo que eu devia
me controlar. Destravei o carro, Jake entrou de um lado deixando Lua
para fora. Ela foi abrir a porta, quando eu corri até ela e a abri.
Lua sorriu tímida e entrou. Entrei no carro também tomando o
volante. Eu não olhava para trás, porque o fato de Jake estava ali fazia
meus nervos quase explodirem, mas em alguns momentos eu não conseguia
evitar parar meus olhos em Lua, que algumas vezes retribuía os
olhares sem jeito, mas ela parecia continuar meio brava comigo e eu não
tirava a sua razão, mas eu também tinha motivos para estar puto.

O caminho foi todo em silêncio e Kenny e Joe nos seguiam sem perder o
nosso carro de vista. Chegamos na igreja, eu parei o carro na mesmo
quarteirão do lugar, Kenny e Joe estacionaram um pouco mais longe para
ficarem de vigia. Desci e abri a porta para Lua a ajudando a descer
do carro. Jake saiu e assim que ia pega-la pelo braço eu o impedi.

- Agora eu levo ela, amigo. Eu sou o acompanhante - pisquei para Jake e
ofereci a mão para Lua.

Ela revirou os olhos bufando e pegou na minha mão. Pude perceber os
olhos de Jake faiscando de ódio, o que me deixou até mais feliz. Já
estávamos no horário para entramos e nos arrumarmos no altar com os
outros. Lua foi para junto das garotas para elas entrarem primeiro e
eu fui com os caras. Eu nem os conhecia, eram provavelmente todos amigos
de Thomas, eu só estava ali no meio porque Lua julgava todos os
amigos do noivo de Mel como trogloditas igual a ele e na época ela não
aceitaria outra pessoa que não fosse eu, mas ultimamente eu duvido que
se ela tivesse a oportunidade ela me trocaria sem nem pensar duas vezes.
As músicas começaram e as garotas entraram com seus buquês de flores nas
mãos. Uma mulher baixinha com um terno e um tipo de microfone no ouvido
veio nos chamar para organizarmos a fila e entramos também, achei melhor
obedece-la antes que ela desse a louca, geralmente organizadoras de
festas são meio perturbadas. Ri dos meus próprios pensamentos. Entramos
na igreja com todos nos observando e a mulher havia nos dito para irmos
para o lado esquerdo do altar e assim todos fizemos. Lua não me
olhava. Thomas entrou e parou em seu lugar a beira do altar para esperar
a noiva que deveria entrar logo em seguida. Mas não foi exatamente isso
o que aconteceu. Passaram-se dez, quinze, vinte minutos e nada de Mel
aparecer. Depois de quarenta e cinco minutos todos da igreja já estavam
ficando impacientes, inclusive Lua, que batia o salto impaciente no
piso de mármore da igreja. Meu celular começou a vibrar fervorosamente
no meu bolso e eu fui até um canto atender e pude perceber Mel me
acompanhando com os olhos.

- Alô?

- Arthur! - era Chay

- Oi cara. Por que ta me ligando nessa hora? Eu to aqui no casamento. O
problema é que a Mel não apareceu até agora - eu tentava falar baixo,
afinal eu estava dentro de uma igreja.

- Então, era exatamente sobre isso que eu queria falar com você - ele
falou em um tom meio diferente.

- Chay o que você aprontou? - perguntei franzindo o cenho.

- Eu... - ele foi interrompido como se alguém estivesse arrancado o
celular dele - ARTHUR! - agora era a voz de Mel - Arthur esse maluco
apagou o meu motorista e me sequestrou e agora eu não tenho nem ideia de
onde eu estou! Eu preciso de... - o celular foi tirado da mão dela -
Agora você já sabe - era Chay novamente.

- Você é doido? Todo mundo aqui está impaciente e você está com a noiva
em sei lá aonde - falei mais baixo do que antes para que ninguém pudesse
me ouvir.

- Eu não podia deixar ela casar, não podia. Eu liguei só pra te avisar.
Depois a gente conversa direito. Tchau parceiro.

- Tchau maluco - falei rindo.

- Quem era? - Lua falou aparecendo ao meu lado me dando um susto e
fazendo que eu colocasse a mão no peito.

- Chay - falei seco guardando meu celular.

- O que ele queria? - ela perguntou insistente.

Eu parei para a analisar. Ela estava parada na minha frente com as mãos
na cintura batendo o salto impacientemente como estava fazendo antes. De
repente uma ideia meio insana passou pela minha cabeça. Olhei para o
primeiro banco, aonde Jake estava sentado e depois olhei para Lua
novamente, que ainda estava a espera de uma resposta. Quando percebi que
todos estavam distraídos, em um ato de insano, peguei Lu, a
coloquei no ombro e fui saindo dali com passos apressados.

- O QUE VOCÊ ESTÁ FAZENDO? ME SOLTA. ME SOLTA ARTHUR - ela esperneava
tentando se soltar, mas eu só andava mais rápido.

- Aguiar! - ouvi os gritos de Jake e comecei a correr com ela em meu ombro.

Cheguei no carro, coloquei Lua no banco de trás, peguei o volante e
acelerei ao máximo quando Jake quase nos alcançou.

- VOCÊ ESTÁ LOUCO? AONDE VOCÊ ESTÁ INDO?ARTHUR PARA ESSA MERDA OU PELO
MENOS ME RESPONDE PRA ONDE VOCÊ ESTÁ INDO - ela berrava quase estourando
os meus tímpanos.

- Você logo saberá - apenas respondi e continuei acelerando para longe dali.



          

                             Feliz LuAr Day e pra comemorar esse dia especial fiz esse capítulo enorme e cheio de emoção para vocês espero que gostem é até o proximo #LuArDay3anos





Anônimo
Aii eu tb prefiro o damon, vc ta ansiosa pela 6 temporada ??? Pq eu estou haha.
Sua web ta maravilhosa, parabéns, posta mais um hj por favorrr.
Bjoss
Ass: vic

Resposta:  Cara eu to quase subindo pelas paredes de tanta ansiedade sendo que eu quase me machuquei quando eu fiquei sabendo da estreia da 6 temporada kkk. Obrigado, posteei



12 comentários:

  1. A web ta o otima!!! vcs já assistiram o clipe da Lua com o Kevin white, ta super lindo assistem no youtube

    ResponderExcluir
  2. Vai demorar para lua e o thur voltarem ?
    Posta maiss ++++

    ResponderExcluir
  3. "Organizadoras de festas são meio perturbadas" KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK scrr!
    Não demora pra postar, pleaseee!
    Amando! ♥

    ResponderExcluir
  4. Posta mais ,to morendo de curiosidade,vai demorar pra luar voltar???

    ResponderExcluir
  5. Mais,isso Thur lute pela sua Mulher ,Luinha larga esse idiota do Jake xXxAdriana

    ResponderExcluir
  6. Você tá mandando super bem baby.
    Lua e Arthur são muito orgulhosos, ficam com essa bobeira.
    Esse Arthur é maluco Kkkk
    Eles voltam no próximo capítulo?
    Xx Mila Mozart

    ResponderExcluir
  7. Muito bom sua web é fantastica eu amo ela
    Parabens.....mary

    ResponderExcluir
  8. Posta ++++++++
    Ameeii *-*
    Arthur e Chay, dois malucos !. Kkkkkk
    E eu estou com nojo desse Jake !.

    ResponderExcluir
  9. Já estava com saudade dessa web! Queria maratona *-*

    ResponderExcluir
  10. Ooooi, sou nova no seu blog,e to amando sua web, continue 😉😍❤

    ResponderExcluir
  11. mirella vasconcelos28/09/2014 23:03

    Posta ++++++++++++++++

    ResponderExcluir
  12. Posta mais pelo amooooooooooooor. Quero LuAr juntos de novo. A Lua vai ficar gravida do Thur? Seria lindo *----*

    ResponderExcluir

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo