22 de ago de 2014

Your bed or mine? - Capitulo 7 - THE PERFECT FIT - Part.5

Hey amores! :)
O que vocês estão achando dessa ' Nova Sarah ' ? O.o
Bjks :** 
" Fanfic movida a comentários. "




Com as têmporas latejando depois de ter tentado em vão afogar as mágoas com sua tequila, Arthur ergueu a cabeça do travesseiro com esforço. Olhou para seu celular tocando na mesinha de cabeceira do quarto do pequeno HOTEL para onde fora, nos arredores de New Hope. Pegando-o, olhou para o visor, onde leu "Micael". Era Sophia.
Não, de maneira alguma falaria com ela. Sophia diria que era tudo culpa de Sarah, como Lua fizera. Era a história que manteriam. Ele atirou o aparelho de volta na mesinha de cabeceira. Não falaria com Sophia . Não queria ouvir mais mentiras.
...
Depois de várias tentativas frustradas de ligar para Arthur , Sophia pousou o telefone sem fio na mesa e soltou um suspiro.
— Ele não está querendo mesmo atender. E claro que já viu que sou eu pelo visor e não quer falar comigo. Até desligou o aparelho depois de um tempo, pois a ligação começou a cair direto na caixa postal. Nem preciso dizer que de nada adiantaria eu lhe deixar uma mensagem para me ligar de volta.
Algo ocorreu a Sarah de repente, um fio de esperança surgindo no semblante ansioso.
— Ei, como ele não está no centro, será que não se deu conta de seu erro por conta própria e já voltou para casa?
— Duvido muito. Além do mais, eu teria ouvido o jipe dele chegando, se fosse o caso. A casa está escura. Lua provavelmente já está dormindo depois do chá de ervas que lhe dei para preparar. Arthur deve ter ido para um hotel, ou algo assim.
Sarah engoliu em seco, o olhar angustiado.
— O que farei agora? Preciso reparar esse erro de qualquer maneira.
— Acalme-se, sim? Você fará isso. E, para começar, acho que precisa contar a Lua que o seu irmão foi o responsável pelos te­lefonemas e a foto.
— Acho melhor contar a Arthur primeiro.
Sophia abriu-lhe um sorriso encorajador.
— Ora, você pode contar aos dois. A festa de Quatro de Julho só começa ao meio-dia. Espero você aqui na minha casa amanhã às dez horas. Já terei explicado tudo a Melanie antes disso. É bom termos mais uma aliada. Melanie e eu estaremos aqui ao seu lado quando você contar a Lua tudo o que me disse esta noite.
...
Na manhã de sábado, Lua repassou na mente o que falaria a Arthur quando voltasse para casa no domingo para lhe dizer que queria o divórcio. Bem, se ele não soubesse, em seu coração, que ela jamais o trairia, então concordava que não deviam ficar juntos. Mas queria muito que ele acreditasse em sua palavra.
O telefone tocou, interrompendo-lhe os pensamentos, e Lua pegou-o de imediato. O telefone sem fio que deixara ao lado de sua cama a noite inteira e que mantivera a seu lado desde que acordara. Só para o caso de Arthur ter ligado.
Mas era Sophia .
— E então? Como está? Conseguiu dormir ontem à noite?
— Sim, graças ao seu chá milagroso. Eu me deitei as nove e dormi feito uma pedra.
— Teve alguma notícia de Arthur ?
— Não. — Lua soltou um suspiro. — Ele disse que estaria em casa no domingo, acho que é quando o verei.
— Venha tomar uma xícara de café e conversar um pouco.
Sophia desligou sem que Lua tivesse chance de lhe dizer que tinha um compromisso. Antes que a festa de Quatro de Julho começasse, queria ir até um novo condomínio residencial, não muito longe de Woodberry Park, para conhecer o lugar e obter informações.
Refletira sobre a situação cuidadosamente. Se ela e Arthur se di­vorciassem mesmo, decidira dar a ele Simon e a casa. Não estivera brincando quando dissera a Sarah que não suportaria continuar morando de frente para ela. Mas não era a única razão para dar a casa a Arthur.
Era a coisa certa a fazer.
Ela morava num pequeno apartamento quando conheceu Arthur. Mal conseguira pagar o aluguel com o que ganhava escrevendo artigos como free lancer para várias revistas e trabalhando ocasio­nalmente como secretária através de uma agência de serviço tem­porário.
Não tivera um níquel em economias e não contribuíra em nada para a compra daquela casa. O sucesso de seus livros infantis che­gara depois. Graças a Simon.
E, agora, graças a ele, estava em excelentes condições financei­ras. Podia até comprar sua própria casa.
Simon. Seu doce e adorado Simon. A ideia de deixá-lo partia-lhe o coração, quase tanto quanto perder Arthur o faria.
Lua pegou o telefone sem fio a fim de ligar de volta para Sophia . Pensou melhor a respeito. Talvez Sophia e Melanie fossem de carro até o condomínio com ela. Sabia que as leais amigas a apoiariam, não importando o que acontecesse. Que a ajudariam a se reerguer quan­do desmoronasse.
Por mais que amasse Arthur, porém, não desmoronaria. Fez aquela promessa a si mesma enquanto atravessava a rua.
...
Lua estava prestes a contar seus planos quando Sophia a inter­rompeu abruptamente e lhe indicou que se sentasse à mesa.
— Melanie lhe servirá uma xícara de café. Volto num instante.
Ela deu de ombros e sentou-se. Notou que Melanie adiantou-se de­pressa até a cafeteira elétrica, evitando seu olhar. Foi quando per­cebeu que havia algo errado.
— Melanie, não sou tola. Diga-me o que está acontecendo.
"O que estava acontecendo" entrou na cozinha.
Lua lançou um olhar a Sarah e saltou da cadeira.
Sophia apontou-lhe um dedo com ar severo.
— Sente-se de volta e não diga uma palavra. Sarah tem algo a lhe contar. E você vai ouvi-la, mesmo que seja necessário que eu e Melanie a seguremos à força.
— Nem sei lhe dizer o quanto lamento Lua — suspirou Sarah depois que terminou de lhe contar tudo que dissera a Sophia na noite anterior. — É capaz de me perdoar?
Lua meneou a cabeça finalmente.
— Sim.
— Obrigada.
Lua levantou-se e estendeu-lhe a mão.
— Vamos fazer as pazes?
— Claro. — Sarah apertou-lhe a mão com evidente alívio.
— Mas isso não significa que eu não gostaria de esganar seu irmão.
— Somos duas.
Todas se sentaram à mesa, então, com xícaras de café fumegante, enquanto Sophia falava a Lua sobre a determinação de Sarah de explicar tudo a Arthur , contando sobre as tentativas frustradas de entrarem em contato com ele na noite anterior.
Lua franziu o cenho.
— Se Arthur não estava no centro de treinamento, onde se meteu, afinal?
...
Bruno Mars - Talking To The Moon
Em seu quarto de hotel, Arhtur ponderava que os drinques da noite anterior não apenas não tinham contribuído em nada para fazê-lo esquecer da foto como também o haviam feito acordar com uma terrível dor de cabeça. Ele ligou o celular, vendo que havia mais de dez chamadas não atendidas. Bem, Sophia tivera de desistir depois que ele desligara o aparelho.
Aquelas vizinhas intrometidas tinham de parar de interferir na vida dele e de Lua. Era por aquele motivo que não tinha a menor intenção de aparecer na festa de Quatro de Julho. Não queria que Sophia ou Melanie o puxassem de lado, tentando influenciá-lo.
Já tomara sua decisão. Sabia o que tinha de fazer. Para o seu bem e o de Lua.
Mas seria difícil para ele? Oh, sim. Arthur fez uma careta só em pensar a respeito.
Apenas esperava que Lua entendesse o quanto o que ele teria de fazer seria difícil. Soltou um longo suspiro.
Jamais poderia mostrar a cara em Woodberry Park outra vez depois daquilo.
...
Lua procurou o rosto de Arthur na multidão a tarde toda. A festa nó clube local foi animada, repleta de atividades, concursos, cam­peonatos, sorteios e coroada pelo tradicional piquenique, mas Lua não conseguiu se divertir. Seu coração ficou apertado, cada vez mais ciente da ausência de Arthur , do quanto lhe fazia falta.
Ainda não deixara de procurar por ele à noite, esperando que aparecesse a qualquer momento, quando, finalmente, foi realizada a espetacular queima de fogos de artifício.
Era a parte favorita dela da festa.
E foi também quando aceitou finalmente que Arthur não apare­ceria. Nem para ver os fogos. Nem para levá-la para casa.
...
Tão logo a queima de fogos terminou, Sarah começou a procurar Lua . Enfim, avistou-a, já seguindo na direção da saída do clube... Sozinha. Correu para alcançá-la, e Lua não disse nada quando começou a caminhar a seu lado.
Mas Sarah não se importou. Embora se sentisse péssima por ter causado discórdia entre ela e Arthur , sabia que Lua sentia-se muito pior. Conhecia aquele tipo de dor. Sabia como era estar sozinha, quando todos os demais tinham alguém e estavam felizes.
Era involuntariamente a responsável pelo problema e ajudaria Lua a enfrentá-lo. Nem que fosse ao menos para caminhar com ela até em casa.
Lua, enfim, lançou-lhe um olhar momentos depois de terem deixado o clube para trás.
— Apenas porque fizemos as pazes não significa que seremos grandes amigas. Acho que sabe disso tanto quanto eu. Assim, não precisava caminhar comigo. Não quero caridade.
— Não se vanglorie — retrucou Sarah. — Não estou caminhan­do com você. Você é que está caminhando comigo. — Sua intuição estivera certa. A última coisa que Lua queria era compaixão. E ela não a demonstraria.
Na verdade, ambas eram bastante parecidas. E era uma das principais razões para sempre estarem batendo de frente uma com a outra.
— Você é sempre tão irritante?
— Sempre. Exatamente como você.
Lua soltou um grunhido de desdém, mas não discordou. Caminharam por mais alguns minutos pelas ruas do bairro em silêncio, até que ela disse:
— Não que seja de sua conta, mas vou dar a CASA a Arthur.
— Já mencionou isso. Você não suportaria viver mais na casa em frente a minha. Lembra?
Lua parou e pousou as mãos nos quadris.
— Está certo. Estou cansada de fazer rodeios e, portanto, vamos direto ao assunto. Quero isto esclarecido de uma vez por todas.
— E o que é?
Lua estreitou os olhos.
— Você sabe exatamente o que é. Arthur ! Quero a verdade. Você está interessada em Arthur, ou não?
Sarah não pôde se conter. Explodiu em risos. Foi à coisa errada a fazer.
— Como ousa rir de mim! — gritou Lua furiosa.
— Não pude evitar — respondeu Sarah calmamente. — É uma grande tola se não consegue enxergar que Arthur Aguiar está perdidamente apaixonado por você. Ele fica com aquela expressão so­nhadora de quem não pode viver sem você cada vez que a olha! É o bastante para embrulhar o estômago de uma pessoa.
Lua fitou-a com aturdimento.
— Expressão sonhadora? — Abriu, então, um sorriso. — É mesmo?
Sarah revirou os olhos.
— Sim, é mesmo — disse com impaciência.
As duas prosseguiram com a caminhada.
— Então, você não está realmente interessada em Arthur ?
— É claro que não. Teria de ser maluca para estar interessada em um homem que adora outra mulher.
— Que adora? — Lua tinha um sorriso de orelha a orelha agora.
Sarah sacudiu a cabeça e adiantou-se até sua CASA sem dizer mais nada. Estava quase chegando à porta quando Lua gritou seu nome do outro lado da rua. Ela virou-se.
— Sim?
— Obrigada por ter caminhado comigo até em casa — disse Lua e acenou-lhe.
Imagine só, pensou Sarah com um sorriso enquanto destrancava sua porta. Talvez houvesse esperança de que ela e Lua pu­dessem eventualmente tornar-se grandes amigas.
...



Sarah decidiu, contar pra Arthur \Õ/ mas com ele meio chapado será que vai acreditar?
Morrendoooooo :C
Awm Viih *-* que venha uma reconciliação >.< ahhh eu apegada u.u kkkkkk bjus, de nada, eu adoroo suas Fanfic *O*
Resposta: Ahahaha' Calma mlhr! ahuahuas, tudo vai acontecer no tempo certo! u.u Obg amr, bjs! : ** Obg por comentar!

Weeee perfeita super apegadaaaa... Postaaa maiisss!!

Resposta: ahahaha' <3 Bjs! ; ** Obg por comentar! 
Aí meu coração posta mais . Já quero o thur pedindo mil e 2 desculpas a lua ... mais ele já deve estar bêbado demais para atender o cell e voltar pra casa sozinho Xx adaline

Resposta: kkk' mds, será que ele vai pedir desculpa? *o* Acho que não hein?! ahauhsua... Bjs ; ** Obg por comentar!

11 comentários:

  1. Posta mais
    Por favor por favor por favor por favorzinho

    ResponderExcluir
  2. Aí meu coração , estou chorando eu ñ acredito q o thur vai embora de novo . Se ele fizer isso com a lua eu mato ele ... Xx adaline posta mais , mais e muitooooooo mais :-)

    ResponderExcluir
  3. Amandoooooooo!! Posta outro hojeee.... !!

    ResponderExcluir
  4. Ele tem que voltar

    Hellen

    ResponderExcluir
  5. Meu s2 num guenta não, Viih :'( que homem mais turrão esse Arthur nam Armaria --' kkkkkk
    Eu acho que essa Sarah é bipolar o.O pq uma pessoa mudar assim da aguar pro vinho, é suspeito :|
    Mais tô viciadaa nessa fic <3

    ResponderExcluir
  6. Ai q lindo!!! Elas vão ser amigas né?! Claro q sim, elas são tão fofas juntas!!
    O Arthur e a Lua tem q voltar logoo... eles são tão perfeito juntos *-*
    Xx Beca

    ResponderExcluir
  7. mirella vasconcelos23/08/2014 11:57

    O thur tem que voltar logo pra casa e ouvir a lua e confiar mais nela

    ResponderExcluir
  8. eles tem que fazer as pazes

    Ana

    ResponderExcluir
  9. Sarah simpática? será?

    ResponderExcluir
  10. casal encrenqueiro e apaixonante
    ameeeeeeeeeeeei

    ResponderExcluir
  11. Essa fic é ótima merece mil temporadas

    ResponderExcluir

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo