18 de ago de 2014

38° Unidos por uma criança // QUERIA QUE VOCÊ ESTIVESSE AQUI!

Olá amores, espero que gostem do capítulo e comentem muito, até semana que vem! :)
Boa leitura! 
: *



       Soltei alguns palavrões e fui atras do Arthur.
 – Arthur!  – chamei ele que nem fez questão de me atender. Corri até ele e segurei o seu braço.  – Porque isso, agora?  –  Perguntei e o Arthur virou a cara.
 –  Me solta!  –  pediu ele.
 –  Não antes de você me contar o que está acontecendo!  
        Arthur riu e se soltou sem fazer nenhum esforço, afinal, ele é bem mais forte que eu. Virei o rosto e bufei... E de novo eu estou aqui... Correndo atrás dele... Como eu sou uma idiota! 
 – Eu sou uma idiota!       
        Arthur negou com a cabeça e eu cobri o meu rosto com as mãos frias e quase trêmulas.
 – Você não é uma idiota!  – Disse Arthur e então eu descobri o meu rosto.
 – Claro que sou Arthur, de novo eu vou sofrer, eu tenho quase certeza de que quem estava com você nessa droga de telefone era alguém que quer ferrar com a nossa felicidade !  –  Minha voz saiu mas calma do que eu queria. 
        Arthur virou o rosto e respirou fundo e então eu me dei conta de que nada que eu fizesse iria fazer ele mudar de ideia. Então eu só virei as minhas costas e sai andando... Eu já estou farta de ser sempre eu a correr atrás dele, agora se ele não quer confiar em mim... Tudo bem, vou sofrer?Vou, mas isso vai passar!
 – Lua!  – Arthur me chamou mas eu nem olhei para trás, não quero mas isso para mim. Agora as coisas seriam mais difíceis!  – Lua!  – Ele me chamou mais uma vez e então por um impulso Um dos mais traidores. Eu me virei.
 – O que foi?  – vociferei
 – Não grite!  – Ele vinha na minha direção, caminhando sem muita pressa. Eu respirei fundo e tentei não fazer uma besteira e piorar as coisas.
 – O que foi?  –  Perguntei de novo, só que agora, mas calma.
        Ele está a alguns passos distante de mim, ele olha para o céu e suspira.
 – Desculpa!  – Eu neguei com a cabeça e me aproximei dele.
 – Quem te ligou?  – Perguntei assim que o abracei. Ele não me respondeu, então eu deixei para lá... Pelo menos por enquanto. – Venha, vamos entrar!?  – Peguei a sua mão e comecei a andar até a entrada de minha casa.
 – Não posso ficar hoje!  – Parei no caminho que eu fazia e o olhei de canto de olho, não queria ser chata... Mais porque ele não podia ficar aqui? Comigo?  – Tenho uma reunião amanhã cedo...  – Talvez ele tenha lido os meus pensamentos... Afinal, ele sempre fez e faz isso.  – Se eu ficar, a senhorita não vai deixar eu descansar!  – Eu sorri um pouco envergonhada, ele me deu um selinho e então eu abracei a sua cintura e ele o meu pescoço. 
 – Tudo bem, mas me ligue assim que chegar em casa, okay?  – Pedi, ele assentiu e então eu dei nele um selinho demorado.
 – Eu te amo, sabia?  – Ele falou, apesar de essa não ser a primeira vez que ele tenha me falado isso, eu sempre sorrio feito uma boba, como se fosse a primeira vez que eu ouvira tal coisa.
 – Eu também te amo, sabia?  –  Ele sorriu e me deu um beijo, não um selinho como os outros. 
        Um beijo calmo e sem segundas intenções, eram só nos dois naquele momento. Nem brigas, nem discussões... Era apenas duas pessoas completamente diferentes e apaixonadas.
 – Eu. Tenho. Que. Ir.  – Falou Arthur entre alguns selinhos, eu sorri e fiz um biquinho, ele me deu outro selinho e disse.  – Não faça isso!  – Foi a vez dele fazer um biquinho, só que muito exagerado. Eu ri e neguei com a cabeça.
 – Vai, antes que eu te agarre aqui mesmo!  – Brinquei e ele gargalhou me soltando, então se apressou em caminhar rapidamente até o seu carro. Deu partida no mesmo e então, lá estava eu, sozinha... Mais... Tão feliz... Se ele não tivesse cedido, talvez nós tivéssemos brigados neste mesmo momento, graças a Deus as coisas estão melhores!
[...]

        Meu celular tocava descontroladamente. Droga, peguei no sono! . Eu estava no meu quarto, deitada na minha cama, já havia tomado o meu banho e lembro-me de esperar a ligação do Arthur, devo ter pegado no sono enquanto eu esperava. 
        Tateei a mão por debaixo do meu travesseiro, onde eu sempre colocava o meu celular e então senti o mesmo vibrando, aceitei a ligação e coloquei o celular na orelha sem ao menos ver de quem se tratava.
 – Te acordei, né? Desculpa!  
 – Tá tudo bem!  – Bocejei.  – Chegou em casa bem?  –  Perguntei 
 – Sim!  – Falou.  – E você tá bem?  
        Ele é tão fofo... E eu já estou morrendo de saudades!
 – Mais ou menos!  –  Reclamei  – Queria que você estivesse aqui!  – Protestei
         Ele deu um sorrisinho e falou:
 – Eu também queria estar com você!  – Respiramos fundo ao mesmo tempo.  Passaram-se alguns segundos e nenhum de nos disse nada, então eu tratei de me despedir.
 – Você tem que trabalhar cedo amanhã, então... Vá dormir!  – Ele sorriu  – Amo você!
 – Amo você!  – Ele falou e então mais alguns segundos de silêncio.  – Desliga!  – Pediu.
 – Não, desliga você!  – E lá vamos nós...
 – Não, desliga você!  
 – Eu não quero!  – Reclamei.
 – Nem eu!  – Admitiu.
 – Mas nós temos que desligar!  – Avisei.
 – Mas eu não quero!  –  Ele insistiu
 – Mas temos!  
 – Tá...  – Se deu por vencido.  – Então desliga!  –  Pediu.
 – Não, deliga você! 
 – Não, você! 
 – Tá... Então no 3 nós deligamos juntos! 
 – Tá!
 – 1
 – 2
 – 3...  – E desliguei.
        Nós estávamos voltando a adolescência... Não é possível!

12 comentários:

  1. Posta ++++++++
    Ameeii *-*
    Eu ri com esse de desligar kkkkkkkk

    ResponderExcluir
  2. Ai que lindinhos

    ResponderExcluir
  3. Ai q fofos!!! Posta maiiiis!!!
    Xx Beca

    ResponderExcluir
  4. Kkkk aimm que fofos >.<
    Adoreeii :)

    ResponderExcluir
  5. Maiiiis *-----*

    " Desliga você " " Não, desliga você " " você " kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk achei fofo & en graçado kkkk ,3

    ResponderExcluir
  6. Kkkkkkkkk fofos *-*

    ResponderExcluir
  7. Kkkk q amor♥

    ResponderExcluir
  8. Awwn😍😍 quanto Amorr😍❤️ Tão Fofos❤️❤️ Adorandooo😘😉 cont🙏

    ResponderExcluir

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo