4 de jul de 2014

Uma patricinha mentirosa - 2

  
Hey' moçadaa, só estava esperando o jogo acabar pra postar... ( Que jogooo! )
Mais enfim... Aqui está, comentem muuuuuuito! ;) 
Bjks! : **






             Sempre foi solteira
   Ainda é madrugada, mal consigo dormir... Porque eu tenho que ser assim ? Tao idiota... Se eu não tivesse vergonha do modo como o Arthur se comporta na escola isso jamais teria acontecido, mais como eu sou uma idiota... Isso aconteceu, mais o que eu tenho que fazer agora é fazer com que o Arthur volte para mim...
     Meu sono parece nao existir, preciso falar com alguem, preciso de um ombro amigo... Mais quem a essa hora iria querer ouvir as minha babozeiras... Eu poderia ligar para a Melanie ela sabe que o Arthur e eu namoramos... ou melhor namorávamos... Mais se eu a ligasse agora ela arrancaria o meu pescoço quando me vice... A Carla... Haan... Não nem pensar... A Sophia? ... A Sophia com certeza me atenderia e me ajudaria.
     Procuro o meu celular embaixo do travesseiro e quando eu o acendo passam-se das 06:30 . Mal percebi que ja era dia e a essa hora a minha mae ja deveria estar acordada... Eu não vou ligar para Sophia agora ela com certeza esta dormindo e eu não vou atrapalhar o sono dela.
      Me levanto da cama deixando o celular na mesma. Caminho esfregando os olhos ate o banheiro, abro a porta do mesmo e acendo a luz dando de cara com o meu rosto completamente enxado, meus olhos não estavam tao bonitos quanto costumavam ficar, meus cabelos loiros cheios e emaranhados, essa não sou eu... Nao pode ser! . Ligo a torneira e molho o meu rosto, pego a minha escova rosa bebê e passo o creme dental na mesma, e começo a escovar os meus dentes .
      Quando acabei peguei a escova de cabelo e começei a desembaraça-lo, meu cabelo nunca ficou tao rebelde ... Meu Deus, como pode ? Eu estou tao pálida, tao feia... Afinal nao comi nada depois que o Arthur me deixou.
    Sai do banheiro e fui ate a porta para abri-la, andei pelo enorme corredor ate chegar a escada, a desci e andei pelo outro corredor ate a cozinha, so achei a Vilma, a cozinheira que preparava o café da manha...
- Acordou cedo ! - Ela falou assim que me viu.
- Eu nem dormi ! - Eu disse depositando um beijo na bochecha dela.
- Esta com a carinha enxada, o que houve ? - ela falou passando o polegar pela minha bochecha.
- Arthur me deixou ! - Falei indo ate a bancada para me sentar.
- Oh, querida... - Ela estava espantada seus olhos estavam arregalados. - Sinto muito ! - Ela falou e eu neguei com a cabeça forçando riso.
- Isso nao vai durar muito tempo, Vilma!- Ela franziu o cenho e eu sorri.
- Como assim ? - Ela perguntou.
- Nós nao vamos ficar separados por muito tempo... A gente se ama !- Eu falei e ela negou com a cabeça.
- Querida, querida ... O amor não é tudo... Voces precisam ter muito mais que isso! 
- Okay, Vilma... Okay ! - Bufei .
- Esta com fome ? - Ela mudou de assunto e se virou para o armário.
- Muuuita ! - Me empolguei e ouvi o riso dela.
- Que tal, panquecas? - Ela se virou para mim e eu assenti sorrindo... Eu adoro panquecas ! - Que tal você me dar uma uma maozinha ? - Ela perguntou e eu fui ate a pia para lavar as minhas maos.
- Por onde eu começo? - Sorri olhando para ela, que me deu o pano de prato para secar as maos.
[...]
        Terminei de fazer as panquecas e como eu imaginei ficou uma delicia, alem de eu me divertir muito eu ganho mais pratica na cozinha. A Vilma e eu sempre cozinhavamos juntas so que de um tempo pra ca eu nao cozinhava mais.
       Eu ja estou no meu quarto, ja tomei o meu cafe e ja tomei banho. agora eu estou escolhendo um look para ir ao mercado com a minha mae.
         Optei usar um vestido preto e uma rasteirinha com alguns detalhes pratas, prendi o meu cabelo em um rabo de cavalo, passei uma base, um blash e um batom rosinha bebê. Peguei meu celular e sai do meu quarto, e bati na porta da frente.
- Entre ! - Disse a minha mãe e eu entrei, o quarto é grande e branco com apenas uma parede vermelha, uma cama enorme... Enfim o quarto dos meus pais era sem duvidas o mais lindo da casa.
- Vamos logo! - A repreendi ao ver que ela ainda iria se maquiar.
- Acalme - se ! - Ela me olhou séria. - Eu sempre te espero ! - ela jogou na minha cara .
    Revirei os olhos e vi o meu pai sair do banheiro, ele veio em direção a minha mãe e a deu um selinho.
- Heeeeeeey' - Eu busquei atenção. - Eu estou aqui! - Falei mal-humorada . Eu acho eles dois uns fofos um com o outro, mais eu estou em fase de negação.
      Meu pai veio em minha direção e me deu um beijo na testa.
- Não fique com ciumes, querida. Meu coração tem lugar para as duas! - Eu revirei os olhos e me levantei brava da cama saindo quase correndo do quarto... Eles são tão melosos !
- Te espero na sala, mãe ! - Nem ouvi o que ela respondeu pois quando eu sai, bati a porta tão forte que quase pensei que levaria um esporro, mais isso não aconteceu, graças a Deus ... Isso era o que eu não precisava agora ... O que eu preciso é do Arthur, mudo o meu rumo e volto para o meu quarto, vou para a sacada onde ontem a noite eu gritei para ele que não desistiria e olhei para o seu quarto, me parecia estar vazio... Queria tanto poder ouvir a voz dele, queria poder ligar pra ele... Mais eu me tornei uma covarde depois de ontem... Eu não vou desistir dele jamais, mais eu não tenho mais coragem de olhar na cara dele de tanta vergonha . 

 -  Luuuaaaa!  -  Ouvi a minha mãe me gritar, desci as escadas correndo ela já estava a minha espera na sala junto com o meu pai que sorria de alguma coisa.
 -  Do que está rindo, quero rir também !  -  Perguntei um pouco grossa .
 -  Fale direito com o seu pai, Lua!  -  Minha mãe me repreendeu e eu revirei os olhos descendo os últimos degraus.
 -  Você irá saber, Lua... tenha calma !  -  Ele falou e deu um meio sorriso para me passar calma, mais isso não adiantou nada, só me trouxe curiosidade ! 
 -  Diga logo pai!   -  Falei ao me aproximar dele, coloquei as mãos na cintura .
 -  Logo, logo irá saber, agora vão... Amo vocês !  - Ele sorriu e beijou mais uma vez a minha testa.
 -  Tá, tá... Eu também te amo !  -  Falei e dei um meio sorriso, saindo o mais rápido possível de casa, e quando eu ponho o pé para fora, lá está o Arthur e a mãe dele na varanda de casa. Quando eu apareci na porta a mãe dele se levantou e disse algo que o fez levantar também... DROGA, será que eles vão ao mercado com a gente ?   -  Mãe ?  -  Chamei a minha mãe que ainda estava com o meu pai no maior agarra, agarra na sala. Ela me olhou furiosa por ter atrapalhado o beijo deles .
 -  O que foi, Lua?  -  Ela perguntou limpando a boca do meu pai que estava suja de batom.
 -  O-o-o -Aar-thu-thur vai no mercado com a gente ?  -  Perguntei tentando não gaguejar, mais isso foi um fracasso pois gaguejei quase a frase inteira .
 -  Sim querida!  -  Ela falou na maior naturalidade, deu um selinho no meu pai e veio em minha direção, eu abri a porta mais um pouco para que ela saísse e ela assim fez, só que eu empaquei, não consegui me mexer... Eu estou tão envergonhada, sinto a minha face queimar, estou mais vermelha do que uma cereja !  -  Vamos, Lua!  -  A essa altura a minha mãe já estava longe e já tinha cumprimentado Arthur e Kátia . Ele me olhou com desgosto... Ele estava com muita raiva de mim, eu apenas abaixei a cabeça e neguei com a cabeça erguendo-a de novo.
 -  Acho melhor eu não ir !  -  Falei meia sem graça, minha mãe fechou a cara e eu mordi o lábio inferior... Arthur adora isso! 
 -  Deixe de bobagem Luuh, venha !  -  Kátia a mãe de Arthur era uma doçura, baixinha, magrinha, cabelos negros assim como os seus olhos, ela é tão sofisticada é tão calma, assim como a minha mãe, mais acho que a minha mãe anda muito estressada ultimamente, só o meu pai consegue acalma-la e isso é meio nojento ! 
          Neguei com a cabeça e dei um meio sorriso, elas cochicharam alguma coisa entre si e eu revirei os olhos, assim como Arthur, minha mãe andou até a mim, me puxou para a varanda e fechou a porta eu ia protestar, mais ela deu o aviso.

 -  Calada!  -  Ela falou, eu andava de má vontade batia os pés feito uma criança... Eu sei sou muito infantil, mais me sinto mais protegida assim... É meio estranho ! 

        Passo direto pela Kátia e o Arthur me jogando no banco da frente do carro da minha mãe, sempre íamos juntos ao mercado, mais isso deveria acabar quando eu e o Arthur estivéssemos terminado... Mais foi muito pelo contrário, só continuou e eu acho que elas estão fazendo isso de propósito, e isso é um saco. Cruzo os braços e fecho a cara, agora quem precisa de um tempo para pensar sou eu, não tenho mais cara pra encarar o Arthur ... Agora a minha ficha caiu... Eu me humilhei e ele me deu um fora, eu preciso de um tempo e ele também... O meu tempo é só para me recuperar do fora anterior e focar em um plano infalível para que ele volte comigo! 

        O caminho foi cheio de risadinhas da Kátia e da minha mãe elas fofocaram sobre todos da cidade e eu estou me sentindo muito irritada estou sendo obrigada a ficar no mesmo ambiente que o Arthur... Porque eu fiz aquilo ontem ? Nossa... Eu sou tão idiota ! Neste momento o meu celular toca na maior altura eu fico vermelha na mesma hora ... Atendo rapidamente nem vendo de quem se trata.
- Alô? -  Falo baixo.
-  Amigaaa, preciso da sua ajuda para escolher o meu vestido do baileeee! -  Sophia falou nervosa.
-  Não posso te ajudar agora, estou indo ao mercado! -  Falei meia que dando graças a Deus por não poder ir... Até porque eu não vou a esse baile idiota.
-  Poxa... Você já comprou o seu vestido? -  Ela me perguntou empolgada.
-  Nem vou perder o meu tempo, não vou mais a esse baile idiota! -  Falei alto o suficiente para que todos os que estavam no carro ouvissem .
-  Para tudo... é claro que você vai... Leve o Arthur também e acabe com essa história de ele não ser o seu namorado na escola! -  Ela me aconselhou... Mal sabe que já é tarde.
-  Já não tenho mais namorado, nem dentro da escola e muito menos fora dela ! -  Falei brava por isso.
-  Você e o Arthur terminaram ? -  Ela me pareceu espantada. -  
-  Sim, ele terminou comigo! -  Falei e ela gritou do outro lado da linha.
-  Como assim? Lua, porque você não me falou isso antes ? Como você está ? -  Ela estava preocupada e ao mesmo tempo curiosa .
-  Estou péssima, mais depois a gente se fala porque eu já estou quase chegando no mercado, beijinhos! -  Desliguei e respirei fundo.
-  Não vai mais ao baile porque ? -  Arthur que estava quieto até agora se manifestou. 
-  Porque eu não tenho um namorado pra me acompanhar ! -  Falei e ele revirou os olhos pude ver pelo retrovisor.
-  Acho que lá na escola você sempre foi solteira... Porque agora você precisa tanto de um namorado? -  Kátia deu um tapinha no braço do Arthur e eu fechei os olhos e contei de 1 a 10... Eu quero chorar... Por quanto tempo eu vou ter que aturar isso ?
-  Você está bem, querida ? -  Minha mãe perguntou quando parou em um sinal vermelho.
-  Não ! -  Só a respondi nem olhei em sua cara... Não sei o porque de ela chamar o Arthur e a mãe dele pra ir nesse mercado idiota.
                Agora o silêncio tomava conta do carro, ninguém se falava e nem se olhava aquilo era muito constrangedor . Alguns minutos depois chegamos ao mercado e eu me apressei em sair do carro, entrei no supermercado e fui até a ala dos doces... Era disso que eu precisava! 

5 comentários:

  1. Por favor, tua web é PERFEITA , posta ++++++++++++++

    ResponderExcluir
  2. Ta muitoo perfeitaaaaa
    #AmeiAmeiAmei
    Postaa maisss
    Ass: Mila Mozarr

    ResponderExcluir
  3. Mais mais ta perfeita♥♥

    Ass: Patricia

    ResponderExcluir
  4. *o* ' OMG !! *-----------* ' Que perfect !!
    Poooooooooooooooooostaaaaaaa maaaaaaaaaaaiiss !!
    O AeR deixou de ser blog e virou sambódromo, não é possível.
    Essas meninas estão sambando demais. >< ' ~Palmas..

    ResponderExcluir
  5. - posta mais adoroo suas webs

    ResponderExcluir

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo