13 de jul de 2014

Foras da Lei - Capitulo 1 // Recém-saída








Aquela mesma fila era feita todos os dias nos corredores daquele reformatório. Todas as garotas juntas, uma atrás da outra numa fila indiana para o pátio. Lua já havia se acostumado com aquilo, era um dos poucos privilégios que elas tinham lá dentro.
Mas a noticia de que ela estaria indo embora naquele mesmo dia já ecoava pelo corredor fazendo-a se sentir meio incomodada com a situação, mas permaneceu calada.
Uma garota que estava na sua frente, morena e um pouco mais alta do que ela virou-se para encara-la.
-Fiquei sabendo que você vai sair hoje – disse ela com um ar de superioridade mas Lua não fez nada, ficou apenas olhando para os próprios pés. A morena olhou para o fim do corredor e quando viu que um dos guardas havia se distraído fazendo a contagem viu o seu momento perfeito. –Porque está tão calada? –  sem dar nem uma chance para que Lua revidasse ela começou a dar-lhe socos no estomago e chutes na barriga subindo para o rosto assim que a menina se inclinou.
Aquilo estava doendo. Lua sentia seu lábio inferior queimar, pois havia sido rasgado, quando tentava engolir ar a sua garganta também queimava fazendo-a gemer de dor. Foi ai que o guarda chegou e conseguiu tirar as detentas de cima dela fazendo-a começa a gritar tentando reprimir o choro.
Do lado de fora, Lena acabara de estacionar com o carro em frente ao reformatório. Tentou ligar para Stef durante todo o caminho, mas sempre caía na caixa postal, pois estava no recital anual de piano com Arthur.  Então depois de tentar pela sétima vez ela ouviu alguém dando batidinhas de leve no vidro do carro.
-Oi, Lena certo? – ela assentiu ainda um pouco assustada – Eu sou David, trabalho com o Bill. Venha.
Então ela saiu do carro meio sem entender porque Bill a havia chamado se não iria aparecer. Então David começou a conduzi-la até o portão quando ela perguntou.
-O que aconteceu com o Bill? Ele disse que iria me encontrar aqui
-Um dos meninos do orfanato teve uma overdose e ele o levou para o hospital. – disse David.
-Oh meu deus – ela falou num suspiro doloroso pelo garoto.
-Ele te falou sobre a Lua? – a morena assentiu. – Ela pode ter tido problemas recentes com autoridades masculinas e é...
-Então por isso ele pensou em nós?
-Isso.
-Ela brigou com o pai adotivo?
-E danificou alguns bens e por isso está no reformatório. – ele disse sem preocupação fazendo Lena se assustar. Onde ela foi se meter?
-Danificou alguns bens? Ah, David, eu e Bill somos amigos á muito tempo e ele é parte da família desde que trouxe os gêmeos, mas eu não posso levar alguém violenta pra casa. Preciso pensar nos meus filhos. – tentou se explicar.
-Só aconteceu uma vez e, além disso, será apenas por algumas semanas.
Foi então que um barulho se fez na porta e dois guardas saíram lá de dentro escoltando uma adolescente de 16 anos com os cabelos morenos até os ombros, roupas surradas e cheia de hematomas pelo corpo fazendo o estomago de Lena se revirar.
-Oh meu deus – suspirou.
-Quando as crianças saem alguns dos outros detentos tem inveja e costumam provocar brigas. Um segundo. – então ele saiu ao encontro da menina sorrindo embora ela não tivesse humor nem um para sorrisos naquele momento. – Lua. Lua, eu sou David, trabalho com o Bill no serviço de proteção á criança. –Ela ainda tinha o olhar meio perdido mas no fundo tinha plena consciência do que estava acontecendo.
-Onde está Jude? Sabe onde ele está? – foram suas primeiras palavras após sair de onde esteve presa á mais ou menos um ano.
-Não, eu não sei.
-Eu preciso falar com ele! Porque o Bill não está aqui?
-Falaremos sobre isso depois.
-Eu só não entendo porque não posso conversar com o Jude. – disse irritada pegando suas malas.
-Já chega. Não sei do que está falando. – ele a conduziu até a mulher que até agora observava cada passo da menina com atenção sentindo uma leve pena dela. –Lua, essa é a Lena. Lena essa é a Lua. Acho que posso leva-la para uma das casas de grupo.
Diante da proposta de não ter que ficar com a menina, Lena olhou bem nos seus olhos. Ela estava desesperada por dentro como se implorasse para que fizesse qualquer coisa, mas não a deixasse ir para uma daquelas malditas casas de grupo.
-É só por algumas semanas certo? – perguntou suspirando enquanto via a expressão da garota suavizar aos poucos –Tudo bem.
Quando elas chegaram em casa já estava na hora do jantar. Chay e Sophia já haviam chegado e estavam, com certeza, estranhando a menina que chegara com sua mãe, mas resolveram não falar nada.
Estavam colocando a mesa quando Lena finalmente resolve quebrar o silêncio.
-Então, Chay e Sophia também estavam no programa de adoção. Vieram pra cá há uns oito anos e os adotamos formalmente à cinco anos. –Disse ela pedindo ajuda á Sophia na ultima parte.
-O programa de adoção é uma droga. – disse Chay terminando de colocar os pratos na mesa.
-Chay! –Lena  o repreendeu
-Ele está certo. É uma droga mesmo. – disse Sophia e Lena levantou as mãos se rendendo.
Quando Chay finalmente olha direito para o rosto da garota vê o lábio inferior cortado e algumas sombras roxas em baixo dos olhos. No fundo achou isso legal.
-O que houve com você? Se meteu numa briga? – antes que ela pudesse responder algo que não devia Lena se prontificou.
-A Lua teve um dia difícil. Então que tal pararmos de julga-la? – disse. Na verdade Lua nem se quer estava escutando, ficava encarando o telefone pensando se poderia pedir permissão para pelo menos ligar e ouvir a voz de Jude.
-Tem algum... er, onde fica o banheiro? – perguntou meio sem jeito tentando arrumar uma desculpa pra sair dali.
-É por ali, você vai ver. – disse Lena apontando para uma das portas ao seu lado. Foi só a menina sair do campo de visão para Sophia começar o interrogatório.
-Então... de onde ela é? –Lena sorriu um pouco com isso e prontificou-se a explicar.
-Eu conversei com o Bill do programa de proteção á criança, você lembra dele? –Ela assentiu – Pra falar de um assunto e ele... Estava numa situação difícil com a Lua e precisava de um lugar pra ela ficar.  Ela passou por muita coisa então preciso que sejam gentis com ela, pode ser?
Os dois se olharam por um minuto e logo perguntaram a mesma coisa.
-Sobre o que você conversou com o Bill?
Lena suspirou tirando o seu avental de cozinha e um sorriso animado não escapava de aparecer em seu rosto.
-Ok, eu ia esperar todos estarem em casa pra dizer, mas... Sentem. – quando os dois já haviam sentado ela sorriu e falou. –Eu estava falando sobre marcar um encontro entre vocês e a sua mãe biológica.
Um silêncio se instalou na cozinha naquele momento e Sophia limitou-se á olhar para o lado tentando disfarçar seu constrangimento.
-Eu pensei que ficariam mais animados. Você ficou falando disso durante os últimos seis meses.– ela olhou para Sophia.
-É, é seu sei, mas... eu não penso mais assim. –Lena não pôde evitar de olhar para Chay.
-O Chay te convenceu disso? Só porque não quer ir...
-Nem olhe pra mim. –Ele se defendeu e Sophia continuou.
-Não, eu só... Mudei de ideia, só isso.
O lado bom daquela discussão era que ninguém ouvia o choro vindo do banheiro. Lua limpava suas mãos chorando e olhando para o seu próprio rosto no espelho tentando afastar o pensamento de que nunca mais veria Jude outra vez.
De volta á cozinha, já haviam encerrado a conversa e Lena tentava mudar o assunto á qualquer custo.
-Então, já terminaram o dever? –Sophia assentiu olhando para Chay com um olhar provocador.
-Porque ta olhando assim pra mim? Só porque tira notas altas não significa que não tenha que estudar. –Lena riu disse e deu um beijo na bochecha do garoto.
-Cada um tem suas qualidades, Chay.
Então ouviram o barulho da porta da frente sendo destrancada e um garoto aparecendo com a mochila nas costas (que foi parar no sofá num passe de mágica).
-Oi galera. –Disse Arthur e Lena lembrou-se da audição.
-Hey, como foi a audição? –Perguntou curiosa.
-Foi ótima, eu passei pras finais. –Então todos na cozinha começaram á dar-lhe parabéns por isso e a cada segundo ele se sentia mais orgulhoso do que gostava.
Claro que não era normal chegar na hora do jantar achando que seria um jantar normal e do nada uma garota estranha senta do seu lado na mesa. Foi o que passou pela cabeça de Arthur assim que Lua reapareceu.
-Quem é essa? –Ele perguntou um pouco curioso e um pouco encantado com a menina.
-Essa é a Lua, ela vai ficar conosco por um tempo –Disse Lena.
-Ah certo, vai ficar conosco –Ele limpou a própria garganta para soar mais receptivo. –Prazer em te conhecer. –Disse colocando um pedaço de pizza no prato da menina.


Maddie:: Eu me superei *-* o maior capitulo que eu já escrevi na vida >.<

XOXO
Maddie.

5 comentários:

  1. Amei a web ♥♥

    ResponderExcluir
  2. ++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

    ResponderExcluir
  3. mirella vasconcelos13/07/2014 11:57

    Posta+++++++++++++++++++++++++++

    ResponderExcluir
  4. Lena e oq do Arthur?
    Quantos anos Luh tem?
    Jude e oque de Luh?

    Isa

    ResponderExcluir
  5. Quem é Jude? Pelo visto eessa web vai ser maravilhosa :D posta mais um hojeeeer

    ResponderExcluir

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo