31 de jul de 2014

Dangerous Woman - Capítulo 10

                         kkkkk tive que colocar esse gif eu não aguentei , Jade e Victoria (Lua e Anne )                                            kkkkk entendedores entenderão. Boa Leitura

 Arthur P.O.V

- Toma, eu trouxe pra você - Lua disse e entregou um café para a
minha mãe.

- Obrigada querida.

Mitch voltou e subiu na minha cama e se sentou ao meu lado.

- Gordinha, não vai me dar um pedaço do seu muffin? - perguntei fazendo
cosquinha em Mitch.

- Esse é meu, a Luh que me deu.

- Mereço essa agora - falei rindo.

- Lombriguento, sua comida chega logo, tenha paciência - Lua disse.

- Eu vou começar a gritar, vai que a enfermeira aparece - falei irônico
e ela me fuzilou com os olhos.

Alex não saia do colo de Lua enquanto ela e Mitch conversavam de
forma animada sobre algo que eu não entendi. Alguns minutos depois uma
enfermeira gostosa apareceu trazendo uma bandeja com comida.

- Aqui está senhor Aguiar - ela disse colocando a bandeja no meu colo e
me deixando ver seu decote avantajado.

- Obrigada - Lua se meteu - Você pode ir, ele sabe comer sozinho e
ah, não se esqueça de fechar o último botão da sua blusa - ela sorriu
falsa e a enfermeira apenas assentiu meio assustada e saiu.

Lua me olhou torto e eu quis rir, mas como eu não queria apanhar,
então me segurei. Comecei a comer e Lua ficou conversando com a
minha mãe enquanto as crianças pintavam alguns desenhos. Lua sorria
bastante e eu adorava aquilo, eu adorava seu sorriso. Logo o médico
apareceu.

- Tudo certo aqui?

- Sim, agora só falta eu poder sair daqui - falei bufando.

- Eu vim aqui exatamente para dizer que você está liberado. Senhorita
Aguiar, poderia me acompanhar para assinar a alto do seu filho?

- Claro. Já volto crianças.

Minha mãe e o médico saíram.

- Você está bem? - Lua perguntou parecendo preocupada.

- Estou, não se preocupe.

- Fique dois dias de repouso, você precisa se recuperar.

- Qual é, eu estou ótimo.

- Para de ser teimoso. Vai, vai se trocar.

Levantei com cuidado, peguei a mochila que minha mãe havia trazido e fui
para o banheiro. Coloquei minha roupa e quando voltei para o quarto
minha mãe já havia voltado.

- Vamos? - perguntei e as duas viraram para mim.

- Vamos. E você, senhor Arthur, vai ficar em casa por dois dias de
repouso e não ouse me desobedecer e sair de casa - minha mãe disse.

Revirei os olhos. Saímos do quarto e Mitch me deu a mão, já que eu não
podia pega-la no colo devido ao curativo. Alex já havia me trocado e
estava no colo de Lua agarrada ao seu pescoço. Assim que chegamos o
carro, Lua colocou Alex no chão e deu um beijo nela e em Mitch.

- Vem com a gente lá pra casa - minha irmã pediu.

- Agora eu não posso linda.

- Que tal um almoço amanhã em casa? - minha mãe sugeriu.

- Eu não quero atrapalhar.

- Você não atrapalha meu anjo. Aceite.

- Bom, tudo bem. Até amanhã.

- Até.

Segurei seu braço a fazendo se virar para mim.

- Eu não ganho tchau?

- Idiota - ela disse rindo e me abraçou - Até amanhã. Descanse!

- Sim senhora.

Ela se virou e eu fiquei observando enquanto ela ia para o carro.
Lua buzinou e logo sumiu de nossas vistas.

- Vamos filho.

- Vamos. Coloquei as crianças no banco de trás e eu queria dirigir, mas
minha mãe não deixou, então tive que ir no banco de passageiro ao seu lado.

Lua P.O.V.
Cheguei em casa e deixei meu carro no jardim.

- Mandem esse carro para lavar - disse jogando a chave para um dos
seguranças.

Entrei em casa e encontrei Joe e Kenny na cozinha.

- Bom dia Luh - Kenny disse sorridente - Deu tudo certo?

- Deu, o Arthur foi para casa, ele vai ficar dois dias de repouso.

- Não teve nenhum problema?

- Não, foi tudo tranquilo. Vocês já sabem quem mandou os policiais atrás
de mim?

- Então... - Joe fez uma pausa.

- Então o que?

- Ao que tudo indica, quem mandou os policiais foi o Jake.

- AQUELE DESGRAÇADO! EU VOU MATAR ELE!

- Não Lua! Calma, caralho. O Jake já deve esperar que você vá atrás
dele e pode ser outra armadilha. Eu não vou deixar você se arriscar -
Kenny disse.

- Como eu odeio esse cara - falei colocando as mãos no rosto procurando
por paciência.

- Se acalma Lua, você resolve isso depois.

- Ta bom, ta bom. Tanto faz.

Deixei eles na sala e fui para o quarto tomar banho e trocar de roupa,
coisa que eu não havia feito no dia anterior, porque fiquei no hospital.

Anne P.O.V.

Mais cedo eu havia recebido a notícia de que Arthur tinha sido baleado.
Sai correndo de casa e fui até o hospital. A enfermeira me passou o
número do quarto e eu me dirigi até ele. Abri a porta com cautela para
não acordar Arthur, afinal era bem cedo e ele estava de repouso. Assim
que entrei meu sangue ferveu. Ele estava deitado abraçado a aquela tal
Lua. Minha vontade foi de estrangular aquela garota e tira-la dali
aos tapas, mas eu simplesmente sai do quarto e corri para o meu carro.

Eu estudei a minha vida inteira ao lado de Arthur e digamos que ele
sempre foi a minha paixonite de escola. Eu era amiga dele, mas nunca
consegui passar disso. Ele ficava com outras garotas e eu com outros
caras para tentar afasta-lo dos meus pensamentos, mas sempre foi em
vão. Passei um tempo fora de Toronto para fazer o meu curso, mas nunca
namorei e nem conseguiria, Arthur continuava nos meus pensamentos.

Fiquei um bom tempo no meu carro perdida em meus pensamentos e depois de
alguns minutos Arthur, Kátia, Lua e as crianças apareceram na porta
do hospital. Meu carro estava próximo do lugar em que eles se
encontravam e por isso era possível escutar o que diziam.

- Que tal um almoço amanhã em casa? - Kátia perguntou se dirigindo a
Natalie.

- Eu não quero atrapalhar - a vadia disse.

- Você não atrapalha meu anjo. Aceite.

- Bom, tudo bem. Até amanhã.

Não precisava ouvir mais nada, sai acelerando meu carro. Já teria lugar
para almoçar no outro dia.

Lua P.O.V.

Acordei cedo. No dia anterior eu havia saído do hospital, vindo para
casa e depois tive que passar o dia recolhendo meu dinheiro na cidade e
dei uma passada na boate do centro para ver como estavam as coisas e,
com isso, cheguei em casa já na madrugada. Eu teria o almoço na casa do
Arthur e antes disso eu tinha que terminar de separar os pagamentos dos
meus funcionários. Fiquei grande parte da manhã no escritório separando
dinheiro e fui terminar isso perto das onze horas. Deixei os pagamentos
com Kenny e encarreguei ele e Joe de entregarem para todos os empregados
enquanto eu almoçasse na casa de Arthur.

Fui até o meu quarto e troquei de roupa. Passei uma maquiagem leve
apenas para esconder minha cara de cansaço. Dirigi até a casa de Arthur
e deixei o carro estacionado em frente. Toquei a campainha e segundos
depois Arthur abriu a porta com um sorriso no rosto.

- Você veio - ele disse me dando um selinho e um abraço.

- Eu disse que viria.

Entrei e ele fechou a porta.

- Luh você chegou! - Mitch apareceu e abraçou minhas pernas quase me
fazendo perder o equilíbrio.

- Oi linda.

A peguei no colo e dei um beijo em sua bochecha e ela me abraçou.

- Seu colar tá lá no quarto, eu guardei. Vamos lá buscar.

- Não precisa, fica de presente pra você.

- Eba! - ela me deu um beijo e eu ri a colocando no chão.

- Lua você chegou - Kátia disse ao aparecer com Alex no colo.

- Oi Kátia! Oi príncipe - eu disse para Maicon e ele estendeu os braços
para que eu o pegasse e eu assim o fiz.

- Pode largar o malandrinho Lua - Arthur disse me fazendo rir.

Dei um beijo nele e o entreguei para Kátia novamente.

- Vamos comer, já está pronto -Kátia disse nos chamando.

Seguimos para a cozinha e eu me sentei ao lado de Arthur e Maicon colocou
a cadeira ao meu lado. Começamos a comer e conversar, eu ria bastante.
Do nada a campainha tocou.

- Vou ir ver quem é - Kátia disse e se levantou.

Continuei comendo e ajudando Maicon a não se lambuzar muito, o que era
quase impossível.

- Vou começar a comer igual criança, dai quem sabe você me sá mais
atenção - arthur disse no meu ouvido.

- Sério que você tem ciúmes do seu afilhado? - perguntei rindo.

Antes que ele pudesse responder Kátia voltou e meu sorriso sumiu. Anne
estava junto com ela sorrindo debochada.

- Filho, a Anne veio ver como você está.

- Vim assim que soube. Você está bem? - ela perguntou e veio abraçar ele
e eu a encarei furiosa.

- Eu estou bem - arthur disse e a afastou um pouco percebendo que eu
estava incomodada com a presença daquela garota.

- Senta e almoça com a gente - Kátia disse.

- Olha, eu vou aceitar. Ah, oi Lua.

Ela fez questão de sentar ao lado de Arthur. Contei até dez em
pensamento tentando manter a calma. Aquela lacraia passou o almoço
inteiro babando Arthur e eu fiquei me segurando. Fomos para a sala e
Arthur se sentou o sofá, sentei ao seu lado e aquele demônio se sentou
do outro.

- Ai Arthur, eu estava lembrando da época da escola. A gente se divertia
tanto - ela disse colocando a mão no ombro dele.

- É, pois é - ele respondeu sem jeito.

- Ah, olha só. Você está com um cílio na bochecha, deixa eu tirar para
você.

Ela se aproximou do rosto dele quase encostando seus lábios nos dele e
assoprou. Aquele foi o meu limite, eu perdi completamente a paciência.

- Chega.

Em fração de segundos eu me levantei e peguei Anne pelos cabelos e a
joguei no chão. Montei em cima dela e comecei a desferir tapas em sua cara.

- EU VOU TE MATAR SUA VADIA!

- SOCORRO! SAI DE CIMA DE MIM SUA LOUCA! - ela gritava tentando fugir.

Nem dei confiança para os seus gritos e continuei batendo nela, até que
Arthur me puxou.

- Para com isso Lua! Caralho!

- ME SOLTA!

Escapei dos seus braços e empurrei Anne contra a parede e agarrei seu
pescoço. Ela se debatia e eu fechava minhas mãos cada vez mais em sua
garganta. Em um momento ela conseguiu chutar minha perna, eu afrouxei
minhas mãos e ela veio para cima de mim.

- ARTHUR FAÇA ALGUMA COISA! -Kátia gritava desesperada.

- SE VOCÊ QUER BRIGAR, VAMOS BRIGAR - Anne gritou.

Ela me derrubou no chão e começou a tentar me dar socos e puxar meu
cabelo, mas eu era mais forte e chutei sua barriga a fazendo cair para o
lado gemendo de dor.

- Se não sabe brigar, nem tenta querida - falei rindo.

Ela se levantou e cravou as unhas no meu braço e em troca eu acertei um
soco em seu nariz, a lançando longe.

Arthur P.O.V.

Tá, não é certo, mas eu estava me divertindo com aquela briga. Eu não
queria interferir, eu sabia que ia acabar sobrando tapa pra mim. Minhas
irmãs e meu afilhado olhavam as duas sem entender o que estava acontecendo e minha mãe
estava desesperada.

- ME LARGA SUA VADIA - Anne gritou enquanto Lua a arrastava pelo
cabelo até a porta.

- VADIA É VOCÊ SUA DESGRAÇADA.

Lua abriu a porta e jogou Anne para fora e se sentou em cima dela
mais uma vez. Anne se debatia e sua unha acabou deixando um arranjão no
rosto de Lua, que assim que passou o dedo em cima do machucado e viu
sangue, deu outro soco no nariz de Anne.

- ISSO É PRA VOCÊ APRENDER QUAL É O SEU LUGAR - Lua falou e bateu a
cabeça de Anne seguidas vezes no chão.

Aquilo já estava passando dos limites. Puxei Lua pela cintura.

- ME SOLTA ARTHUR! EU VOU ACABAR COM ESSA VAGABUNDA!

- Já chega de barraco por hoje. Porra, vocês não cansam?

Minha mãe ajudou Anne a se levantar e ela limpou o sangue que escorria
do seu nariz.

- Acho melhor você ir embora querida - minha mãe disse para Anne.

- Eu vou. A gente se vê Arthur - ela piscou para mim e Lua se
debateu tentando se livrar de mim.

Assim que o carro de Anne virou a esquina eu soltei Lua.

- Me desculpe Kátia. Meu Deus que vergonha - Lua disse sem jeito.

- Vamos esquecer isso meu anjo - minha mãe disse a confortando- Vamos lá
para dentro.

Entramos, Lua se sentou no sofá e minhas irmãs correram para perto
dela. Peguei a maleta de primeiros socorros e agachei na frente dela.
Peguei seu queixo e ela se retraiu.

- Ai.

- Deixa eu limpar esse arranhão para não infeccionar Lua.

Segurei seu queixo novamente e dessa vez ela não protestou. Passei
remédio no arranhão e o deixei limpo.

- Gostou do show? - ela perguntou irônica.

- Muito. Você é maluca Lua - ri.

- Nem me surpreendo mais de você me chamar assim.

- Isso é bom, você já se aceitou.

- Idiota - ela disse e me deu um tapa.

- Crianças vão lá para o quarto brincar.

- Ah não, a gente quer ficar aqui com a Luh - Maicon disse emburrado.

- Vão lá crianças, depois eu vou lá ver vocês - ela respondeu sorrindo.

Minhas irmãs e Maiocn assentiram e foram para o quarto. Sentei ao lado de Lua
e ela me olhou meio sem jeito.

- Pode me explicar direito o motivo da confusão?

- Até parece que você não sabe - ela disse revirando os olhos.

- Ciumenta - dei um selinho nela - Muito ciumenta.

- A garota quase te beijou e quase enfiou os peitos na sua cara, você
queria que eu reagisse como? Pelo amor de Deus né, ela já estava me
irritando desde a boate.

- Maluca - ri - O que quer fazer hoje?

- Você não pode sair de casa, palhaço. Você sabe disso.

- Quer assistir filme?

- Só se for de terror ou ação, romance nem rola.

- Tudo bem - falei rindo.

Passamos a tarde assistindo filme e Lua acabou jantando em casa.
Fomos para o meu quarto e assistimos desenho com as crianças. Por fim,
ela adormeceu no meu peito e eu fiquei um bom tempo a observando seu
peito subir e descer por conta de sua respiração.

- Dorme bem marrentinha.

Dei um beijo em sua testa e peguei no sono.


                                                       Agora vocês entenderam o gif lá em cima kkkk 
                                                                     Espero que gostem até o próximo 

6 comentários:

  1. Posta +++++++
    Ameeii *-*
    Ri muito, ainda mais com o gif !..

    ResponderExcluir
  2. Kkkk, esse capitulo ta demais
    Posta ++++++
    Xx Beca

    ResponderExcluir
  3. Kkkkk😂😂 Deus, a Luh é d+++ kkk Ameii ❤️😍 continua ❤️😍

    ResponderExcluir
  4. Kkkk
    Muito bom o show q elas deram

    ResponderExcluir
  5. Kkkkkkkkkkkk quê que foi isso?? Por isso que eu amo a Lua. Tem que botar moral mesmo! Hum.. kkkkk

    ResponderExcluir
  6. mirella vasconcelos02/08/2014 21:37

    Posta ++++++++++++++++++++

    ResponderExcluir

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo