22 de mai de 2014

[Mini-Fic] "Cravo e Canela"

 

Capítulo 12.



Todos que estavam em volta passaram a mirar a cena. Lua não sabia o que fazer. Choraria? Gritaria? Falaria a verdade? Mentiria? Sim, a última opção com certeza, na visão dela, seria a melhor para a situação.

Pedro: IH, OLHA O FEIOSÃO QUERENDO BOTAR BANCA PRA CIMA DA LUA - gritou um pouco distante da situação -

Muitos riram, inclusive Mel que já assistia a cena de "camarote". Sophia revirou os olhos, não suportava injustiças.

Lua: Pra que eu te chamaria, aqui? - arqueou a sobrancelha, dando a si mesma um ar de arrogância -
Arthur: Mel que me deu o recado

Mel com certeza não esperava por isso. Suspirou nervosa.

Mel: Olha, além de ser feio é louco. Eu, hem, vou sair de perto antes que isso contagie - saiu quase que correndo -

Lua soube muito bem na hora que isso era armação de Mel. Vaca. A xingou em pensamento. Voltou a mirar Arthur que continuava a sua frente, somente com a mesa os separando, ele a mirava com um olhar confuso.

Micael: O feiosão precisa de um banho de água fria pra curar a loucura. Ou será que é a Lua que está louca de querer conversar com ele?

Todos a volta a miraram. Ela não tinha saída, não outra.

Lua: Claro que é ele que está louco, nunca pedi pra ninguém te chamar - fora curta e grossa -
Arthur: Mel me disse que você queria assumir nosso namoro - falou inoscentimente - Não é verdade?
Perola: Você estava namorando com ele?
Pedro: Me trocar por ele, hem? Se rebaixou feio

Ouviu Sophia sussurrar um "Fale a verdade", mas teve que ignorá-la. Ouvia muitos comentando e dizendo besteiras sobre o assunto. Suspirou. Estava decidida.

Lua: Eu nunca namoraria alguém como você

Todos a miraram. Alguns riram dele. Outros ficaram chocados pela arrogância de Lua. Ela nunca fora assim. Sophia negou com a cabeça sorrindo sem vontade.

Arthur: Que? - perguntou segurando as lágrimas -
Lua: Isso mesmo que ouviu. Jamais namoraria você, feiosão, escroto, ridículo - suspirou - Nojento - completou.

Ele não segurou mais as lágrimas. Aliás, não segou mais nada. Deixou sua mochila cair no chão, não se importando com as pessoas que riam dele. Sophia olhou para Lua e sussurrou um "Sem sentimentos". Saiu de perto da loira e foi até Arthur. Pegou a mochila dele do chão, já com a sua em suas costas.

Soph: Aqui não, Arthur- entrelaçou seu braço no dele e saiu com o mesmo -

Lua olhou em volta e as pessoas a aplaudiram. Pegou sua bolsa e saiu andando rapidamente. Precisava sair dali o mais urgente possível.

Sophia e Arthur se direcionaram a saída da faculdade. Ele chorava como uma criança que tinha perdido seu brinquedo preferido. A loira preferiu não incomodá-lo. Deixá-lo chorar. Ele não se importava pra onde estava indo.

Chegaram em um parque. Vazio. Sentaram-se na grama e ele se encostou em um árvore.

Soph: Reflita e quando achar que pode conversar me chame - ia se levantar mas ele a puxa pelo braço fazendo-a sentar-se novamente -
Arthur: Você sabia disso?
Soph: Do que? - não entendendo a pergunta dele -
Arthur: Que ela iria me humilhar. Sabia?
Soph: Claro que não, se soubesse teria te avisado, sou sua amiga, lembra?
Arthur: Por que ela fez isso? - voltando a chorar - Me diz? Ela disse que gostava de mim
Soph: Ela não suporta sofrer ameaças quando se trata de perder sua popularidade - deu de ombros trazendo a cabeça de Arthur para deitar em seu ombro - Ela gosta de você mas a popularidade subiu a cabeça.
Arthur: Mas ela pelo menos podia ter sido educada comigo, mas não, foi grossa, arrogante
Soph: Liga pra isso não. Ela é assim mesmo, finge que nada aconteceu
Arthur: Quando você diz pra fingir que nada aconteceu, quer dizer pra esquecê-la ou pra fingir que só essa situação não aconteceu?
Soph: Olha, entenda como preferir. Mas tenho que ser sincera. A Lua vai ser sempre assim, sempre que um vir e inventar alguma coisa pra vocês, ela vai dar preferência a imagem dela.
Arthur: Já que é assim, eu prefiro esquecê-la. Fingir que nunca falei ou beijei ela.
Soph: Faça o que você acha que é correto, o que você acha que vai ser o melhor pra você.

Sophia chegou em casa e encontrou Lua sentada no jardim da casa. Caminhou até ela. Sentou-se.

Lua: Como ele está?
Soph: Péssimo. - suspirou -
Lua: Você estava com ele? - perguntou analisando suas próprias unhas -
Soph: Estava. Levei-o em um parque e depois fui com ele até a casa dele e o deixei lá.
Lua: Ele conversou com você?
Soph: Sabe Lu, não estou querendo ser grossa, mas acho que isso não te interessa, né?
Lua: Que? Como assim?
Soph: Chega! Chega de se fazer de forte, sei muito bem que seu coração está despedaçado e tudo isso, por sua própria culpa. Você é egoísta, só pensa em você. Por algum momento, já parou pra pensar nos sentimentos dele? Hem?
Lua: Não. - olhou para baixo - Mas, é que a minha popularidade é importante.
Soph: E ele não é importante?
Lua: É. Mas só que eu ... eu não consigo assumir o Arthur, entende?
Soph: Isso é futilidade. Futilidade. Não quero brigar com você, mas também não vou aceitar suas injustiças - se levantou e saiu.

E aí, querem mais hoje?

4 comentários:

  1. +++++++++++++++++++
    Poooor favor mais

    ResponderExcluir
  2. Posta +++++++++++++
    Ameeii *-*

    ResponderExcluir
  3. mirella vasconcelos23/05/2014 00:32

    Posta ++++++++++++++++

    ResponderExcluir
  4. simmmmmmmm posta ++++ e +++++++++++++++++ logo

    ResponderExcluir

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo