26 de mai de 2014

[Mini-Fic] "Cravo e Canela"


Capítulo 15.


Claudia: LUA, ABRA ESTA PORTA AGORA!

Pela quinta vez seguida ela gritou do lado de fora do quarto. Estava agonizada por ouvir sua filha chorando tanto e quebrando coisas no quarto.

Lua: ME DEIXA, MÃE. POR FAVOR.

A loira gritou de dentro do quarto, em meio a soluços e lágrimas, já tinha quebrado portas-retratos, suas bonequinhas de porcelana, seus porta jóias e outros pertences.

Lua: LUA MARIA, O QUE ACONTECEU? ME DIZ, FILHA! ESTOU MUITO PREOCUPADA!
Lua: MÃE, EU NÃO QUERO CONVERSAR AGORA, ME DEIXA, POR FAVOR! EU PRECISO FICAR SOZINHA. - quebrou mais um objeto.
Blanca: QUANDO QUISER CONVERSAR ME PROCURE. - foi para seu quarto -

Lua sentou-se no chão, chorando.

Lua: Mas que droga, não sabia que eu gostava tanto dele. Não sabia que necessitava dele.

Arthur e Sophia estavam em um canto da faculdade, era hora do intervalo, estavam conversando enquanto tomavam um suco.

Soph: Você não acha que pegou pesado demais? A Lua não é santa, longe disso, mas ela também tem sentimentos.
Arthur: Eu me senti péssimo fazendo aquilo com ela, mas eu precisava. Me fez sentir mais leve em mostrar pra ela como foi duro pra mim o que ela fez comigo, entende?
Soph: Huhum. Desculpa perguntar, mas você ainda gosta dela?
Arthur: - deu de ombros - Acho que sim, mas não quero me iludir e voltar a ficar com ela, sabendo que a mesma só fica comigo por beleza
Soph: Mas ela ficou com você mesmo antes da transformação
Arthur: E me humilhou na frente de todos porque eu era feio
Soph: Por falar em era feio, o que foi aquilo na hora que você entrou na sala? Todas babando em cima de você, pareciam lobas esfomeadas - gargalhou junto com ele -
Arthur: Tudo graças a você.
Soph: Se você tá dizendo - piscou pra ele - Acho que ainda falta um passo, né?
Arthur: Qual?
Soph: Acadêmia, né meu amor? - irônica - Precisa queimar umas gordurinhas aí.
Arthur: É, né, fazer o que - revirou os olhos -
Soph: Sem mal humor - rindo - Acadêmia faz bem.
Arthur: Ôo, se faz - irônico -
Xx: Com licença - se insinuando pra Arthur - Será que você podia me ajudar em uns exercícios de literatura?

Ele olhou para Sophia como se pedisse ajuda. A garota já havia lhe humilhado muito quando ainda era feio e agora, por interesse, estava lhe pedindo ajuda. Soph piscou pra ele, como se o mesmo respondesse que sim.

Arthur: Pode ser - sorriu sem graça pela forma que ela lhe olhava -
Soph: Bom, vou deixar vocês estudando e vou ir falar com uma amiga - saiu -

Ela foi até o banheiro, se trancou em um gabinete e pegou o celular de sua bolsa. Ligaria para Lua.
O celular chamava, chamava, e só no quarto toque Lua atendeu.

Lua: Você tá com ele?

Ela foi logo perguntando ao ver que era Sophia que lhe ligava. A voz de choro ainda não havia sumido totalmente. Sophia suspirou.

Soph: Não, ele não está comigo.
Lua: Vem pra casa, eu preciso de você.
Soph: Eu não posso, tenho que entregar um trabalho na próxima aula.
Lua: Por que ele fez aquilo comigo? Me diz, eu não merecia aquilo.
Soph: Sinto muito em dizer, mas você mereceu. - ouviu ela começar a chorar mais ainda pelo outro lado da linha - Acho que fui sincera demais, né?
Lua: Eu gosto de verdade dele, mas, você acha que ele gosta de mim?

-

Arthur: Entendeu o execício?
Xx: Entendi sim, muito obrigada. - deu um beijo na trave dele - Muito obrigada - ajeitou seu decote "V" -
Arthur: De nada. - envergonhado, mas morrendo de vontade de rir dela -
Xx: Bem que nós podíamos sair hoje de tarde, né? Ir na pracinha aqui perto da faculdade, topa?

-

Soph: Minha irmã, você tem que se animar, que tal nós sairmos hoje? Podemos ir na pracinha perto da faculdade o que acha?
Lua: Pode ser - desanimada -

-

Arthur: Então ... - se levantando da cadeira e pegando seu caderno - ... De tarde nós nos encontramos na pracinha, Ray.
Ray: Huhum, estarei te esperando - deu mais um beijo na trave dele -

Lua e Sophia se arrumaram com roupinhas leves e agora estavam indo para a pracinha no carro de Lua. Estacionaram o carro próximo a praça e foram caminhando até a mesma.

Ray: Sabe, eu achei que você ficou lindo, achei não, tenho certeza disso.
Arthur: Que bom. - sorriu se aproximando dela -
Ray: Você é tão cheiroso! - falou lhe cheirando o pescoço e logo em seguida iniciando um beijo -
Arthur não sentiu a mesma coisa que sentia quando beijava Lua, mas não podia negar que a garota beijava bem.

Sophia viu, de longe, Arthur e Rayana se beijando. Lua ainda não tinha visto.

Soph: Aín, Lu. Vamos ... vamos embora? - não querendo que ela visse a cena -
Lua: Ué, mas por que? Acabamos de chegar. - não entendendo -
Soph: Ah ... - embaralhada - ... É melhor, porque acho que vai chover.
Lua: Tá mó sol, eu hein.

Quando ela virou-se novamente para continuar a andar, viu tudo o que jamais pensou em ver.

4 comentários:

  1. posta +++++++++++++++++++++++++++++++++++++

    ResponderExcluir
  2. Aii meu Deus .!.!
    Posta +++++++++++
    Ameeii *-*

    ResponderExcluir
  3. Posta mais pelo amor d Deus, eu necessito de mais +++++++++++++++++

    ResponderExcluir

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo