26 de mai de 2014

[Mini-Fic] "Cravo e Canela"

  

Capítulo 14



Três dias depois..

Lua estava mais triste que nunca. Só saía de casa para ir pra faculdade. Não havia visto mais Arthur, já que o mesmo não havia ido mais a faculdade desde o acontecido. Agora, ela estava deitada em seu quarto.

Lua: Eu fui muito burra quando fiz aquilo com o Arthur. Vacilei. Eu sou uma vacilona. Isso tudo por causa de uma merda de popularidade. - suspirou - Ahh. - gritou - Merda! Eu amo ele. - instintivamente começou a chorar -
Arthur estava comendo, quando Sophia chegou em sua casa. Ela entrou, comeu junto a ele (não pensem besteira) e depois saíram.

Ele já havia operado os olhos e já estava enxergando normalmente, tudo isso, graças a Sophia. Estavam no momento indo mudar o cabelo dele.

Soph: Faça um corte bem moderno nele, Pierre. - falou a seu cabeleireiro de longas datas, o salão não era chique mas era bem aconchegante.

Lua estava sentada em um banco no corredor da faculdade junto à Sophia. O corredor dava de frente a entrada da faculdade. Viu várias pessoas olhando para um ponto fixo e resolveu olhar. Se surpreendeu. Lá vinha ele. Lindo. Perfeito. Sem óculos. Cabelos cortados. Sem tantos livros na mão.

Soph: Vou lá falar com ele. - se levantando -
Lua: Você nem conhece o cara.

Sim, ela e nem ninguém além de Sophia haviam descobrido que ele era o #NERDFEIOSÃO de antes.
(Sem óculos e com um caderno na mão, o estojo estava enfiado no bolso de trás)

Soph: Conheço sim. Ele é meu amigo.
Lua: Seu amigo?
Soph: Arthur. - ela disse isso e saiu em direção a ele - Ui, já chegou arrasando. - falou assim que chegou perto dele e o abraçou -
Arthur: Que isso. - tímido e correspondendo o abraço - Tudo graças a você.
Soph: Fiz o que pude. - sorriu se soltando dele - As garotas estão pirando na sua.
Arthur: Tanto faz.
Lua: Oi - chegando - A gente pode conversar? - olhando diretamente pra ele -
Arthur olhou de um lado e de outro.
Arthur: Ela tá falando com você, Sophia. - falou dando um de bobo -
Lua: Eu quero falar com você e não com ela. - olhou rapidamente pra ela com um olhar de desculpas -
Arthur: Então Sôso... - fingindo que não tinha ouvido o que ela falou - ... Você me avisou sobre o trabalho e eu já fiz, amanhã eu trago.
Lua: Eu falei que quero falar com você. - começando a ficar nervosa -
Soph: Ér ... - sem saber o que fazer - Acho que eu vou indo.
Arthur: E vai me deixar aqui sozinho?
Lua: Eu tô aqui. - nervosa pelo modo frio que ele a estava tratando -
Arthur: Vamos pra sala, Sôso? - a ignorando novamente -
Lua: QUE MERDA! EU QUERO CONVERSAR COM VOCÊ, ARTHUR! - gritou -
Todos que passavam por ali, miraram a cena. Arthur suspirou.
Arthur: Falar o que?
Lua: Como o que? Sobre a gente.

As pessoas começaram a cuchixar. Comentários como: "Elas está bem?", "Ela bebeu?" e muitos outros.

Arthur: Sabe, acho melhor você ir tomar um banho frio, por que dizem que isso cura loucura.
Lua: Hã? - confusa e envergonhada pelas pessoas que riam dela -
Arthur: Ué, você só pode estar louca, por que nunca existiu a gente.
Lua: Nós ... nós ficamos.
Mel: Nossa, é o feiosão se transformar em gostosão, que a Lua já cai de boca. - essa frase fez muitos rirem -
Arthur: Eu nunca ficaria com alguém como você!

Mágoa ... Mágoa ... Mágoa ... Lua despedaçada ...
Ela não soube explicar o porque, mas seus olhos se encheram de lágrimas.

Pedro: Ih, a loira vai chorar. - comentou chegando no lugar -

Sophia vendo a cena, resolveu acabar com a situação.

Soph: Vamos pra sala, Thur?

Ela não poderia tirar Lua dali, ela merecia passar por isso.

Arthur: Vamos e você, Lua, vá procurar um neurologista, está precisando. - falou com desdenho e saiu com Sophia -

Ela não se mexeu. Não conseguia. As lágrimas caiam sobre seu rosto e ela não as enxugava. As pessoas riam, Pedro principalmente. Depois de minutos, tudo voltava ao normal. Lua se tocou que as pessoas começavam a ir pra suas salas e resolveu não assistir aula. Não estava com cabeça pra isso. Foi até o estacionamento e arrancou com o carro.

Dirigia com uma louca. Chorava. Chorava. Ultrapassou o sinal vermelho e quase atropelou uma mãe que passeava com uma criança, que deveria ser sua filha. Chegou em sua casa e nem cumprimentou sua mãe que estava no jardim. Subiu para seu quarto. Se trancou lá. Pegou uma foto sua que estava em um porta-retrato em cima da mesinha do computador e tacou no chão.

Lua: DROGA! SE NÃO FOSSE PELA MINHA BELEZA EU ESTARIA COM ELE AGORA. SE NÃO FOSSE PELA MINHA BURISSE AQUELE DIA, HOJE EU ESTARIA COM ELE.


Chegueeeeeeei \o/ 
Fiquei três dias sem internet #triste

2 comentários:

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo