19 de mai de 2014

Ligações Perigosas: Epílogo






"A atração pelo perigo está no fundo de todas as paixões profundas do homem."
( Anatole France )




Notícia urgente. Morreu agora à tarde o famoso promotor de justiça, Arthur Aguiar. Em uma explosão. Ao que parece, assim que o promotor ligou o carro a explosão aconteceu. A pericia ainda vai investigar se...” Era o que todos os noticiários falavam alguns minutos depois.Lua podia ver e ouvir por onde passava. E sorriu lateralmente.

Andava calmamente pelas ruas. Sua moto estava estacionada há três quadras do fórum, numa rua muito pouco movimentada. Foi aproximando-se do veiculo e logo sentiu duas mãos se apossarem de sua cintura, beijando-lhe o pescoço.

- Conseguiu?
- Eu sempre consigo tudo! – a risada rouca invadiu seu ouvido.
- É eu sei. – mordeu o pescoço dela, que riu.
- Você adora me morder!
- É porque você é deliciosa, blonde. – não sabia porque, mas toda vez que ele lhe chamava de blonde, se arrepiava – Ele aceitou morrer numa boa mesmo?
- Anham. Homens bombas estão por ai para isso meu bem. Veja pelo lado positivo, pelo menos ele só destruiu seu carro e ninguém se feriu...
- É, isso é bom!

Claro que ela não iria conseguir matá-lo. Jamais. Sua mente tão perigosa e tão articuladora pensou logo em um plano. Precisava “matar” Arthur e sumir com o corpo. E explosões eram sempre boas pedidas. Um homem bomba aceitou fazer o trabalho. Arthur trocou de lugar com ele, na saída do fórum, para ninguém desconfiar e saiu pelos fundos do prédio. Um plano todo pensado por ela...
- E ai, para onde nós vamos agora? – ele perguntou, beijando a bochecha dela.

- Estava pensando em Havaí. Umas férias cairiam bem agora, não?
- Muito bem... Mas eu estou morto, como vamos conseguir sair do país? – perguntou confuso e ela sorriu
- Documentos falsos que eu já providenciei.
- Documentos falsos? – perguntou incrédulo.
- Claro. Tudo na minha vida é ilegal, até mesmo você bambino.
- Dio mio, você é mais bandida do que eu pensava!
- É... Eu sou. – ela lhe deu um sorriso enorme, beijando-lhe a boca logo em seguida.

- E então, pronto para uma vida bandida com essa bandida aqui? – perguntou, livrando-se dos braços dele e pegando um dos capacetes do guidom da moto.
- Eu nasci pronto. – piscou o olho e ela só sorriu, subindo na moto, ele logo atrás
– Amore mio. – sussurrou no ouvido dela antes de colocar o capacete.

- Tesoro mio! – ela disse, baixando o capacete e deu partida na moto logo em seguida. – Segure-se firme, eu não costumo andar devagar. – o aperto em sua cintura foi imediato.

Aperto que a fazia sentir-se segura, que aquecia seu coração e seu corpo de uma forma surreal. Acelerou a moto. E foram sumindo na estrada, enquanto o sol estava se pondo.

Ela nunca pensou que um trabalho fosse se tornar tão excitante, interessante e especial.
Ele nunca pensou que ficaria tão encantado, fascinado e atraído por uma assassina.
E jamais passou por suas mentes que ficariam tão unidos. Tão próximos. E tão perigosamente ligados.

E por fim... Ela não foi parar atrás das grades e para a sociedade ele não se chama mais Arthur Aguiar.
"Antes de buscarmos o perigo, torna-se indispensável prevê-lo e temê-lo; mas, quando estamos metidos nele, só nos resta desprezá-lo. "
( François Fénelon )
 
• Fim •

Creditos: Roberta Cabral

Quero comentários *---*

Um comentário:

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo