12 de mai de 2014

Ligações Perigosas: Cap 4 - parte 2




Ele se irritou com o comentário dela, isso era nítido.
Não demorou muito para atirar, movimento que fora previsto por ela, já que desviou, se escondendo atrás da uma parede que tinha ao seu lado. Já escondida, mirou no homem que estava ao lado de Arthur, agora. Acertando um tiro em sua perna.

- Caralho, você me paga!
- Coloca na conta, querido. – gritou sorrindo.
E a troca de tiros começou.
Arthur fechou os olhos, rezando para nenhum deles lhe acertar, já que estava no meio de toda aquela confusão. Lua desviava, escondendo-se entre as paredes. Todas as coisas ao redor estavam com marcas de tiros. O cheiro de sangue estava no ar,Lua tinha o ombro ferido e o homem tinha a perna e o braço.
O silencio era tenso, ela estava encostada em uma das paredes e mal respirava e sabia que aquele tiroteio não a levaria a lugar algum, então decidiu fazer diferente. Sabia que tinha uma mira perfeita, precisava arriscar. Tirou a faca de sua bota novamente e suspirou.

Num movimento muito rápido, saiu de trás da parede e arremessou a faca. Acertou em cheio o pescoço do homem que foi ao chão rapidamente. Ela soltou um sorriso, andando até ele, abaixando-se e tirando a faca que estava bem na jugular. Quando o objeto foi retirado, o sangue começou a escorrer. Ela tirou a arma de sua cintura e acertou mais três tiros na cabeça dele.

- Eu dei escolha e você escolheu errado. – falou debochadamente.

Olhou para seu lado e viu Arthur lhe encarando espantado.

- Ah, vamos lá, não me olhe assim. – revirou os olhos e se aproximou dele, tirando a mordaça de sua boca.




- Você não presta, definitivamente.
- Hum... Não! – sorriu cinicamente – Está tudo bem com você?
- Sim... – ele ficou encarando-a – Então, vai me explicar o porquê de tudo isso? E como assim, eu sou sua vitima? – ela suspirou, indo desamarrá-lo.
- Você deve saber quem é Matteo Capulari!
- Ôh se sei, foi eu quem o colocou na cadeia!
- Então... – ela suspirou e evitou encará-lo – Ele quis vingança e me contratou para te matar!
- Como é que é? – ele explodiu num grito e ela revirou os olhos.
- Você é surdo? – ela soltou um suspiro cansado – Ele me contratou para te matar. Ele tem ódio de você. Como eu ainda não fiz o trabalho, ele te trouxe pra cá, pra ele mesmo fazer...
- Ah, que legal. Então você só se aproximou de mim para... Me matar? – a cólera presente nos olhos dele, deixou-a nervosa, com o estomago embrulhado e um nó na garganta.
- Isso! – falou baixinho.

Ele pegou o braço dela que estava com a arma e apontou para sua própria cabeça.

- Então faça logo seu trabalho! ME MATA! – gritou, ainda segurando a mão dela em sua cabeça.
- Cala a boca! – disse entre dentes, sentindo sua mão tremer.
- Vamos, acaba logo com isso! – insistiu, fazendo mais força na mão dela.
- Já mandei calar a porra da boca! – ela estreitou os olhos.
- ATIRA DE UMA VEZ, PORRA!
- Eu não consigo! – falou num sussurro.

Ele ficou encarando-a longamente, os olhos dos dois estavam brilhando de lágrimas. Ele não demorou muito mais para puxá-la de encontro ao seu peito e lhe envolver em um delicioso e urgente beijo.

Forever – Chris Brown.

Ele a empurrou em direção à parede mais próxima. Quando sentiu o impacto ela gemeu de dor. Ele parou o beijo e a encarou.

- Está tudo bem?
- Tudo ótimo. – e nem o deixou pronunciar nem uma frase, juntou os lábios aos dele novamente.

As mãos ávidas de Arthur já se faziam presentes no segundo seguinte, subindo pelas suas costas, indo de encontro com a sua nuca, apertando os cabelos fortemente. Ela gemeu e ele sorriu.
Um fogo sem igual consumia seus corpos de uma maneira que incendiava cada mínima terminação nervosa que existia neles. Suas línguas faziam um contato sublime, perfeito, encaixado, doce, quente. Tudo ao mesmo tempo.
Ele foi descendo sua cabeça de encontro ao colo dela, enquanto descia suas mãos para a barra da blusa, adentrando a peça e puxando o pano, rasgando o tecido de uma vez.
Tão forte e possessivo que arrepiou todos os pêlos existentes no corpo dela.
Os seios de Lua estavam cobertos por um sutiã preto. Arthur a olhou sedento, faminto. E não demorou muito até suas mãos tomarem posse da região tão sensível, ainda coberta, porém não a peça de roupa não se demorou muito ali, pois em um instante, Arthur tirou, jogando-o em algum lugar daquele chão e pouco importava, na verdade.

Ela não ficou muito atrás em tudo isso. Enquanto as mãos dele cobriam os seus seios em uma deliciosa massagem, ela gemia em seu ouvido e mordiscava o mesmo, fazendo-o ir mais rápido em sua caricia.

- Bambino... – sussurrou quase sem fôlego, levando suas mãos até a barra da blusa dele e parecia uma louca, querendo ver a pele dele.

Despiram-se feito dois loucos. Desesperados, ansiando por mais.
Oh sim, muito mais.
Apertavam-se, beijavam-se, esfregavam-se.
Ela foi escorregando suas costas pela parede, sentindo as pernas já bambas com toda aquela bateria de caricias, e o corpo dele, foi descendo junto, em perfeita sincronia.
Ambos desprovidos de roupas. Mas com as peles em uma constante erupção. Os corpos ansiavam por um contato mais intimo. Precisavam estar conectados de corpo, pois assim, suas almas se encontrariam. E sim, como precisavam.
Lua comprovou isso, quando sentiu os dedos de Arthur tocarem a sua intimidade. Gritou, extasiada, apertando o ombro dele, cravando suas unhas na pele branca e arranhando a mesma. 

- Blonde. Mia Blonde! – sussurrou contra o ouvido dela, quem soltou um suspiro ao sentir pequenos espamos percorrerem seu corpo.
Ela espalmou suas mãos logo em seguida no peito dele, fazendo-o deitar no chão. Cada célula, cada nervo, cada músculo estava em chamas, querendo-o dentro dela. Ela sorriu, olhando-o nos olhos, enquanto sentava na barriga dele quem suspirou logo em seguida, o que mais pareceu um gemido. Fora a deixa dela, para deslizar seu corpo até a intimidade já rígida dele.

E num só movimento, pôde senti-lo lhe preencher totalmente.
Como combinavam, como se encaixavam... Perfeitamente.
Os movimentos eram intercalados. Hora vagarosos, hora rápidos. Ele levou as suas mãos até a cintura dela, para lhe dar um maior apoio. Ela levou suas mãos aos cabelos, fechando os olhos, descendo-as até a barriga dele, indo mais rápido.

7 comentários:

  1. Posta +++++++++++++++++++

    ResponderExcluir
  2. Estava bom muitas saudades de ouvir o thur falar blonde

    ResponderExcluir
  3. Oque e blonde ?????

    ResponderExcluir
  4. Plagiadora! A Web Completa ta no Blog da shai. Nem os Credito você botou.

    ResponderExcluir

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo