29 de mai de 2014

Acasos do Destino

Capítulo 10

Casa dos Meninos
Chay: Olha Arthur, eu acho que você se deu mal.
Micael: Por que?
Chay: 19:40 meu filho, tá na cara que elas não vem.
Arthur: A Mel teria avisado.
Micael: Vai ver aconteceu alguma coisa importante.
Com Mel e Lua...
Mel: Não acredito nisso.
Lua: Isso é o Rio de Janeiro Mel.
Mel: Saudade de Paris.
Lua: Vai me dizer que em Paris não existe engarrafamento?
Mel: Desse jeito não.
Lua: Calma... Daqui a pouco a gente chega lá.
Mel: Eu vou ligar pro Arthur.
Lua: Já devia ter feito isso.
Mel: Droga ! (Estava irritada)
Lua: O que houve?
Mel: Tá sem sinal.
Lua: Deve ser problema na operadora.
Pronto, começou a andar.
Mel: Finalmente.
Casa de Arthur
Campainha tocando...
Arthur: Pensei que não vinham mais.
Mel: Pegamos um trânsito horrível.
Micael: Horário de pico no Rio de Janeiro é assim mesmo.
Chay: Acostume-se morena.
Mel: Morena?
Chay: Ué tu é morena né? Ou eu sou daltônico? (Fez graça e todos riram)
Micael: Chay e suas piadas sem graça.
Chay: Sem graça, mas todo mundo riu.
Arthur: Só pra você não ficar chateado.
Lua: Não liga pra eles.
Chay: Que tal irmos jantar?
Eu tô com fome !
Arthur: Vamos.
Pov Narrador: Sentaram-se a mesa e jantaram.
Foi um jantar muito divertido e agradável.
Lua já se sentia a vontade entre eles, já eram bem amigos.
Micael: Lu, desculpa a intimidade, mas como você ficou grávida?
Chay: Como Mica?
Deixa eu contar a história pra você. Então... Ela tava lá na casa dela de boa assistindo um filme aí uma cegonha apareceu, deixou o bebê e foi embora.
Micael: Hahaha... Muito engraçadinho Chay.
Lua: (Rindo) Sem problemas Micael.
Eu fui em uma boate, tinha brigado com meu pai e acabei bebendo muito aquele dia.
Aí eu conheci um garoto, conversa vai, conversa vem eu acabei indo parar na casa dele, e não me lembro de mais nada.
No outro dia quando eu acordei ele estava no banho e eu fui embora antes que ele saísse.
Chay: Não sabe onde ele mora, nada disso?
Lua: Não. Se eu não me engano era um prédio azul lá no Leblon, mas como eu não conhecia a cidade muito bem naquela época não sei onde ele mora.
Arthur: E você nunca voltou na boate, nunca tentou procurar ele?
Lua: Eu decidi que ia criar minha filha sozinha, tive o apoio da minha mãe e da Mel.
Terminei os estudos, arrumei um emprego e hoje vivo a vida que quando eu descobri que tava grávida pensei que seria impossível ter.
Chay: Que tal um sorvete?
Arthur: Eu apoio.
Chay: Alguém vai comprar comigo?
Micael: Eu tô fora.
Arthur: Nem olha pra mim.
Lua: Vai lá Melzinha.
Mel: Bando de preguiçosos. (Levantou do sofá rindo)
Bora Chay?
Chay: Vamos.
Paris
Rayana: Soph... Você tem certeza que é isso que quer?
Sophia: Tenho Ray.
Eu vou pro Brasil com você.
Rayana: Ok.
Eu tenho uma proposta de emprego lá, posso ver se consigo arrumar um para você.
Sophia: Ai prima, eu não sei o que faria sem você !
Vamos arrumar as malas?
Rayana: Vamos.
Brasil
Chay: Err... Mel?
Mel: Oi?
Chay: Se eu fizer uma coisa, promete que não vai me bater?
Mel: Prometo !
Pov Narrador: Chay encostou Mel na parede do elevador e beijou ela.
Um beijo calmo, delicado e muito apaixonado.
Isso mesmo, apaixonado.
Chay sempre teve uma quedinha por Mel, mas nunca teve coragem de falar e hoje vendo ela tão linda como estava não conseguiu se controlar.
Mel: Por que fez isso? (Saiu do beijo)
Chay: Desculpa.
É que eu sempre tive uma queda por você, e hoje eu te vi assim, tão linda, não consegui me conter.
Pov Narrador: Mel não disse nada. Estava sem palavras apenas deu outro beijo em Chay e quando a porta do elevador abriu ela saiu em direção a porta do apartamento deles.

3 comentários:

  1. Psiu? Nao olhou ainda? Ta esperando o que? Vai no http://fanficeternamente.blogspot.com.br/?m=1 e leiam pf a web Apenas Ele, sei que vão gostar! Obg :)
    Postr mais

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Posta o 1° capitulo.

      Excluir
  2. Kkkk essa do Chay foi ótima kkkk
    Cegonha kkkk
    Adorei :)

    ResponderExcluir

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo