23 de mar de 2014

Mini fic - Sonho de Verão


Capítulo 2 - Penúltimo capítulo



Pov Lua
Assim que terminei de escrever meu diário fui tomar um banho. Coloquei um pijama e fui para a sala ver se tinha alguma coisa para fazer. TV? Já estava cansada. Comer? Sem fome. Ligar para o pessoal! Liguei o computador e esperei as meninas entrarem. Nós tínhamos feito uma conta nossa no Skype: A.M.I.G.A.S., que significa "Associação de Meninas Interessadas em Gargalhadas, Segredos e Amores", mas cada uma tinha a sua separada. Até que achava criativo, assim que elas entraram eu liguei:

Lua: Oi meninas!
Mel: Oie!
Sophia: Como vai por aí?
Roberta: Hoje eu fui fazer uma caminhada e parei no quiosque.- Não queria que elas soubessem que eu havia passado mal, poderiam ficar muito preocupadas.
Mel: E...- Impressionante como me conheciam bem.
Lua: E encontrei um garoto lindo, fofo. Almoçamos juntos e passamos a tarde também juntos.
Sophia: AAAAAAAAAAAAAAAA!
Lua: Só isso, e vocês aí?
Sophia: Normal.
Mel: Namoramos.
Sophia: Tomamos sorvete.
Mel: Fomos no shopping.
Sophia: Fofocamos.
Mel: Colocamos apelidos engraçados em todos que passavam na nossa frente quando estávamos sentadas no calçadão.
Lua: Legal meninas.
Sophia: Os meninos vão dormir aqui em casa hoje! Estão tomando banho.
Lua: Então tá bom meninas. Agora eu preciso desligar, meu pai acabou de chegar, vou lá ver ele.
Mel: Tudo bem, beijo e amanhã não vai dar para conversar, vamos numa festa.
Lua: Tá, beijos.
Sophia: Beijo, te amamos.- Soltei um sorriso.
Lua: Também amo vocês.

  Assim que desliguei desci para falar com meu pai:
  
  - Oi pai, como foi o trabalho?
  - Cansativo, amanhã eu não durmo em casa, só no final da tarde de depois de amanhã que eu volto.
  - Mas pai, a gente tinha que passar um tempinho juntos.
  - Eu tenho trabalho filhota, mas assim que der a gente sai na praia para pegar umas ondas tá?- Um lado do meu pai era um homem de negócios, mas também era um bom surfista. 36 anos de pura juventude!
  - Tudo bem.
  - Vou lá jantar, acho melhor dormir, já são nove da noite.- Ele nunca se conformou que eu um dia ia deixar de ser criança, um pai muito coruja. Concordei, subi e fiquei ouvindo música até dormir.

Pov Arthur
Assim  que entrei em casa me joguei na cama, estava meio que cansado e dormi rápido. Acordei por volta das 9:00. Me levantei num pulo, tinha dito a Lua que iria vê-la. Coloquei uma roupa e tomei um café rápido. Sai de casa e peguei uma condução para ir a sua casa. Quando cheguei, toquei a campainha umas 3 vezes até ela atender:

  - Oi! Você aqui?
  - Ué, eu não disse que vinha?
  - Pensei que era brincadeira.- Ri.
  - Claro que não, e aí, está afim de fazer o que?
  - Não vai trabalhar hoje não?
  - Minha folga é às sextas e o final de semana não trabalho.
  - Hm...
  - E seu pai, onde está?
  - Só volta depois de amanhã no final da tarde porque tem trabalho.
  - Que pena. Então vamos?
  - Aonde?- Ela me perguntou curiosa.
  - Um passeio, alguma coisa.
  - Vou só me arrumar, vai entrando.- Entrei e fiquei esperando ela descer.- Vamos?
  - Claro, quer fazer o quê?
  - Você disse que era surpresa.
  - A surpresa era você escolher.
  - Hm...- Ela pensou um pouco.- Eu quero que você escolha.
  - Sério? 
  - Aham.- Ela balançou a cabeça em afirmação.
  - Então... Primeiro, vamos na praia, depois almoçamos, depois passeamos na cidade, depois... depois não sei.
  - E esse pouquinho de coisas nesse monte de tempo.
  - Você nem vai perceber?
  - Então vamos.

  A gente caminhou até a praia, fiz muitas cócegas nela e rimos muito. Acabamos por sentar no meio da areia:

  - E me conta, como é a sua vida lá em Porto Alegre?
  - Eu estudo ainda, tenho... sei lá, é uma vida normal, com meus amigos, minha mãe, o colégio. E você?
  - Eu só trabalho no quiosque mesmo, já terminei meus estudos. Moro sozinho, porque brigava muito com meu pai.
  - Que chato.
  - Nada! É ótimo morar sozinho, chega a hora que quer, faz o que quer, arruma quando quer.- Ela riu.- Topa entrar no mar?
  - Não coloquei biquíni.- Sinceramente, pensei besteira na hora.
  - Ué, vai de roupa.
  - E depois eu vou vestir o que?- Ela colocou as mãos na cintura.
  - Vai perder mar porque não quer entrar de roupa?
  - Claro!
  - Lua! Bora entrar, pelo menos a ponta.- Tentei convencer ela, mas não deu. Passamos um tempo no "entra" e no "não".- Então vamos almoçar que já são 13:30.
  - Tudo bem.

Pov Lua
  Eu e o Arthur começamos a andar e de repente eu vi que a mão dele pegou a minha:

  - Que foi?
  - Nada.
  - Porque pegou na minha mão?- Sorri para ele.
  - Sei lá, mas tudo bem.- Quando ele foi tirar eu segurei.
  - Não precisa, pode deixar.- Sorrimos e voltamos a andar. De verdade, pareceu até que eu era uma apaixonada, ou era mesmo. Parecia estar realmente apaixonada, pelo Arthur! Soletrando, Ar-thur. Até tinha me lembrado daquela piada "eu disse... 39!", muito besta aliás, mas que eu ria até me acabar.
  - Chegamos, aqui tem um caranguejo delícia.
  - Oba! Eu amo caranguejo.- Sentamos numa mesinha, pedimos e começamos a conversar.
  - Eu queria conversar com você.
  - Já está.
  - É que eu queria te dizer uma coisa.- Comecei a levar a sério.

Pov Arthur
  Estava disposto a conversar com ela, contar tudo que sinto e tal. No começo achei meio precipitado, conheci a garota ontem pela tarde e, vindo de mim isto é uma raridade, estou apaixonado. 

  - Tudo bem, pode falar.- Hesitei, pensei e ela me olhou curiosa.
  - Bom, é que...- Ainda bem que o garçom chegou na hora. Comemos em silêncio, mas no final ela perguntou:
  - Dá para me dizer o que queria falar?
  - Bom, meio que... pode ser outra hora?
  - Por mim tudo bem.- Saímos e ficamos andando numa calçada no centro.
  - Senta aqui.- Apontei para um banco e sentamos um ao lado do outro.- Ér... Lembra que eu queria te falar uma coisa?
  - Aham.
  - Se eu falar promete que não vai rir?
  - Aham.
  - Sério?
  - Aham.
  - Tá bom. É que... euestouapaixonadoporvocêquernamorarcomigo?
  - Aham.- Eu me espantei.- O quê? Não entendi nada.
  - Eu... estou apaixonado por você, quer namorar comigo? Você também é apaixonada por mim? Você gosta de mim? Acredita em namoro à distância?- Soltei tudo na hora.
  - Peraí, uma coisa de cada vez.- Ela pensou um pouco.- Sim para todas as perguntas.
  - Então quer namorar comigo, é apaixonada por mim, gosta de mim e acredita em namoro à distância?
  - Aham.
  - Sério?
  - Aham.- Eu a beijei.
  - Quer fazer o que hoje de noite?
  - Escolhe tu.- Ela passou as pernas no meu colo e recostou a coluna no encosto do banco.
  - Vamos lá na minha casa para você conhecer, e pode dormir lá.
  - Então antes passamos na minha para eu pegar uma roupa tá?
  - Tudo bem, então vamos.- Demos um selinho e fomos com a condução.
  - Vou subindo e já volto.

Pov Lua
Subi e aproveitei para escrever um pouco:

"Querido diário, 
estou indo dormir na casa do Arthur. Meu pai só volta amanhã pelo final de tarde. Começamos a namorar, e estou até com um sonho, pode me chamar de... maliciosa? É né, mas minha primeira vez foi horrível, por isso, releve. Apenas sonho com um dia (ou noite né?) lindo. Agora beijos, preciso ir. Desculpe a embolação, estou com pressa.
Lua"

  Peguei uma bolsa pequena e coloquei um conjunto de roupa e outro de babydool. Minhas utilidades pessoais e desci:

  - Podemos ir.
  - Claro coisa linda.
  - Coisa linda?
  - Aham. Você é uma coisa muito linda.- Ele me abraçou pela cintura e beijou e cheirou meu pescoço me fazendo cócegas.
  - Bora.- Pegamos as mãos e entramos no primeiro ônibus:
  - Parecemos dois bobos apaixonados à primeira vista.
  - E não somos?
  - Claro que sim.- Ele respondeu.- Mas não acha que foi rápido demais?
  - Não é por isso que se chamar amor à primeira vista?
  - É mesmo né?- Refleti.
  - Vamos coisa linda, chegamos.- Me deu um selinho.
  - Nunca recebei tanto selinho de uma vez só e tantos "coisa linda", mas também é bom levar em conta que só tive um ficante em toda a vida.
  - Sério?- Me perguntou incrédulo abrindo a porta do apartamento apontando para eu entrar.
  - É, e que bagunça é essa?!- Tinha roupa espalhada no chão, todo tipo de roupa, comida esparramada na mesa e no chão, um copo quebrado no meio do corredor, mil e uma poças de água espalhadas e a TV ligada.- É que...- Ele coçou a cabeça e depois se "libertou".- São as vantagens de morar sozinho, mas quer me ajudar a arrumar?
  - Claro, tem avental?- Resolvi ajudar, se eu iria dormir ali não seria na bagunça total.
  - Não tem não, mas vamos assim mesmo. Dá aqui a mochila e eu vou colocar ali no meu quarto, os materiais de limpeza ficam ali.- Ele apontou e seguiu no corredor. Primeiro fui ver a TV, passa Big Time Rush.
  - Assistindo Big Time?
  - O Logan e o Carlos são muito lindos.- Sou super fã dos dois.
  - E eu?
  - Ciúmes?
  - Eu?
  - Quem mais?
  - Não.- Eu ri e desliguei, percebi que estava sem camisa.
  - Eu não vou pegar a roupa hein!
  - Pode deixar.- Ele pegou a roupa, assim que deu o primeiro passo escorregou que ouvi o "baque!", fui ajudar e acabei caindo em cima dele.- Te amo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo