23 de mar de 2014

Capítulo único: Um fio de cabelo seu


Nome: 'Um fio de cabelo seu'
Sub-título: 'O Impossível'
Escritora: Vitória Fernandes
Gênero: Drama



"Arthur, eu tenho que te dizer uma coisa. A gente se casou, teve filhos mas nunca te contei. Sempre te contei tudo, exceto o que vou te dizer agora." Lua sempre foi sincera com Arthur mas nunca contou o real motivo de ela achar que ela tinha que ter tudo logo, aproveitar a vida enquanto ela durasse. Se apaixonou, se casou e teve filhos muito jovem. Um dia, tudo isso vai acabar. E ela sabia, apenas ela e seus pensamentos se lembravam como se fosse ontem, daquele papel que confirmava que Lua tinha uma grave doença que não tinha cura. 

"O que foi? Tá me deixando com medo." Arthur foi se aproximando lentamente de Lua. "Arthur... Eu não te contei isso antes por algum motivo que agora nem ia mais fazer sentido. Eu estou doente... - Lua pausa e olha fixamente para os olhos de seu marido - Tenho uma doença que não tem cura, e a qualquer momento, eu posso não mais respirar..." sua voz era tremula. Arthur se distanciava e sentou no sofá da sala onde estavam. Não acreditando no que sua esposa tinha acabado de dizer. 

"Você só pode estar brincando. Lua, isso não se faz!" Arthur não acreditava.

 "É verdade. Eu não estou brincando, Arthur. A qualquer momento não vou mais poder estar ao seu lado sem acompanhar o crescimento de nossos filhos. Eu te amo Arthur, aonde quer que eu esteja, vou sempre levar você no meu coração..." Lua enxia seus olhos d'água. 

"Não pode ser verdade! - Arthur continuava a não acreditar - Lua, eu te amo. Você não pode ir embora. Eu prefiro morrer, se eu ver você dentro de um caixão, eu me enterro também!" Arthur começava a chorar. 

"Arthur, eu vou ser internada. Vou ter que te abandonar. " Lua chorava. 

"Não faz isso Lua." - Lua se sentava ao lado de Arthur. Arthur segurava as mãos de Lua com toda a força. "Eu vou ter que ir, tenho poucos dias de vida." Lua enxugava as lágrimas.

 "Eu não vou deixar você, eu te amo. Sempre te amei!" As lágrimas corriam em seu rosto e de repente, Lua se levantava do sofá ficando de costas para Arthur. Arthur se levantou do sofá rápido e foi em direção á Lua, lhe agarrou e lhe abraçou com toda a força que tinha.

 "Eu te amo." Lua chorava no ombro de Arthur em quanto ele lhe abraçava. "Eu te amo. Muito, muito, muito Lua!" - Arthur solta Lua e lhe dá um beijo, pareceria que seria o último, mas ele estava enganado. Os dois se beijavam, estavam trêmulos que mau conseguiam ficar em pé. "Por que não me disso isso antes, a gente poderia ter feito alguma coisa." Arthur á soltava. 

"Não ia adiantar nada. Eu queria aproveitar os últimos momentos de minha vida ao lado das pessoas que eu amo. Amo você." Lua secava as lágrimas. 

"Bom, eu não vou brigar." 

"Agora eu tenho que ir ao hospital. Mas primeiro, quero dar um beijo nos meus filhotes. Cuida bem deles tá Arthur? Nunca desaponte a Maria e o Murilo, eles vão precisar muito de você." Lua pegava suas coisas em cima da mesa de centro. 

"Pode deixar, eu vou tentar ser um pai e mãe ao mesmo tempo, mesmo que eu não consiga ser eles ao mesmo tempo. Mesmo você sendo insubstituível . - Posso lhe acompanhar?"

 "Não sei, eu prefiro morrer sozinha." 

"Lua, não diz isso." 

"Diga a minha mãe que eu amo muito ela e deixa ela cuidando dos meninos enquanto eu vou...ainda vai me acompanhar?" 

"Pode deixar." Arthur responde lentamente. 

"Bom, o médico disse que eu tinha 3 dias de vida. Esse é o último. Eu vou ir logo..." Lua segue em direção ao quarto de seus filhos. Dá um beijo na teste de Maria primeiro, se emociona , uma sensação de 'despedida', o ultimo dia de sua vida. Lua caminha e vai até a cama de Murilo, fica uns 3 segundos olhando seu filho e lhe dá um beijo em sua bochecha. Arthur abraça Lua de costas, Lua encostava sua cabeça lentamente em seu braço. "Arthur, eu não quero morrer!" Lua chorava. 

"Eu também não quero te perder. Você foi a única mulher que eu amei em toda a minha vida!"

Lua e Arthur seguem em direção a porta do quarto. "Eu te amo muito viu, me desculpe por tudo que fiz, eu não te contei. Sei, foi um erro. Só peço que me perdoe." Lua enxugava as lágrimas enquanto Arthur pegava seu casaco, seu celular, sua carteira e a bolsa de Lua. "Lua, eu nunca vou te esquecer. Ninguém vai ocupar o seu lugar, você é única. Nunca irei te esquecer."


Arthur e Lua entram no carro e seguem em direção ao hospital. No caminho, os dois seguiam quietos, mudos, sem se quer dizer nem uma palavra. Eles chegam no hospital, ainda quietos. "Oi doutor, tudo bem?" dizia Lua com voz tremula. "E ai doutor, não tem chance de ela se recuperar?" dizia Arthur aflito. "Vem aqui, meu rapaz." O doutor levava Arthur até seu consultório deixando Lua vendo os quadros da recepção do hospital. "Diga doutor." "Arthur não é?" "Sim." "Bom, a Lua tem um tumor no celebro, não dá mais pra se recuperar. Hoje é o dia, a qualquer instante ela..." Os dois ouvem um grito vindo do saguão do hospital, correm e chegam lá. Quando chegam, viram Lua deitada no chão e os pacientes desesperados. "Lua!" Arthur gritou. "Arthur, ela morreu."

"LUAAAAAAAAAA!" Arthur acordava de um pesadelo que parecia não ter mais fim. Lua sai correndo da cozinha, preocupada com seu marido. "O que foi?" Arthur á observava com medo, ele estava tremendo e com uma respiração muito ofegante. "Você não é real. Não, eu só posso estar sonhando!" "O que você tá dizendo? Eu sou a Lua, sua mulher!" Lua já estava ficando meio que com medo de Arthur. "Cadê a Maria e o Murilo?" "Quem são eles?" "Ué, nossos filhos!" Arthur estava mais calmo. "Arthur, a gente recém se casou. - Lua se senta em sua cama junto á Arthur - E você já está pensando em ter filhos? Tá apressadinho, hein?!" Lua ri. "Bom, eu devo ter sonhado mesmo, foi um sonho terrível." Arthur se estava em seu estado normal. "O que aconteceu nesse sonho?" Lua se mostrava curiosa. "Você precisa ir ao médico, você está com um tumor que se for tratar agora, talvez se cure." Arthur se levantou da cama correndo, foi ao banheiro, se arrumou e levou Lua ao médico. "Doutor, me diga. A Lua está com um tumor?" "Que isso Arthur, eu estou bem. Eu me recuperei antes de casar com você, né doutor?" 
Arthur reconheceu que estava ficando maluco, ficou com vergonha e pediu desculpas a sua esposa. "Desculpa Lua. Eu tô alucinado, eu sonhei que você tinha morrido por causa dessa doença! Você nunca me contou que já teve essa doença.!" "Me desculpa eu Arthur, eu nunca te contei. Mas eu pensava que devia ficar na minha, não ia falar dessas coisas com você, a gente é tão feliz. Não queria lembrar de quando eu fiquei muito doente, fui internada, desmaiei  e todos pensavam que eu tinha morrido." "Foi isso que aconteceu em meu sonho." "Ai, Arthur eu tô enjoada..."  "Lua!" Arthur fica assustado. "Eu também não tinha te contado uma coisa!" "O que foi dessa vez?" Arthur estava com medo do que ela iria lhe contar. "Eu estou grávida!" Lua dizia empolgada. "Grávida?" Arthur se mostrava contente. "É." "Lua, eu te amo!! Muito, muito, muito." "Eu também te amo Arthur, demais, demais, demais!"  "Parem com isso, eu vou começar a chorar." dizia o médico emocionado.

Um sonho, aos poucos se tornar real. Isso parece ser 'impossivel', mas não é. Eles podem se tornar em realidade.

Fim...

3 comentários:

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo