23 de mar de 2014

Capítulo único: Be mine.


Sinopse: Sou Lua, tenho 23 anos, sou brasileira, moro nos Estados Unidos desde meus 19 anos, sou casada há seis meses com o cantor Arthur Aguiar do McFly. Por incrível que pareça isso é verdade. Hoje recebi uma noticia que vai mudar minha vida e, consequentemente, a dele. Com essa noticia lembrei de como nos conhecemos, eu sempre soube quem ele era, mas não era fã. Na verdade eu não os suportava. Eu os achava muito metidinhos. Foi uma situação meio cômica e meio traumatizante.



Flashcack on

 Eu estava andando pela rua carregando meus livros da faculdade, já passava das 10 da noite e eu estudava longe de casa. Eu estava andando distraída cantando uma música da minha banda preferida, quando fui cercada por um carro e um louco saiu de lá vindo na minha direção, me encurralando no muro, fazendo com que meus livros caíssem. Pensei: "É agora que eu vou morrer! Deus me perdoa por tudo". Ele começou a gritar me perguntando:

-O que você pensa de mim? O que você acha que eu sou? Diz-me.
 -Você é maluco? Eu nen te conheço, sai de perto de mim, ou eu vou gritar que você é tarado
.-Por favor, me diz o que você acha de mim.-ele parecia desesperado, olhei melhor para ele e vi que era Arthur Aguiar. "Será que ele é maluco?", pensei. Mas agora também não importa, ele vai ouvir umas boas verdades
.-Você realmente quer saber o que eu acho de você? Pois bem eu vou te dizer. Eu acho você e seus coleguinhas de banda um bando de garotos mimados. Mas principalmente você. Eu não suporto você, você é um mimado, superficial. grosso, ignorante que só pensa em si próprio, não tem o menor respeito pelos outros, você não passa de um nada, eu te considero um nada Arthur Aguiar. Você não tem noção do que é a vida. Tem muito o que aprender. Eu tenho pena da sua familia por você fazer parte dela, eu tenho pena de você.-eu disse gritando com raiva sem perceber que a cada palavra minha ele chorava, infelizmente ou felizmente não sei, fui tomada pela culpa -Me desculpe, eu não devia ter falado essas coisas pra você.
 -Não. Devia sim. Eu precisava ouvir isso. Eu sou uma pessoa horrivel. Como eu pude chegar a esse ponto...-ele continuou chorando e parecia estar nervoso.
 -Olha só, você precisa se alcamar.-eu disse me aproximando.
 -Você não entende. Você não sabe pelo o que eu to passando.-ele disse me olhando como se pedisse ajuda.
 -Se você quiser me contar, estou disposta a te ouvir.
 -Não quero te atrapalhar. Você deve estar cansada e querendo ir pra casa.
 -Pra falar a verdade, estou sim. Mas não custa nada te ajudar. Além do mais, você pode me dar uma carona depois.-eu disse sorrindo.
 -Tudo bem então.
-Ótimo. Agora para de chorar.-eu disse secando o rosto dele e recebendo um sorriso dele.
Atravessamos a rua e fomos á lanchonete que tinha ali em frente. Sentamos á mesa e pedimos um suco. Fiquei olhando esperando ele falar mas, percebi que ele só me analisava.
 -Então...-iniciei.
 -Você deve ter percebido que eu me tornei um popstar muito "mimado" como você disse. E isso me trouxe muitos problemas, porque meus pais e meus irmãos não concordavam com minha postura então hoje depois de uma grande burrada eles falaram isso que você disse e muito mais, eu não gostei e discusti com eles. Saí de casa e comecei a dirigir pela cidade, e avistei você. Pensei então perguntar pra você o que pensava de mim. Eu precisava ouvir alguém de fora da situação o que eu representava. Desculpe-me se te assustei.-ele disse cabisbaixo.
 -Assustar você assustou, mas acho que nós dois aprendemos coisas hoje.-ele me olhou sem entender-Eu aprendi a não julgar as pessoas sem conhecer e você aprendeu a ouvir a opinião alheia.
 -É você tem razão. Eu ainda não sei o seu nome.-ele disse sorrindo.
 -Lua. Prazer te conhecer.
 -O prazer foi todo meu, pode ter certeza disso.

Ficamos conversando um tempão até que ele me levou pra casa dizendo que queria me ver mais uma vez. Concordei passando meu número de telefone pra ele.

Flashback off

Hoje, três anos e seis meses depois, estou relembrando de fatos muitos importantes da nossa vida juntos. Como por exemplo, o nosso primeiro beijo. Lembro que nesse dia ele me deu uma flor dizendo que só ela bastava pra representar tudo que sentia por mim. Guardo até hoje essa flor dentro do livro que eu lia na época que ele me deu. Foi um momento emocionante.

Flashback on

Nós tinhamos marcado de nos encontrar no Píer próximo a minha casa. Cheguei primeiro como sempre e não esperei muito, logo ele chegou com um violão. Assustei-me, mas não questionei nada. O pôr do sol estava quase começando quando ele falou:

-Eu escrevi uma música pra você.-ele disse de repente.
-Sério? Qual o nome?
-Please, be mine.(Por Favor, seja minha)
-Canta pra mim.
-Está bem.-ele pegou o violão e começou a tocar e cantar olhando nos meus olhos.

"Eles vêm e eles vão, mas eles não sabem que você é a minha linda
 Eu tento vir mais perto de você,
 Mas todos eles dizem que nós não conseguiremos
 Mas eu estarei lá pra sempre

 Você verá que é melhor nossas esperanças
 E nossos sonhos virarão realidade
 Eu não vou te desapontar eu estarei bem ali pra você
 Até o fim dos tempos por fovor, seja minha

 Eu estou dentro e fora do amor com você
 Tentando descobrir se isso é realmente verdade
 Como eu posso provar meu amor
 Se todos acham que eu não sou bom o bastante

 Mas eu estarei lá pra sempre
Você verá que é melhor nossas esperanças
 E nossos sonhos virarão realidade
 Eu não vou te desapontar eu estarei bem ali pra você

 Até o fim dos tempos, por favor, seja minha
 Eu não posso evitar que a chuva caia,
 Eu não posso evitar que meu coração chame por você
 Está chamando por você,
 Por favor, seja miha"

-Eu não sei o que dizer.
-Apenas diga que aceita essa rosa branca, ela representa tudo o que eu sinto por você, um amor simples e puro, mas que pode mudar o mundo.
-Thur, sinceramente eu não sei o que te dizer...-logo me veio uma idéia na mente- Acho que eu posso mostrar melhor do que explicar tudo que eu quero te dizer.-eu disse e em seguida o beijei.

Flashback off

Sem duvida esse foi um dos melhores dias da minha vida. Aquele beijo foi mágico, mais do que especial, depois desse dia eu tive a certeza que nós seriamos um do outro pra sempre. Mas em momento algum imaginei que um dia estaríamos casados e felizes como estamos hoje. Em pensar que aquela briga que tivemos poderia ter sido o fim se não tivéssemos passado por cima do nosso orgulho e visto que não valia à pena deixarmos um amor como nosso acabar por uma briga sem sentido.

Flashback on

Ele estava quase entrando em turnê de novo, mas dessa vez eu não poderia ir porque eu não podia deixar a faculdade. Eu estava falando com o Jason um amigo da faculdade quando ele entrou no meu quarto dando o seu muito conhecido ataque de ciúme.

- Com quem você estava falando Lua?
- Com um amigo por quê?
- Era o Jason não era? – confirmei com a cabeça – Eu já disse que não quero você falando com esse cara. – ele gritou.
- E eu já disse que você não manda nas minhas amizades.
- Esse cara só ta se fingindo de seu amigo pra tirar você de mim. Só você não percebe.
- Pelo contrario Arthur, só você vê isso. Ninguém mais vê. Isso é coisa da sua imaginação fértil.
- Está me chamando de maluco agora?
- Não. Só estou dizendo que você esta vendo coisas onde não existem.
- Ou seja, esta me chamando de maluco. O que você tava falando com ele?
- Que eu iria sim fazer um trabalho na casa dele porque eu não poderei ir à turnê de vocês.
- Como não? Você sempre vai.
- Só que dessa vez, a sua turnê vai ser no meu período de aulas e eu não posso perder.
- E você vai pra casa desse cara sozinha?
- Vou.
- Não vai. Eu não quero você sozinha com ele.
- E você vai fazer o que pra me impedir? – perguntei nervosa.
- O que eu vou fazer? – ele gritou – Você não me obedeça pra ver o que vai te acontecer.
- To morrendo de medo de você. – eu disse debochada.
- Pois deveria ter. – ele disse me olhando com um olhar duro que me doeu na alma.
- Eu não tenho medo de você, não me importo com a sua opinião e eu vou sim fazer o trabalho na casa dele quer você queira ou não. – eu gritei a ultima parte.
- Tudo bem pode ir. – ele me olhou friamente – O nosso namoro termina aqui. – ele disse e saiu do meu quarto, da minha casa e da minha vida.

Passou uma semana e ele saiu em turnê, fui fazer o trabalho na casa do meu amigo e me ferrei, o Arthur estava certo. Perdi o chão com isso. Como eu pude perder o Arthur por causa dessa coisa boba. Os três meses de turnê foram os mais terríveis pra mim, parecia que nunca acabava. Hoje eu vejo o quanto isso fortaleceu nossa relação. Só provou que o nosso amor supera brigas e até mesmo a distância. Quando ele voltou da turnê ele não me procurou de imediato como eu pensei que faria. E isso tirou todas as esperanças que eu tinha em relação a ele. Fui pra faculdade triste e voltei mais triste ainda. Quando abri a porta de casa vi um papel no chão como se tivesse sido colocado por baixo da porta. Peguei o papel e li:


“Não importa se você está perto ou longe, o que importa é que você existe, para que eu possa sentir sua falta. Me desculpe por ter sido tão ciumento. Sei que você é incapaz de me trair. Amo-te. Seu Thur.

Obs.: Se ainda me quiser assim que ler isso me encontre no mesmo píer que demos nosso primeiro beijo. Ah no seu quarto tem uma flor pra cada minuto que eu senti a sua falta.”

Não acreditei quando li, não é possível que ele exista de verdade. Subi correndo e entrei no meu quarto. Foi muito difícil eu conseguir andar por ali, estava repleto de rosas, quando eu voltasse contaria. Corri para o banheiro tomei banho, troquei de roupa e fui para o píer. Eu estava nervosa. Cheguei ao píer e tinha uma mesa arrumada para duas pessoas me aproximei e olhei tudo deslumbrada. Logo senti o perfume que tanto amo e a voz que tanto me faz bem:

- Pensei que não viesse. Eu já estava desesperado achando que você não me queria.
- Thur me desculpa eu... – tentei falar.
- Esquece isso Lua. Eu não me importo, a única coisa que importa é estarmos juntos. Eu senti muito a sua falta. – ele disse acariciando meu rosto.
- Eu percebi pela quantidade de flores que tinha no meu quarto. – eu disse rindo, fazendo-o rir também.
- Só que a mais especial eu ainda não te dei.
- Não? – perguntei sem entender.
- Não. Ela esta ali ó. – ele apontou pra mesa onde tinha pratos e uma rosa em cima de um deles.
- Me deixa ver então. – me aproximei da mesa e peguei a flor, olhei pra ela e vi que tinha alguma coisa dentro dela, tirei e me deparei com uma aliança linda, meus olhos se encheram de lagrimas e eu me virei pra ele – O que significa isso Joe? – perguntei com a voz falha.
- Quer casar comigo Lua? – ele perguntou ajoelhado na minha frente com um sorriso lindo nos lábios.
- Thur... – eu disse sentindo as lágrimas escorrerem – É claro que eu aceito, o que eu mais quero no mundo é ser sua esposa.
- Quando duas pessoas se amam, elas não se submetem e não se dominam apenas se completam. Você Lua me completa, finalmente posso dizer que encontrei a minha alma gêmea.
- Eu te amo Arthur.
- Eu também te amo Lua. – ele disse e me beijou.

Flashback off

Esse foi um dia inesquecível. O Thur se mostrou o mais “perfeito” dos homens. Depois disso e de comunicarmos as nossas famílias, preparamos nosso casamento em dois meses. A minha despedida foi comédia, minhas amigas do Brasil vieram pra cá e aprontaram uma pegadinha comigo que até hoje eu tenho medo delas. Eu prefiro não comentar sobre o que elas fizeram. Hoje faz exatamente seis meses que estamos casados. Ele me faz sentir a mulher mais feliz do mundo. Faltam cinco minutos pra ele chegar a nossa casa e eu contar tudo que eu descobri hoje. Arrumei a mesa do jantar e fiquei na sala esperando por ele. Não demorou muito ele chegou. Como sempre veio ate mim e me beijou, subiu para o quarto, tomou banho, se vestiu e desceu. Eu estava ansiosa queria saber qual seria a reação dele. Quando ele apareceu na sala, tapei os olhos dele e o levei pra cozinha, o coloquei sentado no lugar de sempre olhando diretamente pro prato e destampei os olhos dele. Ele ficou um tempo olhando e quando conseguiu falar foram poucas palavras:

- Lua... O que... – ele disse ainda olhando pro prato que continha em cima um par de sapatinhos pra bebê e uma rosa branca no meio.
- Você vai ser papai Thur. – eu disse sorrindo.
- Você ta grávida? – confirmei com a cabeça – Você me faz o homem mais feliz do mundo. - E você me faz a mulher mais realizada do mundo.
- Desde a primeira vez que eu te vi eu soube que você seria minha.
- Eu nunca imaginei que casaria com o cara que eu menos suportava no mundo ate você me dar aquela primeira flor. – eu disse e ele sorriu.
- Nós vamos ser muito felizes. Eu, você e o nosso bebê.
- Eu te amo Arthur Aguiar Blanco.
- Eu te amo Lua Blanco Aguiar.

Desde que ele me deu aquela primeira rosa branca que guardo ate hoje eu tive a certeza de que nós tínhamos nascido pra pertencermos um ao outro. Independente das brigas, das intrigas e do ciúme. Nós nos amamos e isso que importa. O amor nos uniu e só Deus nos separa. Porque afinal: O amor supera tudo até mesmo as diferenças. E nós tivemos muitas diferenças.

“O amor não é apoderar-se do outro para poder completar-se, mas dar-se ao outro de todo coração para que ambos se completem!"

Créditos: MRF

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo