6 de mar de 2014

A submissa -Capitulo 22- Maratona











Voltei a passar por entre a multidão. Começava a sentir-me enjoada, com a cabeça a andar á roda e com pouco segurança nas pernas. Ao apanhar o ar fresco e frio da noite no estacionamento percebi o quão bêbada estava. Afectava-me a visão e via tudo a dobrar. Pareceu-me que ia vomitar. Porque é que me tinha deixado chegar aquele estado.


José: Lua._ ele tinha ido ter comigo._ Estás bem.

Lua: Acho que Bebi  um  pouco  demais._ sorri;lhe sem vontade.

José: Eu também._ olhou-me intensamente._ Precisas de ajuda._  perguntou e aproximou-se, envolvendo-me com o braço.

Lua: José, estou bem. Tudo sobre controlo._ tentei afastá=lo mas sem grande sucesso.

José: Lua, por favor._ sussurrou ele, abraçando-me e puxando-me para mais perto.

Lua: O que estás a fazer.

José: Tu sabes que eu gosto de ti, Lua Por favor._ tinha uma mão na minha nuca e puxou-me para ele, e a outra no queixo, inclinando-me a cabeça para trás.    Merda... ele ia beijar-me.  

Lua: Não, José, pára. Não._ empurrei-o, mas ele era uma parede de músculos e não consegui que ele se mexesse. A mão dele tinha se introduzido no meu cabelo e orientava-me a cabeça.

José: Por favor, Lua._ sussurrou nos meus lábios.


O hálito dele era suave e tinha um cheiro demasiado doce _ a margarita e a cerveja. Subiy-me do queixo ao canto da boca com pequenos beijos. Senti-me em pânico, bêbada e impotente. A sensação era sufocante.


Lua: José, não._ implorei. Não queria nada daquilo. Ele era meu amigo e eu achei que ia vomitar.

Arthur: Julguei que a senhora disse que não._ afirmou calmamente uma voz na escuridão.


Com os diabos.A    Arthur estava ali. Mas como. O josé soltou-me.


José: Arthur._ disse ele com brusquidão.


Olhei ansiosamente para Arthur, que estava com os olhos pregados no José e parecia furioso. Raios! Senti o estômago ás voltas e dobrei-me. O meu corpo já não tolerava o álcool e vomitei espetacularmente no chão.


José: Ugh! Meu Deus,Lua._ dei um salto para trás de nojo.


Arthur arragou-me no cabelo, tirou-me da linha do fogo e conduziu-me lentamente para um canteiro ao fundo do estacionamento. Reparei, com profunda gratidão, que ali havia uma relativa obscuridade.


Arthur: Se queres vomitar outra vez, vomita aqui. Eu seguro-te._ tinha um braço á volta dos meus ombros, e o outro a segurar-me o cabelo num rabo-de-cavalo improvisado que mo tirava da cara.



------------------------------------------------------------------------------------------------------------


Oque Estão achando ?  Coitada da Luinha , Mais também quem mandou ela beber tanto ? 
Onde está Sophia , quando se Precisa dela ? 
O Arthur achou a  Lua , Sabem como ? Só no  próximo Capitulo ! 


Obrigada Pelos 6 Comentários ! 














Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo