25 de fev de 2014

Unidos por uma criança / Prólogo .

Aaai, será que alguém aí vai gostar ? :s
Nervosa! :'3
Comentem e deem suas opiniões, se tá bom, se tá ruim, se tá péssimo...Enfim!
Espero realmente, que gostem muito! :)




Prólogo:
" Mesmo o amando, não posso me humilhar e me jogar aos seus braços, pois sei que ele e eu não combinamos em nada!"

Eu sou Lua Blanco tenho vinte e cinco anos de idade, conheci um cara com 21 anos e me apaixonei perdidamente, e dessa paixão nasceu Elena, minha querida filha que hoje está completando 3 aninhos, estou nervosa e ao mesmo tempo feliz, em saber que o pai dela, irá aparecer por aqui, Elena tem perguntado muito por ele, e eu não sei o que responder, tento fugir do assunto mais quanto mais fujo mais ela me pergunta e isso já está a deixando triste, e eu não suporto ver a minha pequena triste. A festa será no jardim da minha casa, está um dia ensolarado, a piscina está cheia de boias e bolas coloridas, também tem bancos espalhados por todos os lados, pedi para que montassem pula-pulas, piscina de bolinhas e alguns escorrego's e balanços, não  quero nenhuma criança parada esta tarde. A mesa está cheia de guloseimas e bonecas, todas da Barbie, Elena é fã de carteirinha dessa boneca tem todas e ainda me fez comprar como lembrança Barbie’s para todas as suas amigas e pros amigos disse que eu podia escolher o que eu quisesse: Vê se pode? – Sorrio . Essa minha pequena é fogo!. – Olho para trás e vejo alguns convidados chegando, pelo jardim indo em direção a entrada e cumprimento a todos, depois de alguns segundos, vejo Elena  vindo em minha direção toda sorridente, com os braços abertos pra abraçar a sua amiguinha que acabou de chegar.

– Dudaaaa! – Elena abraça a menina que corresponde o abraço com a mesma intensidade. Essas duas, sim seriam amigas de verdade! . Que bom que voxê veiu ! – falou a minha pequena pegando na mão da Duda, e rindo em seguida.

– Essas duas hein?! – Andrea, mãe da Duda falou, me fazendo parar de prestar atenção nas duas bonequinhas.

Sorrio e dou uma leve olhadela em Elena e Duda que já saíram do nosso lado.
– Vão dar muito trabalho, pra gente ! – Completei a frase de Andrea, que sorriu. Venha, sente-se ! – Disse chamando Andrea que já me seguia, a levei até uma cadeira e lá ela ficou, olhando a Duda de longe.

Alguns minutos passaram e vários convidados já haviam chegado, mais o mais importante para Elena, se quer ligou pra dar noticias. Se Arthur não viesse a está festa Elena ficaria muito triste e eu com certeza arrumaria uma confusão com Arthur por isso. 

– Papaaai ! – Ouço Elena gritar, correndo de braços abertos em direção a entrada, e vejo que é Arthur. Ele para de andar e ajoelha no chão de braços abertos pra pequena, que pula em cima dele. –Sorrio ao ver a cena, é tão bom ver a minha princesa assim: feliz. – Ela beija o rosto dele todo, o manchando de batom e ele sorri feito um bobo a apertando cada vez mais. 

– Caminho meia sem jeito até eles e fico os olhando por alguns segundos até que os dois percebem a minha presença e se separam. Quer dizer, Arthur pega Elena no colo que ri me olhando. –

– Viu mamãe, eu diche que o papai vilia ! – Elena diz me olhando com uma cara de deboche. Desde pequena é abusada. 

– é mesmo filha, você estava certa! – Sorrio meia sem graça, e olho pra Arthur que já me encarava.-  Oi Arthur, tudo bem?! Até que enfim resolveu vim ver sua filha ! – Falo cheia de ironia, e Arthur revira os olhos colocando Elena no chão.

– Oi Lua. – Respondeu-me olhando-me de baixo pra cima. - Você sabe que eu sou um homem muito ocupado, por isso não vejo a Elena com frequência. – Respondeu-me seco.

– Aham, você tem tempo pra aparecer em todas as capas de revista com as sua ´´ piriguetes ´´ mas não tem tempo de ficar com a sua filha pelo menos um dia na semana? – Perguntei com uma certa ironia .

– Chente, não bliguem! – Vi Elena puxar meu vestido, a olhei em seus olhos já marejados.  Respirei fundo. Me ajoelhei na frente da minha pequena .

– Tá bom, filha! – Forcei um riso.- Vai lá dentro retocar esse batom! – Ela sorriu, e correu para dentro de casa. Volto a minha atenção pra Arthur que me olha .- Que foi?!

– Nada... Só acho que você deveria respeitar a nossa filha, ao invés de ficar me insultando na frente dela ! – Arthur disse calmo. Eu sei que ele quer brigar, mais eu não vou cair nessa, não vou! .

– Arthur, vamos dar uma trégua, pela nossa filha ?! – Perguntei respirando fundo e olhando nos olhos do mesmo. Não sei porque mais eu fico nervosa quando estou perto de Arthur. –

– Tá ! – Arthur foi curto e grosso. Passou por mim, esbarrando propositalmente. 
Cerrei os punhos e respirei fundo. Ele é mesmo um idiota! 
[...]
       Já quase na hora dos parabéns, estou caçando as amiguinhas da Elena pra tirar fotos com ela. Todas tiraram foto com ela, agora é a vez dos meninos. Elena faz pose em todas as fotos, parece até uma modelo, até o fotografo ri, das poses escandalosas da pequena, Arthur acompanha o fotografo nas risadas e eu tenho que correr atrás das crianças.

– Mamãe ?! – Ouço Elena me chamar, rapidamente olho para ela. - Chama o Bê? – Ela fez um biquinho e eu ri assentindo. Agora você deve estar se perguntando... quem é Bê?! Bom, o Bê é o “Namorado” da minha filha, um verdadeiro príncipe. Após procurar Bernardo por todo o canto o encontrei com a mãe, sentado e cabisbaixo. 

– Bê?! – O Chamo me aproximando, ele me olha e sorri fraco.

– Oi titia Lua! – Diz ele, eu me sento ao seu lado.

– O que foi, pequeno príncipe?! – Pergunto vendo que ele não estava nada feliz .

– Ah, titia Lua a Lena não me deu atenchão a fexta inteilinha ! – Ele falou me olhando, com um bico gigante, como é lindo. Sorri ao saber o motivo dele estar tão tristinho.

– Bê hoje é o aniversário da Lelê e ela tem que ficar um pouquinho com todo mundo, você vê ela todos os dias. Não vê ?! – Perguntei e ele assentiu. Então, não fica triste porque ela não fez por mal. Eu te garanto! – Sorri, e ele me olhou ainda meio triste.

– Maix ela num lembla de mim! – Falou com certeza, mal ele sabia que ela havia pedido para que eu fosse o buscar.

– Ela pediu para que eu viesse aqui te pegar! – Vi um lindo sorriso, brotar nos lábios de Bernardo. - Vamos?! – Me levantei, estendendo a mão para que ele a pegasse, e assim ele fez logo depois de assentir e se levantar. Nos caminhamos até a mesa e o sorriso de Elena de orelha a orelha apareceu.

– Bêêê... – Gritou ela e ele sorriu, correndo em direção a mesa para que pudessem tirar suas fotos. Como sempre Elena fez as poses malucas fazendo todos em sua volta rirem, inclusive Bernardo.

– Bê... Dá um beijo nela ! – Gritei, olhando pra Bernardo, que me olhou assustado. Senti alguém me fuzilar com os olhos e adivinhem quem era? Arthur... Ele veio até o meu lado e começou.

– Tá doida ? – Me perguntou furioso. Um dos milhares de motivos de eu e Arthur não ter dado certo foi o ciúme dele, ô homem mais ciumento... Nunca vi! 

– Porque Arthur?! Ele é o namorado dela! – Disse voltando a olhar Elena e Bernardo que se olhavam sem graça.

– Quê? – Arthur deu um grito, que quase estourou os meus tímpanos . - Olha a idade da garota, Lua ! – Continuou a gritar, fazendo todos os olhares voarem pra cima de nos.

– Para de gritar ! – disse entre os dentes . - E outra ela gosta dele, fora que eles são crianças e não tem maldade ! – Falei o olhando com certa raiva. – Você não tem o direito de reclamar , pois passa anos sem ver a Elena e quando ver, quer dar uma de ´´ pai do ano ´´? Pelo amor de Deus né Arthur?! – Respirei fundo tentando me acalmar, voltei a olhar pros pequenos sabendo que Arthur ainda me fuzilava com os olhos. – Sorri ao ver que Bernardo pegou a mão de Elena e a deu um selinho. Sorri ao ver a cena e sem que eu ao menos esperasse, uma lágrima escorreu pelo meu rosto, o Flash da câmera anunciou que a foto já tinha sido tirada e os dois se separaram fazendo uma careta, sorri, secando a lágrima única e solitária que caiu do meu rosto.

Depois de tirarem várias fotos juntos, Bernardo saiu e entrou outros menininhos. E assim ficou por alguns minutos.

– Mamãe, vem tilar foto ! – Elena me gritou e eu fui em direção a ela.

Aí que vergonha... – Mordo os lábios e pego Elena no colo, assim nos duas sorrimos e o flash se apagou. Tiramos várias fotos, fazendo poses engraças e sorrindo de orelha a orelha. Até que eu resolvi parar e sair pra dar lugar ao Arthur. Assim que eu saio Elena Chama ele que vai todo envergonhado, faz caras e bocas com ela e depois sai.

– Eeei, vem vocheis dois agola ! – Disse ela nos chamando com a mão, fui em sua direção sem dizer absolutamente nada, Me ajoelhei assim como Arthur e nos dois demos um beijo na bochecha dela a fazendo fazer um “ Bico “ . Depois tiramos foto sorrindo, e a última fazendo uma careta.

Cantamos os parabéns e ai, foi toda aquela coisa monótona do aniversario, bolo, lembrancinhas e etc... a festa acabou ia dar 19:00 hrs, todos os convidados estavam indo embora, inclusive Arthur.

– Não papai... – Elena fazia pirraça.

– Maria Elena solta o seu pai agora ! – Falei séria a repreendendo.

– Nãããããão... – Gritou chorando, respirei fundo.

A peguei pelo braço o apertando com certa força. A fazendo gritar mais alto.
– Você tá de castigo por uma semana, e se ficar de pirraça, vai ficar por 1 mês, tá ouvindo?! – Gritei a fazendo, parar de chorar. - Vem ! – A puxei para que pudéssemos entrar para casa, já que já estava começando a chover e nós estávamos bem no meio do jardim.
– NÃÃO, EU QUELO O MEU PAPAI! – Gritou se soltando e correndo até o Arthur.

– ELENAA. – gritei indo atrás dela.

– Papai, não vai, não vai ! – Disse Elena abraçando a perna de Arthur.

– Calma filha ! – Disse a pegando no colo e a levando pra varanda, Elena soluçava de tanto chorar.

– TÁ VENDO O QUE VOCÊ FAZ ARTHUR?! – Gritei, aborrecida.-  APARECE UMA VEZ NO ANO E CAUSA ISSO, NA ELENA, EU NUNCA VEJO ESSA MENINA CHORAR, SÓ VEJO QUANDO VOCÊ APARECE POR AQUI.

– Calma Lua ela é só uma criança ! – Disse calmo.

– É ARTHUR, ELA É SÓ UMA CRIANÇA, QUE EU PASSO 24 HRS POR DIA JUNTO, E SEI O QUE ELA PASSA POR NÃO TER UM PAI PRESENTE NA VIDA DELA ! –Continuo a gritar, mais agora ando de um lado para o outro ainda ouvindo os berros de Elena. - SE VOCÊ DIZ AMAR TANTO ELA, SEJA MAIS PRESENTE, LEVE ELA PRA SAIR PELO MENOS UMA VEZ NA SEMANA. TENTA. FAZ UM MISERO ESFORÇO, ELA TAMBEM É A SUA FILHA ! – Uma lágrima desse pela minha face.

– Eu vou tentar... – Mal deixo ele terminar de falar .

– NÃO ARTHUR, VOCÊ NÃO TEM QUE TENTAR... VOCÊ TEM QUE CONSEGUIR. – O olho brava. EU NÃO TENHO MAIS UM TEMPO PRA MIM, EU NÃO POSSO SAIR, PRA DANÇAR COM AS MINHAS AMIGAS, PORQUE NÃO TEM NENHUMA BABÁ QUE DURMA AQUI E FIQUE COM ELA, NESSAS HORAS EU SINTO FALTA DE UM PAI DE VERDADE PRA MINHA FILHA ! 

– VOCÊ SABE QUE EU FAÇO DE TUDO LUA ! – Disse Arthur aumentando o tom de voz.

– ENTÃO FAÇA MAIS! – Gritei mais alto que ele e entrei pra dentro de casa, quase correndo subi as escadas e me joguei na minha cama caindo em prantos .

[...]
Depois de quase uma hora chorando, vou tomar um banho, bem quente e relaxante, saio do chuveiro e visto meu pijama , uma blusa verde com o Snoop na frente, um shortinho preto também com o Snoop e uma pantufa verde. Saio do banheiro e pulo novamente na cama, ouço algumas batidinhas na porta.

– Entra ! – Dei um grito de leve, vi a porta se abrindo lentamente e atrás dela estava Elena, já pronta pra dormir, ela subiu na cama com dificuldade e se deitou ao meu lado.

– Mamãe, me dicupa? – Perguntou me olhando nos olhos, com o olhar de cachorrinho pidão. 

Fiquei alguns segundos em silencio, só olhando a minha pequena nos olhos.


– Claro, bebê ! – Cheguei mais perto dela e a abracei com uma força desnecessária.- Você também desculpa a mamãe ? – Ela assentiu ainda me abraçando.- Cadê o seu papai? – Perguntei.

– Ele pediu pla mim vim pla ca pla ve xi voche tava melor e que che voche tiveche ella pla mim ir lá falar com ele que ele ilia embola !  – Ela me explicou.

– Ata, então vamos lá ver o seu papai? – Perguntei e ela assentiu se levantando. A ajudei descer da cama e nos duas fomos caminhando até a sala, Arthur estava sentado vendo televisão, e assim que ouviu os passos olhou para trás e nos viu, se levantou rapidamente e foi até o pé da escada.

– Elena? – Arthur falou assim que chegamos no último degrau da escada.

– Oi papai? – Elena o olhou com curiosidade.

– Vai lá em cima pegar o presente que o papai te deu, pra mostrar pra sua mãe ? – Arthur pediu e Elena assim fez.

Esperei que Elena subisse toda a escada e voltei a olhar Arthur, eu sei que ele vai me dar uma bronca, só não sei qual vai ser o motivo dessa vez.

– Que foi Arthur? – Perguntei ao ver que ele bufou ao me olhar.

– Eu quero a guarda da Maria Elena! – Assim que Arthur terminou essa frase meu coração acelerou, não sei como ele tem coragem de fazer isso comigo, mais é agora? O que faço?! 


10 comentários:

  1. Aiiii Posta Mais Apaxoneiii *--*

    ResponderExcluir
  2. Posta mais *-*
    Adoreiii a historia...
    Caramba que homem ruim :(
    Ass: Dani

    ResponderExcluir
  3. Ameiiiiiiii´... Posta maisssssss

    ResponderExcluir
  4. posta maisssssssssssssssssssssssssssssss

    ResponderExcluir
  5. Ameiiiii, quero mais

    (Fer)

    ResponderExcluir
  6. +++++++++++++++++++++++++++++++++++++

    ResponderExcluir
  7. adoreeeeeei
    ass Sofia

    ResponderExcluir
  8. Posta maissss, muito linda sua web! Posta mais hj pfffff

    ResponderExcluir
  9. Posta +++++++ por favorrrr

    ResponderExcluir

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo