9 de jan de 2014

Meu vizinho Insuportável 3ª Temp.

 

Capítulo 65 e 66. 



Arthur: eu te amo – disse da maneira mais sincera que já conseguira, o olhar transmitia tudo que queria dizer e não encontrava palavras, ela sorriu lindamente a seus olhos

Lua: também vamos deixar guardado toda essa experiência que tivemos, e levaremos por toda a vida – disse mirando-o no fundo dos olhos – sei que nunca terá um “felizes para sempre” pois sempre haverão dificuldades e muitas coisas por aprendermos e vivermos juntos, mas nada, simplesmente nada nesse mundo vai fazer isso  que sentimos acabar... e eu tenho plena certeza disso, plena certeza de que é para sempre...

Arthur: claro que é para sempre – puxou-a para um beijo delicado – minha preciosa... por isso me apaixonei por você... e só por você que eu saio da minha caminha gostosa as quatro da madrugada – riu levando um tapinha dela

Lua: você como romântico, é um perfeito insuportável – riu lembrando-se de quando se conheceram e Arthur era de verdade um verdadeiro vizinho insuportável, SEU insuportável – mas eu gosto assim... meu insuportável.

Arthur: e eu gosto de você exatamente assim... – puxou-a para seu colo a beijando com certo desespero – minha... só minha gostosa – riu junto a ela e voltou a beijá-la tão intensamente que logo o ar os faltou e se separaram ofegantes. sentiram a claridade vindo de longe que se formar no céu, mais um dia que estava nascendo, o sol estava surgindo. Levantaram-se de mãos dadas e juntos jogaram as alianças para que o mar tomasse conta, Arthur a olhou sorrindo e a viu o olhar com tanta ternura que o fez suspirar de amor, aproximou-se mais, colando seus corpos e a apertou na cintura no mesmo instante que a puxou pela nuca, beijou-a carinhosamente, demonstrando o amor que sentia naquele momento, ambos sentiam a magia naquele momento, os corações batiam fortemente, sentiam a brisa os acariciar. tinham consciência do tamanho amor pelo outro, aos poucos e com delicadeza Arthur deitou Lua naquele mesmo lugar em que estavam sentados, sorriram um para o outro, cúmplices. Precisavam de um contato mais intenso. Arthur tirou a camisa a olhando apaixonadamente.

Lua: vem.. – procurou os lábios do Arthur desesperadamente, precisava sentir aqueles lábios com urgência, puxou-o pela nuca onde entrelaçou os dedos nos poucos cabelos dele. 

Aos poucos as roupas foram sendo jogadas para qualquer lado. beijos e caricias eram distribuídos, tão carinhosamente e lentamente que fazia-os sentirem sensações intensas como se tivessem se amando pela primeira vez, Arthur deu uma atenção especial aos seios da Lua, que de olhos fechados apreciava a caricia tão intima e única dos lábios e dentes dele, sua respiração ofegante, queria mais, queria muito mais, arranhou as costas dele com certo desespero e o viu se afastar rindo, o olhou com uma careta chorosa de frustração.

Arthur: não precisamos pressa amor... eu quero te sentir... como nunca antes, eu quero te sentir por completo... cada pedacinho de você

Lua: eu quero viver esse momento e guarda-lo para o resto da vida – sorriu dando leves beijos nos lábios dele, os mordiscando, ele desceu as mãos e os olhos por toda extensão do corpo dela, a olhando penetrante. Aquele homem era tudo que uma mulher poderia desejar. E se sentir amada por ele era uma sensação a qual não podia explicar, não havia palavras para explicar aqueles sentimentos.

Arthur: eu nunca desejei e amei tanto uma mulher como venho desejando e amando você por todo esse tempo... – confessou sussurrando próximo ao ouvido dela, para Lua, aquelas palavras foram tudo para que seu desejo subisse de tal forma que precisava dele com urgência, precisava beijá-lo, e foi o que fez, mas não bastava, também queria senti-lo, levantou-se para a surpresa dele, sentando-se no colo do mesmo e esfregando seus corpos – Lua... – gemeu apertando a cintura feminina com desejo


Lua: eu preciso... preciso te sentir... agora – desceu a mão pelo corpo dele, enquanto seus lábios percorriam a pele do pescoço e ombros, descendo pelo peitoral dele, sentindo a respiração pesada de seu homem que aproveitava aquele carinho tentando se controlar, ele gemeu forte e mordeu os próprios lábios ao sentia aquele pequena e ágil mão em seu membro, ela acariciou brevemente ainda beijando o corpo másculo e em seguida o olhou cheia de desejo  para logo depois descer o olhar para a mão que segurava o membro dele e direcionou até sua própria intimidade. Assim unindo seus corpos perfeitamente, ambos gemeram, Lua começou a mover-se lentamente, tentando se controlar, mas Arthur não conseguiu e perdeu seu controle, deitando-a novamente e penetrando-a tão profundamente que Lua arqueou as costas gemendo alto, a profundidade que seu corpo recebia o dele, mas para ela ainda não parecia o bastante, enlaçou suas pernas na cintura dele, conseguindo uma união  ainda maior e mais profunda, ambos gritaram por senti seus corpos completamente conectados.

A web ta acabando =/ 

2 comentários:

  1. Não fala que a web ta acabando que me dar uma dor no coração

    ResponderExcluir
  2. Não fala isso,fico muito triste,mas ta ótima a web!!!

    ResponderExcluir

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo