21 de jan de 2014

Ligações Perigosas: Cap. 1 - Parte 2


 Daddy Yankee – Gasolina


O barulho do acelerador das motos à sua frente lhe causava arrepios de emoção. Oh, como ele adorava aquilo, por mais que fosse clandestino.
Muita gente reunida em uma estrada afastada e deserta da cidade. As luzes dos automóveis possantes encandeando os olhos de quem se atrevesse a olhá-los. E as motos... Ah! As motos. Todas postas em uma fila reta, cada uma mais possante que a outra e com seus corredores em cima delas, apenas esperando o momento da largada. Várias pessoas apostando em quem seria o vencedor daquelas corridas malucas e sem regras. Quem chegar primeiro, vence. Perder ou ganhar.

Oh, e a adrenalina que escapava até pelos poros? Era a melhor sensação...

De repente uma moça, usando uma roupa curtíssima foi para o meio da estrada.

... Foi dada a largada.


160, 170, 180... Resolveu parar de olhar o velocímetro de sua moto quando o ponteiro estava prestes a marcar os 200 quilômetros.
Como sabia, ganharia aquela corrida fácil, fácil. Era a melhor em qualquer coisa que fizesse. Seu sorriso só cresceu ainda mais convencido quando escutou os assovios e gritos quando estava perto da linha de chegada.

Rugem os motores.


As motos começaram a acelerar ainda mais. Ela levantou suas mãos, segurando um lenço branco em cada uma.

Cinco, quatro, três...


As motos aceleram ainda mais. Corações batendo acelerados. A adrenalina correndo pelas veias ainda mais.
As mãos da moça abaixaram-se.

Brilha tão bem que até com sombra ela combina. Assassina, me domina. Agita nos carros, motos e limosines. Enche seu tanque com adrenalina

Os gritos só aumentaram, quando ela colocou seus pés no chão. Os cabelos Loiros esvoaçaram quando ela retirou o capacete.

Fora recebendo elogios de todas as partes. E sorrindo ainda mais convencida. Não se deu nem sequer ao trabalho de responder a tantos elogios. Seus olhos varriam todo o lugar, à procura dele.

E encontrou. Encontrou com àqueles olhos amendoados tão penetrantes. Ele estava a pouco mais de cinco metros de distância dela. Encarava-a como se estivesse despindo-a apenas com aquele olhar. E parecia que faíscas saíam dos olhos de ambos naquele momento. Um arrepio louco subiu por suas espinhas.

Ele suspirou. Estava admirando-a desde o momento em que colocou os pés no chão, na linha de chegada. Louco para saber quem era. Levou um choque quando viu os cabelos longos e Loiros. Aquele sorriso pretensioso pintado nos lábios dela só a deixava ainda mais linda e sexy. A roupa justa ao corpo, marcando as curvas de seu corpo, dando ar a imaginação dele.


Ela nem imaginava que pessoalmente ele fosse tão... Lindo. E sexy. E intrigante. E muito gostoso. E só de lembrar que para matá-lo, teria que seduzi-lo, deixou-a com mais água na boca. Aquilo ia ser muito bom.
Tudo sentido apenas com um único olhar. Oh meu Deus.

O andar singular que ela ostentava deixou-o ainda mais fascinado. Aquela calça de couro preta ligada as suas pernas, o paralisou. Deus, ele nunca havia desejado ninguém como estava desejando àquela desconhecida agora. E ela estava vindo em sua direção.

- Gostou da corrida? – perguntou, ainda com o mesmo sorriso e com o capacete debaixo do braço esquerdo.
- Gostei sim, parabéns pela vitória,Blonde! – ele sorriu simpático e ele mordeu os lábios.
- Obrigada. Eu sabia que ia deixar aqueles idiotas pra trás... – falou toda convencida – E Você só assiste mesmo? Não corre? – perguntou, andando um pouco mais, até ficar bem em frente a ele. O salto alto da bota a ajudava a ficar em uma altura favorável.
- Já corri... – suspirou – Agora não mais... Cai quando era mais jovem, resultou em pinos nos joelhos e nunca mais dirigir uma moto.
- Nossa. Que horror...
- É sim. Ai hoje, eu gosto de vir assistir... Eu me divirto muito.
- Estou vendo. – ela riu – E então, não vai me dizer o seu nome? – ele passou a língua pelos lábios, contendo um sorriso.
- Arthur. E você,Blonde?
- Lua... – ela piscou – Mas gostei de você me chamando de Blonde. Soou bastante sexy! – ela disse com os lábios próximos a orelha dele, mordeu o lóbulo logo após, causando um arrepio por todo o corpo dele – A gente se ver, bambino – desceu sua cabeça pela lateral do rosto dele, instalando um beijo no cantinho da boca pequena.

Afastou-se, jogando o longo cabelo Loiro pro lado e caminhando na direção oposta a ele, logo em seguida. Subiu em sua moto, pouco se importando com o prêmio do racha, e saiu dali, em alta velocidade levantando poeira. Deixando Arthur embasbacado e bem... Excitado.

2 comentários:

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo