2 de jan de 2014

Cap. Único - "De todas as histórias, a minha."

Image and video hosting by TinyPic Image and video hosting by TinyPic
Capítulo único.


“Que saudade amor
Estou sabendo que ai na Espanha tudo é lindo”

(POV’s Arthur) – (Flashback)

“Pessoas destinadas ao voo 175, por favor, encaminhem-se ao portão 1.” – Soou no aeroporto. Olhei Lua.

- Não vai não. – Pedi e ela sorriu triste.
- Tenho que ir. Sabe que vai ser bom pra mim. E além do mais...é só 1 ano. – Me abraçou. – Te amo.
- Eu te amo mais! – Respondi.

“Voo 175 portão 1, repetindo, voo 175 portão 1.” – E cada vez que eu escutava isso, meu coração se apertava mais.

- Não vou aguentar esse tempo todo longe de você. – Falei e ela segurou minhas mãos.
- Vai sim! Vamos nos falar todos os dias. Fica tranquilo. – Ela me garantiu e me confortou entre aspas. – A Espanha é aqui do lado, Madri é pertinho.
- Não é não. Já tivemos que sair do Rio, agora você vai ir embora e me deixar aqui?
- Thur...já conversamos sobre isso. Eu amo minha profissão.
- Eu sei, eu sei, entendo, mas...porque não posso ir junto?
- Você trabalha em um dos melhores hospitais daqui de São Paulo, salário bom, horário bom. Eu to correndo atrás do meu sonho. Vou lá fazer doutorado e volto, é só um aninho. Letras não se estuda muito. – Falou-me e eu suspirei, não tinha nada a fazer mesmo.

“Última chamada para o voo 175. O portão será fechado.” – E assim, demos nosso último beijo.

(/Flashback)

- Arthuuurr?? Arthuurr!!! – Sophia, minha melhor amiga me chamou. – Acorda menino.
- Ah, oi Sóphi.
- Tava no mundo da Lua você né? – Perguntou-me.
- Literalmente! – Respondi e ela me olhou de cara feia.
- Arthur Queiroga Bandeira de Aguiar, eu não, não acrediitoo! Você vai se casar semana que vem e está pensando nessa mulherzinha? ES-QUE-CE ela, meu Deus, se ela não voltou é porque não te ama mais. Por favor Arthur! – Sophia repreendeu-me.

“Você me deixou
E aqui dentro meu coração ficou partido”

- Ai Sophia! Você nunca vai entender mesmo. Eu não tenho culpa, eu a amo. – Me expliquei, mas Sophia era um tanto teimosa.
- MAS ELA NÃO TE AMA! – Sophia gritou e eu dei um tapa na cabeça dela. – EU QUERO VER VOCÊ RINDO COMO RIA ANTEESS!!

“Nessa cidade, não vou mais sorrir
Que bom seria, se São Paulo fosse do lado de Madri”

- Para de gritar sua maluca.
- Ah, é pra ver se entra nessa sua cabeça que essa Lua não te merece.
- Micael também não te merecia e olha agora! – Eu exclamei e ela arqueou as sobrancelhas.
- Olha agora o que?
- Você está gravida dele.
- Ta doido? Não to gravida, foi só uma suspeita.
- Só que querida Sophia..acontece que: seu humor ta mudando mais do que normalmente, ta ficando inchada, com vontade de comer coisas estranhas e seus seios incharam.
- Cê ta olhando pros meus peitos Aguiar? – Ela perguntou me dando tapas e eu ri.
- Só pra constatar os fatos. – Eu respondi e ela me bateu de novo.
- Não tem como saber se isso tudo é realmente verdade. – Ela rebateu e eu sorri.
- Claro! Porque eu sou um obstetra que não sabe porra nenhuma da própria profissão.
- Ah vai te a merda!
- Não! Fica tranquila tenho certeza que seu marido vai adorar saber que vai ser pai.
- Nós só estamos casados há um mês e meio, para de falar que ele é meu marido.
- Qual nome se da pra isso então? Quase marido? Marido recente? – Ri e Sophia me deu mais um tapa. – Virei seu saco de pancadas agora?
- Sempre foi. – Abusada essa menina, não?

(...)



“No puedo más mi corazón,
Ta doendo aqui na solidão
No puedo más vivir sin ti,
Volta logo pra São Paulo
Ou eu vou pra Madri”


- Thur, cê tem que esquecer ela. – Sophia falou de novo e eu suspirei.
- A Sophia tem razão cara, tu ta na fossa. – Micael falou.
- Cês me ajudam muito sabia? – Disse irônico.
- É sério cara..eu não ficaria assim por causa de menina nenhuma. – Micael disse e eu o olhei com o cenho franzido.
- O que você  fez com a Sophia foi o que? – Perguntei e Sophia gargalhou.
- Ah, mas era eu que tava errado, não ela.
- Mas a Lua não ta errada.
- PELO AMOR DE JESUS CRISTO! – Sophia gritou.
- Ah cala boca Sophia. – Eu disse e ela tacou o controle da TV em mim. – Filha da puta. Sabe..às vezes eu penso em ir pra Madri.
- Nem pense em fazer isso, eu te mato! – Sophia disse e eu fiz careta pra ela.
- É fácil pra você falar, MA-MÃE! – Eu disse sério e depois ri.
- PÁ-RAA!! Eu vou te bater! – Sophia disse e eu gargalhei.
- Mamãe? – Micael indagou confuso.
- Palhaçada do Arthur..não liga. – Ela disse.

///

- Nossa é depois de amanhã né filho? – Minha mãe falava comigo.
- É..depois de amanhã que Flavia não vai largar do meu pé mesmo. – Eu falei em um sussurro.
- Não esta feliz com o casamento né?
- Ah mãe, eu estou, só...sei lá. Sophia tem razão. Não vou ficar me prendendo à Lua. Se depois de 3 anos e meio ela não me procurou mais, não sou eu quem vou procura-la. – Disse e minha mãe sorriu me dando um beijo.

“Que saudade amor
Volta logo pro hemisfério sul do mundo”

- Se não quiser, não precisa fazer isso filho.
- Sabe mãe, eu queria que ela voltasse, mas se não deu...eu vou seguir em frente e construir meu futuro. – Sorri.
- É assim que se fala. – Mamãe me disse e eu sorri novamente.

(Flashback)

- Lua? – Perguntei chegando em casa. Morávamos no Rio, uma casa de frente para a praia.
- Euuoo!! – Ela apareceu no fim do corredor com uma camisolinha preta sem absolutamente NADA por baixo. Eu sorri safado e cheguei perto dela. – To morrendo de saudades de você. – Falou baixinho no meu ouvido me fazendo arrepiar dos pés à cabeça. Eu prensei-a na parede e comecei a passar minhas mãos por seu corpo.
- Você é muito safada sabia? – Disse enquanto ela desabotoava minha casa e ia dando beijinhos por todo meu tórax.
- Vai dizer que você não gosta? – Disse depois de acabar de desabotoar minha camisa. Eu ri. Ia levantar a camisola dela, mas ela segurou minhas mãos e me tacou dentro do quarto. (/POV’s Arthur)


Ficar sem você
Me mostrou o quanto é bom estarmos juntos
Sonho tão lindo é ter você aqui
Que bom seria, se São Paulo fosse do lado de Madrid”

/// (POV’s Lua)

- Thur, volta aaqquii. – Eu chamava Arthur. Ele tinha pego meu açaí, mas ele já tinha tomado o dele :((
- Nãooo!! – Ele corria com o açaí.
- Espero que você caia com ele e suje sua roupa toda. E eu vou avisando que não vou lavar. – Dito e feito, ele bateu em uma menina e acabou se sujando todo.
- Aaahh sua macumbeira. – Gritou pra mim e tirou a camisa. A menina que antes gritava com ele por ele ser cego, agora não parava de olhar pra ele. Cheguei perto e o abracei, tirando-o dali e dando língua pra menina.
- Eu vi, tá? – Ele me disse quando nos sentamos na grama.
- O que? – Disse confusa.
- Seu ataque de ciúmes com a menina. Até língua cê deu pra ela dona Lua, que decadência. – Ele gargalhou.
- Aaahh ridículo. – Falei e ele riu de novo e selou nossos lábios. Sorri entre o beijo.

(/Flashback)

- Ai Melzinha, obrigada por ter vindo comigo. – Eu falava com Mel.
- Sabe que eu não te deixaria na mão. – Ela me respondeu sorrindo.
- Mel como vou explicar tudo a ele? E se ele não acreditar?
- Ele vai acreditar, vocês se amam. – Mel respondeu-me.
- Eu espero que sim. – Disse com o olhar triste. - Será que ele ainda mora ai? – Perguntei apontando a casa com a cabeça.
- Vamos torcer pra que more. Quer que eu aperte a campainha? – Perguntou e eu fiz que sim. Ela apertou e a porta foi aberta por um menino que eu nunca tinha visto. – Você é? – Ela perguntou.
- Acho que ele não mora mais aqui. – Choraminguei.
- Calma Lua Maria, que coisa. – Falou Mel. Grossa, humpf! - Então menino, quem é você? Gato comeu sua língua. – Grossa êê.
- Se a gata for você, até deixo. – Ele falou pra ela, que descarado.
- Em outros momentos sim, mas agora eu to em missão. – Ela respondeu ele, que descarada.
- Menina de atituude, que isso hein morena. Meu nome é Chay e o seu?
- Melanie, mas todo mundo me chama de Mel. Tem como me ajudar?
- Claro! Pode pedir o que quiser. – Ele falou e Mel sorriu.
- Sabe me informar onde mora Arthur Queirog... – Ele interrompeu Mel.
- Aqui mesmo, sou amigo dele. Entra! – Ele falou dando passagem pra ela entrar. – Cê num vai entrar não? – Perguntou e eu olhei Mel.
- A... – Comecei e ela entendeu.
- Ah ta! Fala ae com ele que vou pegá-la. – Saiu da casa e eu entrei.
- Vou te ajudar agora, mas depois cê me ajuda com a sua amiga? – O garoto, Chay, me pediu e eu ri.
- Ela já está no seu papo, vai lá fora falar com ela. – Eu disse e ele sorriu.
- Vou chamar o Arthur pra tu e vou lá. – Deu uma risada safada o que me fez gargalhar.

(...)

- Fala menina loira que o Chay falou ser uma gata. – Falou Arthur sem olhar-me. Estava bebendo algo no copo.
- Oi! – Eu disse e em seguida ouvi o barulho do copo partindo-se em pedaços no chão e ele me olhar como se eu fosse uma fantasma. (/POV’s Lua)
- Lu..Lu..Lua? – Arthur falou e Lua sorriu de lado. Foi até ele, queria abraça-lo, mas quando chegou perto dele, ele se afastou.
- O que foi? – Ela indagou sem entender.
- O que quer? – Ele perguntou seco.
- Eu voltei, vim te ver, falar com você, exp... – Ele a interrompeu.
- Não quero saber de nada. Não venha estragar minha vida de novo. – Por mais dolorosas aquelas palavras fossem pra ele, ele tinha que dizer. Não queria sofrer de novo por culpa dela.
- Arthur, eu... – Ele a interrompeu novemente.
- Eu não quero saber, não entendeu isso ainda? – Ele indagou e ela sentiu os olhos molharem.
- Deixa eu falar por favor, explicar por que eu... – Ele a cortou.
- Porque você mentiu dizendo que voltaria em um ano? Porque me abandonou? Porque parou de responder meus e-mails, recados, sms’s? Porque não atendeu meus telefonemas? – Essa altura os dois já choravam. – Eu não quero saber Lua. Não quero!
- Mas eu preciso explicar. Deixa, por favor! – Implorou a loira. – Eu tenho que te explicar.
- MAS EU NÃO QUERO SABER! – Gritou e ela se encolheu.
- Não grita comigo, você nunca gritou comigo. – Falou chorando.
- Lua olha só...me esquece, esquece que um dia tivemos algo. Eu segui minha vida, segue com a sua. – Ele falou e viu Lua chorar mais. – Tanto segui, que..amanhã me caso.
- Amanhã? – Perguntou Lua não acreditando.
- Amanhã! – Falou convicto. - Vai lá, vai ser na igrejinha que você falava que nós íamos nos casar um dia..vamos nos casar lá né? Só que eu com a Flavia e você com...sei lá quem. – Disse frio.
- Ok, então...eu não vou mais te atrapalhar. – Saiu de cabeça baixa e Arthur chorou de novo.
 - Mel... – Atrapalhou a amiga que se atracava com Chay. – Vamos embora? – ChaMel arregalaram os olhos. Lua estava em um estado que... Chorava muito, rosto inchado, sua sorte era que não usava maquiagem. Estava vermelha de tanto chorar e chegava soluçar.
- Não acredito! – Chay disse olhando a menina.
- To tão feia assim? – Perguntou chorando mais.
- Não linda, não é isso não...deixa. Eu...eu vou lá, me liga morena. – Deu um selinho em Mel e um beijo na testa de Lua.

(POV’s Arthur) 
Será que eu tinha feito certo com Lua? Ela...parecia tão frustrada, tão...

- Que isso? – Disse vendo Chay bater a porta com força quando entrou.
- Você viu o que fez com ela seu mané? – Chay me disse e eu franzi o cenho.
- O que você tem haver com isso?
- Tinha que fazer isso com ela? Sabe como ela ta se sentindo? UM LIXO! Foi assim que você tratou ela não foi? – Chay falou e eu ri irônico.
- Pelo amor de Deus né..você nem conhece ela.
- Eu não to reconhecendo você. O que aconteceu contigo?
- Que foi Chay? Queria que eu aceitasse ela de braços abertos depois do que ela fez comigo?
- Você pelo menos escutou o que ela tinha pra falar? – Chay parecia indignado.
- Não, nem quero escutar. – Falei nervoso.
- Mas vai, senta! – Apontou o sofá e eu permaneci em pé. – SENTA AGUIAR! – Sentei. – Primeiro de tudo: você não deveria ter sido tão duro com ela, segundo: cadê o bom senso de escutá-la?
- Vai me explicar o que ela veio fazer aqui ou vai encher o saco. – Eu falei e ele me olhou furioso. – Cara feia pra mim é fome.
- Normal então, estou com fome toda hora. – Ele falou e eu ri.
- Conta logo Chay.
- Lua ia voltar em um ano, mesmo recebendo mil e uma proposta de bons empregos, mas não permitiram...pela...pela criança. Eles falaram que ela não poderia viajar com a criança pra outro país sem o consentimento do pai, ela tentou explicar que a criança não tinha pai, mas eles olharam a certidão e virão que tinha. Eles prenderam ela lá por dois anos, alegando que isso poderia se tornar sequestro, depois de um tempo ela conheceu um cara com o nome igualzinho do pai da criança dela e pediu que ele assinasse, fizesse uma carta autorizando a saída dela com o bebê e só assim ela conseguiu vir. Ela veio aqui te explicar o porque de não ter vindo no tempo certo. E esse era o porque. – Chay disse e eu estava pasmo. Lua era mãe, tinha me traído.
- Ahhh muito lógico. Então ela veio me explicar que me traiu? – Eu falei irônico.
- Como assim te traiu? A criança é sua.
- Duvido muito, como ela iria achar uma pessoa com o mesmo nome que eu? E porque ela não me respondeu?
- Porque eles tiraram o meio de comunicação dela com o Brasil, pra ela não pedir ajuda à ninguém daqui nem nada.
- Muito mal contada essa história.
- Eu sei cara, eu sei, parece história de filme, mas...é verdade. Eu vi a filhinha de vocês, é uma menina linda e tem a sua cara.
- Não tenta defender não Chay.
- Ah Arthur quer saber..eu desisto. – Chay falou e foi embora da minha casa. (/POV’s Arthur)

[UMA SEMANA DEPOIS]

- Arthur deve estar na Lua-de-Mel agora. – Lua disse e Mel riu. - Ta rindo de que?
- Primeiro que falar Lua-de-Mel é engraçado na nossa situação. – Falou por conta dos nomes delas. – E segundo que..o Arthur acabou com o casamento.
- Ele o que? – A loira arregalou os olhos.
- Isso mesmo. – A morena riu.

(...)

- Luh, vou sair com o Chay. – Mel avisou quase saindo já. – Não vou levar as chaves. – Disse e saiu. Minutos depois...a campainha soa.
- Quem é cacete? – Disse, mas ninguém respondeu. Abriu a porta.
- ESQUECI MEU BATOM! – Mel voou para o quarto e voltou, fazendo Lua rir.
- Não grita! Luna(FOTO!) ta aqui dormindo. – Apontou a menina no sofá.
- Tchauuoo! – Mel fechou a porta. SEGUNDOS depois..campainha novamente.
- Senhor..o que você esqueceu agora M... – Disse abrindo a porta, mas parou de falar ao ver quem se encontrava na porta. – O que você ta fazendo aqui?
- Vim conversar. – Disse, mas ela não deixou ele terminar.
- Eu não quero saber..Chay me disse que você falou que Luna não é sua filha, que eu te traí. Pensa que sou você? Você... – Ele interrompeu-a.
- Ah pelo amor de Deus, fica quieta.
- Não fico não, me esquece...vai se casar, volta pra sua Flavinha... – Ele a interrompeu novamente.
- Para de ser marrenta, você é muito mimada, sabia?
- E você? Você não passa de um idiota, mesquinho, burro, inconsequente, bastardo, palhaço, sem coração, sem escrúpulos, esnobe...AAHH! – Gritou se esquecendo da filha que dormia na sala.
- Ah, então eu sou idiota, mesquinho, burro, - Começou a contar nos dedos. - Inconsequente, bastardo, palhaço, sem coração, sem escrúpulos, esnobe, mais o que? FALA! – Gritou com ela e Lua começou a chorar, ele não gritava com ela. Ela olhou a menininha, antes deitada no sofá, que agora acordava assustada por conta dos gritos e coçando os olhinhos. – FALA! – Gritou de novo. – Só mais um adjetivo pra completar 10. – Ele estava com nove dedos levantados.
- Pai... – Lua sussurrou, abaixando os outros oito dedos dele e deixando só um em pé e chorou.
- Não.. – Ele disse se ajoelhando de frente pra ela. – Marido. – Disse e tirou uma caixinha do bolso. – Casa comigo? – Disse sorrindo com os olhos cheios de lágrimas.


Prólogo:
(POV’s Lua)
 Faz dois anos que eu e Arthur nos casamos, Luna está com 6 anos e é suuuper apegada à Arthur, às vezes até brinco dizendo que ela não me ama mais. Arthur me apresentou à Sophia que segundo ele estava gravida, mas ela insistia em dizer que não, mas no fim ela estava mesmo. Hoje tinha um menino de 2 anos. Mel estava noiva e grávida de Chay. E eu e Arthur bom...acho que não tinha como estar melhor, sabe quando mesmo longe você sente a pessoa perto? Erámos assim! Muitos diriam que a nossa música é Madri do Fernando e Sorocaba, mas eu prefiro mil vezes escolher a Começo, Meio e Fim de um grupo jovem, escutei na rádio... Se eu voltaria atrás e mudaria alguma coisa? Não, absolutamente nada! Eu ter ido para Madri e depois de tanto tempo voltar e me casar com ele só mostrou o quanto nosso amor é forte e conseguiu vencer isso tudo. De todas as histórias, contos, crônicas, etc. do mundo, eu escolho a minha!

Música: Madri - Fernando e Sorocaba

Créditos: Bia (autora) LuArtizados (fonte)

8 comentários:

  1. Ai que lindooo

    ResponderExcluir
  2. Ana Clara s202/01/2014 20:51

    Que web perfeitaaa!!!

    ResponderExcluir
  3. vivi 100% luar e rebelde ps02/01/2014 21:05

    A foto n abre!!! A de luna

    ResponderExcluir
  4. ameeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeei

    ResponderExcluir
  5. lindo
    ass Sofia

    ResponderExcluir
  6. lindo, faz continuação?
    pf pf pf pf

    ResponderExcluir
  7. Chorei. Perfeito ♡

    ResponderExcluir

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo