7 de dez de 2013

Minha irmã Adotiva.


Capítulo 286.



Lua: Arthur quero primeiramente deixar bem claro que não estou lhe obrigando a nada (colocou uma mecha de seu cabelo atrás da orelha, enquanto se ajeitava confortavelmente sobre o sofá da sala)

Arthur: Do que vc ta falando? (franziu o cenho)

Lua: E quero lhe pedir que não julgue minha escolha.(molhou seus lábios com a língua)

Arthur: Que escolha?(arregalou os olhos)

Lua: Pode acreditar vai doer muito mais em mim do que em vc. (mordeu seus lábios inferiores, refletindo por alguns ligeiros segundos)

Arthur: Doer? Vc ta passando mal? Sentindo alguma dor? Sabia que estavam equivocados em já te darem alta (bufou, enquanto caminhava para mais perto da loira)

Lua: (sorriu ternamente) Eu to bem.(afirmou com a cabeça) Vou lembrar de tudo isso.

Arthur: Lua, vc ta me preocupando.(engoliu a seco)

Lua: Não tem o por que de se preocupar.(deu de ombros)

Arthur: Não tem o por que de se preocupar.. (a imitou divertidamente lhe roubando uma gargalhada divertida) Será que seria muito, pedir a Vossa Alteza que fosse direto ao assunto? (arqueou uma das sobrancelhas)

Lua: Não quero que o Miguel seja criado em um internato. (molhou seus lábios com a língua, procurando melhores palavras) Quero meu filho ao meu lado, quero ta perto dele quando dizer a primeira palavra, quando estiver doente, quando quiser colo, quando quiser brincar, quando estiver dormindo, quando levar o primeiro tombo, quando der o primeiro passo, quando fizer birra, quan.. .(foi interrompida)

Arthur: Pequena, (se aproximou ainda mais da loira) é o melhor pro nosso filho.(sorriu radiante)

Lua: Esse não é o melhor pro meu filho.(afirmou)

Arthur: Luaeu não to te entendendo.(coçou a nuca)

Lua: Eu cresci longe dos meus pais, eu sei o que viver praticamente sob ordens impostas por maiores...(sentiu seus olhos arderem) Eu não vou permitir que o MEU filho fique em uma “prisão” por conta de um preconceito idiota seu. (cuspiu aquelas palavras de forma inesperada)

Arthur: Preconceito? (franziu o cenho) Não me venha com isso por favor (revirou os olhos)

Lua: Arthur seja menos hipócrito.(bufou) Todo mundo sabe o quanto vc teme pessoas das quais possuem alguma deficiência. (mordeu seus lábios inferiores) Lembra da irmã do Pedro?

Arthur: Aquela era em outra circunstancia. (afirmou com a cabeça) Não era o meu filho.

Lua: Mas era um ser humano nem melhor e nem pior que o Miguel. (molhou seus lábios com a língua)

Arthur: Lua mas o Miguel é meu filho não tem como não amá-lo. (concluiu indignado)

Lua: Grande demonstração de amor vc querer simplesmente “jogá-lo” em um internato “maternal” (sobrecarregou sua voz de repugnância)

Arthur: (levou as duas mãos ao rosto , suspirando pesadamente) Eu não to querendo me livrar do Miguel, eu quero o melhor pra ele, eu quero os melhores estudos, eu quero dar a ele a melhor vida que uma criança poderia ter.

Lua: Longe dos pais? (indagou sem reação, sentindo a primeira lágrima riscar seu rosto)

Arthur: Não.(concluiu contrariado) Podemos visitá-lo, quando quisermos.(explicou paciente)

Lua: E se ele chorar? (indagou sentindo sua face umidecida por inúmeras outras lágrimas)

Arthur: Tem profissionais especializados para ninar Miguel.

Lua: E se ele sentir dor? (persistiu)

Arthur: Tem médicos de prontidão.(respondeu de imediato)

Lua: E se alguém machucar ele?

Arthur: Isso não irá acontecer(garantiu)

Lua: Arthur (secou as lágrimas em seu rosto com sua atemão) Vc sabe como ninguém como é ter os pais pertos e longe ao mesmo tempo, me recuso a acreditar que quer cometer o mesmo erro que Victor cometeu. (concluiu cabisbaixo)

Arthur: Do que vc ta falando?(arqueou as sobrancelhas)

Lua:  Vc acha mesmo que Victor não pagou os melhores estudos pra vc, e que simplesmente desejava uma perfeita vida pra vc? E que como resposta vc  resolveu ser um garoto playboy e procurar descontar suas frustrações em pessoas menos favorecidas, néh?! (concluiu ríspida)  E mesmo que vc tenha mudado, ainda tem o mesmo principio de “garoto playboy” resolvendo seus problemas com muito dinheiro , mas Miguel não é um problema e vc não vai resolve-lo.(engoliu a seco)

Arthur: Isso é loucura sua. Eu não pareço com meu pai nesse sentindo. (negou com a cabeça,sentindo seus olhos arderem, e seu estomago revirar) E se vc não quer o melhor pro Miguel desde cedo, eu posso desmatriculalo. (deu de ombros)

Lua: Como se isso resolvesse esse seu preconceito disfarçado. (mordeu seus lábios inferiores) Não quero que meu filho tenha um pais que o despreze ou o renegue.

Arthur: Lu, vc já ta delirando.(revirou os olhos bufando)

Lua: Eu achei um apartamento no centro, perto da faculdade, bem aconchegante achei bem a minha cara e t..(foi interrompida)

Arthur: Querida, melhor esperarmos forma-mos, para comprar nossa casa bem longe dessa cidade. (sorriu de canto)

Lua: Quando digo que achei um apartamento, digo que achei pra mim e pro Miguel, quer dizer vi fotos alias, amanhã vou visita-lo.(suspirou lentamente)

Arthur: Como? (indagou, procurando processar melhor as informações)

Lua: Chega de eu atrasar sua vida, ainda mais com um filho do qual vai sofrer preconceito pelo próprio pai, néh?! (deu de ombros)

Arthur: Vc ta querendo sair de casa e levar o Miguel junto? (franziu o cenho, procurando montar o “quebra-cabeça”)

Lua: Eu não to querendo, eu vo fazer isso.(o corrigiu ríspida)

11 comentários:

  1. +++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

    ResponderExcluir
  2. tadinha da Lu e do Miguel

    Ana

    ResponderExcluir
  3. odiando profundamente o Arthur, como é que ele pode ser assim? e com o próprio filho. Ainda bem que a Lua não vai permitir que o Arthur tranque o neném num internato
    ass Sofia

    ResponderExcluir
  4. O que o Miguel tem?

    ResponderExcluir

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo