4 de dez de 2013

Meu vizinho Insuportável 3ª Temp.


Capítulo 50 e 51



Lua e Arthur estavam com Nando aguardando o doutor chamá-los, haviam levado Vivi as pressas ao hospital e Lua pediu para Melanie ir ao balé da Helo em seu lugar, logo o Dr. Ferreira chamou e os três  entraram para falar com o mesmo, em sua sala, ele pediu que sentasse, ambos o fizeram preocupados.

Lua: o que me filha tem doutor? Seja direto por favor. É muito sério?

Arthur: ela estava boazinha e do nada... – suspirou

Nando: onde ela está? Está melhor?

Dr. Ferreira: ela está tomando alguns medicamentos e soro no momento, assim que saírem daqui, podem vê-la....  isso só aconteceu porque ela não vem se alimentando bem e está em um estado de fraqueza muito grande, gerando uma anemia muito forte e infelizmente o bebê não resistiu...  Ela teve um aborto espontâneo.... Eu sinto muito

Arthur: agora eu vou fazer ela comer doutor, vou da na boquinha dela, igual quando ela era minha menininha e ... – ele paralisou ao entender as ultimas palavras – o senhor disse bebê? – arregalou os olhos ficando pálido

Nando: merda – cerrou o punho e socou a parede já sabendo o que havia acontecido.

Lua: doutor... como.. como assim bebê? Aborto? Ela estava... er... ela...

Dr. Ferreira: grávida? – perguntou e a viu assentir – sim, pensei que soubessem... desculpem... estava no inicio de uma gravidez e .. . – foi interrompido pelo grito de horror dos pais da Vivi

Arthur/Lua: GRÁVIDA? –  perguntaram com o impacto da noticia viram ele assentir sério e depois começaram a rir

Lua: mas isso não é possível – balançou a cabeça se negando a acreditar – deve haver um engano

Arthur: claro que não, é possível – riu nervoso – minha filha é um bebê, ela não é um anjo... mas grávida ela não estaria – tentou convencer a si  mesmo – ela não estava grávida, doutor – negou entre os dentes

Dr. Ferreira: sinto muito senhor Aguiar, aqui está os exames e o diagnostico – entregou para Arthur que pegou com a mão tremula e leu até onde confirmava o aborto de sua filha.

Naquele momento só escutaram o barulho da queda do Arthur, que havia desmaiado.

[...]

Lua: meu amor, tenta se acalmar – pediu vendo-o andar de um lado para o outro no corredor, lhe entregou um copo – toma esse calmante e tenta se controlar, nossa filha precisa do nosso apoio....

Arthur: apoio, Lua? – indagou incrédulo, estava se sentindo magoado –  Ela estava grávida aos treze anos e precisa de apoio? – ergueu as sobrancelhas – ela é ou era minha estrelinha, caramba – parou tentando controlar a respiração agitada – eu não sei se posso encará-la, não da mesma maneira...

Lua: eu sei... mas ela cresceu... precisa entender.... – o abraçou na tentativa de acalmá-lo, sabia que não era fácil para ele, mas aquele gesto ajudaria, suspirou o sentindo afundar o rosto em seu pescoço, claro que já tinha percebido que a memória dele estava perfeita, mas havia coisas mais importantes que isso no momento.

Arthur: porque logo com ela, Lua? Porque ela fez isso? – respirou fundo – eu não entendo... – se afastou um pouco a olhando – e como consegue ficar tão calma? Estou a ponto de entrar nesse quarto e dar umas palmadas nela... ela me decepcionou.

Lua: não sabemos o que aconteceu, não podemos chegar nela já cobrando explicações e julgando. deve está sendo difícil para a Vivi também... – acariciou o rosto dele  o olhando nos olhos – ela mal estava comendo e até ficou doente, ela perdeu o filho, meu amor... e onde nós estávamos quando tudo isso aconteceu? – perguntou sentindo um aperto no peito e ele baixou a cabeça derramando uma lagrima – se ela errou, nós erramos bem pior, querido... estávamos com nossa guerrinha enquanto nossa filha estava com problemas e precisando de nós, bem abaixo do nosso nariz

Arthur: tem razão... – fungou enquanto ela enxugou a única lagrima que ele havia derramado – eu... eu não sei o que fazer... – negou com a cabeça – eu não vou conseguir olhar para ela...

Lua: vamos, eu te ajudo... apenas segure a minha mão, sim? – sorriu triste para ele que respirou fundo e segurou a mão dela


Arthur: obrigado... meu amor... – a olhou no fundo dos olhos e encostou seus lábios nos dela em um selinho que se transformou em um leve beijo.

Para ou continua? 

17 comentários:

  1. Continua pelo amor de Deus

    ResponderExcluir
  2. claro que continua! :)

    ResponderExcluir
  3. Obvio que continua

    ResponderExcluir
  4. claro que continuaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa

    ResponderExcluir
  5. omg posta mais logico

    ResponderExcluir
  6. continua por favor

    ResponderExcluir
  7. CONTINUA antes que eu tenha outro ataqueeeeee! Pleaseeeeee!

    ResponderExcluir
  8. Web perfeita! Sinto falta da web Eu sou tua *.*

    ResponderExcluir
  9. Pelo amor de Deus continuaaaa , não tenho mais unhas para roer rsrsr quanto problema para eles só uma coisa que é boa é que a Dany e o Kayke serão papais quando eles vão contar para os pais ? tem que ser logo pois acho que os problemas não acabam por aí e eles tem que fazer as pazes para poder resolver as coisas pois já deu pra perceber quando estão separados tudo vira de cabeça para baixo . Será que esse beijo é o inicio da volta ? Adorando tudo .

    ResponderExcluir
  10. ++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

    ResponderExcluir
  11. pelo amor de deus infartando posta maaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaais

    ResponderExcluir
  12. continuaaaaaaaaaaa

    ResponderExcluir
  13. meu deus, eu necessito do próximo capitulo por favor...

    ResponderExcluir
  14. +++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

    ResponderExcluir
  15. Claro que continuaaaaaaaaa

    ResponderExcluir

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo