5 de dez de 2013

Meu vizinho Insuportável 3ª Temp.



Capítulo 52 e 53

Vivi: Nando? O que... onde estou? – abriu os olhos, confusa e segurou a mão do irmão que estava chorando – o que aconteceu?

Nando: me perdoa... – abraçou a menina com força – eu deveria ter cuidado de você... eu sou um lixo como irmão... eu... eu me odeio

Vivi: hey... – se afastou olhando para ele – não fala assim... você é um chato – riu um pouco – mas eu te amo, maninho, não tenho nada para perdoar – viu ele baixar a cabeça – se está falando pelo Matt, a única culpada fui eu, de ter acreditado nele... de não te ouvir quando tentou me avisar... não quero se sinta assim

Nando: esse cara só se aproximou de você porque me conhecia... e isso que ele fez com você, ele vai pagar caro – levantou-se limpando as lagrimas, seus olhos estavam vermelhos e ele queria se vingar – vou resolver isso agora – deu um beijo na testa da irmã e saiu apressado

Vivi: Nand.. – não terminou já que ele havia saído e pela mesma porta entrou seus pais, ela mordeu os lábios ao ver a expressão tensa deles, não sabia o porque daquelas caras, a única coisa que fez foi desmaiar. Viu Lua se aproximar com os olhos repletos por lagrimas e Arthur ficou em pé de frente a janela sem mirá-la um único momento – o que está acontecendo? Alguém pode me explicar?

Lua: filha... – mordeu os lábios tentando não chorar ao ver a filha pálida e fraquinha – meu amor... – sentou ao lado dela, a abraçando com cuidado – desculpa.... perdoa a mamãe... eu deveria ter cuidado melhor de você...

Vivi: mãe... eu não tenho o que perdoar, eu te amo – olhou preocupada – porque todo mundo está assim? Parece o fim do mundo – tentou sorrir, mas percebeu que não era o momento, olhou Arthur que permanecia parado de costas com as mãos nos bolsos

Lua: bom... você não vinha se alimentando direito... estava mal e eu não percebi... eu estava preocupada com coisas insignificantes... – baixou a cabeça, negando com a mesma – e você com problemas – acariciou o rosto dela – agora você está passando por tudo isso e eu... eu...

Vivi: mas eu só adoeci, mãe, é normal – deu de ombros

Arthur: com quem diabos você transou, Vitória? – virou-se com a expressão séria, não conseguiu mais se controlar e a menina engoliu em seco assustada. Lua apertou a mão da filha olhando com reprovação para Arthur.

Vivi: como assim? – desviou o olhar tentando não chorar

Lua: Arthur– o cortou antes que ele continuasse, sabia que ele estava alterado – filha, nós sabemos que você... bom, que você não é mais virgem – olhou para ela que viu a decepção no olhar do pai e não conseguiu evitar as lagrimas – só queremos saber o que aconteceu pra você está tão mal assim...

Arthur: eu confiava em  você... achei que fosse mais inteligente – negou com a cabeça e fungou para não liberar as lagrimas, estava tentando se controlar ao máximo

Vivi: eu sou uma idiota – soluçou –  eu não mereço te pais como vocês... eu sinto muito... mas é que.... ele... bom...

Arthur: nisso eu concordo com você

Lua: cala a boca Arthur – o advertiu e olhou para a filha  –  calma, meu amor... respira e conta tudo o que aconteceu. sim? – abraçou a filha acariciando seus cabelos – explica pra gente, querida, vamos tentar te entender

Arthur: porque diabos deixou alguém te engravidar? – socou o ar e Lua se levantou com um olhar sério repreendendo no instante em que Vivi estremeceu com o susto

Vivi: QUE? – gritou com horror – eu... não... não... não – chorou desesperadamente e Dulce a abraçou com força – eu não posso.... Eu não quero.... eu quero morrer

Lua: calma Vivi.. – olhou Arthur com um olhar reprovador – ou você se controla ou vou pedir que saia, não é assim que se resolve, olha o que você fez  – bufou escutando o choro da filha – Vivi... você não está mais grávida... se acalma – apertou a mão dela que juntou as sobrancelhas sem entender – meu amor... você estava muito fraquinha e... enfim, o bebê não suportou e... – suspirou


Vivi: eu perdi meu bebê? – mordeu os lábios engolindo o choro, ao ver Lua assentir, fechou os olhos respirando fundo – foi melhor assim... – baixou a cabeça e recebeu mais um abraço de conforto da mãe, após alguns minutos olhou Arthur – eu conheci o Matt pela internet... – começou chamando a atenção dos pais e então continuou – ele era muito legal, divertido, me fazia esquecer o mundo... ele é lindo... – baixou a cabeça – eu não sabia que era amigo do Nando... e já me conhecia de vista.... ele já queria se aproximar... e lá na fazenda, eu fugi em uma noite, pra balada, e nos encontramos, o Nando também foi e tentou evitar, mas eu como sempre, fui teimosa e como eu gosto dele eu... – respirou fundo tentando controlar as lagrimas – eu não queria parecer criança, como ele disse... eu me senti uma idiota, então aceitei ir com ele para um lugar... e lá... bom... eu não queria mas não conseguia dizer não... então deixei, quando queria desistir ele forçou.. .e... e foi – soluçou – ele não se importou com meus sentimentos e na mesma noite ele já estava com outra, bem na minha cara... eu me senti uma... eu nem sei – disse com a voz já falhando, no momento pai, mãe e filha choravam juntos, todos sentindo a culpa os pesar.


A web está perto do fim =/ 

Um comentário:

  1. posta mais, a web vai ate qual capitulo ?

    ResponderExcluir

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo