21 de dez de 2013

[FIC] O Sequestro

  

Capítulo 3 - "Eu suplico, não me liberte."



Arthur apertava Lua e sorria quando começou a ouvir seus gemidos, ele suava, ela estava ofegante, ele metia com força fazendo um vai e vem frenético, era como se a virilha de Lua fosse feita especialmente para ele, adaptada para seu membro, pois ele apesar de grande e grosso, cabia ali perfeitamente, e ela era apertada, seu membro doía e pulsava, ela gritava de prazer. Arthur levou a boca até o seio de Lua e sugou com força sem parar de socar. Ela o abraçou apertando-o contra si, arranhando suas costas. Lua fechou os olhos e deixou que as sensações invadissem seu corpo.

Lua: maaaaiiisss - gritava pedindo loucamente

Arthur acelerou, usou toda sua força, até que sentiu a virilha dela contrair e seu liquido escorrer no seu membro. Não demorou muito até que ele também se veio. Arthur deixou seu corpo cair sobre o dela, que ainda tremia. Logo tirou seu penis de dentro dela e caiu deitado ao seu lado, fechando os olhos e ofegante. Estavam loucos e em total frenesi. Quando Lua levantou rapidamente e saiu correndo até a sala, ele viu e correu atras dela mais antes que pudesse impedir ela segurou a arma e voltou-se contra ele, ofegante.

Arthur: me dê isso - ele dizia com uma certa distância e com a mão erguida
Lua: tire a touca - ela falava com raiva, ainda ofegante
Arthur: me dê isso - ele repetiu agora com a voz dura. Lua não falou nada e apenas engatou a arma. Arthur não viu alternativa, segurou sua touca e puxou tirando. 
Lua: você...- disse olhando seu rosto
Arthur: é sou eu. - ele passou a mão no cabelo suado
Lua: vc ta lindo - vendo seu antigo funcionário parado nu na sua frente, ele estava diferente, mais forte, mais bonito, mais gostoso, ela nunca havia reparado tanto nele como agora, antes ele era magro, esguio, sem graça e usava um óculos enorme. ele deixou sua empresa alegando ir embora do país.
Arthur: que? - confuso
Lua: o que quer? - ainda apontando a arma para ele
Arthur: na verdade nada, eu não quero seu dinheiro, eu só queria você
Lua: eu? - perguntou ela confusa
Arthur: sempre a desejei Lua, sempre - ele se aproximou - mais você nunca me notava - ele segurou na arma e ela fechou os olhos e apertou o gatilho, mais nada, nenhum som, nenhum sangue, nenhum corpo caído - esta sem bala querida. Nunca pensei em te machucar.
Lua: sem bala, todo esse tempo sem bala, me enganou - olhando a arma, ele tirou da mão dela - mais isso não muda nada, você matou aquelas pessoas - afastando dele
Arthur: que pessoas? - mais uma vez confuso
Lua: na frente do condomínio, você matou eles, aquela criança não merecia ficar orfã tão cedo.
Arthur: não matei ninguém Lua - disse ele tentando entender - nunca matei, não tenho coragem de matar nem uma mosca, ainda mais pessoas.
Lua: se não foi você, por que estava com uma arma, naquele local? - olhando de canto de olho
Arthur: descarregada e de brinquedo, era só uma fantasia sexual, sempre senti vontade de fazer isso, e ver você em pânico me deu tesão - aproximando dela.
Lua: você é louco, eu quase tive um infarto, ´por quê você não pensou em um jeito melhor, menos doentio? - o que era isso? ela tava se entregando? Lua o olhou e percebeu que estava mesmo gostando disso apesar do susto.
Arthur: já disse, foi uma fantasia e muito bem realizada, você é muito mais gostosa do que eu imaginava - abraçando ela pela cintura e empurrando até a mesa, ele sentou ela, e se pôs entre as pernas dela.
Lua: é melhor você parar, seu maníaco tarado - tentando empurrar ele, mais era vão, ele era forte demais, seus músculos escorregadios pelo suor que molhava todo seu corpo a deixava louca com o cheiro natural de homem.

Arthur ja estava excitado e viu que Lua não queria que ele parasse, sem roupa ele então roçou suas intimidades e sem demora penetrou mais uma vez na intimidade dela. Lua soltou um gemido baixo e segurou nos ombros suados de Arthur.

Lua: você ta louco - disse ela em meio aos gemidos.
Arthur: por você - olhou nos olhos dela e aproximou suas bocas.

Lua fechou os olhos e o beijou, sentindo seu membro dentro de si, ele se movimentava lentamente, estimulando seu clitóris ao esfregar suas intimidades, ela gemeu entre o beijo e logo o movimento se intensificou. As mãos de Arthur percorriam o corpo de Lua, ele segurou em uma das pernas dela e a levantou mais, empurrando seu membro fundo nela. As mãos de Lua percorriam as costas de Arthur, ela o arranhava a cada investida dele com o membro em sua intimidade. Ela gemia alto em seu ouvido o que o deixava mais louco de tesão. Foram varias estocadas, fortes e rapidas, ele podia sentir tocar o fundo dela. Arthur parou o beijo e a olhou, quando sentiu o corpo de Lua estremecer ele estocou até o fim, pressionando seu quadril no dela, fazendo com que ela gritasse e jogasse a cabeça para tras, foi uma penetração longa e profunda. Um orgasmo louco. Foi a noite mais louca que Lua ja havia tido, e se dependesse dela não acabaria, pois aquele miserável ex-funcionário havia conseguido com que ela se entregasse loucamente aquelas sensações. Ele não parou e estocava com mais força, e ela gemia, sua intimidade pulsava e soltava sua excitação fazendo o membro dele entrar e sair com mais facilidade. Sem conseguir respirar ela deitou sobre a mesa, e ele abriu as pernas dela, vendo seu membro entrar e sair com agilidade. Logo os dois gozaram juntos pela segunda vez em apenas uma transa, em um êxtase louco. Ele a puxou e a carregou, levando-a para o quarto, sem tirar seu membro dela. Deitou-a na cama e se pôs sobre ela.


Arthur: não quero que acabe, estou louco por você - disse ele olhando nos olhos de Lua, ela sorriu
Lua: foi o sequestro mais gostoso da minha vida. Eu suplico, não me liberte. Me deixe louca por você - e os dois se beijaram.



Fim
Gostaram? 

6 comentários:

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo