4 de dez de 2013

" De Repente é Amor "


17º Capítulo - Plano?!



Narrado por Lua. 
Depois do jantar incrível de ontem, Chay me trouxe em casa e ficamos na sala "conversando".. Se é que você me entende. Mas não rolou nada além de uns beijinhos. Fui dormir acho que ia dar 3h da manhã. Pois é. Pra você ver como o dia rendeu ontem. Acordei por volta do meio-dia, a essa hora Kátia já deveria estar na estrada. 
Eu estava sentada no sofá com as pernas cruzadas, no meu colo tinha um pratinho com um sanduíche e ao meu lado meu copo de coca-cola. Eu assistia TVD já que não tinha nenhum programa de TV interessante. Oh, Damon Salvatore me possua. Ri com os meus pensamentos e fui interrompida por um ser descabelado que apareceu na sala. 

- Oi maninha - ela sorriu e sentou-se ao meu lado. 
- Bom dia - eu sorri e ofereci o sanduíche, ela negou. Dei de ombros. 
- Ta fazendo o que? 
- Assistindo os episódios de TVD novamente.
- Ta em qual temporada? 
- Segunda. 
- A Elena já virou vampira? - ela disse apoiando a cabeça no braço. 
- Nessa temporada ela ainda nem sonha que vai virar vampira - ri, ela assentiu - Chegou tarde ontem...
- Eu e o Arthur ficamos conversando no carro.
- Conversando? Sei... - ri com a cara de pervertida que ela fez.
- Pensa que eu não vi o seu namoradinho saindo daqui ás 3h da manhã? - foi a minha vez de fazer uma cara pervertida, mas eu fiz de zoação, porq realmente não aconteceu nada de mais - Falando nisso, porq me deu um beliscão ontem? 
- Porq não era pra você falar o que não devia. 
- Falar o que não devia? Não entendi. 
- O Arthur não pode saber sobre eu, ok? 
- Como assim Lu? Vocês foram amiguinhos de infância e pensa que eu me esqueci o quanto você ficou mal quando ele foi embora? 
- Por isso mesmo, Mel - suspirei - Ele não lembra mais mim.
- E porq não falou pra ele sobre você? Sobre vocês? 
- O que você queria que eu disse-se? Oi Arthur, lembra de mim? Eu fui sua amiga de infância, vamos brincar? 
- Você sabe que esta sendo muito boba né? - ela me olhou. 
- Eu queria que ele lembrasse de mim por ele próprio, não por mim ou pelos outros... Se ele não se lembra de mim, ele não precisa saber do nosso passado. 
- Maninha... - ela suspirou - Deixa de besteira, você ta doida pra dar um abraço nele. 
- Sim estou. Deus sabe como eu estou - eu sorri amarelo - Mais ele não se lembra de mim. Ele me esqueceu, Mel! E isso dói...  Dói muito - minha voz ficou embargada e eu pude perceber que já começava a chorar. Mel me abraçou e eu soltei um soluço. Se separamos do abraço e ela secou meu rosto sorrindo meiga. 
- Não chora. Lua não chora. 
- Eu quero chorar - ela sorriu amarelo - Eu vou pro meu quarto - me levantei e meu celular começou a tocar, olhei o visor e era o Chay - Diz pra ele que eu estou dormindo - joguei o celular pra ela e subi para meu quarto. 

Eu precisava chorar. Chorar pra liberar toda aquela mágoa, raiva e ódio que se acumulava em mim. Eu não aguentava mais ter que aguentar sorrindo toda vez que ele me ofendia ou me olhava como se nunca tivesse me visto na vida. Me trata-se como uma pessoa qualquer. Sim. Eu estava sendo boba, admito. Mais poxa, ele significou muito pra mim, ele foi super importante na minha vida e por ironia do destino a gente acaba se separando... Ele volta e é como se tudo que a gente viveu e construiu quando criança não tivesse significado nada pra ele. 
A porta do quarto se abriu e dali apareceu Chay com uma cara nada feliz. Ele me olhava triste. Eu sequei minha lágrimas e sentei na cama, ele entrou fechando a porta em seguida e sentou de frente pra mim. E do nada, me abraçou. Não era um abraço igual aos que ele costumava me dar. Era um abraço apertado, carinhoso e que me passava segurança. 

- Você prometeu - ele disse baixo, mais tão baixo que eu quase não ouvi. 
- É impossível Chay, é impossível - ele assentiu - Me desculpa.
- Tudo bem minha linda, sei que você não controla. 
- Desculpa - cai no choro novamente. Ele sussurrou um "Shii" e deitou na cama fazendo eu deitar no peito dele, ainda abraçados. Ele ficou acariciando as minhas costas enquanto eu me acabava em lágrimas. Depois de um tempo tudo foi ficando escuro e eu apaguei. 

Narrado pela autora

Chay notou que a amiga tinha adormecido e saiu dos braços dela devagar para não acorda-la, desceu as escadas e notou que Melanie estava inquieta no sofá. 

- Ela dormiu - o moreno comentou ao se sentar do lado da Mel. 
- Não gosto de vê-la assim. 
- Você acha que eu gosto?! - ele suspirou. 
- Parece que tudo está voltando, sabe?! - olhou para o garoto triste - A Lu era muito apegada ao Arthur. 
- Porq a gente não fala com ele? - sugeriu.
- Não. A Lu nunca ia aceitar isso, ela ia ficar ainda mais magoada. 
- E enquanto isso a gente fica vendo ela se remoendo pelos cantos? - bufou - Eu voto da gente contar pro Arthur. 
- Não Chay, promete que não vai falar nada? - ele suspirou - Promete? 
- Ta, eu prometo - ela sorriu um pouco aliviada - Mais ainda acho que ele deve saber. 
- Tudo bem a gente conta... Mais não agora, eu tive uma ideia. 
- Ué, divide. 
- Daqui uns dias... - eles engaram uma conversa. 

Bom diaa xD

2 comentários:

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo