13 de dez de 2013

" De Repente é Amor "

 

19º Capítulo - "Quem nunca um erro cometeu, também nunca algo descobriu."


Narrado por Lua.

Querido diário, 
Hoje é mais um dia daqueles onde eu sento abaixo daquela árvore do parque. O lugar onde a gente sempre comemorava nosso aniversário de amizade, mas eu acho que já falei pra você. Certo? 
Hoje estaríamos comemorando 17 anos de amizade, risadas, desabafos e alegria. Não, eu não vou ficar aqui me lamentando de como a vida foi injusta comigo, eu apenas quero desabafar e transformar em palavras o que meu coração está doido pra gritar [...]

- Que idiota Lua Blanco - arranquei a folha e amassei, contando com essa já era a décima folha que eu arrancava. Pobres árvores...
- Falando sozinha?

Uma voz masculina soou atrás de mim, se fosse Chay com certeza eu diria alguma gracinha ele riria da mim, mas.. Era uma voz diferente. Uma voz que sempre fazia minhas mãos soar - Que papo de apaixonada, Lua - Dei risada comigo mesma e quando me virei dei de cara com Arthur, ele estava sorrindo. Desde que ele chegou aqui no Rio é a primeira vez que o vejo sorrindo e se quer saber... O sorriso de Mickey não mudou em nada.

- O que faz por aqui? - mudei de assunto e tentei parecer o mais indiferente possível, mas com aquele sorriso quem consegue se manter concentrada? 
- Na verdade eu vinha aqui quando era moleque - ele se sentou ao meu lado - Mais eu não vinha sozinho, eu tinha uma amiga, minha única e melhor amiga. 
- O que... - sim eu estava confusa.
- Eu passei a noite toda tentando achar o melhor jeito de falar o que eu vou falar agora. 
- Falar o que? - franzi o cenho, não estava entendendo nada. 
- Me desculpa por te tratar daquela forma - ele se virou pra mim - Eu fui um idiota, confesso, mas eu não sabia que você era você - ele disse com desespero. 
- Garoto você bebeu? Só pode, porque só está falando coisas sem sentido - eu ri e me levantei pegando as minhas coisas - Vai se tratar, acho que está precisando de um hospício. 
- Eu sei de tudo Lua - eu parei - Eu sei que fomos amigos de infância, que quando eu me mudei você ficou esperançosa de que algum dia eu voltasse - ele dizia enquanto vinha até eu - Eu sei que você está magoada com todas as minhas atitudes.
- Foi o Chay que te contou né? - eu me virei irritada - Eu vou matar ele. 
- Perai, o Chay sabia? - ele franziu o cenho - O Chay sabia e não me contou!? 
- Eu pedi para que ele não contasse. 
- E porque? - ele cruzou os braços. 
- Você me esqueceu Arthur! 
- Não esqueci. 
- E como descobriu isso tudo? De repente veio na sua cabeça uma recordação minha? - fui irônica. 
- Ei li o seu diário - ele desviou o olhar. 
- VOCÊ O QUE? - irritada.
- Cala a boca garota, está chamando atenção do parque inteiro - ele disse olhando ao redor, garoto ridículo. 
- EU ESTOU POUCO ME IMPORTANDO PRAS PESSOAS - continuei a falar alto - VOCÊ INVADIU A MINHA PRIVACIDADE, ONDE ESTAVA COM A CABEÇA?! 
- Eu sei que não foi o certo, mas agora eu sei Lua, me desculpa po... - eu o cortei. 
- Desculpar pelo que? Por ter sido ridículo? Por ser ridículo? Ou pelo fato de que você vai ser ridículo pra sempre? - irritada - Por favor não me venha com esse papo de desculpas, eu não tenho nada a desculpar. Na verdade eu tenho que te agradecer, se você não tivesse sido ridículo o suficiente eu nunca saberia que eu não signifiquei nada pra você. 
- Não fala assim... - ele se aproximou. Eu dei um passo pra trás. 
- Quer que eu fale como? É a mais pura verdade - falei com a garganta doendo. 
- Para com isso Lua... - ele tentou me tocar, eu tirei o braço. 
- Para você! - me afastei - Você invade minha privacidade e ainda quer se desculpar? - ri - Sinceramente? Você é ridículo. 

Sai dali batendo o pé, agora ele passou de todos os limites. Fui direto para o meu quarto e tranquei a porta, nem escutei o que Mel falou comigo. Fiquei um tempo abraçada ao meu travesseiro, lutando para as lágrimas não tomarem conta de mim. A porta se abriu e dali surgiu Chay, eu não aguentei e solucei deixando meu choro tomar conta do quarto. 

- Ei - ele me repreendeu - Princesa não chora. 
- Ele é um idiota Chay - solucei - um idiota - ele me abraçou forte e eu correspondi.
- Por favor não chora - ele segurou meu rosto com as mãos - Eu estou aqui com você lembra? - assenti - Então não chore - ele me abraçou novamente. Chay tinha um poder incrível de me fazer sentir sentir calma, confortável e segura. Aos poucos minha respiração foi se normalizando - Você vai encharcar minha roupa toda - ele fez gracinha e eu tive que rir, Chay segurou meu rosto e foi trilhando beijos no meu rosto para secar as lágrimas. 
- Para seu nojento - eu dei risada e ele sorriu - O que foi? 
- Você fica mais linda sorrindo do que chorando, sabia? 
- To sabendo - sorri de lado - Obrigada por estar aqui. 
- Obrigada por me deixar estar aqui - sorriu. 
- Lindo - o abracei e beijei-o em seguida, Chay me segurou na cintura e a apertou, dando passagem a minha língua. 

[...]

- Já vai querido? Ta cedo  - Mel ironizou ao ver a gente descendo as escadas, Chay foi até ela e bagunçou seu cabelo - Ei - gargalhou. 
- Chata - Mel mostrou a língua e Chay devolveu, ele veio até eu e me beijou. Ele foi embora. 
- Ta melhor? - eu assenti. 
- Eu vou pro quarto - dei um beijo na bochecha dela e subi para meu quarto. Não demorou muito para que eu pegasse no sono. 

___

N/A: Galera eu errei!! Eles se conhecem desde pequenos, certo? Então são 17 anos de amizade (idade da Lua, já que o Arthur é mais velho) e não 8 anos! =))

4 comentários:

  1. ai meu deus posta mais fanny morrendo de curiosidade aqui e oor favor faz eles ficarem juntos

    ResponderExcluir

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo