12 de dez de 2013

Dark Moon - Capítulos Treze e Quatorze


Capítulos Treze e Quatorze - Resolvendo e Família



Lua e Arthur faziam um piquenique na beira do rio.
- É tão bom saber que tudo acabou – suspirou Lua.
- É ótimo. E é melhor ainda ter você aqui comigo – ele disse acariciando sua bochecha.
Ela riu tímida, coisa que nunca acontecia.
- Arthur, o que nós temos é, sério, né? – ela pergunta.
- Claro que é, eu amo você. – ele lhe dá um selinho.
Lua olha para baixo.
- Sabe, na semana passada, quando nos amamos, antes da batalha?
- Sim. Foi incrível – ele cheirou seu pescoço.
- Nós não nos protegemos, e eu – ela suspirou quase chorando – eu acho que estou grávida Arthur.
Ele a olhou surpreso.
- Grávida?
- Eu sei que... Ah, eu estou com medo! Somos jovens, e não nos protegemos como deveríamos. Fomos inconsequentes e podemos ter um filho!
- E essa é a melhor notícia que eu poderia ter recebido! – disse Arthur sorrindo radiante.
- É...É sério? Você não está chateado, ou bravo, ou sei lá...
- Nem um pouco. Até porque eu participei disso tudo – ele sorriu malicioso levando um tapa de Lua – ai, marrentinha. É sério, um filho, com a mulher que eu amo, é a melhor coisa do mundo!
Ele a levantou no ar e a girou, e Lua gargalhou alto.
Ali estava o começo de uma vida eterna.
##
Mel adoraria uma explicação de Chay. Ele a beija, diz que a ama e no meio de uma batalha e fica assim, por isso?
- ROOBERTCHAY SUEDE! – ela gritou entrando no quarto dele.
- Morri – ele disse enfiando a cabeça no travesseiro.
- Ta muito vivinho senhor Suede – ela disse sentando na cama sem cerimônia e tirando o travesseiro da cara dele – desembucha.
- Santa educação – ele ironizou.
- Não enrola e vai até o ponto.
- Se eu soubesse o que você quer saber, eu poderia “desembuchar”.
- Não. Se. Faz. De. Idiota.
- Então me explica o que é pra eu não me fazer de idiota.
Mel bufou.
- Já que sua memória até “apagada” vou “reacendê-la”. Você me beijou, disse que me ama e fica por isso?
- Ah, isso. – Chay agora estava desconcertado.
- Anda, Chay. Eu quero saber!
- Saber o que minha filha? Ficou bem óbvio o que é!
- Ai, você não me entendeu. Eu quero saber se é verdade ou se foi só coisa de momento!
Chay pensou por um momento.
- É verdade sim, eu te amo Mel. Eu fiquei com medo de que acontecesse alguma coisa e eu não pudesse falar, ai eu te beijei e disse aquilo. Só que, você não precisa me dizer nada, Mel. Eu sei que não é retribuído, eu só não podia deixar de falar...
Mel o interrompeu com um beijo.
- Eu também te amo Leãozinho.
##
Sophia era uma garota de atitude. Ela o beija no meio de batalha e depois...
- Ei, Mica, tá a fim de sair?
Ele a olhou incrédulo.
- Normalmente, não é o cara que pergunta isso?
- Odeio normalidade, mas tá a fim ou não?
- Claro. Cinema?
- Ótimo. No seu carro, as sete aqui em baixo.
Sete horas, Sophia desceu:
 os cabelos soltos e ondulados nas pontas,maquiagem básica.
Micael usava um jeans claro, regata branca, jaqueta jeans e tênis.
- Está linda – ele disse a observando.
- Você também está – ela sorriu – vamos?
- Claro.
Durante o trajeto, conversaram bastante, só não tocaram no assunto beijo.
O filme era bom, mas Sophia estava louca para falar com Micael.
Depois do filme, foram para uma sorveteria.
- Micael, precisamos conversar – disse Sophia.
- Eu sei. Porque você me beijou?
- Porque eu gosto de você? – ela disse como se fosse óbvio.
Micael riu. Sophia tinha muita atitude.
- Eu também gosto de você.
- Ótimo – disse Sophia sorrindo – e começamos por onde?
- Não sei. Você quer sair, ficar, namorar...
- Sou moderna. Podemos começar ficando. E ai de você se arrumar asa pra uma sirigaita.
Micael engasgou com o sorvete e riu.
- Pode ficar tranqüila.
E a tarde terminou assim, eles finalmente resolvidos.
##
Positivo.
Era isso que se lia no exame de Lua.
Ela, exibia um sorriso enorme, e logo, Arthur entendeu o motivo.
A levantou no ar, a girando com vontade. Quando a largou, lhe beijou com vontade. Ela riu por entre o beijo.
- Que felicidade heim casal – disse Chay chegando no quarto de Lua sem cerimônias. Mel lhe beliscou – ai. Porque fez isso?
- Atrapalhou o momento deles!
- Temos uma novidade para contar! – disse Lua segurando o papel na mão.
- Qual? Contaa! – pediu Mel cheia de curiosidade.
- Só no jantar, onde estarão todos.
- A não, agora você me encheu de curiosidade! – disse Mel quase pulando.
- No jantar macaca.
...
Todos a mesa.
- Er... Mãe, pai, pessoal, eu e o Arthur temos uma noticia – disse Lua se levantando.
- Qual? – Júniper perguntou.
- Eu estava com alguma sensações estranhas a alguns dias e agora está confirmado. Eu estou grávida.
Silencio.
- AHHH – disse Mel batendo palmas animada – que lindo!
- Que notícia linda! – disse Sophia sorrindo.
- Mais um membro na família! – disse Júniper emocionada – ah, eu serei avó!
Logo, todos estavam abraçando o casal.
- Espero que estejam cientes que é uma grande responsabilidade – disse Andrew sério.
- Estamos sim, e esse é o melhor presente depois dessa guerra – disse Arthur abraçando Lua por trás.
Eles colocaram a mão na barriga de Lua, acariciando. Esse era o começo de uma família.
- Como você sabe, começamos como simples “ficantes”, mas o que sentíamos já era maior naquela época. Fomos ficando cada vez mais próximos, sabemos que nos amamos, e vamos ter um filho. Eu, já não tenho mais duvidas de que essa eternidade que eu tenho, eu quero viver com você. Quer se casar comigo, Lua?
Arthur estava ajoelhado em frente a Lua, segurando uma caixinha de veludo azul marinho. Lua tinha a boca aberta e a cara de surpresa.
Quando um olhar se fixou no outro, ela já sabia sua resposta.
- É claro que eu aceito.
Arthur se levantou, e colocou o anel em seu dedo.
- Eu te amo – sussurrou Lua feliz e emocionada.
- Eu te amo.
Ele a beijou e a levantou no ar.
##
Decidiram se casar antes da barriga ficar enorme.
Com a noticia do casamento e da gravidez, era óbvio que os pais de Arthur deveriam saber a verdade.
Foi um choque, mas aceitaram e prometeram não contar a ninguém.
O casamento seria em Londres, na catedral oficial de casamentos vampiros.
Os bancos da igreja tinham flores vermelhas e tecidos brancos.
Os padrinhos de Lua seriam Mel e Chay. E os de Arthur Sophia e Micael.
##
Lua passou o dia todo do casamento se preparando.
Tomou um café cheio de frutas e sucos, após seguiu para um SPA de noivas, onde recebeu massagem, depilação, esfoliamento de pele, limpeza de pele, fez mão e pé (vermelho paixão), o cabelo e a maquiagem
Mel e Sophia também tiveram todos esses tratamentos por serem as madrinhas. Só que Mel pintou as unhas de azulado e Sophia de dourado.
Elas até tomaram banho ao chocolate, que faz bem para a pele.
Um motorista as levou de volta a mansão para se vestirem.
Mel ficara radiante na sua escolha de roupa, sapato e acessórios,
 que combinavam com a maquiagem
 clara, marcando seus olhos com um azul céu.
Sophia ficara exatamente como era na sua combinação de vestido, sapato e acessórios que a deixavam ainda mais bela com os olhos marcados pelo dourado e o batom vermelho.
Lua, era a noiva mais linda já vista, vestido longo e decotado com um lindo e rendado véu, a maquiagem
perolada lhe dera um toque suave e as feições de grávida a deixaram mais bela ainda.
Júniper, que trajava um elegante longo azul marinho e os cabelos bem presos, sorriu emocionada ao ver a filha.
- Não chora mãe – disse Lua sorrindo.
- Não vou. – mas sua voz já estava embargada.
...
Arthur a esperava no altar com seu terno preto, camisa branca e gravata perolada. O cabelo bem arrumado como sempre e um sorriso nervoso.
Chay usava um terno verde escuro, quase preto, com camisa branca e gravata verde. Seu cabelo estava em desordem como sempre. Tentava fazer Arthur rir.
Micael usava um terno preto, camisa branca e gravata vermelha. Seu cabelo estava cortado e arrumado. Ria das piadinhas de Chay.
##
A marcha nupcial começou a tocar.
Lua entrava segurando o braço do pai, que trajava um elegante Smoking azul marinho. Ela exibia um sorriso sereno e nervoso.
Mel e Sophia choravam perto ao altar com Chay e Micael, eram os padrinhos. Júniper estava emocionada no banco da frente.
- Cuide bem da minha filha – disse Andrew sorrindo.
- Pode ter certeza de que eu irei.
...
- Eu os declaro, marido e mulher. Pode beijar a noiva.
Arthur e Lua juntaram seus lábios em um simples tocar de lábios, já que estavam em publico. As mulheres estavam emocionadas, a maioria chorava.
- Unidos pela eternidade – sussurrou Lua no ouvido de Arthur.
##
A festa ocorria no mais caro salão de Londres. Todo enfeitado em vermelho e branco.
O bolo já havia sido cortado e os convidados agora esperavam pela abertura do baile.
Sophia era a “narradora” da festa.
- Antes de iniciarmos o baile, teremos a valsa dos noivos!
Todos bateram palmas, e Arthur guiou Lua para o centro da pista.
A valsa começou a tocar e eles foram no ritmo da musica.
- Ai, eu não sei dançar isso – resmungou Lua para Arthur.
Ele riu baixinho.
- Nem eu.
...
Tocava uma musica agitada, escolhida por Chay. Ele e Mel dançavam feito malucos na pista, o que fazia todos rirem.
- O nosso voo sai amanhã as onze da manhã – falou Arthur para Lua.
- Vancouver, ai vamos nós!
##
Fora uma lua de mel curta, pois a barriga de seis meses de Lua pedia cuidados especiais.
Era uma gravidez tranqüila, mas os vampiros eram diferentes dos humanos, necessitavam de cuidados especiais.
Arthur adorava mimar Lua, sempre trazia doces e coisas gostosas de comer e beber.
Já haviam escolhido o nome para a filha, sim era uma menina.
Merlia Blanco Aguiar.
Arthur agora trabalhava na empresa de Andrew. Ele selecionava novos empregados e tinha um ótimo salário. Lua também decidira que depois que Merlia completasse um ano, iria trabalhar.
Ambos não haviam conseguido terminar a escola, mas isso no mundo vampiro não era necessário. Havia um curso de cinco meses, que lhes dava o diploma.
##
A mansão estava em polvorosa, Lua dera a luz a sua pequena filha a quase três horas.
Era uma linda bebê, de poucos cabelos loiros.
Arthur estava deitado na cama, com a esposa e a filha, que dormia aninhada no colo da mãe.
- Ela é a coisa mais tilinda que eu já vi – suspirou Mel.
Mas logo todos deixaram os três sozinhos. Precisavam de descanso.
- Eu amo vocês duas – sussurrou Arthur passando os braços em volta de Lua e fazendo um carinho calmo na cabeça da filha.
- Eu também amo vocês – Lua suspirou cansada. Deitou a cabeça no ombro de Arthur, ganhando um carinho no braço.
Tudo estava na paz.

2 comentários:

  1. Ana Clara s212/12/2013 12:43

    posta mais....

    ResponderExcluir
  2. Quando a familia blanco de aguiar for almentar de novo e tiver outra girl pode se chamar vitoria????? Pf

    ResponderExcluir

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo