8 de dez de 2013

80ª Capítulo - "Tudo por uma promessa"

 

Último capítulo.



Tudo o que é bom, acaba depressa.
No inicio desta história ninguém imaginava que isto poderia terminar assim. Nem todos temos a mesma sorte de ter um casamento arranjado, mas mesmo assim dar certo.
Lua teve a sorte de ter uma avó que lhe conhecia até o que mesmo Lua não conhece nela própria. A dona Maria tinha o poder de quase ler as mentes das pessoas que lhe estão mais próximas e assim traçar o futuro delas.
Digo isto porque foi dona Maria que abriu os olhos de Lua e lhe disse o que ela própria não sabia: Lua estava apaixonada pelo menino Aguiar desde as festas que os mais idosos celebravam.
Após a morte da dona Maria e também da Dona Cláudia, que morreu com câncer, Lua teve de batalhar muito para conseguir cumprir aquela promessa que tanto certificou à avó.

“Eu vou conseguir avó. Eu vou casar com o Arthur, vou ter o bisneto que você tanto queria e vou trabalhar com tudo aquilo que era seu. Nem o Thiago nem ninguém, vai roubar aquilo para que você trabalhou uma vida inteira.”

Não foi fácil, aliais, ninguém disse que ia ser fácil, até porque a Lua lutou muito para conseguir tudo aquilo que tem hoje.
Ela casou com um homem que não lhe amava, teve um filho do mesmo, mas felizmente aquela pressão que os dois tinham em cima deles deu certo e hoje são um casal feliz.

E por falar no dia de hoje, nada melhor do que relembrar uma das melhores noites da vida deles. Aquela em que dançaram coladinhos ao som daquela musica calma que teve no baile.
Lua e Arthur pareciam uns verdadeiros reis daquele baile pois tinham as roupas mais bonitas, apesar de serem simples. Podemos dizer que eles brilhavam no meio da pista.

Hoje de manhã, os dois acordaram com o serviço de quartos batendo na porta. Lua quando acordou, pensou que tinha sonhando com tudo aquilo que lhe aconteceu no dia anterior, mas felizmente era tudo verdade.
Ela sorriu ao ver o seu marido lindo a chegar à cama com o café da manha pousado na bandeja.

Lua: bom dia – disse toda dengosa, ainda com a blusa dele vestida
Arthur: bom dia minha loirinha – ele ficou por cima dela, e a beijou – Essa foi uma das melhores noites da minha vida, sabia?
Lua ri: me diverti como nunca. tava com saudade de uma festa assim.
Arthur: somos dois e estávamos precisando mesmo.

Enquanto Lua comia, Arthur foi buscar o Rodrigo ao berço deles e deixou ele entre os dois, na cama. Arthur foi brincando com o filho enquanto o menino ria com as cocegas que o pai lhe fazia sempre.

Arthur: que tal irmos à piscina hoje?
Lua: não é hoje que chegamos a Cabo Verde?
Arthur: é sim.
Lua: o que será que tem lá?
Arthur ri: você por acaso ouviu o que eu falei primeiro?
Lua: lógico que ouvi. Mas não deve dar tempo
Arthur: é… tem razão.
Lua: eu tenho sempre razão – se gabou
Arthur ri: sua mãe é muita convencida viu Rodê? – Arthur sentou ele na cama e o colocou de maneira a que olhasse para a Lua
Lua ri: não bebé, seu pai é que é – Lua puxou Rodrigo para o colo dela – Meu bebé tá cada dia mais lindo, poxa…
Arthur: seu ou nosso?
Lua: nosso logico – ela não tirava os olhos dele – Tá vendo como o cabelo dele está? Tão lindo…
Arthur ri: é que nem o meu
Lua ri: claro que não… cabelo lindo é como o meu
Arthur: tá, tá… - ele levantou da cama – Me dá a minha blusa
Lua: vai buscar outra uê
Arthur ri: não, eu quero essa – ele pedia a que ela tinha vestida
Lua ri: nem pensar.

Arthur correu até ela, lhe pedindo a blusa enquanto ela fugia dele para não lhe devolver, até porque por debaixo daquela blusa não tem mais nada além da calcinha, e não convém ficar ali só com uma peça interior de roupa.

(…)

Mais três horas de viajem e assim chegaram a Cabo Verde.
Como costumam dizer “Cabo Verde é vida”, pois todas aquelas ilhas estão cercadas de Mar.
Lá as pessoas são super gentis e acolhedoras, para além disso, falam português o que facilita as coisas para Lua e Arthur.
Felizmente, eles apanharam a época de Verão. No verão, as pessoas devem usar roupas de tecido natural que não sejam quentes. À noite, devem usar roupas mais cumpridas para evitar a mordida dos mosquitos.

Quando todos os passagueiros desceram do barco, foram acompanhados do guia turístico que os ia falar de todo esse lugar.

Arthur: ahh não Lua, isso é chato!
Lua: mas Arthur, agente não conhece nada disso. É melhor ficarmos aqui com ele, porque ele é que sabe
Arthur: por não conhecermos nada é mais uma razão para descobrirmos sozinhos… vamos? – ele fez carinha de pidão
Lua ri: não amor, agente fica!

Embora contra a vontade do Arthur que carregava o carrinho do Rodrigo, eles ficaram lá ouvindo o guia.

Guia: existe um vulcão ativo na ilha do Fogo, que torna a sua paisagem muito bonita, para os estrangueiros. Iremos de passar por lá. Cabo verde está constituído por 2 tipos de ilhas. Seis são habitadas e têm paisagens montanhosas. Elas são distinguidas pelas areias douradas e praias enormes. A Ilha da Boa Vista é a ilha dedicada aos esportes náuticos. A villa de Sal-Rei…
Arthur interrompe: bla bla bla – disse farto de escutar o homem
Lua ri: fica calado amor! – pediu
Arthur ri: amor, por favor, vamos embora! Não vamos ficar a ouvir eles… olha, eu to com fome.
Lua ri: por acaso eu também estou…
Arthur: então vamos por ai, achar um bom restaurante.
Lua ri: chato!

Neste momento, Lua e Arthur estão na Ilha do Sal. Muitos estrangeiros consideram ela a Ilha mais bonita e mais rica de Cabo Verde. Ela tem praias enormes de areias super brancas e exuberantes. Essas praias são boas para fazer surf, para pescar, para windsurf, para natação e entre outros desportes.

Arthur: que tal aquele? – apontou para um restaurante com um aspecto super agradável
Lua: tá, vamos lá!

Eles subiram umas escadinhas e sentaram na mesa da rua, por debaixo de um grande chapéu de sol.

Lua: vou passar repelente para os insetos.
Arthur: não precisa
Lua: precisa sim, você por acaso ouviu o que o Guia falou? Podemos ser picados a toda a hora
Arthur: a minha carne não é boa, os mosquitos não gostam
Lua ri: deixa de ser tolinho Arthur

Os pratos que ambos escolheram foram os típicos de lá: Salada de Lagosta e Arroz Pintado.

Lua: acho melhor agente ir com os outros, se não ainda nos perdemos do grupo.
Arthur ri: que nem pensar. Vamos agora à praia.
Lua: mas eu tenho de dar de comer ao Rodê.
Arthur: damos lá uê
Lua: será que posso pedir a eles para aquecerem a comida dele?
Arthur: logico!

E assim foi. quando pediram, esperaram um pouco e foram para a praia, que era mesmo em frente. Arthur não pensou duas vezes e mergulhou logo, pouco se importou se tinha acabado de comer ou não. ele apenas queria se deliciar daquelas aguas claras.
Quando ele voltou, foi a vez de Lua ir também. A loirinha estava encantada com aquela agua tao fresca, tao boa.

(…)

Para que o dia terminasse bem, nada melhor do que uma festa tradicional de lá.

Guia: aqui eles adoram ouvir músicas africanas e brasileiras, mas a praia deles é mais uma musica classificada de batuque, colá, coladeira, funaná, mazurca, morna e assim. Vamos agora a uma festa que só vao tocar musicas assim, espero que se divirtam.
Arthur: finalmente ele foi embora! – disse Arthur, cansado de ouvir ele falar
Lua ri: bobo! Vamos ali, ver como se dança e depois vamos dançar também.
Arthur ri: nada disso
Lua ri: vamos sim Arthur!

Eles sentaram nas esplanadas enquanto o espetáculo de dança de funaná decorria. Era uma musica bem mexida e atrativa. Lua estava louca para dançar, mas Arthur não queria.

Lua: vamos amor, por favor – pediu
Arthur: não Lua, eu não sei dançar…
Lua: e você acha mesmo que eu sei?

Chegou um jovem perto de Lua, que aparentava ter a mesma idade que ela, com uma flor da mão e pedindo a mão dela para dançar. A loirinha olhou para Arthur e riu da cara de ciumento dele. Lua aceitou dançar com o garoto sem pensar duas vezes. Antes de ir, apenas colocou o Rodrigo no colo de Arthur, que ficou se torcendo de ciúmes.

Lua: mas eu não sei dançar
Garoto: é super fácil, eu te ensino…

O garoto ensinou uns passos simples à Lua e ela aprendeu bem depressa. Arthur até estava arrependido de não ter dançado.
Enquanto Lua dançava, Arthur ficava brincando com o Rodrigo, que já consegue se colocar em pé, em cima do colo do pai logico.

Arthur: tá gostando de viajar meu filho? Isto só agora começou…

Não demorou muito para a Lua chegar e sentar ao lado do marido e do filho. Ela estava toda cansada, mas apesar disso estava feliz.

Lua ri: amor, me diverti tanto… você devia ter vindo dançar.
Arthur: nenhuma menina me chamou
Lua: ahh não? e eu sou o que? Menino?
Arthur: não… você é mulher! A minha mulher – ele a beijou
Lua ri: bobo… - ela abraçou ele
Arthur: vamos dar uma volta por ai?
Lua: agora? Mas tá tao bom aqui…
Arthur: não amor, vem…

Arthur pegou a mão da Lua e foram os três de novo até à praia. Dessa vez estava de noite e mesmo ao longe, a música daquela festa ainda se ouvia.
O mar estava calmo e a única coisa que se ouvia lá, para além da música da festa, era o barulho das ondas do mar.
Rodrigo estava bem acordado, apesar de já estar tarde e estava sentado nos ombros do pai, que segurava ele com cuidado. Lua mantinha a mão dela de volta da cintura do Arthur.
Os três passeavam assim à beira mar, sentindo aquela água fresca e fria nos pés.

Lua: quais são os próximos locais a visitar?
Arthur: nós vamos às  Ilhas Canárias, vamos a Marrocos, Itália e por fim voltamos ao Brasil.
Lua ri: vai ser tão legal… - ela baixou o rosto, enquanto andava e ficou calada
Arthur: que foi?
Lua: a minha mãe tinha o sonho de ir até Itália… ela falava coisas lindas de lá, apesar de nunca ter ido – e assim uma lágrima veio rolando o seu rosto
Arthur: ahh não amor, vai chorar?
Lua: você sabe que a saudade aperta…
Arthur: mas não aqui amor…
Lua: você não entende.
Arthur: entendo sim – ele parou e ficou à frente dela – Por entender é que falo para você não pensar nisso. Você acha que ela fica feliz por te vez chorar? Ela quer mais que você viva a sua vida, sem estar se prendendo em coisas antigas. Ela foi importante na sua vida, mas pensa que agora você também tem uma coisa importante… o teu filho.
Lua: eu sei… mas custa. – ela tentava não chorar
Arthur: ninguém falou que ia ser fácil… mas de uma coisa você pode ter a certeza. A sua mãe e a sua avó, estão orgulhosas de ter criado uma loirinha com você. Uma pequena que nunca desiste, uma pequena batalhadora, um quanto teimosa – ambos riram – E a pequena  que eu amo!

4 comentários:

  1. Que lindo, vai ter 2 temporada ??

    ResponderExcluir
  2. mirella vasconcelos11/02/2014 00:13

    Faz segunda temporada por favor

    ResponderExcluir
  3. mirella vasconcelos11/02/2014 17:16

    Faz segunda temporada por favor

    ResponderExcluir

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo