8 de nov de 2013

" Uma lição de Amor "


Capítulo 36 - Último Capítulo 
"Agora me diz, quantas pessoas precisam de uma segunda chance? Uma segunda chance para serem felizes. Uma segunda chance pode mudar a vida de tanta gente"




N/a: Coloquem para carregar a música The Maine - Into yout arms

4 Meses depois...

Olhei pela janela do quarto observando a paisagem que aquele lugar tinha. Era realmente lindo, os escoceses tocando algum tipo de instrumento na qual eu não se lembrava o nome mais que era gostoso de se ouvir. Aquele campo verdinho que dava um ar de dia feliz já que o sol brilhava do lado de fora e ouvia passarinhos voarem de um lado pro outro das árvores. Era meu último dia naquele lugar e mal podia imaginar que daqui a algumas horas estaria na minha formatura em Londres, não poderia ser verdade eu iria me formar! Desviei a atenção da janela e voltei a se concentrar na mala, fechando ela e colocando do lado da cama e vi Julia olhando pra mim com uma cara de me abraça

- Ai amiga, eu vou sentir tanto a sua falta! - Ela choramingou vindo me abraçar e eu enterrei o meu pescoço no dela assim como ela tinha feito comigo
- Eu também vou sua vaca! - Sussurrei
– Agora promete que você vai entrar todo dia naquele skype se não eu te espanco! - Ela disse e depois nós duas rirmos da que ela tinha acabado de dizer
- Não acredito que você vai viajar do Arizona até Londres só pra me espancar – Ri
- Frio e calor não se dão bem esqueceu? - Ela arqueou a sobrancelha e eu ri
- Pena que sua formatura vai ser lá... Queria que fosse aqui junto com a gente – Ela sorriu triste e eu suspirei.
- Juh, Londres foi aonde eu realmente comecei, mudei pra duas faculdades diferentes, foi ótimo mais agora eu tenho que voltar. É lá que eu realmente pertenço – Sorri
- Eu sei... e sei também é que lá que vai está a pessoa que vai te fazer feliz. - Ela disse
- Vai sim... Lá eu tenho tudo que eu preciso.
- Eu sei... e eu sei também que um dia eu vou lá te visitar e eu espero que você faça o mesmo comigo. - Ela deu língua e eu ri
- Prometo que também vou te visitar e prometo também que não vou deixar a distância machucar essa amizade que a gente teve – Sorri – Obrigada por tudo Juh, de verdade – Abracei ela novamente
- Obrigada a você, garota você realizou meu sonho eu falei com os MCFLY no telefone! - Ela deu um berro e eu ri do dia que liguei pros meninos pra realizar o sonho da Julia, ela era fanática por eles e uma fã de verdade. E eles foram super fofos com ela deixando ela cada vez mais apaixonada por todos eles.
- Bom eu preciso ir, meu voo tá me esperando – Eu ri sem humor limpando as lágrimas que já tinham caído
- Vai lá e arrasa na sua formatura querida! - Ela riu
- E você também! E não esqueça de me mandar um e-mail falando tudo. Absolutamente tudo – Disse
- Ok, você também! - Ela disse quando eu já estava perto da porta
- TE AMO SUA VACAA! - Eu gritei antes de sair correndo com medo de ela vir atrás de mim querendo me bater, mais no fundo eu sábia nessas horas ela estaria rindo e chorando ao mesmo tempo. Saí da faculdade dando uma última olhada no lugar que eu tinha passado quase um ano. Um ano de saudades e um ano também que me fez amadurecer e da valor até pras pequenas coisas, me fez da valor pra todas aqueles seres humanos que tanto me perturbavam em Londres aqueles seres que eu amava incondicionalmente.

* * * * * 

- Ér Lu, posso falar com você? - Ouvi a voz de Nick atrás de mim e me virei sorrindo fraco com as mãos na alça da mala de rodinhas. Já estava dentro do aeroporto e logo logo meu voo iria chamar.
- Oi Nick... Pode falar – sorri fraco me lembrando do dia que nós terminamos quando eu tinha voltado. Ele não aceitou muito bem e acabou jogando porta-retratos em cima de mim, que me machucou de verdade eu tinha ficado dois dias no hospital, o vidro tinha entrado dentro da minha cocha e uma veia tinha se rompido. Eu ainda ouvia a voz de Will e Arthur no telefone 'LUA, eu não acredito que aquele filha da puta te machucou' Arthur gritava descontroladamente ' EU VOU MATAR ESSE DESGRAÇADO EU VOU IR PRA IR AGORA' Will gritava mais ainda que Arthur. Mais eu tinha pedido que eles não fizessem nada, mais eles eram teimosos de mais até que eu disse-se que se um deles aparecesse aqui eu nunca mais voltaria. Já Nick não cansava de pedir desculpas e nesses meses todos eu nunca mais tinha olhado sequer pra cara dele.
- Me perdoa tá legal? Eu sei que eu fui um idiota e só Deus sabe o quão eu me arrependo disso. E eu não quero que me perdoe de verdade. Eu não mereço seu perdão, não mesmo. - Ele disse se sentindo culpado sem menos me olhar e eu senti uma pontada no coração.
- Nick.. - eu falei
- Não deixa eu acabar de falar, se você quiser dar queixa tudo bem... Eu mereço e eu me sinto sujo imundo e...
- EU TE PEDOO CARALHO -Eu gritei pra que ele parasse de falar
- Ahn? - Ele olhou desnorteado e eu apenas sorri fraco
- Eu te perdoou. - disse novamente
- Não acredito, como você pode ser tão estúpida a esse ponto? - Ele perguntou e eu ri dando de ombros – Não sei...
- Para de se culpar, tá tudo bem quatro meses já se passaram, esquece isso – eu sorri
- Você é uma menina de ouro garota... O Aguiar tem sorte de ter o seu coração – ele disse eu apenas suspirei sorrindo
- É, eu acho que ele tem – eu sorri – Agora vem , me da um abraço aqui seu idiota - Eu disse abrindo os braços e ele me abraçou fortemente me fazendo sorrir.
- Boa sorte em Nova York – Sorri depois que soube que ele tinha recebido uma bolsa de pós graduação em Nova York assim como os três melhores e bom eu também tinha recebido mais era pra outro lugar, e eu não me importava muito tudo oque eu queria era voltar pra minha casa e contar pra Arthur que...
- Obrigada... - ele sorriu – E você, não vai aceitar ir pra Austrália? - Ele perguntou arqueando uma das sobrancelhas e eu dei de ombro
- Não quero me afastar de novo. Chega de ficar longe das pessoas que eu amo - Sorri

Voo para Londres embarque no portão F”

- Adeus Lu – ele acenou quando eu me virei pra ir embora
- Adeus – Acenei de novo entrando na porta de embarque.

Faziam duas semanas que a Sô tinha me ligado dizendo que a carta de uma universidade tinha me mandando o convite pra fazer um curso pós graduação na Austrália e dessa vez até ela tinha recebido também. Eu sempre tinha deixado Sô abrir mais cartas, não queria mais ter segredos com ela e nem com ninguém. Eu sábia que ela podia saber de todas coisas afinal ela era minha melhor amiga. Eu tinha dito a ela que não iria mais a lugar nenhum sem se com todos eles. Não ira me afastar nunca mais das pessoas que eu tanto amava. Chega.

Delegacia; London - 28 de dezembro

Respirei fundo antes de entrar naquela sala escura sendo acompanhada por um guarda. Ele me pediu que esperasse e me sentei em uma das mesas observando aquele lugar. Era escuro sendo clareado apenas por uma lampada no teto em baixo da grande mesa. Fitei a cadeira vazia do outro lado tentando achar um motivo. O porque daquilo tudo... Escutei o barulho de cadeados abrindo e uma Clarie com roupas cinzas e sendo solta por algemas vir na minha direção e eu apenas sorri fraco a acompanhando com o olhar até ela se sentar na cadeira a minha frente que alguns segundos atrás estava fazia.

- Eu não entendo... Porque? - Perguntei sem intender com as mãos apoiadas na mesa e ela me olhou com aquele olhar maltratado que daria pra ver pela situação que estava passando.
- Eu vou te contar tudo Lu – ele sussurrou
- Por favor... eu preciso saber... Porque você matou o Adam? Tudo bem... eu te agradesso por isso, você salvou a minha vida, mais porque? - perguntei sem entender e ela respirou fundo antes de começar a contar
- Sua viagem pra Itália com os seus amigos não foi coincidência Lua
- Co-como assim? - Perguntei sem entender
- Adam e eu eramos amigos, nos conhecemos há muito tempo. Ele era um diretor da escola que você estudava quando era do Brasil e eu era secretária da Right School aqui de Londres, e nos conhecemos em uma dessas palestras de professores quando ele veio pra cá. Ficamos amigos, e eu acabei me apaixonando por ele, mais só que ele teve que voltar pro Brasil e nos separamos, mais eu nunca deixei de ama-lo. Dois anos se passaram quando eu recebi uma ligação dele, ele tinha pedido pra mim alterar as provas de você e dos seus amigos pra que ganhassem as férias na Itália, e que eu fosse a governanta daquele lugar, ele dizia que precisava daquilo, e que era por ele... E eu toda apaixonada fiz com que isso acontecesse. Tudo como ele tinha me pedido... Só que naquele dia, você me disse a verdade sobre ele. Você disse oque ele fez com você Lu, e o meu coração se quebrou, ele não me amava, ele só estava me usando pra conseguir se vingar de você. E aquilo ficou guardado... Naquele dia eu estava entrando na casa quando eu vi aquela cena, ele iria te matar e eu vi a hora perfeita pra acabar com tudo aquilo de uma vez.
- Meu Deus Claire... Eu nunca pensei que... - Apoiei minha cabeça com as mãos tentando amenizar aquilo tudo engolindo o seco, eu não acreditava naquilo tudo. Meu Deus...
- Me perdoa, eu não tinha ideia que chegaria a esse ponto – ela sussurrou e eu assenti balançando a cabeça
- Eu perdi que o advogado troucesse isso pra você. Ele esqueceu isso no meu apartamento quando foi embora – ela me entregou um caderninho preto e eu abri ainda com as mãos tremas com medo de encontrar algo ruim. Era um diário, e um diário de uma criança... talvez dele eu não teria certeza até Clarie começar a falar
- Ele perdeu os país em um arrastão de bandidos, era rejeitado na escola, sofia bulling, apanhava dos meninos maiores, e foi rejeitado pela garota que amava mais de 20 vezes e tentou se suicidar varias vezes, ele ficou com problemas só que nenhum familiar o ajudava... Daí foi ficando com problemas piscológicos e acabou virando esse monstro. - Tinha dor nas palavras dela, e eu senti uma lágrima do meu rosto cair olhando aquele caderno... Tinha desenhos comuns de qualquer criança entre sete e oito anos, desenhos que ele queria que se realizasse mais que era impossível, o mundo tinha tirado todas as suas esperanças. Adam Scott era apenas um menino solitário que precisava de uma nova chance pra seguir em frente... Só que ninguém deu. Agora me pergunte, quantas pessoas agora precisa do seu perdão pra mudar? Quantas pessoas precisam de uma nova chance pra seguir em frente? Da uma nova chance não vai fazer cair o seu dedo e nem vai arrancar nenhum pedaço do seu corpo. Apenas vai da a oportunidade de uma pessoa sair do errado e tentar ser feliz.


1 dia depois: Faculdade Right School – Londres

- Ai meu Deus nós vamos entrar! - Eu sussurei pra Sophia segurava minha mão tremendo me fazendo ficar mais nervosa ainda vendo-a daquele jeito.
- Ok, só sentarmos nas poltronas e ouvirmos os discursos dos nossos colegas de classe! - Eu sussurrei de volta espiando pela porta oque estava acontecendo lá dentro em quanto eu e Sô e mais os nossos colegas de classe esperavam ansiosamente. Arthur, Chay, Micael, Maker, Mel e Anne já deviam está lá dentro e eu já podia sentir meu rosto levemente corado de nervoso e vergonha. Entramos pelo tapate vermelho do enorme salão onde haviam várias mesas onde pessoas olhavam pra nós. Avia uma pequena platéia na qual todos nos esperava e a nossa diretora em cima do palco. Sentamos nas nossas respectivas cadeiras até serem chamados um ano por cada

Jessie Walker
Junior Sturcks
Clarie Wandsson
Dave Wilians
Juliana Roberts
Emily Oken

Assim ouvíamos os nomes serem chamados, cada um com o seu discurso, uns idiotas, outros marcantes e outros que davam vontade até de chorar. Eu e Sô estávamos lado a lado sentada naquelas poltronas de mãos dadas ainda tremendo, sem saber oque iria falar e com medo de todo o discurso que tínhamos preparado tivesse sido esquecido. Logo avistamos os meninos em uma mesa lá atrás que acenaram pra gente e sorriram.

Sophia Abrahão

- Ai meu Deus! É o meu nome! - Sophia olhou pra mim com os olhos arregalados e eu olhei pra ela
- Vai lá amiga e arrasa! - Eu sorri abraçando ela rapidamente até que ela súbiu no palco dando duas porradinhas no microfone pra ver se estava pegando. Ela sempre fazia isso. Minha amiga idiota que eu amava tanto.

Oque falar sobre esses três anos? Foram anos completamente inesquecíveis. Eu e mais seis amigos ganhamos uma bolsa pra estudar na Itália. E foi lá que mudou a minha vida completamente. Lá eu conheci os meus verdadeiros amigos, deixei todo o machismo de lado, aprendi a parar de julgar as pessoas que precisavam de ajuda... - Ela olhou pra Mel que sorriu´- Ás vezes não fazemos coisas erradas porque queremos, ás vezes samos sensíveis de mais, não suportamos tipo de coisas e acabamos fazendo coisas erradas. Mais eu acho que com amor a gente supera tudo e todos. Porque um sorriso pode derrotar mil armas querendo lutar contra ti. Somos todos iguais, todos imperfeitos. Todos precisando de amor.

Todos começaram aplaudir e eu senti uma lágrima cair do rosto de Sophia que sorria para aquele público dando um aceno para nossos amigos. Ela pegou o diploma e levantou pro lado e gritou ' EU CONSEGUI PORRAA!” Me fazendo gargalhar. Ela sorriu pra mim e foi sentar com os meninos e a Mel e a Anne lá atrás me fazendo sentir um frio na barriga

Lua Blanco

Ouvi o meu nome ser chamado e quase gritei sentindo meu rosto ficar vermelho. Levantei e caminhei até lá em silêncio subindo no palco e me depando com aquela platéia cheia que esperava o meu discurso. Peguei o microfone e respirei fundo antes de começar a falar

Bom eu tinha feito um discurso, mais agora olhando pra todos vocês eu o esqueci completamente. Eu sei que parece estranho mais eu de certa forma estou feliz por ter acontecido algo comigo no Brasil a quatro anos atrás. Porque se não fosse por isso eu nunca teria chegado a Londres. Eu me lembro como eu cheguei aqui, com medo, com raiva, egoísta  e só pensava em mim. Mais uma pessoa me fez mudar. - Eu sorri e levantei os olhos pra procurar os de Arthur que me olhavam fixadamente. - Eu cometi muitos erros, foi egoísta .. Mais...Depois de tanta coisa eu aprendi a começar a ver a vida de outra forma. A vida não tinha sido tão gentil comigo. Eu perdi pessoas que eu amava, eu me sentia sozinha mais eu sei que quando meus pais se foram não me deixaram sozinha. Eles tinham colocado seis pessoas na minha vida. Cada uma com um erro diferente, todas imperfeitas com um machucado no coração. E todas elas se curou de todas as feridas, não sendo punidas, ou sendo castigadas ou presas, elas curaram essas feridas tendo uma segunda chance, algo que fizeram enxergar que nada daquilo era bom, e que com amor e confiança a gente vence qualquer coisa. Na verdade esses anos foram os anos mais loucos da minha vida... A gente se apaixonou – eu sorri olhando pros meus amigos juntos na mesa cada um abraçado com o seu pá em quanto Arthur sorria pra mim – A gente brigou, riu juntos, e estamos todos unidos aqui agora, pra fechar mais um ano importante que eu sei que não é o primeiro mais também não vai ser o último.Esses três anos foram voltas ao mundo, Londres... depois Itália e de um pulo pro outro eu estava na Escócia  eu não sei se eu mereço tudo isso, na verdade eu nem sei oque eu fiz de bom nessa ou em outra vida pra merecer tanta coisa boa – sorri sem humor fugando uma lágrima -Obrigada por tudo, eu amo vocês! 

Sorri vendo todos aplaudirem.. Peguei meu diploma e correndo pra mesa dos meus amigos sendo recebida por Arthur que abraçou tão forte que eu pude me sentir esmagada ai meu Deus como eu amava aquele cheiro. Enterrei minha cabeça em seu pescoço sentindoaquele perfume que eu tanto amava e o ouvi sussurrar – Parabéns gênio, você merece!

- Obrigada – Sorri e logo depois ele me beijou um beijo rápido e calmo mais que também dizia o quão aquele momento estava sendo especial pra nós dois.
- Hey maninha, eu sábia que você ia conseguir! PARABÉÉNS! - Meu irmão me abraçou e me girou no ar me fazendo sorrir – Obrigada – respondi com um maior sorrisão no rosto
- Lu, parabéééns! - Agora era vez de Mel e a Anne virem na minha direção e me abraçarem em grupo me fazendo gargalhar. - Ai suas loucas, como eu senti saudades – respondi e logo depois fui abraçada por Micael e Chay que me rodopiaram. A gente ficou conversando ali por horas até o baile de formatura finalmente começar e todos saírem pra pista de dança animadamente

- Me permite essa dança? - Arthur surgiu na minha frente me estendo a mão e eu sorri dando a mão pra ele que me levava pra pista
- Arthur eu já disse que não sei dançar – Eu falei colocando a mão em volta do seu pescoço com a cabeça em seu ombro
- Deixa dança te levar Lu – ele riu e eu gargalhei
- Acho que com você eu sou capaz de ir até pro céu – sussurrei e ele riu
- Temos todo tempo pra isso relaxa – ele sussurrou
- Eu sei que temos – sorri

I'm no superman
Eu não sou nenhum super-homem
I can't take your hand
Eu não posso pegar sua mão
And fly you anywhere you wanna go, yeah
E voar para onde quiser, yeah

Hero, começou a tocar e Arthur aproximou mais nossos corpos fazendo nos ficar mais juntinhos um sentido a respiração do outro e ele começou a cantarolar aquela música no meu ouvido como se dissesse pra mim.

I can't read your mind
Eu não posso ler sua mente
Like a billboard sign
Como um outdoor
And tell you everything you wanna hear
E dizer tudo o que você quer ouvir
But I'll be your hero
Mas eu serei seu herói

I
Eu
I can be everything you need
Eu posso ser tudo que você precisa
If you're the one for me
Se você for a garota certa para mim
Like gravity I'll be unstoppable
Como a gravidade, ninguém poderá me impedir

- Vamos ficar juntos agora pequena, pra sempre – Ele sussurrou
- Você promete? - Perguntei
- Eu prometo – Ele depositou um beijo nos meus cabelos me fazendo sorrir
- Eu te amo Arthur – Sussurrei e ele sorriu voltando a cantarolar em quanto dançávamos no meio do salão onde havia vários casais dançando assim como nós.

I
Eu
Yeah, I believe in destiny
Sim, eu acredito no destino
I may be an ordinary guy with heart and soul
Eu posso ser um cara comum, com coração e alma
But if you're the one for me
Mas se você for a garota certa para mim
Then I'll be your hero
Então eu vou ser seu herói
(Could you be the one, could you be the one,
(Porque você é a garota certa, você é a garota certa
a garota certa para mim)
I'll be your hero
Eu serei seu herói
(Could you be the one, could you be the one)
(Porque você é a garota certa, você é a garota certa
a garota certa para mim)
I'll be your hero
Eu serei seu herói

(Could you be the one, could you be the one)
(Porque você é a garota certa, você é a garota certa
a garota certa para mim)

- Você só você – ele sussurrou e eu sorri me afastando para olhar em seus olhos
- Você é perfeito pra mim, tive a certeza disso quando te vi pela primeira vez – ri sem humor
- Então quer dizer que foi amor a primeira vista? - Ele sorriu maroto e eu fiz bico
- Você não era fácil de aturar Arthur, porque acha que eu aguentei tanto tempo? - Perguntei e ele riu
- Ah para eu sei que você gostava – ele sussurrou manhoso afundando o rosto no meu pescoço me fazendo rir
- Preciso te contar uma coisa, e essa coisa vai mudar tudo. Até o nosso destino – sussurrei
- Oque? - Ele perguntou preocupado - É sobre a Austrália?
- Erm.. - Tentei manter a minha voz normal, não era isso mais também era isso. Na verdade era duas coisas mais eu não queria tocar nesse assunto agora, não era o momento
- Lu, se for sobre isso amanhã a gente conversa ok? - Ele perguntou e eu concordei – Nada pode estragar essa noite entendeu? Nada minha gênia – Ele falou fofo me pegando no colo e me rodando me fazendo rir

Searching high and low
Buscando altos e baixos
Trying every row
Tentando cada fileira
But if I see your face
Mas se eu vir o seu rosto
I'll barely know, yeah
Eu mal saberei, yeah
I put my trust in fate
Eu pus minha confiança no destino
That you will come my away
Que você virá na minha direção
And if it's right it's undeniable, yeah
E se é certo, é inegável, yeah
I'll be your hero
Eu serei seu herói

So incredible
Tão incrível
Some kind of miracle
Algum tipo de milagre
And when it's meant to be
E quando é para ser
I'll become a hero
Vou virar um herói
So I'll wait, wait, wait, wait for you
Então eu vou esperar, esperar, esperar, esperar por você
I'll be your hero
Eu serei seu herói

- Qual foi sua primeira impressão quando me viu na porta daquele quarto?
- Mais uma menina ridícula com pena de mim – ele riu sem humor e eu fiz careta
- E depois? - Perguntei
- Você até que era legal – ele fez careta e eu abri a boca indignada e ele riu
- Quando eu te vi eu percebi que você era perfeita pra mim. Por isso eu tentava arrumar alguma briga com você toda hora. Porque eu não suportava o fato de você mexer tanto comigo Lu – Ele falou sincero olhando nos meus olhos e eu sorri tímida
- E porque depois que nos reencontramos na escola, depois que vocês ficaram famosos você mudou tanto? Mudou comigo Arthur?
- Pela mesma coisa Lu, eu queria te tirar dos meus pensamentos eu queria ser livre, mais você já tinha roubado o meu coração pra você. E isso me dava raiva por não ter controle sobre mim mesmo
- Eu vim como uma ladrona year – Eu falei convecida e ele riu
- Somos dois ladrões – Ele rossou seu nariz no meu me fazendo rir
- Ladrões de corações. - Sorri

I
Eu
I can be everything you need
Eu posso ser tudo que você precisa
If you're the one for me
Se você for a garota certa para mim
Like gravity I'll be unstoppable
Como a gravidade, ninguém poderá me impedir

- Quando eu tava mal, e fiquei em coma eu sonhei com você – ele falou de repente e eu fransi o cenho prestando atenção naquelas palavras – Mesmo perdendo a memória e não sabendo quem você era, eu sonhava com você todos os dias, e quando eu acordasse era você quem eu queria ver, mesmo não sabendo quem você era. Era como você fosse insubstituível sabe?
- Porque nunca me contou isso antes? - perguntei
- Tava esperando um momento certo – ele sussurrou e eu ri o abraçando
- Senti tanta sua falta, e quando eu soube era como se partissem o meu coração no meio, acho que não suportaria te perder de novo Arthur – encostei minha cabeça em seu ombro e ele me abraçou mais forte sem perdemos o ritmo da dança, todos dançavam animadamente por a música ter uma batida, mais nós não... estávamos calmos do lado direito da pista dançando como se fosse alguma música lenta.
- Você não vai me perder Lu... nem que quisesse – ele susurou e eu me lembrei da Lily dizendo isso pra Miley em Hanah Montana – Na verdade eu fiquei surpreso de você ir me ver -Ele continuou
- Porque? - Fransi o cenho confusa agora olhando pra elevadores
- A gente brigou feio lembra? E eu não merecia oque você tinha feito por mim
- Arthur, eu te amo, apesar de todos os erros eu amo você. E isso nunca vai mudar
- Isso ai Blanco – ele gargalhou
- Isso ai oque? - Perguntei
- Sempre dando lições nos outros.
- Nunca é de mais dar lições nos outros, ainda mais quando forem de amor.

I
Eu
Yeah, I believe in destiny
Sim, eu acredito no destino
I may be an ordinary guy with heart and soul
Eu posso ser um cara comum, com coração e alma
But if you're the one for me
Mas se você for a garota certa para mim
Then I'll be your hero
Então eu vou ser seu herói
(Could you be the one, could you be the one)
(Porque você é a garota certa, você é a garota certa
a garota certa para mim)
I'll be your hero
Eu serei seu herói
(Could you be the one, could you be the one)
(Porque você é a garota certa, você é a garota certa
a garota certa para mim)
I'll be your hero
Eu serei seu herói


Segunda feira; 01 da janeiro; Cemitério de Londres.

Caminhei de vagar por aquela estradinha que parecia não ter fim observando a tarde cinzenta de inverno e pouco a pouco o sol iria se escondendo. Senti o vento passar pelo meu corpo e suspirei caminhando olhando em volta pra aquele lugar tão triste e sem vida. Achei o tumulo que procurava e caminhei até lá em silêncio com uma rosa vermelha ainda nas mãos. Agachei para ficar mais próxima daquela plaquinha que marcava “Adam Scott – 1951 à 2009 Dei um suspiro e fiquei observando a placa por alguns segundos até dizer;
- De certa forma eu estou feliz... Se não tivesse me perseguido ou adulterado minhas férias, eu não estaria aqui agora, não teria encontrado o amor da minha vida e dado segundas chances pras pessoas que precisavam...Você não teve a oportunidade de ter uma segunda chance, por isso aconteceu isso não é?! Você não teve ninguém pra dizer que tudo iria ficar bem... Por isso se tornou um monstro. Eu sei que é tarde de mais... mais eu te perdoo' – Disse se levantando e jogando a rosa no tumulo e fazendo o mesmo caminho de volta agora abraçando meu corpo por causa do vento frio.

Terça feira; 02 de janeiro – Londres

Acordei despreguiçando e suspirei vendo a casa em silêncio. Sophia tinha aceitado a oportunidade da faculdade agora estava a caminho da Austrália pro seu curso após graduação. Mel e Anne foram pra Nova York com os meninos para o Prêmio do ano, em que eles estavam concorrendo e eu tinha que ir pra Itália pra pegar as minhas coisas que eu tinha esquecido lá quando a gente foi meio que expulso de lá pela pericia quando aconteceu o tal assassinato. E depois eu iria pra Austrália pra encontrar a Sô. O Arthur tinha me obrigado a fazer a droga do curso e tinha dito que se eu não fosse iria ficar com um peso no consciência e que não iria conseguir dormir a noite sabendo que eu tinha perdido outra chance por causa dele. Depois de várias brigas de teimosia chegamos ao acordo; Eu iria mais ficaríamos esses cinco meses mantendo contato todos os dias e ele prometeu ir me ver todo o final do mês. Sorri lembrando daquela discursarão que terminou em vários beijos e cosquinhas. Já pronta peguei a mala de rodinhas saindo do apartamento em direção ao lugar onde tudo começou.

Aquele lugar tinha continuado o mesmo, só que agora com alunos diferentes. A casa de certa forma estava uma zona e toda suja, que porcos como eles conseguem viver nessa sujeira? Tinha bebidas, cigarros em tudo quanto e canto da casa, até um cachorro que me apresentaram como Spike. Que cachorro Goldem Retriver se chama Spike? Pelo amor. Abri a porta do quarto que era meu e sorri, ele continuava o mesmo... Peguei a mala que era minha já com as minhas coisas e bufei encontrando meu cordão que Arthur tinha me dado do outro lado do quarto no chão que provavelmente tinha caído quando eu entrei no quarto. Agachei indo até lá quando um Spike grandão apareceu no quarto pegando o meu cordão e correndo saindo pelo quarto. Ótimo era só oque eu precisava!
- Spike volta aqui! - Disse correndo atrás dele que já estava fora da casa indo pro jardim e atravessando o portão e indo para o campo em que eu e Arthur costumávamos  se encontrar, mais eu nem tive tempo pra olhar, eu tinha que correr atrás de um cachorro ladrão.

N/A: Coloquem a música para tocar :) 

- Spikee! - Corri e parei quando vi ele parando do lado de um garoto de costas com calça jeans, allstar branco e blusa social preta com a manga dobrada
- Muito bom garotão – Ouvi-o dizer quando cheguei mais perto. Perai eu conhecia aquela voz, o garoto se virou mostrando um Arthur sorridente olhando pra mim que sorri consigo mesma mesmo estando um pouco distante
- Queria saber de novo qual é a sensação de te beijar aqui – Ele falou – Disso a minha memória não recuperou – ele riu. Sem pensar muito eu corri me jogando em seus braços e sentindo de novo seu perfume que eu tanto amava e logo nossas bocas se encostaram e senti seus lábios nos meus.
- Você... você não deveria está em Nova York? - Perguntei olhando em seus olhos quando acabamos de nos beijar e ele riu
- Oque eu vou fazer em Nova York? - Ele sorriu maroto e eu frasi o cenho
- Como assim? - Ri sem humor
- Todos os seus amigos estão na Austrália. - Ele disse simplesmente com aquele sorriso maroto no rosto e eu arquei as sobrancelhas ainda mais confusa
- Ahan?
- Vamos dizer que os Mcfly vão gravar um álbum por lá – ele sorriu e eu abri a boca pra falar mais não saio nada eu só sorri e o abracei mais forte ainda o fazendo me girar
- Não vai se livrar de mim tão cedo Blanco – ele falou com a boca perto da minha com os nossos rostos com o minimo de distância e eu sorri consigo mesma com as mãos em volta do seu pescoço e olhei pra cima para olha-lo
- Já que você tá contando segredos, acho que agora é a minha vez – mordi o lábio inferior
- Não vai me dizer que você tem outro Blanco – Ele abriu a boca pra protestar num tom brincalhão e eu ri
- Tenho. - Eu sussurrei e ele me olhou esperando uma resposta. Olhei pros seus olhos tirando minhas mãos do seu pescoço e pegando sua mão e pondo na minha barriga e ele abriu a boca surpreso sorrindo
- Mais só que ele ainda tá aqui dentro – sussurrei e ele sorriu ainda não acreditando
- É sério? - Perguntou com um sorriso no rosto e eu assenti olhando pros seus olhos e ele me beijou mais uma vez depois me enchendo de beijinhos me fazendo gargalhar
- Eu você e o nosso menino – ele sussurrou e eu arquei as sobrancelhas
- Não vai ser um menino, eu tenho certeza que vai ser uma menina e vai se chamar Lindsey
- Você quer que seja menina só pra fazer essas coisas de mulherzinha. Eu aposto sem libras que é um menino e vai se chamar Lucas – ele riu e eu abri a boca pra protestar
- Cala boca Aguiar – eu disse e ele riu
- Agora é a minha vez de novo – ele disse e eu fransi o cenho rindo
- Isso virou uma competição pra ver quem surpreende mais? - perguntei e ele riu e tirou uma caixinha do bolso
- Isso iria ser um anel de compromisso.... Mais eu mudei de idéia – ele disse olhando nos meus olhos encostando sua testa na minha e eu engoli o seco
- Quem casar comigo? - Perguntou sorrindo e eu abri a boca pra tentar amenizar a minha felicidade. Isso não podia tá acontecendo... Meu Deus.
- É claro que eu quero Aguiar – funguei tentando enxugar as lágrimas e ele sorriu colocando o anel no meu dedo.
- Eu te amo Sra Aguiar – ele sorriu maroto e eu ri ponto minhas mãos em volta do seu pescoço
- Eu te amo mais – sussurrei e ele encostou seus lábios nos meus, era um beijo calmo e romântico no qual eu nunca mais iria esquecer. Respirei fundo depois do beijo ainda o abraçando com a testa encostada na dele
- Tenho que ir, preciso ir pra Austrália meu noivo chega daqui a uns dias – sussurrei e ele sorriu
- Ele é um cara de sorte.
- Ele é – eu ri afastando nossos rostos pegando meu colar na boca de Spike
- Cuida bem do Lucas – ele gritou quando eu já estava distante
- VAI SER LINDSEY AGUIAR, E NÃO COMPLICA – Eu gritei de volta e ele gargalhou
- Te vejo em duas semanas – Ele gritou de novo quando eu já estava longe. Sorri consigo mesmo continuando andando e falei consigo mesma;
- Mal posso esperar.

Fim?!

Eu te resgatei de escuridão e em troca você me resgatou da vida que eu achava que não valeria mais a pena viver. Você de certa forma me salvou também... Você me salvou da tristeza e me mostrou que é possível recomeçar.” Você estava perdido em um mundo escuro e mesmo parecendo que eu era a perfeita, eu nunca fui, meu coração estava machucado... Eu também estava no escuro só que de formas diferentes. Eu dei uma chance pra você. E fazendo isso por você eu fiz por mim também.”


N/a: Não vou chorar, não vou chorar não vou chorar. Ai meu Deus, eu não acredito que eu to terminando depois de um ano. Eu me lembro que eu tinha dito pra mim mesma que não iria demorar e que iria ter menos de vinte capítulos e olha só a resenha que eu fiz? Mais de certa forma eu fico feliz, depois de tantos rolos e trocas de paises da fic eu consegui chegar onde eu queria..... Obrigada a todo mundo que acompanhou até o final e não desistiu de mim por causa da falta de atualização. Obrigada pelos comentários, obrigada McFly por toda essa inspiração, pelas músicas Not alone e Walk in the sun que me fizeram se inspirar. Obrigada Miley Cyrus, obrigada The Maine pela música Into you mars que me fez encerrar essa história que eu tanto me apeguei. E como eu disse antes eu consegui chegar ao ponto que eu queria... sabe qual? Que todos enxergassem que uma segunda chance pode mudar a vida de uma pessoa.

5 comentários:

  1. choreiiii
    não pode ser o fim

    ResponderExcluir
  2. Ana Clara s209/11/2013 23:33

    essa web foi muito perfeita!!! ):

    ResponderExcluir
  3. Me diz como faz pra desapegar?

    ResponderExcluir
  4. Nossa que lindo!

    ResponderExcluir
  5. mirella vasconcelos16/06/2014 00:50

    Amei amore faz 2 temporada por favor.

    ResponderExcluir

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo