1 de nov de 2013

Uma lição de Amor

 

35 Capítulo "Summertime" [Penúltimo]

Cinco dias depois...

Acordou se sentindo tão feliz, pois tão feliz que nem havia se lembrado que tinha que ir embora depois de amanhã. Se sentiu feliz por tudo está dando certo... Mais triste de ter que abandonar tudo isso novamente. E agora só restava quatro meses para voltar de novo. 8 meses se passaram tão rapidamente que ela nem havia notado. Tinha doído, tinha sentido saudades mais a cada segundo estava valendo a pena.

- Boom dia! - Ouviu Melanie entrar no quarto sorridente abrindo todas as cortinas e Lu fez careta
- Deixa eu dormir, eu to tão bem... não estrague meu dia. Sou uma visita sábia? Só estou aqui de férias.
- Oh vossa senhoria, perdão – Mel riu curvando o corpo para comprimenta-la como uma rainha fazendo Lu rir.
- Oque queres minha serva? - Lua ficou em pé na cama jogando o cobertor em suas costas fazendo de capa
- O café da vossa rainha está servido, e convocamos a vossa alteza para comer pizza com seu príncipe encantado e seus amigos – Mel inventou uma voz entranha e Lua começou a rir descontroladamente se jogando na cama junto com Mel. Riram por mais de cinco minutos até Lua perguntar;
- Oque você tava dizendo? Pizza? - Ela ainda ria mais tinha a voz firme
- Uhuum, marcamos uma pizza hoje aqui em casa com os meninos – Mel respondeu e Lua concordou
- Aham, ata... você sabe da Sophia e o Micael? É impressão minha ou eles saíram nesses cinco dias? - Perguntou se levantando da cama e parando na porta. A verdade que nunca tinha parado pra conversar com a amiga direito. Sophia sempre saia a noite e ela quase o dia todo passava na casa dos meninos.
- ELES ESTÃO SE ENCONTRANDO ESCONDIDO! - Melanie desabafou e Lua colocou uma mão na boca – MENTIRA SÉRIO? DESDE QUANDO? - perguntou olhando pra Mel que soltou uma gargalhada
- Desde que o Arthur saiu do hospital. Eu vi várias ligações do celular dela pro do Mica... E MAAIS! Eles são idiotas Lu, eu vi eles juntos no starbucks no sábado no mal love.
- gENTE que pimentinhas – Lua riu e Mel fez o mesmo.
- E você e o Arthur? Como andam...? - Mel sorriu sapeca e Lua sorriu sincera olhando pra amiga
- Estamos dando certo de novo Mel... eu to tão feliz – Sorriu consigo mesma e Mel soltou um ' awnn' pra amiga
- Sábia que tudo ia da certo no final Lu!
- Como você sábia? - A menina arqueou uma das sobrancelhas confusa
- Oque é verdadeiro volta, oque tem que ficar fica
- Uool. Recitando Clarice Lispector. Isso ai amiga gostei – Lua gozou
- É verdade... - voltou a falar sério – Ele é o amor da minha vida Mel
- Soube disso desde quando eu vi um sorriso sincero no rosto dele quando te conheceu. - Melanie sorriu
- Eu tenho certeza que o nosso amor vai ser pra sempre, podemos terminar algum dia.. Algum de nós podemos morrer ou perder a memória. Mais uma coisa eu tenho certeza. Eu nunca vou esquecer dele.
- Quando a gente quer, o pra sempre nunca acaba. Lu e eu tenho certeza que ainda vou ver vocês velhinhos juntinhos com um monte de netinhos
- PARAA! Não consigo me imaginar velha com os peitos caídos e com a pele enrugada.  Já basta saber que isso um dia vai acontecer, não precisa ficar lembrando – cortou a amiga que gargalhou
- Pensa pelo lado boom... Pelo menos Arthur vai está com você
- Ah ele vai... Velhinho gagá com denta tura igual a mim. - Sorriu - Agora vou tomar banho Meleca! Essa coisa de ficar velho me deu até um suor, acho que nasceu uma ruga no meu rosto amiga – Lua riu – não posso ficar velha agora, quero usar meus looks que eu vou desenhar. Não quero usar causolas e saias até o joelho – riu
- Lua.... você ainda tem muito tempo pra ficar velha... então cala a boca! - Melanie zoou a amiga
- Lua? - Perguntou novamente
- Que que foi? - A amiga respondeu entediada
- Acho que você tá com um cabelo branco na frente
- IDIOTAAAAAA TE ODEIO – Lua riu tacando uma almofada da amiga
- Tá parei... você sabe que eu te amo Luazinha – sorriu
- Eu sei. Se não me amasse tanto não estaria aqui perturbando minha vida – sorriu sarcástica pra amiga e fechou a porta fazendo mel rir.
*****************

A noite saiu como o combinado, os meninos chegaram na nossa casa cheio de pizzas, refrigerantes, nutella, chocolate, esfirras, cervejas e tudo que continha porcaria eles trouxeram, a noite foi bem animada a gente começou a conversar e ver um filme e agora estávamos ali Sophia, Mel e Chay jogados no sofá em quanto Will e Mica estavam dormindo um no colo do outro e eu estava deitada no colo de Arthur quase pegando no sono, todos já tinham dormido de tão bêbados que ficaram eu tava bêbada mais nem tanto
- Lu? - ouvi a voz de Arthur me chamar e eu respondi de olhos fechados
- hm?
- Tenho que dar comida pro Marley você não quer ité lá no apartamento comigo rapidinho?  - Arthur perguntou e eu sorri. Pra quem não sabe Marley era o novo cachorro dos meninos que era tão 'awnn' ele era um Golden amarelo e enorme super fofo. 
- E eu sei que é sua ultima noite aqui em Londres então eu pensei que.. - ele continuou e eu interrompi
- Tudo bem – eu nem deixei o coitado terminar de falar e me levantei na mesma hora que ele e saímos de fininho batendo a porta devagarzinho pra não acordar ninguém.

- Hey Marley – Eu sorri me abaixando pra acariciar aquele cachorro enorme que veio em nossa direção assim que Arthur abriu a porta do apartamento dele.
- Nossa eu acho que ele gosta mais de você do que da gente – Arthur riu jogando as chaves na mesa de centro indo até a cozinha abrindo a geladeira
- Que nada, ele é um fofo, só precisa de carinho – Sorri acariciando a cabeça de Marley que se enroscava em meu colo e no mesmo momento olhando os movimentos de Arthur bebendo água.
- Ah isso o Chay da de sombra você pode apostar – Ele riu e eu gargalhei saindo do chão e indo em direção a ele se sentando no balcão que dividia a cozinha da sala
- Sabe, vou sentir saudades daqui... - Falei vendo Arthur me olhar do outro lado do balcão e sorrir triste – Porque eu sempre tenho que ir embora? - Fransi o cenho e senti ele da a volta e me abraçar por trás
- Mais você sempre volta no final não é mesmo? -Ele disse me dando um beijo no ombro e eu sorri
- Queria ficar aqui com vocês – sussurrei me virando pra ele – Poder reconstruir tudo oque a gente perdeu nesses anos – Falei com o rosto perto do dele sentindo sua respiração bater na minha e sorri ao ver aquele rosto que eu tanto amava.
- Lu, você pode ir embora, eu posso ter perdido a memória, nós podemos namorar pessoas diferentes, mais oque eu sinto por você nunca vai ser maior do que eu sentir por outros, pode acontecer tudo, eu posso perder a memória a distância separar a gente de novo mais eu tenho certeza que nada e ninguém vai nos fazer esquecer oque a gente sente um pelo outro, sabe porque? - Ele perguntou e eu continuei olhando pra aqueles olhos castanhos que eu amava tanto com vontade de chorar. - Porque isso sim – ele disse colocando a mão no meu coração e eu senti o meu mundo desmoronar novamente – Isso sim é verdadeiro – ele falou sincero e eu sorri.
- Não vamos deixar nada atrapalhar isso não é? - Eu levantei a cabeça pra olhar pra ele e o seus olhos se encontraram com o meu
- Nada e ninguém pequena – Ele sussurrou e depois me deu um beijo na testa e me abraçou. Ouve um silêncio eu não sábia oque falar, a minha única vontade era de beija-lo e não parar nunca mais, de tranca-lo em um quarto e jogar a chave fora, só eu e ele, pra sempre. Mais não foi preciso nada disso, porque sem eu ao menos perceber nossas lábios já tinham colado um no outro como fossem imas, como nós precisaríamos um do outro pra sobreviver, precisávamos daquele beijo pra poder esquecer de tudo e de todas. Pra lembrar que o meu amor por ele nunca tinha acabado.

Separamos nossas bocas e encostamos a testa uma na outra e eu senti ele sorrir oque me fez sorrir instantemente com aquele sorriso sincero que só ele sábia dá. Todo esse tempo que ficamos separados nas fotos e entrevistas, o sorriso dele tinha mudado e não era mais o mesmo, e depois de tanto tempo eu vi ele sorrindo como sorria pra mim, aquele sorriso sincero que ele só sabia dar quanso estava comigo.

- Eu amo você – sussurrei com os nossos rostos visivelmente colados
- Eu amo mais – ele sussurrou e sorriu ao mesmo tempo me fazer sorrir consigo mesma. E de repente  do 'Bad' do The cab começou a tocar no rádio que estava ligado na sala fazendo nós dois se entreolharmos e rirmos. Ele se aproximou mais pegando na minha mão e me puxando pra dançar me fazendo sorrir consigo mesma

It feels just like it was yesterday
Parece que foi ontem
We were in love
Estávamos apaixonados
Why's it falling apart
Por que está acabando?
I've never been one to walk away
Eu nunca fui de ir embora
But I've had enough
Mas eu já tive o suficiente
And it's breaking my heart
E está partindo meu coração

Coloquei a mão em seu pescoço ainda com os nossos rostos visivelmente colados e eu mordi o lábio inferior tentando descobrir porque eu amava tanto olhar pros olhos dele

Cause you love me just the way that you should
Porque você me ama do jeito que você deve
It's nothing that you do
Não é nada que você faz
No it's nothing you say
Não é nada que você diz
Yeah baby, I know that you're good
Yeah baby, eu sei que você é boa
But I don't want a good girl No, not today
Mas eu não quero uma boa menina Não, não hoje

Aquele momento me fez ver o quanto eu tinha saudade daquelas pequenas coisas. Coisas tão significantes que era melhor do que coisas grandes. Aquele momento parecia único como se só ouve-se eu e ele e mais ninguém. Como se não existisse a distância entre Londres e a Escócia ou se eu ia embora ou não. Eu sei que ele sempre estaria esperando por mim como eu sempre vou esperar por ele.

Cause I want it bad I want a bad girl, baby, bad
Porque eu muito. Eu quero uma menina má, baby, má.
I want a love that's crazy, yeah
Eu quero um amor que é louco, yeah
I want a bad girl, baby, bad I want it bad
Eu quero uma menina má, baby, eu quero muito.

Eu quero uma menina má, uma menina má essa noite - Ele sussurrou nos meus ouvidos me fazendo sorrir e eu beijei entendo o recado. Não foi um beijo comum um beijo um tanto agressivo mordi o lábio inferior dele com certa força que ouvi ele gemer fazendo nós dos rirmos. Ele voltou a me beijar, e o nosso beijo passava de cuidadoso, para romântico e de romântico pra aquela certeza do que nós queríamos naquele momento de quanto eu precisava dele e de quanto ele precisava de mim naquele momento.

I want a girl who stays out too late
Eu quero uma garota que fica de fora até tarde
And when I call
E quando eu ligo
She doesn't answer the phone
Ela não atende o telefone
Oh, I want a girl who likes it her way
Oh, eu quero uma garota que gosta do jeito dela
And through it all
E através de tudo
I know I'll end up alone
Eu sei que vou acabar sozinho

Senti ele aproximar mais nossos corpos, mais do que já estavam juntos e eu senti suas mãos passarem pelas minhas costas e parando na minha cintura, coloquei minhas pernas uma de cada lado de seu corpo e ele me pegou no colo me levando pra o sofá que estava mais perto da gente. Ele se sentou comigo ainda em seu colo sem parar de me beijar, e aquele beijo ficava cada vez mais quente e com mais certeza do que queríamos naquele momento.
- Lu? - Arthur sussurrou mordendo meu pescoço me fazendo sentir um arrepio na espinha. Ele sempre mexia comigo – Hm?
- Eu acho que eu nunca precisei tanto de você quanto eu preciso agora – ele falou malicioso e eu sorri
- Então somos dois – Sussurrei voltado a beija-lo e eu senti ele me puxar pra levantar sem parar o beijo. Fomos se beijando pelos corredores do apartamento sempre se esbarrando em alguma coisa e rindo da nossa própria distração. Subimos as escadas atrapalhadamente até chegarmos no bendito quanto e eu senti Arthur empurrar a porta com o pé e me guiar até a cama ficando por cima de mim. Nossos beijos estavam cada vez mais quente, passando de chupões no pescoço pra amassos completamente quentes. Ele se sentou na cama fazendo minhas pernas ficarem uma de cada lado do seu corpo e suas mãos passaram pelo meu corpo e tirando a minha blusa. Em quanto ele mordia o meu pescoço eu fiz o mesmo tirando sua camisa deixando a mostra seu peitoral trabalhado que eu tanto amava. Arranhei suas costas em quanto ele me beijava em quanto ele se deitava por cima de mim dezabutuando minha calça. E quando já demos por si já tinhamos tirado todas as roupas possíveis e eu senti os olhos de Arthur sobre o meu corpo me fazendo corar voltar a beija-lo.
- Que saudades de você pequena... Eu te amo tanto – ele sussurrou enterrado no meu pescoço ficando por cima de mim e eu sorri
- Disso eu já sábia - Arquei a sobrancelha e ele sorriu

- Arham – Disse voltando a me beijar ficando por cima de mim, tivemos uma noite complemente longa e inesquecível na qual eu eu sentia tanta saudade de ele ali sendo meu novamente.

* * * * * 

2 comentários:

  1. Ana Clara s203/11/2013 19:12

    muito lindo!!!!!pena que tá acabando ):

    ResponderExcluir

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo