12 de nov de 2013

Meu vizinho Insuportável 3ª Temp.


Capítulo 17



Lua: Arthur – gemeu aliviada e esfregando os olhos com as mãos, ele se encontrava sentado a beira da cama lhe fazendo uma suave e boa caricia em sua intimidade, apertou as pernas se contorcendo e ofegando com a pressão que ele fazia – que gostoso.... – sorriu, não tinha como não esconder a felicidade por ele estar ali lhe dando prazer

Arthur: - bom dia... – disse ele, rouco afastando a calcinha para o lado e penetrando dois dedos fazendo-a soltar um gemido alto e arquear – que delicia.... você fica incrível sentindo prazer...

Lua: e você é bipolar ou o que? aaar.... – arqueou sentindo que estava perto e ele acelerar os movimentos,gemeu frustrada quando ele tirou os dedos, mas percebeu que ele estava lhe tirando a calcinha

Arthur: quero conversar com você... – abriu as pernas dela e a puxou pela*******– quero saber o que está acontecendo com você... baixou a cabeça e deu um leve beijo na intimidade dela que gemeu se contorcendo ainda mais e levou as mãos ao cabeço dele

Lua: não dá pra conversar com você no meio das minhas pernas... – arqueou para ele quando sentiu a língua dele passar por seu ponto sensível e estremeceu mordendo o próprio lábio – mais...

Arthur: tudo bem... – se afastou

Lua: Thur... – choramingou – você não vai me deixar assim – puxou a cabeça dele de volta fazendo-o rir, não tinha como ficar irritado com ela – tudo... bem eu vou... arrr tentar conversar as...iim.. ain... – estremeceu ainda mais levando as mãos aos próprios seios quando sentiu ele raspar os dentes por sua intimidade e logo morder-lhe a coxa dando um chupão em seguida, próximo a virilha – onde... você passou a... noite...

Arthur: não importa – ele falou soltando o ar em sua intimidade e antes que ela protestasse, ele lhe sugou a mesma fazendo-a gritar ainda mais ao sentir a língua dele a invadir

Lua: idio...ota... imbecil.. insuportável – ela gemia revirando os olhos de prazer e logo seu corpo estremeceu sentindo o clímax e jogou a cabeça para trás enquanto Arthur continua saboreando-a

Arthur: gostosa – ele riu e a puxou para um beijo repleto de desejo e logo se afastou – agora me conta o que está acontecendo com você... – disse sério – sei que anda estranha e ontem perto daquele... daquele cara ficou pior... você está sentindo alguma coisa por ele? – lhe doeu o peito quando ela baixou a cabeça – seja sincera, eu prefiro mil vezes a verdade que dói, do que a mentira, que destrói.

Lua: Arthur... – suspirou vestindo a calcinha – eu não o amo...

Arthur: você já disse isso... – fechou os olhos tentando ter paciência – mas sei que sente algo por ele, ou há alguma coisa que me esconde. eu te conheço e percebi isso na cocheira ontem – a olhou nos olhos – sempre que olha para ele, é como se você sente algo por ele, só não tenho certeza sobre o que é – viu ela desviar o olhar engolindo em seco, ela queria falar algo mas era como se algo a bloqueasse – Lua não estou te cobrando ou te obrigando a nada no nosso relacionamento, você é livre pra tomar suas decisões – deixou claro –  só não quero que me engane, se deixou de sentir algo por mim eu vou tentar entender – disse com o nó na garganta – mas te dou a ultima chance de me contar

Lua: jamais volte a repetir isso – o olhou séria com um dedo nos lábios dele – eu te amo muito e não gosto que duvide disso

Arthur: tudo bem, eu sei que você me ama – suspirou sentindo uma dor no peito por suas próximas palavras – mas pode ser que já não seja como antes... me dói dizer isso, mas você não age mais como antes. Eu sendo seu amor, seu amante, esposo ou o que for, também era seu amigo e confidente, você não me escondia as coisas...

Lua: Thur... não é assim, eu amo você desde o primeiro dia em que te vi – disse com lagrimas nos olhos – se eu ainda não te contei que... o que tenho que te contar, é porque estou esperando um bom momento... eu não quero estragar tudo – saiu em um fio de voz, estava com medo, medo de suas próprias palavras e medo do que aconteceria após elas

Arthur:  mas sente algo por ele - insistiu

Lua: ele é meu amigo – tentou justificar – obvio que sinto algo por ele

Arthur: Lua – bufou – sabe do que estou falando, não se faça

Lua: que droga Arthur – bufou socando a cama – o que quer ouvir? – se irritou e levantou – que eu sinto-me atraída por ele? Sim eu sinto, ele é um homem maravilhoso e atraente e eu sou uma mulher, isso é normal, assim como você pode se sentir atraído por outras mulheres, é a lei da natureza, mas isso não quer dizer nada ok?

Arthur suspirou, ela foi sincera, mas mais uma vez omitiu o que ele já sabia, aquilo doía e ele precisava ficar sozinho, caminhou ate a porta e Lua jogou um travesseiro nele, aquele comportamento dele a irritava

Lua: onde vai Arthur? volta aqui – o olhou – que foi? Voce queria que eu falasse o que sinto e te falei

Aerthur: me deixa Lua, preciso ficar sozinho – virou para olhá-la e jogou o travesseiro de volta na cama

Lua: ta vendo como você é? –  estava  controlando o choro – pede para que eu fale e agora sai sem me entender, que merda estamos vivendo Arthur – passou as mãos pelo rosto – que inferno estamos

Arthur: você nos colocou nesse inferno – disse calmo o bastante para irritá-la ainda mais – preciso sair

Lua: ah claro, agora você anda fugindo e sumindo muito – rolou os olhos – não será que é você que já encontrou uma qualquer por aí e está tentando me culpar?


Ele a olhou incrédulo e balançou a cabeça e riu sem humor antes de sair e Lua jogou um travesseiro na porta e foi até lá se escorando na mesma e deixando as lagrimas rolarem com o punho cerrado  e trincando os dentes, sentia raiva, mas de si mesma

6 comentários:

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo