5 de nov de 2013

" De Repente é Amor "


13º Capítulo - Quase beijo..


Pov's Lua.
Acordei um pouco tonta, minha cabeça estava pesada e mal conseguia abrir os olhos. Droga! Nunca consigo assistir a maratona de filmes até o final. Estranhei um pouco, não me lembro de ter vindo para o quarto, lavei meu rosto, escovei os dentes e desci. Kátia não estava mais na sala, Arthur estava esparramado no sofá e Chay estava no chão. Provavelmente conversavam sobre alguma coisa e quando cheguei eles ficaram mudos. 

- Hey - eu disse me sentando no braço do sofá, eles me olharam atentos e eu sorri fraco - Que foi gente? 
- Pensei que estava dormindo - Chay comentou.
- E estava - esfreguei os olhos - Falando nisso, que horas são? 
- Quase 18h - Chay falou olhando o relógio de relance. 
- Caraca! - soltei uma gargalhada, Chay riu também. 
- Não aguentou assistir três filmes, Maria - ele falava me olhando. 
- Já falei pra parar de me chamar assim - cruzei os braços. 
- É seu nome, não? - ele ergueu a sobrancelha. 
- Seu nome é Maria? - Arthur perguntou e soltou uma gargalhada - Coisa mais cafona. 
- Intrometido deveria ser seu nome do meio até porq ninguém te chamou na conversa - sentei ao lado do Chay - E a propósito, meu nome não é Maria. 
- E como é então? - ele ergueu a sobrancelha me olhando. 
- Não te interessa. 
- Tem razão. Não me interessa, até porq eu não costumo pegar amizade com empregadas - eu gargalhei irônica. 
- Garoto você é tão ignorante que ainda não sacou que ta pagando de idiota com essa historinha de empregada, fique você sabendo que eu pouco me importo com o que você pensa e diz ao meu respeito. 
- Quem paga de idiota é você que nao percebe que esta sobrando aqui nessa casa.
- Quem caiu de para-quedas foi você meu querido, não eu - falei irônica.
- Aqui nunca deixou de ser minha casa - ele disse firme - E você? Porq tá aqui?

Ele me olhou firme e sinceramente eu também não sei o que ainda faço aqui se o meu único vínculo com a Kátia era ele, a falta que ele me fazia e o amor que eu sempre recebi dessa família. Chay percebeu que eu fiquei estranha de repente e apartou a briga me puxando para o quarto. Ele fechou a porta e eu me sentei na cama suspirando pesado. 

- Ta tudo bem? - ele me perguntou sentando em minha frente, já disse que adoro quando ele morde o lábio inferior quando está preocupado? É, eu reparo nisso. 
- Porq não estaria? - fingi indiferença. 
- Sei lá, você ficou estranha de repente.
- Impressão sua - sorri fraco. 
- Certeza? 
- A única certeza que eu tenho é que aquele garoto definitivamente é um idiota - bufei. Chay riu.
- O Arthur só fala demais as vezes - deu de ombros. Ficamos em silêncio por alguns minutos - Quer dar uma volta? 
- Acho que eu vou pra casa - sorri fraco me levantando. Ele se levantou também. 
- Quer que eu te leve? - ele sorriu de canto, ele estava tímido? Awn's 
- Eu sei o caminho de casa - ele riu - Mas aceito a companhia - sorri, ele sorriu de volta e passou o braço envolta do meu pescoço.  Descemos as escadas e a Kátia estava voltando da cozinha - Tia eu já vou indo - dei um beijo na bochecha dela. 
- Já vai tarde - Arthur comentou e eu não me atrevi a responder. 
- Arthur! - Kátia o repreendeu. Ele deu de ombros. 
- Boa noite - eu disse e saí com Chay. 

Fomos o caminho inteiro conversando e as vezes quando nos olhávamos nossos lábios quase roçavam pelo fato de estarmos abraçados e muito próximos um do outro, apesar de não ser muito tarde estava um ventinho gelado e Chay todo fofo me ofereceu seu casaco. Já comentei que fico meiga quando estou com vergonha? 

- Obrigada - falei quando paramos enfrente a minha casa. 
- Não precisa agradecer - ele sorriu - Vai ficar bem? 
- Como? - franzi o cenho. 
- Eu saquei que você ficou um pouco bolada, mas se não quer dividir, espero que fique bem - eu abaixei a cabeça, achei que ele não tinha reparado. Chay ergueu minha cabeça e me olhou carinhoso - Gosto do seu sorriso. 
- Desculpa, é que... - suspirei - Eu acho que não é a hora, entende? 
- Tudo bem Lu, quando estiver afim de me contar avisa, porq eu não quero me acostumar com você assim tristinha - então eu sorri e o abracei.
- Obrigada - sorri saindo do abraço, ele colocou minha franja atrás da orelha assentindo - Eu preciso entrar. 
- Tudo bem - ele se aproximou e me beijou, não foi um beijo na bochecha e muito menos um beijo no canto da boca. Ele me deu um selinho demorado, teria rolado um beijo de verdade se minha mãe não tivesse aparecido na porta. 

5 comentários:

  1. Aaaaah naoooo ela tem q fica com o thur logooooo

    ResponderExcluir
  2. pô Fanny quando o Arthur vai descobrir que ela é a Lua? Quando eles vão ficar juntos? Ook eu amo LuEd mais faz logo ela e o Arthur ficarem juntos? Dár pra vooce postar com mais frequencia essa web? rsrrs éla é apaixonante *--* rsrsr muitas perguntas :)
    By: Paulaa

    ResponderExcluir
  3. aiiiii que lindo, amo LuEd...Poxa Claudia vc atrapalhou kkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo