29 de nov de 2013

69ª Capítulo - "Tudo por uma promessa"


POV NARRADOR



FLASH BACK ON

Arthur: é o Thiago…
Lua: o Thiago? Voce endoidou? Ele tá preso Arthur! – achou absurda a conclusão do marido
Arthur: não… não está – ele começou a andar de um lado para o outro, de cabeça baixo
Lua: ele não está preso? – ela disse sem perceber
Arthur: não… ele saiu às umas semanas
Lua: e desde quando voce sabe?
Arthur: à alguns dias também…
Lua: e só agora é que voce me fala uma coisa dessas? – ela gritou com ele
Arthur: Lua, eu não queria te preocupar…
Lua: não queria? – ela me encarou, gritando – Voce acabou fazendo pior.
Arthur: logo que eu soube, eu tratei de proteger vocês. Eu voltei para casa feito um louco com medo de já tivesse acontecido alguma coisa
Lua: voce devia me ter dito Arthur – ela gritou, chorando
Arthur: agora é tarde de mais…
Lua: voce pensou que podia fazer tudo sozinho e olha o que acabou fazendo… merda, só merda! O meu filho tá sabe-se lá onde com um louco e eu aqui sabendo que o Thiago já não está preso.
Arthur: se eu pudesse eu tinha evitado isso… - ele disse engolindo seco e ficando triste com o que Lua disse
Lua: porque não confiou em mim? – ela falou com raiva – Porque Arthur? eu podia cuidar dele e nada disso podia ter acontecido
Arthur: não é que eu não confie amor… eu so não queria te preocupar. Voce tá por acaso dizendo que eu não sei cuidar do meu filho?
Lua: eu estou apenas falando que podia ter ajudado… - ela começou a chorar – Voce não confiou em mim e isso me dá o direito de fazer o mesmo com voce!
Arthur: não Lua, não pensa assim… - pedi
Lua: eu penso como eu quiser…
Arthur: Lua… - ele queria pegar a mao dela
Lua: me deixa! – ela desviou – Fica sabendo que hoje voce dorme no sofá.

FLASH BACK OFF

E ficaram assim até hoje de manha.
Arthur não dormiu nada essa noite, não por ter dormido num sofá, mas sim porque os pensamentos ruins não lhe saiam da cabeça. A ideia de que o sequestro do filho tinha sido sua, voltou. Pois bem se lembram, ele se culpava pelo sequestro, mas ai o Chay convenceu ele de que não tinha nada a ver. Porem, apos a discussão de ontem, o pensamento voltou.

Lua estava do mesmo jeito que Arthur, mas com um pequeno peso na consciência. O momento estava sendo difícil e não ter Arthur do lado, só piorava a situação.
Ela tinha a consciência pesada porque ontem falou, praticamente, que Arthur era o culpado de tudo e ela sabe quem que não é bem assim.

Ela levantou da cama e desceu até à sala, vendo que o seu marido não estava lá, então, foi até à cozinha e viu que ele estava apenas tomando agua.

Lua: Arthur… - o chamou, meia tímida
Arthur: Lua? – ele quase se engasgou
Lua: eu queria te pedir desculpa… - ela se aproximou – Por ontem. Eu fui uma idiota e não devia ter falado aquelas coisas para voce. Voce tem tanta culpa como eu.
Arthur: não precisa pedir desculpa… eu sei que sou o culpado de tudo! – ele se encostou ao balcão da cozinha, e encarou o chão – Eu não devia ter deixado ele sozinho. Desta vez foi o Thiago, mas podia ter sido outro vagabundo qualquer. Eu fui irresponsável.
Lua: deixa de pensar assim Arthur – ela colocou as mãos à volta do seu pescoço – Ninguém teve culpa, muito menos voce.
Arthur: tive sim Lua… - ele começou a chorar
Lua: não teve não! – teimou – Deixa de ser assim teimoso. Olha pra mim – ela pediu e ele obedeceu – Agente vai ficar junto, venha o que vier ou quem vier e vamos vencer essa etapa difícil da nossa vida. Lembra quando voce concordou em me ajudar a cumprir a promessa da minha avó?
Arthur: lembro – ele limpou as lagrimas
Lua: então, essa foi o inicio de uma etapa né? – ele concordou com a cabeça – Pensa que esta é apenas mais uma de muitas que ainda vêm por ai. Não te quero ver desistir de nada. Agente vai resgatar o nosso filho… é so pedirmos ajuda da policia e…
Arthur interrompe: não… policia não. ele falou que não queria policia
Lua: mas amor… eu acho melhor agente pedir ajuda de pessoas que sabem e que trabalham com esses casos todos os dias. O Rodrigo está desaparecido à mais de 24 anos e como ele é pequeno, eles têm de começar a fazer alguma coisa agora
Arthur: e se o Thiago descobrir e fizer alguma coisa?
Lua: pedimos aos policiais para serem discretos… eles devem saber o que fazer.
Arthur: - ele respirou fundo – Tá, vamos fazer queixa então.
Lua: boa – sorriu – Vou ligar.

Enquanto a Lua pegava o telefone, Arthur preparava o café da manha para os dois. A chamada para a policia fazia Lua ficar tensa com a situação pois pensou que o Thiago era um caso arrumado para nunca mais mexer, mas afinal, ainda vai ter de levar com esse marginal durante sabe-se lá quanto tempo.

Arthur: o que eles disseram?
Lua: vao começar as buscas amanha… - ela mordeu o lábio – Será que vai dar certo?
Arthur: claro que vai…

Enquanto comiam, a campainha de casa tocou.

Arthur: voce está à espera de alguém?
Lua: não… e voce?
Arthur: também não…
Lua: eu vou lá.
Arthur: eu vou junto.

Os dois foram receber Mel, que estava com um ar tímido e meio sem jeito, já para não falar no rosto abatido.

Lua: Mel?
Mel: oi… posso entrar?
Lua: sim, pode…

Os três foram até à sala. Arthur e Lua espantados com a visita dela e Mel sem jeito, ainda.

Mel: eu já sei o que aconteceu… o Chay me contou.
Arthur: pois…
Mel: Arthur, eu acho que este não é o momento para falar de um modo frio. Eu acho que devemos por para trás das costas o que aconteceu de ruim e nos juntarmos neste momento difícil.
Lua: não é fácil Mel, voce sabe.
Mel: eu sei… e também sei que não é com desculpas que eu vou lá, mas não custa nada tentar. Eu queria realmente vos pedir desculpa por toda a borrada que eu fiz. Eu sei que não estava certa. A vida é vossa e eu tenho que respeitar isso.
Lua: é… - ela concordou
Mel: será que as minhas desculpas não chegam para voltarmos a ser como de antes? – sorriu, meio fraco – Sinto a vossa falta. – Ela mordeu o lábio, tentando segurar o choro
Arthur: tem de ajoelhar…
Lua: que? – encarou o marido
Arthur: isso mesmo. Tem de ajoelhar e pedir desculpas – ele tentou dessa vez segurar o riso
Mel ri: tá… - ela ajoelhou na frente dos dois
Arthur: e agora pode pedir desculpas
Mel: eu peço desculpas pelos meus comportamentos terríveis dos últimos tempos. Prometo não voltar a faze-lo pois quero a amizade de volta.
Arthur: agora pode beijar o meu pé
Lua ri: ARTHURR – repreendeu o marido
Arthur ri: brincadeira
Mel ri: nossa, tava a ver a minha vida andar para trás…
Lua ri: voce realmente não existe
Arthur ri: boba
Mel: gente, será que podemos passar para a parte em que eu vos abraço?
Lua ri: tem duvidas?
Arthur ri: agora!

Os três se abraçaram no meio da sala, entre risos e emoções por parte das meninas. O abraço acabou com os três deitados no sofá, rindo até não poder mais.
Pouco depois, Lua e Arthur começaram a contar tudo o que está acontecendo no momento. Mel falou que agora é a altura certa para todos estarmos juntos e resgatar o Rodrigo. Esperemos que assim seja. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo