6 de out de 2013

Plano B - Capítulo 11




NARRADOR Pov.


Num celeiro, não era o local mais romântico, muito menos o mais apropriado. Mas Lua acabou cedendo e Arthur se laçou àquele corpo.

Lua: não vai aparecer ninguém né? – Lua parou o beijo intenso que Arthur lhe dava
Arthur: e se aparecer? O que tem?
Lua: nada… eu acho. É que tudo o que é proibido, é o mais apetecido, sabia? – Lua saltou para o colo dele e colocou as suas pernas sobre a cintura de Arthur
Arthur: só sei! - Arthur começou um novo beijo ainda mais intenso do que o primeiro. Eles se beijavam a um ritmo acelerado, parecia que precisavam daquele beijo para respirar. Mas Lua era diferente, Arthur sentia isso e queria que com ela tudo fosse diferente.Parou o beijo para olha-la nos olhos. Acariciou o seu rosto, seus cabelos tudo muito suavemente e segurou o rosto dela para lhe dar um beijo longo e gostoso.

(Como eu sei que tem gente que não curte hot, to avisando que vai começar aqui! Se quiserem pular vai ter outro aviso lá em baixo!)

Lua: cadê a sua energia do início? Não me vai dizer que bruxou, né?
Arthur: Você vai ver a energia – ele riu pra ela safado - Mas só depois…

Arthur começou um beijo calmo, aquele, que à muito tempo queria dar nela. Ela correspondeu de imediato, mas ela estava com mais pressa que ele para aquela transa de uma vez. então pediu de imediato passagem para a sua língua, digamos, brincar com a dele. Ele cedeu. Lua queria ação, mas Arthur queria que tudo se tornasse romântico. Afinal, ele adorava aquela sua loirinha. Lua empurrou Arthur para aquele monte de palhas, fazendo o garoto deitar e levantar os braços. A loirinha deitou por cima dele e enquanto o beijava, começou a tirar a tirar todas as marcas da camisa dele, para que se pudessem ver livres dela de uma vez por todas. Ele por sua vez, começou a puxar o ziper do vestido dela. Se livraram logo das roupas maiores, deixando apenas as mais intimas. Lua se impressionou com o tamanho da excitação do Arthur. Era realmente grande. 

 Lua: Sofrerei com isso dentro de mim?
Arthur: Nem um pouquinho – ele riu – Apenas prazer.
Lua: Espero que assim seja.
Arthur: Pare de falar e cole a sua boca na minha! – Arthur ordenou.

 Antes que Arthur pudesse enlouquecer, jogou o soutien de Lua longe, que tirou com os seus dedos trémulos. Lua havia comprado aquela nova peça interior à pouco tempo. Digamos, que usou apenas hoje e olha que valeu a pena.

 Arthur: Se eu lhe machucar… 
Lua: Entre em mim de uma vez Aguiar! – ordenou a garota.

 Lua estava por cima dele. Ambos completamente despidos, e sem a menor vergonha por assim estarem. Estavam se provocando até agora com leves chupões, com beijos e arranhões, mas não conseguiam mais esperar. Arthur inverteu as posições. Lua ficou por baixo e nem ousou em reclamar das palhas que picavam nas suas costas. Arthur começou as investidas em Lua, que se lamentava alto. As investigas aumentaram, assim como a voz de Lua e Arthur que sentiam um prazer enorme invadindo o corpo de cada um. Lua arranhava as costas de Arthur e arqueava a cabeça para trás, pedindo por mais. era um ritmo estonteante. 

 Lua: Oh my good! – Lua falou até em inglês pra espalhar aquele prazer. Ela estava com a respiração muito ofegante.
Arthur: Oh meu deus digo eu… Lui-nha – Arthur gemeu o seu nome. 

 Chegaram num ponte de prazer, mas não pararam por ali. 

 Arthur: preparada para a segunda ronda? – ele estava com a respiração descompassada.  Suas costas estavam vermelhas, provavelmente ardendo devido aos aranhões de Lua, mas naquele momento, nada disso importava. Ele queria sexo! 
Lua: eu nasci pronta meu amor!

 E começou de novo. O celeiro tremia à conta da loucura dos dois se amando no meio de tanta palha, com aquele cheiro de queijo por todo o lado. Haveria passado o que? 30 minutos? Uma hora? Duas ou três? 

 (Acaba aqui!)

Arthur: Nossa, foram quantas? 3 ou 4? Foi demais, mesmo!
Lua ri: Eu tenho que te contar uma coisa! - falou se sentando.
Arthur: Eu também tenho! 
Lua: Pode falar.. - enrolou.
Arthur: Eu te amo.. - Nesse momento, por pura coincidência Lua tem um enjoo e corre para um banheiro que havia lá dentro, vomitando. - Bom eu, não esperava essa resposta! - disse quando viu que Lua lavava a boca. Quando ouviu um soluço. - Lu, você ta chorando por que? Eu fiz alguma coisa, eu..
Lua: Não Arthur. Eu gosto de você.. - pegou em sua mão.. - Eu to grávida!
Arthur ri: Eu acho que não funciona tão rápido assim!
Lua: Arthur, é sério!
Arthur: E quem é o pai? - se levantou, vestindo a calça.
Lua: Eu não sei. - ele arregalou os olhos. - Digo, eu sei como ele é, mas não o conheço.. Foi no banco de esperma. Eu fiz uma inseminação.
Arthur: Por que Lua?
Lua: Eu queria um bebê! E não tinha encontrado alguém, então fiz isso sozinha!
Arthur: Quando você fez isso?
Lua: No dia que nos conhecemos.. Eu não te contei porque não pensei que fosse ser tão rápido!
Arthur: A gente acabou de fazer amor e você diz que está grávida de um estranho? - falou magoado.
Lua: Poxa, não fala assim.. Eu me sinto suja. Eu queria um bebê e tive que fazer isso sozinha, foi antes de te conhecer.- se encolheu e deixou uma lágrima cair.
Arthur: O que eu devo dizer? Parabéns, essa foi uma ótima notícia?!
Lua: Foi tão sério tomar essa decisão, e agora eu não sei o que fazer.. - várias lágrimas caíram e por um momento, ele se sentiu mal por causar isso. - Me desculpa!
Arthur: Pelo que? Por mentir ou por estar grávida?
Lua: Eu não menti. - ficou de pé e tentou pegar em sua mão novamente e ele puxou a dele.
Arthur: Mas não disse a verdade!

Lua, se deitou novamente ali, sozinha e passou a mão na barriga, alisando-a. Ali, ela chorou até não poder mais. Quando viu que já era tarde se levantou, vestiu o resto de suas roupas e saiu do lugar acabada. Não queria que fosse assim. A não ser que, é claro! Lhe passou pela cabeça que Arthur apenas queria transar com ela e depois apenas aproveitou a desculpa da gravidez. Entrou no quarto e tomou um banho, arrumou as malas e deixou-as do lado da cama. Deitou e tentou dormir, mas só foi conseguir isso depois das três horas da manha, com a mão na barriga.
No quarto ao lado Arthur se sentia mal, ele já estava completamente apaixonado por Lua, e sabia que ia aceitar essa gravidez e cuidar dos dois anjinhos. Lua e o bebê.
Se levantou e andou até o quarto onde Lua dormia, quando abriu a porta seu coração se despedaçou ao ver ela ali, tão frágil. Com os olhos vermelhos e inchados, encolhida e com a mão na barriga. Parecia estar com frio! Foi até o armário e pegou uma coberta. Colocou com cuidado por cima dela, desejando estar abraçado com ela, lhe esquentando.Sabia que ela não o perdoaria e ficaria magoada. Mas apenas deu um beijinho em sua testa e outro em sua barriga e saiu do quarto.

Vamos comentar? A maratona começa aqui! :)



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo