1 de out de 2013

[Mini Fic] Enjoy the Silence


Capítulo 3

Finalmente. Depois de aterrissar no aeroporto de Carlisle, fomos para Penrith, no condado de Cúmbria. O avô do Will já tinha deixado tudo ajeitado para a nossa estadia na fazenda, enquanto o Sr. e a Sra. Blanco viajavam para comemorar 25 anos de casados. Um carro já nos esperava quando saímos do pequeno aeroporto. Enquanto eu ajudava o Will com as malas, Ane tirava fotos de tudo, e aLua... Bom, agindo como Lua: fingindo que ninguém existia. Ane já sabia como a cunhada era, então entrava no jogo, fingindo que a própria Lua não existia. 

No carro, Will foi à frente conversando com Jerome, o motorista da fazenda, relembrando coisas das férias passadas lá quando criança. Eu tive de sentar entre a namorada muitíssimo bem-humorada do Will, que me fazia rir dos comentários sobre as pessoas na rua e a múmia que atendia (na verdade não atendia coisa nenhuma) pelo nome de Lua.
Mais ou menos uma hora depois, chegamos ao lugar mais lindo que eu já vi na vida. Will disse que o nome do “bairro” era Watermillock, mas, cara, cabia um bairro todo dentro da propriedade dosBlanco! A casa, ou melhor, a mansão parecia ter saído de um filme: enorme, branca e todos os detalhes em azul escuro. O gramado era de dar inveja ao do palácio de Buckingham. Jerome ia dizendo onde ficava cada coisa: piscinas, estábulos, quadras, sauna... Cara! Como o Blanco nunca sequer tinha mencionado esse lugar pra gente? Belo amigo, hein?

- Will! Lua! Meu Deus, como vocês cresceram! – uma senhora de cabelos grisalhos e olhos verdes veio toda animada quando entramos no hall da casa.
- Claire! – Will correu para abraçar a simpática velhinha – Que saudade!
- Vocês ficaram famosos e se esqueceram de mim – ela fez charminho e nós rimos – Ane, eu sempre soube que vocês ficariam juntos – ela retribuiu o abraço da namorada do Will e parou sorrindo – Lu, minha querida.
- Oi, Claire – a voz dela saiu tão doce que eu pensei estar ouvindo coisas – Senti sua falta – Lua estava falando bem baixinho, como se tivesse vergonha de ser amável com alguém.
- Eu também senti falta da minha ajudante de cozinha preferida – a senhora, Claire, abraçou a Lu sorrindo – E você deve ser o famoso Arthur – ela veio na minha direção de braços abertos.
- Famoso? Eu? – sorri maroto, quando ela concordou. 
- Pode acreditar. Certa garotinha falava bastante de você... – Claire foi interrompida por Lua, que estava repentinamente vermelha.
- Quais quartos estão disponíveis? – ela disse rápido e meio sem fôlego.
- Er... O azul, verde, lilás e amarelo – ela estava falando de quartos ou de lápis de cor? – Já mandei levarem as malas do Will e da Ane pro verde, do Arthur pro azul e as suas para o lilás...
- Eu vou ficar no amarelo – mal ouvi a voz da Lua, e ela já tinha subido a escadaria, dois degraus de cada vez.
- Mas ela sempre ficou no lilás – a adorável velhinha ficou visivelmente assustada com a atitude da sua garotinha querida.
- Claire, eu preciso alertar que a Lua não é mais a mesma – Will a abraçou de lado e falou mais baixo – Aqui vocês não têm costume de ler revistas ou assistirem programas de fofocas... Mas a Lua não é a Lu que vinha pra cá antigamente. 
- Eu percebi as roupas diferentes e a maquiagem pesada... Mas ela pareceu ser a mesma menina doce e alegre de sempre – eu suspirei, coitada de Claire, se ela soubesse um terço das coisas que aLua estava aprontando...
- Bom, só não se assuste se ela fizer alguma coisa diferente, tá bem? E avise aos outros empregados para a tratarem como uma convidada e não como alguém ‘de casa’ – Will disse olhando para duas mulheres, pelas roupas deviam ser cozinheiras, que estavam esperando Claire na porta que me parecia levar até a sala de jantar.

***

O quarto que me deram era demais. As paredes tinham um tom diferente de azul, eu ouvi o Will dizer que a Lua chamava de ‘azul colar da Rose do Titanic’, e pior era que o quarto era realmente da cor do tal colar. A cama era incrível! A mobília era toda feita em mogno, e a decoração era amarelo clarinho. Mas nada disso se comparava à varanda. A vista que aquela varanda dava de toda a fazenda. A primeira coisa que fiz foi tirar uma foto daquela paisagem, tudo tão verde com pontinhos coloridos das flores; o céu estava azul claro, sem nuvens e o sol estava bem fraco. Do lado esquerdo dava pra ver a piscina e do direito uma espécie de plantação. Demais. Um lugar realmente irado.

***

Cara, eu queria morar num lugar assim! Estávamos na fazenda há cinco dias e fez sol todos os dias. Todos! Ficávamos na piscina sem fazer nada, só curtindo e comendo as coisas maravilhosas que a Claire mandava alguém trazer de tempo em tempo.
Eu consegui compor alguns trechos para novas músicas. Tentei andar a cavalo. Descobri que a plantação que via da janela do meu quarto, era plantação de ervas para chá. Bem inglês, certo?

O momento mais engraçado até aquele momento: uma das empregadas pegou Will e a Ane quase pelados dentro do estábulo, nunca vi alguém chorar tanto na minha vida que nem a pobre mulher chorou se desculpando. Não que isso seja engraçado, a graça foi ver a cara do casal depravado levando uma bronca da Claire. 
Tudo estava indo muito bem... A não ser... Lua. 
Ela quase não saía do quarto, só saía quando Claire insistia que ela precisava tomar um pouco de sol e ar fresco. Eu não ouvi a voz dela por exatos cinco dias.

Painful to me
Pierce right through me
Can’t you understand
Oh my little girl

6 comentários:

  1. Relendo a mini fic para matar a saudade! Mais?

    ResponderExcluir
  2. Relembrando a fic!! Rola mais??
    Beijos: Kaah :)

    ResponderExcluir
  3. Ah' Quero maiis essa (mini fic) é Otima ;D

    ResponderExcluir
  4. O/ Ehh' blog reativado, já tava com sdds Fanny..

    ResponderExcluir
  5. Relendo :) já estava com saudades :) posta mais
    By: Paula

    ResponderExcluir

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo